História Mortal loucura - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Velho Chico
Personagens Maria Tereza de Sá Ribeiro, Miguel de Sá Ribeiro, Olívia dos Anjos, Santo dos Anjos
Tags Oliguel, Velho Chico
Exibições 56
Palavras 852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá escuridão, minha velha amiga
Eu vim para conversar com você novamente

Por causa de uma visão que se aproxima suavemente
Deixou suas sementes enquanto eu estava dormindo
E a visão que foi plantada em minha mente
Ainda permanece
Dentro do som do silêncio

Em sonhos sem descanso eu caminhei só
Em ruas estreitas de paralelepípedos

Sob a áurea de uma lamparina da rua
Virei minha gola para o frio e a umidade
Quando meus olhos foram esfaqueados pelo flash de uma luz de neon

Que rachou a noite
E tocou o som do silêncio

E na luz nua eu enxerguei
Dez mil pessoas talvez mais

Pessoas conversando sem estar falando
Pessoas ouvindo sem estar escutando
Pessoas escrevendo canções que vozes jamais compartilham
E ninguém ousou

Perturbar o som do silêncio

"Tolos," digo eu, "vocês não sabem
O silêncio é como um câncer que cresce
Ouçam as palavras que eu posso lhes ensinar

Tomem meus braços que eu posso lhes estender"

Mas minhas palavras como silenciosas gotas de chuva caem
E ecoaram Nos poços do silêncio

E as pessoas se reverenciaram e rezaram

Para o Deus de neon que elas criaram
E um sinal faiscou o seu aviso
Nas palavras que estavam se formando
E o sinal disse:
"As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do metrô
E nas salas dos cortiços
E sussurraram no som do silêncio"

(The sound of silence - Simon e Garfunkel)

Capítulo 15 - O som do silêncio


As águas do velho Chico se movimentavam vagarosamente....sem um pingo de pressa de passar por aquelas bandas.

A luz do sol iluminava as águas esverdeadas,as fazendo parecer ainda mais mágicas e únicas.Ali sentada numa pedra banhada pelo rio estava ela,o olhar calmo porém desesperado,o coração silenciosos porém despedaçado.Como era ingrato tudo o que estava passando...se antes já se sentia sozinha e completamente perdida,agora estava mais do que nunca.Se sentia mais só do que nunca,apenas ela  é seu filho contra o mundo..

Pousou a mão por cima da estampa Flórida que cobria seu vestido,bem no local onde sabia que ele estava nesse momento.Hábito recentemente adquirido por ela após aceitar a gravidez.Mas , afinal o que podia fazer?negar que ele existia?abortar?sabia que mesmo se já não o amasse nunca faria nenhuma dessas coisas.

Talvez tivesse que ir embora dali escondida..isso era com toda certeza algo que ela não queria fazer.Mas era a única saída que avistava ..

-Você tá muito estranha ultimamente..-ela escutou a voz de Lucas ao seu lado.Enxugou as lágrimas que deixava cair e o olhou de esguelha,ainda sem dizer nada.

-Anda tristonha,abatida e nunca quer ficar perto de mim...me diga,foi algo que eu lhe fiz?-ele pergunta a olhando sério enquanto está virava seu rosto para encara-lo.

-Lucas..-ela começa ,ficando em pé.

-Não..eu já sei o que tu vai dizer,que não sou eu é você!ou então que tem outro .-ele fala sem poupar saliva.

Ela engole em seco.Olhando para baixo .

-Eu não vou mentir pra você...tem sim outra pessoa.Mas não nesse sentido que tu tá pensando.Ela precisa muito de mim ,tanto quanto eu preciso dela a partir de agora.-ela diz se referindo ao filho.Rodeando com mais força a cintura e consequentemente sua barriga.

-Eu sabia..mas antes que você se dê o trabalho de me dar o fora,Olívia.Eu faço questão de dar o fora em você! tá tudo acabado!tu tá livre pra ser feliz com essa sua pessoa bem longe de mim!-ele fala irritado de um jeito que ela nunca havia visto e sai com a mesma rapidez que havia ido até ela.

Olívia fica em choque,não passava em sua mente falar nada a ele.Somente o fato de que ele havia feito finalmente,algo que ela queria ter feito muito tempo antes.

Limpando o rosto,ela voltou a se sentar,dessa vez na areia mesmo.Depois de um tempo acabou deitando na mesma,que era confortável e úmida contra sua pele.

Seus planos eram confusos,ela não podia simplesmente arrumar suas coisas e fugir no meio da noite..como ela iria sobreviver?onde iria morar?pior ainda...como poderia deixar sua família para trás definitivamente?!seu pai, sua mãe,Bel,tio Bento ,vó Piedade e Miguel..dele ela sabia que com certeza não conseguiria se afastar sem sofrer mais do que nunca.

Mesmo que fosse errado pensar em ficarem próximos,os grandes estragos já haviam sido feitos e agora só o que ela poderia tentar fazer era ir embora sem prejudicar a vida de mais ninguém.

Mas​ Miguel.. tinha que contar a ele,ele tinha direito de saber e ela não conseguiria ir embora sem ter contado algo tão importante a ele.

Levantou​-se decidida a fazer isso.No caminho ,tentava pensar  jeito adequado de dar uma notícia tão delicada e ao mesmo tempo de certa forma tão trágica..

O que eles tinham feito?por Deus...aquilo era tão errado,ela se sentia tão suja ... tinha nojo de si mesma e nunca iria se perdoar por ter arruinado assim a própria família..Mas aquela criança era diferente,ela era tão pura quanto eles eram culpados e por ela Olívia seria capaz de qualquer coisa.

Quando já estava chegando perto da porteira da fazenda, o avistou não muito longe.Parecia estranho,meio angustiado.

Correu até ele,seu nervosismo era tão grande que o estômago já começava a embrulhar.

-Miguel!-ela gritou se aproximando.

Ele se virou ,com rosto lívido e meio surpreso de vê-la ali ,pelo que parece.

-Neguinha..-ele fala.

-Preciso lhe dizer uma coisa..-ela começa olhando-o nos olhos.

-Não precisa..eu sei o que aconteceu..-fala com expressão triste.

-Eu.. espere,tu sabe?como assim?!-ela se surpreende assustada.

Como poderia ele saber daquilo?meu Deus... será que mexeram na sua bolsa e descobriram o exame.. será que nesse mesmo instante toda sua família sabia sobre eles e sobre o bebê?

-Não se preocupe,todo mundo já tá agindo e nós vamos conseguir salvar ele..-ele fala se aproximando e a olhando com intensidade ,enquanto a pegava pelos ombros.

-Salvar ele?-ela pergunta meio desconfiada.

-Sim,nós vamos encontrar ele,não se preocupe..-ele diz com voz reconfortante.

Agora ela é que estava completamente perdida..

-Encontrar?encontrar quem?!-ela pergunta.

Imediatamente a expressão dele se altera e donstra dor, além de pesar..

-Pensei que soubesse...que já tivessem lhe avisado,e..eu..-ele olha para baixo.

-Me avisado o quê,Miguel.Pelo amor de Deus?!-ela começa a ficar apreensiva.

Ele a segura com mais firmeza e a olha nos olhos tentando passar segurança.

-Foi painho , Olívia ..ele caiu no rio mais cedo e...-ele engole em seco.

Ela sente a pontada no peito.

-E?!-exige saber.

-E simplesmente sumiu ... ninguém sabe onde ele está e infelizmente pode ser que nem esteja vivo,neguinha..-ele fala com olhos marejados.Despertando as lágrimas dela.

Que se atira em seus braços,sentindo-se completamente desamparada e desesperada.Não poderia estar acontecendo mais aquela tragédia em suas vidas...

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Eitaaaaa
Comentem negadaaaaaaa,favoritemmmm
Até mais!!
Bjs😍😍😘💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...