História Mortal Instruments - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Personagens Ametista, Garnet, Jasper, Lápis Lazuli, Leão, Peridot, Pérola, Steven Quartzo Universo
Exibições 40
Palavras 2.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Misticismo, Orange, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demoro pra postar porque os capítulos dessa fic são longos e um pouco cansativos de escrever, e também me distraio com qualquer coisa ai dificulta mais ainda.

Capítulo 2 - Eu Não Posso Acreditar! Na Verdade Não Posso Lembrar...


Depois de desmaiar por conta do veneno de demônio, Lápis acorda numa enfermaria, alguém havia trocado sua roupa, ela se senta na cama, estava com uma forte dor de cabeça e dor no antebraço, olhando o local... Ela havia sido tatuada?! Olhando em volta vê Peridot sentada numa cadeira ao seu lado, e Jasper em pé mexendo em algumas coisas.

— Finalmente você acordou! — Exclamou Dot, sorrindo.

— Eu apaguei e vocês me fazem uma tatuagem? — Brinca a azulada, passando a mão sobre o que parecia ser um desenho.

— Não é uma tatuagem, é uma runa, tem para veneno de demônio, para velocidade! Por isso eu não conseguia ver ela. — A loira menor gesticula animada. — Até se você tiver com fome...

— Não. — Jasper cortou a garota. — Se você sobreviveu é porque não é uma Mundana.

 — Por que diz isso?

— Mundanos não suportam as runas, por exemplo, se eu fizer uma na sua amiga aqui, ela vai morrer.

— O que eu sou então?

— Uma caçadora, como eu. Você tem sangue de Nerphilim.

Uma garota da altura de Peridot  entra no local, com uma muda de roupas nas mãos.

— Então princesa, troca de roupa Yellow Pearl quer ver você. — A garota com longos cabelos roxos joga as roupas no colo da azulada, mexendo em alguns medicamentos.

Lápis se levanta e encara feio Peridot, a loira no momento entendeu o recado e se levantou e foi para perto de Jasper. Lazuli puxou as cortinas em volta da cama para ninguém precisar vê-la nua, levou alguns minutos e saiu detrás das cortinas, havia colocado uma calça jeans preta e uma regata no mesmo tom.

— E não é que a roupa serviu? — Brincou Ametista, olhando para a azulada.

— Vamos, Yellow não gosta de esperar. — Jasper se encontrava séria, caminhou para fora da enfermaria, sendo seguida por Lápis.

— Vocês tem um gato?

— Não, não temos um gato. — A loira torceu o nariz ao ouvir a palavra gato. — E nem tem como um ter entrado aqui.

— Fala isso pra esse mocinho lindo. — Lápis estava encantada, fazendo carinho num gato grande de pelagem platinada, com grandes olhos, um amarelo e outro azul. — Não é mesmo Grey? Posso ficar com ele Jasper?

— Não. — Uma mulher da altura de Jasper apareceu, de cabelos volumosos e escuros, a pele igualmente escura também.

— Garnet, por favor. — A loira suspirou pesadamente.

— Por favor, você, Jasper. — A mulher retruca, com um tom de voz forte e sério. — Aqui não é abrigo nem casa de boneca, leve logo ela para Yellow, depois leve-a embora daqui.

Lápis franziu a testa, pegou o felino no colo e foi caminhando em passos pesados e largos até a grande porta no final do corredor, ouvindo as outras duas a seguir. Jasper abriu a porta e viu a menor entrar, observando de longe, nunca havia conhecido ninguém que tivesse conseguido prender tanto sua atenção como aquela garota que conhecia a menos de 24 horas.
A azulada colocou o gato em cima da mesa, vendo o mesmo se sentar e lamber sua pata, a atenção dela fica presa numa foto de sua mãe com um grupo, vestidos como Jasper e com armas semelhantes a da loira.

— Sua mãe era uma das melhores caçadoras que já tivemos. — Uma mulher loira desce as escadas, tinha a voz terna e acolhedora. — Você lembra muito ela.

— Como eu não sabia que ela era uma Caçadora? — Indagou, passando a ponta dos dedos na fotografia.

— Sua mãe precisava esconder você da Blue Diamond, e esconder o Cálice também. — Yellow fez um sinal com a mão para Jasper entrar na sala. — Já os avisou?

— Sim, estão esperando ela.

— Quem Jasper? — Lápis perguntou à maior, confusa.

— Os Irmãos Silêncio, eles vão tentar acessar suas memórias, para que se lembre de algo.

Lápis não contestou, só seguiu a loira, em alguns minutos ambas já saíram do instituto, e seguiam pela rua a caminho do cemitério. Jasper parou para procurar por alguém.

— Aquele ali é um dos Irmãos silêncio? — A menor aponta para um senhor com cabelos brancos, varrendo as folhas.

— Não, aquele ali é o zelador. — A loira solta um riso zombadeiro. — Aquele ali é ele. — Aponta para um ser encapado, quando estava perto o bastante pode ver que tinha o rosto magro e seus olhos e boca costurados.

— Podemos ir? — Disse o ser de pele acinzentada, sem mover os lábios.

— Como…?

— Eles se comunicam pela mente. — A loira seguiu um dos Irmãos silêncio, pegando a azulada pela mão e a puxando.

Os três adentraram para uma escadaria, que em um corredor subterrâneo, Lápis olhava tudo com curiosidade, sabia que havia corpos ali, mas não entendia porque tantos anjos em cada tumba.

— Quem está enterrado aqui? — Lazuli quebra o silêncio entre elas.

— São outras caçadoras.

— Somos sempre mulheres?

— Na maioria das vezes, e se nascerem homens, são estéreis, então é bem difícil ver algum homem no nosso meio.

— E eles, são o que? — Aponta para a pessoa à frente das duas.

— Eram caçadoras também, porém, adquiriram muito poder e se tornaram superiores a nós, são imortais. Como submundanos. E a nós nos resta a mortalidade, mas um dia, serei enterrado aqui. — Jasper apóia a mão em uma das tumbas.

— Você cresceu nesse mundo não é?

— Sim, minha mãe me criou para isso. Olha, já chegamos, não tenha medo ok? Vou estar aqui com você. — A loira passa a mão na cabeça de Lápis, na tentativa de fazer um carinho.

— Fique ali no centro, vamos à procura das profundezas da sua mente. — Uma voz aparentemente ecoa pelo local, mesmo os irmãos silêncio tendo as bocas costuradas.

Lápis anda com receio até o meio do local, e fica em cima de um desenho de olho no chão e com uma espada sob sua cabeça, logo ela sente tudo rodar e se vê pequena no apartamento, vendo algo parecido com uma bolsa com uma runa de poder Angelical, logo se vê um pouco mais velha entrando no banheiro de casa, vendo sua mãe limpando algumas feridas, com os braços cheios de runas, como o de Jasper. Em algum momento sua mente a fez se ver com a sua mãe na chuva, batendo numa porta enorme.
Jasper vê a azulada cair e corre para perto da mesma, a sacudindo, a vendo escrever algo no chão.

— Lápis acorde vai, eles já terminaram. — A loira apoiou a cabeça da menina em sua mão, olhando para o que ela havia escrito no chão.

— Jasper o que houve?

— Sua mente se lembra de tudo ao contrário. — A maior corrigiu a escrita da azulada, formando a palavra ´´Pérola``.

— Quem é Pérola? — Lápis se levanta e limpa sua saia.

— Uma feiticeira, uma das melhores.

— Vamos até ela então.

— Não é tão fácil quanto parece menina.

Lápis bufou, não gostava quando não lhe chamavam pelo nome, mesmo assim seguiu a loira para fora dali. Quando chegaram no instituto foram direto ao encontro de Ametista, que estava escolhendo uma roupa para ir a uma festa de submundanos, que coincidentemente Pérola estaria, a feiticeira não perdia nenhuma festa.

— Isso aqui é tão apertado que parece uma segunda pele. —  Reclamou Lápis, puxando o vestido para tentar inutilmente o tornar um pouco maior.

— Pare de reclamar, não pode ir numa festa parecendo uma mundana, nunca te deixariam entrar. — Bufou a aroxeada, puxando a maior para perto de um banquinho.

— Você deve ter tempo para comprar tanta roupa.

— Um pouco. — Ametista arruma o cabelo de Lápis, o deixando preso. — Agora vamos se não vão nos xingar, e sua namoradinha está ai.

— Ela não é minha namorada, é minha melhor amiga.

— Peridot é uma graça. — Ametista deu um risinho.

Lápis ri e abre a porta do quarto, dando de cara com as três garotas, esperando as duas que demoraram um pouco.

— Parece o tipo de garota que deixa o número num banheiro masculino. — Garnet disse sem rodeios, saindo andando.

— Eu gostei. — Jasper murmurou sorrindo para Lápis.

Peridot sente uma pontada de ciúmes, mas ignora e vê as duas saindo na sua frente muito próximas, ela vai logo depois com Ametista. Logo as quatro chegam a uma porta de estilo oriental. Jasper toma a frente e bate, e abre uma pequena janela, a loira desenha uma runa no ar deixando o homem do outro lado paralisado, ela coloca a mão por dentro da janelinha e abre a grande porta, dando espaço para todas entrarem, se misturando na festa. Em poucos minutos a feiticeira foi de encontro as quatro, as olhando de cima a baixo.

— Ora caçadoras, o que fazem aqui? — Pergunta de forma irônica. — Oh, Lápis, como cresceu, idêntica a sua mãe.

— Precisamos que desbloqueie as memórias dela. — Jasper foi direta, se colocando ao lado da azulada.

— Só deixarei vocês ficarem por causa da bonitona.

— Obrigada.

— Estava falando da de cabelo afro, ali querida. — Pérola apontou para Garnet, deixando a morena sem graça.

A feiticeira se vira e sai andando, sendo seguida por Jasper e Lápis, indo para um quarto bastante enfeitado.

— O feitiço que lancei em você foi o mais perfeito que fiz em toda minha vida. — Murmurou a albina, se sentando na cama.

— Bem... Preciso que o reverta, sabe?

— Como disse? Não tem como. — Negou, gesticulando com os braços.

— Como não?!

— Eu retirei suas memórias e dei de comer para um demônio, só há um jeito, mas é perigoso. Podem ir à minha casa amanhã, vamos resolver isso. — Pérola entrega um papelzinho para a azulada, vendo-a sair do local logo em seguida.

Ametista estava perto da mesa de bebidas e comidas, e percebeu a estranha aproximação de duas mulheres, chamando a atenção da loira ao seu lado também.

— Por favor, tome cuidado, se não sua amiga vai surtar se algo te acontecer.

— Não se preocupe não sou nenhuma criança Ametista. — Enquanto as meninas trocavam poucas palavras a mulher que se mantinha ao lado de Peridot jogou algumas gotas de um liquido azul, o vendo se espalhar rapidamente na bebida da garota, e ela bebendo.

— Peridot não bebe isso! — Ametista tentou segurar a loira antes de ela cair, mas foi segurada pela mulher ao seu lado, e viu a garota ser levada por um grupo de vampiras. — Que droga!

Em menos de alguns segundos as outras três caçadoras voltaram, vendo a face de desesperada da menor não tiveram duvidas do que aconteceu.

— Vampiras a capturaram! Eu tentei impedir, mas me seguraram.

— Vamos para o Hotel então salva-la.

— Eu não vou me colocar em risco porque você quer impressionar essa garota que acabou de conhecer Jasper, estamos quebrando acordos.

— As vampiras fizeram isso primeiro Garnet, estamos aqui e somos treinados para salvar mundanos.

— Precisamos informar a Clave, se não vamos ser punidas.

— Até lá a garota já virou uma sanguessuga.

Garnet bufou em negação, mas foi a primeira a sair do local, caminhando em direção ao Hotel, com as outras três atrás de si.

— Eu sei como entrar! Tem um caminho por dentro da tubulação de ar. — Murmurou Ametista, indo em direção a escada de incêndio do Hotel aparentemente abandonado.

Elas seguiram a menor, e logo estavam num labirinto dentro do prédio, logo ouviram passos.

— Vai à frente com a azulzinha ai Jasper a gente cuida delas. — Ametista fala animada, sentindo sua pulseira de cobra se transformar em um chicote.

A maior confirmou com a cabeça e puxou Lápis, logo Ametista e Garnet estavam transformando vampiras em poeira, vendo as outras duas sumirem de suas vistas. A loira sobe cerca de mais cinco andares de escadas, logo nota que a companheira está mais cansada que ela por conta das escadas, Jasper pega Lápis no colo mesmo com vários protestos da menor, elas chegam até o local onde Peridot está, e encontram a mesma num momento um tanto intimo com uma das vampiras, não qualquer uma, Jade a líder de todas as vampiras.

— Finalmente vocês chegaram, estava ficando chato só com ela. — A mulher com cabelos esverdeados diz de forma brincalhona, empurrando a loira que se encontrava dando beijos em seu pescoço.

— Peridot vamos embora, por favor. — Lápis tenta se aproximar da amiga, mas Jade segura Peridot contra si e coloca uma lâmina no pescoço dela.

— Faremos assim, vocês não falam nada para a Clave, e deixo saírem vivos daqui, caso contrário minhas meninas vão acabar com você.

Jaspe e Lápis se entreolharam, e acabaram por confirmar com a cabeça, e seguiram a vampira, que as levou para outro caminho escuro, Jade mandou Jasper abrir a porta do corredor e sair com Lápis e por fim jogou Peridot para fora e fechou a porta do local.

— Dot! Ainda bem que você está bem, não saberia o que fazer se algo te acontecesse! — Lápis abraça a loira.

— Precisamos ir. — Jasper diz passando entre as duas, não entendia porque sentiu uma pontada em seu peito quando a azulada abraçou a nerd.

Ametista cai na gargalhada, seguindo a loira e vendo Garnet com raiva também. Logo as quatro caçadoras estavam no instituto, e Peridot se encontrava na enfermaria do instituto.
Lápis estava em um dos corredores externos do instituto, ela vê a morena vindo na direção oposta dela.

— Garnet tudo bem? — A azulada pergunta.

— Você precisa ir embora daqui agora, já causou muitos problemas. — A morena segura Lápis pelo braço apertando forte. — Você é só um peso morto pra nós. Você só atrapalha a equipe.

— Eu também sou uma caçadora! Jasper disse que também sou da equipe!

— Jasper age por impulso.

— Diz isso porque está apaixonada por ela! — Garnet ao ouvir as palavras da Lazuli segura-a pelo pescoço, apertando.

— Nunca mais diga isso sua mundana.

— É apenas a verdade, não se aceita como lésbica Garnet? — Lápis só sentiu o impacto do seu corpo contra o chão e a dor tomar conta dele.

— Se dizer algo a ela, eu mato você. — Ela da às costas a garota e sai andando apressada.

Lápis solta um suspiro dolorido, e se direciona para seu quarto, estava com a cabeça cheia demais para ligar para as ameaças de Garnet, era seu aniversário e pelo visto passaria sozinha. Ela acaba por ficar desenhando até cochilar, perto das 22hrs ouviu fortes batidas na porta, se levantou sonolenta e foi ver, era Jasper, estava arrumada demais para tal hora.

— O que faz aqui?

— Então, conheço certa pessoa que faz aniversário hoje, e pensei que poderia comemorar com ela.

— Como soube?

— Eu andei pesquisando sobre você Senhorita Lazuli. Vamos?

Jasper levou Lápis até a estufa do Instituto, não era mais freqüentada por mais ninguém, haviam conversado sobre tudo, família, costumes, diversão, animais, flores. A loira até improvisou um bolo com uma maçã para a azulada.

— Tenho um presente para você.

— O que é?

Jasper tira uma ´´caneta`` parecida com a sua, com uma malaquita na ponta, só que com detalhes azuis e um corpo mais fino porém firme.

— Toda Caçadora tem sua pedra, e pensei que precisaria para fazer runas, nem sempre vou estar perto ou as outras para te ajudar com isso.

— Obrigada Jasper! É tão linda...

— Não como você...

Ambas estavam sentadas na escola, Lápis começou a aproximar seu rosto do de Jasper lentamente, não estava mais pensando em nada, só agindo pelos seus sentimentos, a loira parecia querer o mesmo que ela, mas ambas se assustam com o barulho de um corvo, rindo sem graça. Jasper se levanta, com um riso sem jeito.

— É melhor irmos dormir, já é tarde.

Lápis confirmou com a cabeça e ambas desceram a escada, mas a azulada tropeçou em um degrau e acaba quase caindo, se Jasper não tivesse a segurado, já cansada disso tudo selou seus lábios nos de Lápis, sentindo as mãos da menor acariciar sua nuca, ambas cada vez mais sentindo mais necessidade daquilo do que de respirar.

— O que foi isso?

— Saudades...

— Nunca nos beijamos.

— Mas sinto como se já tivesse conhecido você há muito tempo...

 

 


Notas Finais


Espero que gostem, comentem o que acharam ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...