História Mortal loucura - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Velho Chico
Personagens Maria Tereza de Sá Ribeiro, Miguel de Sá Ribeiro, Olívia dos Anjos, Santo dos Anjos
Tags Oliguel, Velho Chico
Exibições 38
Palavras 2.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu era um garoto rápido e sagaz
Mergulhando fundo por moedas
Todos seus olhos claros semicerrados
Vidrados nos meus brinquedos de plástico
E quando os policiais fecharam o parque de diversões
Eu cortei meu longo cabelo de bebê
Roubei um mapa de orelhas dobradas
E chamei por você em todos os lugares

Eu achei você?
Ave que não voa, invejoso, chorando
Ou perdi você?
Boca Americana
Grandes pílula, pairando

Agora eu sou um gato gordo doméstico
Cuidando minha língua dolorida e áspera
Assistindo o quente veneno de ratos
Através dos buracos de um cerca larga
Mijando em fotos de revista
Os que pescam iscas lançadas no frio e limpo
fluxo do sangue da Montanha de Cristo

Eu achei você?
Ave que não voa, de castigo, sangrando
Ou perdi você?
Boca americana
Grande pílula, presa a descer

(Flighlests bird-Iron & Wine)

Capítulo 25 - O pior de tudo não é estar sem amor,mas sim não saber amar..


-Olha só! O bebê de vocês tá bem aqui,ó.. tão vendo?-a obstetra pergunta.

Ao que Miguel sentado bem do lado da noiva, afirma sorridente,enquanto Olívia apenas sorri maravilhada.A médica passa o aparelho de ultrassom mais para a esquerda na barriga dela.

De repente, um barulho rápido e incrivelmente alto pode ser ouvido.Mais parece um trenzinho deixando a estação de tão ritmado que é.

-Esse aqui é o coraçãozinho,da pra ver que ele está bem,é saudável.-ela fala ,se dirigindo especialmente à Olívia ,que tinha medo de sua recente perda de consciência tivesse afetado o bebê.

-É rápido!-Olívia fala maravilhada.Seus olhos estão transbordando, mas ela nem se importa mais com isso.

-Pois é,ele ou ela está forte e crescendo muito bem pelo que dá pra ver .-acrescenta a mulher passando o aparelho um pouco mais para baixo da barriga dela.

-Os papais vão querer saber o sexo?-ela pergunta.

-Já da pra saber?-Miguel pergunta ansioso.

-Se o bebê colaborar sim,Olívia acabou de completar quatro meses,já é bem visível.-fala.

Eles se entreolham e acentem juntos.

-Vamos ver ...vixi,parece que tem alguém aqui que não quer colaborar com os pais, tá de perninha cruzada....-ela ri.

Os dois sorriem ao ver quase que nitidamente essa imagem na tela.

-Vamos lá,eu vou tentar mover ele pra ver se descruza,cruzem os dedos  hein papais!-ela brinca.Enquanto eles observam atentos ela apoiar cada mão nas laterais da barriga de Olívia,e lá faz alguns movimentos leves,com o intuito de mover o bebê ou ao menos incita-lo a se mexer.

-Mas não é que vocês têm sorte,esse bebezinho já é muito obediente olha...-ela ri.

Os dois se entreolham risonhos,era estranhamente gostoso quando se referiam ao bebê deles,ou quando alguém falava deles como pais,era surreal e bom demais pra ser verdade para os dois.

-E ai?-pergunta Miguel,sua voz ansiosa faz tanto Olívia quanto a médica rirem.

-Meus parabéns papai,parece que você vai ter uma princesinha!-ela fala.

-Uma menina...-Olívia fala encantada.Enquanto Miguel,mais próximo dela sorri de orelha à orelha.

-Mais uma menina pros dos Anjos,meu amor.-ele brinca.Puxando ela para um beijo.

 

-A gente vai ter uma menininha,Miguel,nem acredito-os dois estão no caminho de casa e ela  fala mais feliz impossível.Não que preferisse uma menina,mas saber o sexo(seja ele qual fosse) já era tão especial ,era mais um passo pra vida deles ,que apenas começava de agora em diante.E claro,pra pequena misturinha deles que nasceria logo,logo.

-Uma  menina pra me tirar o juízo e se Deus quiser,pra ser tão linda quando a mãe.-ele sorri orgulhoso e a puxando para um beijo.

-Com certeza pra herdar a minha personalidade forte também.-ela brinca.

-Deus que me defenda! Já basta uma teimosia em pessoa na minha vida,que mais parece uma mula empacada quando cisma.-ele fala de brincadeira e revirando os olhos.

-Abusado!-ela cruza os braços.

-Você gosta do meu jeito-ele fala.

-Oxe,prove-ela o olha de esguelha.T tentando ficar séria.

-Amor,sem ofensa,mas a nossa filha é a maior prova de que você gosta do meu jeitinho e  não é pouco não.-ele brinca e ela da risada.

-Como tu tá atirado ultimamente..-ela fala

-Especialmente pra você,meu amor-ele puxa ela pra um beijo de novo.

-Miguel ,a estrada!-ela sai do beijo ofegante.Só faltava eles se acidentarem por quê ele virou um tarado.

-E eu pensei que os hormônios fossem me atingir,não você.-ela fala e sorri.

 

-Olívia ,eu vou passar aqui rapidinho pra resolver umas coisas de painho,tudo bem? Você vai ficar aqui mesmo?-ele pergunta.

-Eu vou aqui no Chico tomar um suco,tu me encontra lá.-ela diz já saindo do carro também.

-Ok,volto já.-diz dando um selinho nela e entrando.

 

Como dito,ela foi logo em seguida em direção ao Chico criatura.Onde se sentiu na sombra e pediu um suco de laranja.

-Eita,que tá bonita!-ele diz deixando o suco na mesa dela.

-Obrigada,Chico.-ela fala dando um gole.

Logo em seguida ,alguém sai lá de dentro do bar,ela ainda não havia visto ele..

Mas ,Lucas logo se fez ser percebido passando por entre ela e Chico rapidamente.

Para na praça,conversando com um homem que ela não conhecia,mas que parecia suspeito.

-Esse daí tá estranho que só vendo!-ele fala como quem não quer nada,enquanto passa o pano pela mesa dela.

-Estranho ,o Lucas?-ela pergunta interessada.

-Anda todo fechado,cheio de coisa..não fala mais com quase ninguém e com umas companhia meio errada se tu me entende.A primeira é aquela azeda daquela ex-namorada de Miguel.-ele fala.Saindo de perto dela e indo lá para dentro.

Ela olha,parece que a conversa está acabando entre eles..rapidamente se levanta .

-Tá aqui o dinheiro ,Chico.Obrigada pelo suco.-fala avoroçada.

Ela sai praticamente correndo para alcançar o rapaz. Que está prestes a sair da praça.

-Lucas!espera,por favor!-ela o chama.

Ele para e se vira ,as mãos nos bolsos a expressão parece meio perturbada e ele parece outra pessoa.

-Olívia...quanto tempo.Aliás incrível como ele voa,não é mesmo?-ele ironiza e aponta com o queixo a barriga dela,que embora ainda não muito grande  já é perceptível.

Ela engole em seco.

-Mas ,o que que tu queria comigo?-pergunta ele.

-Eu não sei se você sabe..eu e Miguel vamos nos casar,e eu queria te convidar pra ir.-ela fala .

Ele sorri amargo.

-Não,eu passo a oportunidade de prestigiar o casalzinho feliz.-ele fala,fazendo menção de ir embora.Mas ela segura seu braço,e lê parece surpreso.Mas o puxa rapidamente do dela e sem se preocupar em ser delicado.

-Eu sei que eu te magoei ...me perdoa,eu sinto muito tudo isso ter acontecido...mas você é meu melhor amigo Lucas,o mais especial que já tive,meu companheiro de infância.-ela fala e ele suspira olhando para baixo.

-Você me surpreende sabe,Olívia,eu me pergunto quem é você agora..-ele fala.

-O que você tá querendo dizer com isso?-pergunta ela,franzindo as sobrancelhas.

-Você mudou Olívia...desde que isso começou!desde que ele chegou aqui!esse Saruê desgraçado!-ele fala com ódio no olhar e ela pela primeira vez se assusta com a raiva dele.

-Não fala assim dele!-defende o noivo.

-Ah!defende o seu noivinho vai Olívia..pra mim não passa de mais um daquela corja de mal caraters,mesmo sendo filho de Santo!-ele fala.

-Quando foi que tu ficou assim?-ela pergunta .

-Assim?assim como Olívia?!realista?verdadeiro? só por que dói pra você encarar a verdade,é?-ele pergunta a olhando nos olhos.

-Embora eu duvide muito que tenha sido só isso,eu sinto muito se o que eu fiz lhe mudou tanto assim.. -fala sincera.

-Me faça rir!como você consegue ser falsa,hein Olívia?e eu pensando que gostava de mim..-fala com rancor na voz.

-Eu gostava de ti...ainda gosto,você é meu amigo mais antigo.-ela diz.

-Se não fosse ele ,talvez você estivesse casando comigo agora ,e não com esse Saruê!-ele fala.

-Eu nunca me casaria contigo!-ela fala com raiva dele ,por falar mal de Miguel.

-Ah ,é mesmo!eu não tenho o dinheiro dele não é Olívia?ou será que eu tinha só que te engravidar pra tu ficar comigo?-ele cospe as palavras ,olhando no fundo dos olhos dela .

Lucas apenas não esperava o tapa que ia levar,em cheio , bem no meio da sua cara.A morena se assustou quando percebeu o que tinha feito ,mas não se arrependeu do ato impulsivo,ele não tinha o direito de falar assim com ela.

-Tu não tem o direto de falar assim comigo entendeu?!quem você pensa que eu sou pra você tratar assim?-ela aponta o dedo no peito dele,agora o arrependimento de ter feito ele ficar magoado se foi,agora a raiva a deixava posessa.

Ele a encara inexpressivo,a mão ainda no local onde ela o acertou.

-Pois saiba você,seu Lucas.Que eu vou me casar sim!com Miguel,por que eu amo ele,e eu ter engravidado é justamente o resultado do amor que nós dois temos um pelo outro!mas eu acho que você não sabe o que é isso!-ela fala,o rosto ,agora uma máscara de ódio das insinuações dele,praticamente a chamando de vagabunda e interesseira.Ela lhe dá as costas e já está indo embora quando ele fala:

-Eu sei o que é...eu te amava Olívia,sempre amei.-a voz dele parece destruída,ela sabe que ele está chorando agora.Ela mesma segurava as suas,mas era difícil de o fazer diante daquilo

Ela se vira novamente,agora de frente para ele ,mas com uma boa distância entre ambos.

Ela sorri amargamente e limpa uma ou duas lágrima teimosas.

-Tu podia até gostar de mim Lucas,até me querer bem..mas tu não me amava ,nem nunca me amou..agora, acho que nem mesmo do jeito que eu fazia,como um irmão..sabe por que?-ela pergunta se aproximando mais dele,agora os dois choram .

-Quem ama não é egoísta ,Lucas...quem ama não prende ninguém a si ,nem deseja a infelicidade do outro.Eu amo Miguel,e mesmo que tenha doido ,quando  eu pensei que nós não podíamos ficar juntos eu tentei seguir em frente,mas eu nunca destratei ele.Muito menos desejei que fosse infeliz com outra pessoa,isso é amor,Lucas... pôr as necessidades de outra pessoa acima das suas.É não se importar se você não pode fazer ela feliz..mas deixar que outra pessoa o faça...-ela fala,finalmente se livrando das lágrimas e se afastando.

-Olívia..-ele fala.

-Eu realmente sinto muito por tudo,quero muito que tu seja feliz..mesmo que me exclua das sua vida a partir de agora,eu vou tá aqui se precisar de mim.-ela fala e finalmente se afasta dele.Que também vai embora abalado.

Ela se encosta no carro aguardando Miguel.Abaixa a cabeça,em direção à sua barriga,um sorriso torto escapa por seus lábios.

-Parece que as coisas vão mudar muito daqui pra frente,filha..ainda bem que eu tenho você pra me fazer companhia...não vai deixar sua mãe sozinha não,né?-ela sorri ,alisando a barriga,como se a bebê estivesse lhe respondendo.

-Eu sei que não ,princesa..-ela ri pousando as duas mãos no topo da barriga,onde na ultra estava a cabecinha da bebê.

-Conversando?-ela se assusta com a voz de Miguel perto de seu ouvido,mas se vira sorrindo de leve e lhe dá um beijo enquanto ele passa uma das mãos em sua barriga e pousa a outra em suas costas.

-Demorei muito?-ele pergunta,tirando uma mexa do rosto dela.

-Não,ainda fui tomar o suco.-fala olhando para o lado.

-Espero...tu tava chorando?tá sentindo alguma coisa?é alguma coisa com ela?-ele pergunta preocupado e  olha para a sua barriga ,onde ainda tem as mãos junto das dela.

-Não foi nada,eu conversei com Lucas agora há pouco...-ela fala ,o rosto dele demonstra surpresa,ele franze o venho para ela.

-Lucas?mas o que ele fez pra você chorar?-ele pergunta a encarando.

Ela o olha ponderando falar ou não.

Ele ergue as sobrancelhas a incentivando a falar.

-Ele..me ofendeu e muito na verdade.-fala triste.

-Aquele idiota vai ver quando eu pegar ele perto de você de novo..-ele fala com raiva.

-Ele tá tão mudado,Miguel..ele me tratou tão mal..eu via a raiva no rosto dele sabe?daí ele falou de você e da minha gravidez e eu não aguentei e dei um tapa na cara dele.-ela fala.

-Você deu um tapa?mas ele não fez nada não,né?-ele pergunta meio alarmado,se separando um pouco dela e avaliando seu corpo,como se procurando alguma lesão.sua aflição era tanta que se não estivesse tão magoada ela riria da situação.

-Não,ele não chegaria a tanto..quer dizer eu acho.-ela pensou triste,ele estava mudado sim,mas agredir uma mulher,ainda mais grávida?!Lucas não seria tão mal assim ou seria?

 -Não se preocupe,da próxima vez eu mesmo dou uma lição naquele cretino,você pode guardar as luvas minha lutadora de MMA.-ele brinca ,a fazendo rir e dando-lhe um selinho.

-Mas você não vai atrás dele não , né Miguel?-ela pergunta nervosa.

-Não,só por que eu sei que você gosta daquele imbecil..mas se eu vir ele num raio de cem metros de vocês duas de novo, eu não prometo nada.-fala dando um beijo em sua testa e fazendo menção para que entrassem no carro.

 

-Você já pensou nos nomes que acha bonitos?-ele pergunta a ela no meio do caminho.

A morena, que ainda tinha as mãos sobre a barriga o olhando pensativa.

-Não sei,eu queria um nome forte sabe?um que tivesse significado.-diz,olhando para ele.

-Uhmm,que tal Cipriana?-ele finge estar sério.

-Eu passo -ela ri e ele acompanha.

-Que tal Mirtes?-ela pergunta a ele.

Que olha para a estrada e depois a olha novamente para ver se era brincadeira,se caso não fosse e ele falasse bobagem,do jeito que ela estava”bipolar” era bem capaz de sobrar pra ele depois.

-Amor,não sei.. não é feio,mas sei lá imagina a menina na escola.Parece nome de idoso-ele fala sincero.

-Um dia ela vai ficar velha ,Miguel.-ela ri.Era brincadeira,só para ver até onde ele ia.

-Eu sei mas sei lá..eu já imagino saindo um Benjamin Button feminino no dia do parto.-ele fala  a fazendo cair na gargalhada.

-A gente podia homenagear alguém..-ele fala.

-Talvez...eu acho o nome da sua mãe bonito.-ela diz.

-É,talvez a sua não ache muito,sei lá acho que pode magoar ela .Com toda essa coisa de painho e tal.-ele fala.

Não era bem segredo que o casamento de Luzia e Santo não passava agora de pura convivência,embora não se metessem nisso,sabiam que ele e Tereza se amavam e muito.E respeitavam isso.

-Verdade.. então sem homenagens por enquanto.-ela fala.

-Vamos pensar bem,temos até o dia dela nascer para decidir,neguinha.Não vamos querer escolher um nome feio ,não é princesa?-ele fala alisando a barriga dela com uma das mãos.

-Não vejo a hora dela mexer..-Olívia fala.

-Nem eu.-ele a beija .

 

Ao chegarem à fazenda se surpreenderam ao ver o carro de Tereza estacionado.

Mais ainda talvez,ao verem ela sentada na sala e conversando animadamente no sofá ,do lado de Luzia e com Piedade e Isabel.Santo chegava no cômodo bebendo água.

-Chegaram!como foi?-pergunta o pai.

-Muito bem,deu pra ouvir o coraçãozinho  perfeitinho .-Olívia fala .

-E o ultrassom?-pergunta Tereza animada.

-Tá aqui .-Miguel fala,entregando para a mãe.

-Ai,que lindinho,meu sobrinho gente!-Isabel fala animada.

-Sobrinha na verdade Bel.-Miguel fala,passando as mãos nas costas da noiva ,que sorri .

-Sobrinha? Então é uma menina?-Tereza pergunta quase dando pulos.

-É sim,mais uma peiticazinha ora família.-Olívia fala.

Todos irrompem em parabéns e em abraços.

-Eu nem acredito!uma netinha!-a sogra pousa a mão na barriga da nora.

-Mais uma mulher pra minha vida! Parabéns meus filhos.-Santo abraça os dois ao mesmo tempo.

-Mais uma molequinha pra correr nesse quintal e pra endoidar a bisavô aqui.-Piedade se emociona.

-E se Deus quiser puxar a mim!por que se for teimosa que nem Olívia!-Isabel fala,deixando a irmã emburrada e fazendo todo mundo rir.Miguel beija a noiva rindo e dizendo que era brincadeira,no final ela sorri um pouco mesmo à co tragosto.Aquilo parecia até um complô contra ela!

No lado mais afastado,estava Luzia,embora parecesse meio abatida ela sorriu quando a filha a olhou,estava emocionada tambémm um parabéns carinhoso e lacrimoso.

Ao observar o quanto a mãe era infeliz com a perda de seu marido,mas o quanto ficava feliz com a chegada da neta e com a felicidade dela,Olívia se lembrou do que havia falado ao ex-melhor amigo.Amar era mesmo botar as necessidades do outro acima das suas ,de cuidar incondicionalmente,i independente de seu próprio estar.

E se tinha um amor que era assim,com certeza era o amor materno.O amor que ela sabia receber de Luzia e que ela já sentia de forma arrebatadora por sua pequena.

Pois não há nada mais puro , mais incondicional e mais forte do que o amor de uma mãe.E agora que era e que se sentia verdadeiramente uma,ela tinha mais certeza disso do que nunca.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Fofos non??😁❤❤❤
É uma princesinhaaa #Babygirl
Ownnnnnn💕👶👶👶
OBS:COMENTEM OQ ACHARAM E EMBAIXO ENTRE PARÊNTESIS O TRECHO Q MAIS
GOSTOU DO CAP...

OBS 2:SIM,EU JÁ ESCOLHI O NOME ,MAS VOU DECIDIR AINDA QUANDO REVELAR,É
UM Q EU ACHO MT LINDO E ESPERO QUE
GOSTEM TBM...
Comentem e favoritem meus #Oligueiros lindossss
Até mais!!
Bjs❤❤😍🌞
👨+👩=👧


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...