História Mova - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias B1A4, Block B
Personagens Baro, B-Bomb, P.O., Personagens Originais, Sandeul, Taeil, U-Kwon
Tags Badeul, Dance, Taepyo, U-bomb
Exibições 66
Palavras 2.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Jude, don't make it...
Olá <3
Hoje temos um capitulo super cute cute <3
Espero que gostem <3

Capítulo 7 - O grande dia!


Fanfic / Fanfiction Mova - Capítulo 7 - O grande dia!

Eu estava hiperventilando ao lado de Kwon, mas ele apenas assobiava normalmente. Se olhando no espelho por tempo demais enquanto arrumava pacientemente os fios loiros nos seus lugares. Estava deliciosamente vestido com uma camiseta longa branca e uma calça jeans preta, sapatos pretos também, pequenas aspirais na orelha completavam seu charme. Apesar de estar usando uma camisa idêntica, mas preta, eu não me sinto tão bonito quanto ele. Deve ser porque essa camisa não é minha. Suspirei. Diferente dele estou com um jeans azul escuro clássico, um sapato preto e algumas pulseiras no braço. Cheiro de perfume rondando o quarto, já que o garotinho resolveu usar o meu também. Tínhamos pouco menos de meia hora, antes de termos que ir até o auditório.  

-"Você acha que estou bonito?"- Kwon perguntou e uma resposta mentirosa quase saiu da minha boca. Era difícil mudar hábitos.  

-"Está sim!"- Falei sincero, olhando pras minhas próprias mãos.  

-"Mas eu estou apenas bonito ou estou realmente bonito?"- Insistiu virando pra mim. Engoli em seco, lembrando de todos os nossos desentendimentos e da promessa de me dar bem com ele. Eu precisava começar a levar nossa interação de uma forma leve.  

-"Realmente bonito!"- Falei e ele apertou os olhos, transformando sua cara bonita em uma expressão de desconfiança. Com passos lentos ele se aproximou de mim e realmente não tinha ninguém no mundo que fosse mais bonito que ele.  

-"Você está mentindo pra mim?"- Perguntou quando estava perto. Meu coração batia rápido e eu não entendi porque ele precisava me fazer repetir que ele estava bonito.  

-"Não."- Falei simples desviando do seu olhar e mirando nas cortinas brancas. 

-"Você nunca admitiria mesmo se eu estivesse bonito antes. Então agora apenas assume isso assim, não importa quanto eu pergunte?"- Sua voz estava completamente desconfiada. Bufei impaciente. 

-"Não disse que ia ser sincero a partir de ontem? Estou sendo sincero!"- Falei já um pouco irritado, empurrando ele um pouco, ao mesmo tempo que tentava empurrar meu próprio corpo pra ponta da cama.  

-"Ok! Ok! Apenas diga isso mais uma vez e eu te deixo em paz!"- Falou finalmente rindo um pouco e segurando minhas mãos que tentavam afasta-lo com força.  

-"Me solta!"- Gritei com um certo desespero enchendo meu coração.  

-"Repita isso mais uma vez!"- Ele falou alto empurrando seu corpo na minha direção e empurrando o meu na cama. Me debati mais ainda tentando fugir. Que droga de decisão foi essa de ser legal com ele? 

-"Você está achando engraçado? Para de brincar e me deixa em paz!"- Gritei fazendo mais força, mas ele passou uma das suas pernas ao meu redor, sentando bem em cima de um lugar especifico enquanto segurava minhas mãos. Olhei afiadamente pra ele, mas o moleque sorria como se não soubesse que estava sentado na porra do meu pau. Ao mesmo tempo que me aliviava que ele não pensasse tão sujo quanto eu, me sentia um retardado por pensar sozinho.  

-"Fale mais uma vez!"- Implorou gargalhando e meus pulsos já estavam doloridos de tanto tentar me soltar. Enquanto ele falava seu corpo mexeu um pouco em cima das minhas partes baixas e tive que fechar os olhos e respirar calmamente ou ele perceberia. Essa situação não poderia demorar mais. Mais  humilhante do que assumir mais uma vez que ele era bonito, seria ficar duro em baixo dele agora mesmo.  

-"Você  é..."- Comecei ainda de olhos fechados e então abri olhando com força nos seus olhos. -"A pessoa mais fodidamente bonita que eu já conheci na minha vida! Cada maldita parte de você!"- Falei entre dentes e meu coração doía, depois de por essa frase agressivamente pra fora ficou mais impossível ainda de segurar a porcaria da minha ereção. Era um bomba relógio, a qualquer momento ia ser perceptível. Continuei olhando diretamente nos seus olhos, com medo demais de perder sua reação.  

-"Kwonnie! Você já está pronto?"- A voz fraquinha de Taeil me deu um susto tão grande que toda a força que eu estava fazendo pra não ficar duro foi desnecessária. Brochei  imediatamente. Nunca gostei tanto desse garoto.  

-"Estou indo Tae!"- Ele gritou sorrindo grande e simplesmente saindo de cima do meu corpo para atender a porta. Fiquei alguns segundos deitado atônico. Mas que grande bosta. Eu devo estar na seca mesmo. Bati na minha própria cabeça duas vezes. Mas é completamente normal, qualquer homem saldável vai ter uma reação quando uma pessoa senta no seu pau. 

-"Minnie ainda está dormindo...?"- Perguntou pra Kwon como se eu fosse surdo. Levantei, ficando sentado em cima da cama. Apenas pra que ficasse claro que estava acordado.  

-"Estou acordado!"- Falei do jeito mais simpático que consegui, ele não tinha culpa das besteiras que meu colega de quarto faz.  

-"Porque está tão bagunçado e vermelho?"- Perguntou descaradamente e Kwon teve a audácia de rir junto com ele. Esse dois idiotas estavam rindo de mim, bem na minha cara como se fosse nada. Uma aura densa pairou ao meu redor e eu decidi que me vingaria. Fiquei de pé. 

-"Pergunte ao seu amigo que fica atacando o colega de quarto dele. Acho que ele gosta de homens também!"- Falei só pra irritar passando no espaço entre eles dois em direção a porta, mas antes que eu saísse de perto deles Kwon bateu na minha bunda e apertou. Parei no lugar na hora. Respirando fundo pra não cometer um assassinato. 

-"Como resistir a esse cara bonito?"- Perguntou retoricamente e Taeil riu baixinho. Continuei andando na frente deles, assim que engoli a raiva. Não adianta querer deixar alguém como Yu Kwon com vergonha, ele sempre ia achar um jeito pra que eu fosse o mais envergonhado. 

○ 

Observei o loiro conversando animado com os outros alunos no camarim, ele tinha aquela capacidade incrível de fazer amizades facilmente e todos pareciam encantados com ele. Realmente ele tinha coisas boas nele, mas só quem estava perto o bastante ia saber como ele era irritante. Talvez se eu tivesse caído no quarto com outra pessoa eu pudesse ser uma desses caras conversando alegremente com ele. Até as meninas estavam ao seu redor tocando excessivamente seu ombro, como se estivessem apostando quem conseguia tocar mais no garoto. Imagino, como ele não fica incomodado com essa situação. Mas afinal, porque tinha tanta gente ao redor dele em tão pouco tempo?  

Certo, ele tinha essa coisa obvia de ser bonito. Também era simpático... Talvez no final isso já bastasse pra se dar bem com tanta gente. Ele também é gentil num ponto a parecer ridículo, mas não o vi fazendo isso com mais ninguém... além de mim e Taeil.  

Suspirei alto. Não adiantaria muito pensar nisso. Quanto desviei meu olhar do loiro percebi que outra dupla esperava na ponta do camarim, notei os números no papel que ele segurava, eu e Kwon dançaríamos depois dessa dupla.  

-"Baro ya..."- O garoto mais fofinho falou de um jeito triste, quase pareceu um gemido.  

-"Ainda dói Sandeul?"- O outro perguntou olhando com tanta preocupação pro seu amigo que me senti meio metido em estar notando eles dois.  

-"Sim, meu joelho ainda não se recuperou completamente de ontem..."- Ele falou de um jeito tristonho. O outro abaixou e depois de esquentar as palmas de sua mão uma na outra, encostou-as ao redor do joelho do garoto calmamente. 

-"Escute Deullie... Não se force demais. Isso não é uma competição. A culpa é minha por decidir a música muito tarde... Apenas dance como conseguir, eu estarei ao seu lado!"- Acalmou o menino e o mesmo sorriu meio vermelho. Desviei o olhar. Era demais ficar encarando o jeito que os outros se olham.   

-Dupla 21..."- O apresentador chamou e rapidamente os dois se arrumaram andando para o palco, a dupla que estava no palco entrou sorrindo de volta no camarim.  

Aquilo me fez pensar um pouco sobre o joelho do Kwon e em como ele aguentou fazer movimentos travados apenas para que eu pudesse dançar como quisesse. Kwon tinha esse poder de me fazer sentir uma pessoa ruim até mesmo indiretamente. Quem diabos é idiota o bastante pra se machucar, apenas pra que outra pessoa possa egoistamente fazer o que quiser? 

-"Ya Kim Yu Kwon!"- Chamei alto por cima do som do entrevistador perguntando os nomes dos carinhas que foram pro palco. O meu colega de quarto me procurou um pouco ao ouvir minha voz e quando me achou sorriu grande deixando apenas dois risquinhos no lugar de seus olhos. Ri involuntariamente, como um cara podia sorrir tão bonito? Ele não se importou em fazer despedidas, apenas veio em minha direção deixando seus fãs pra trás. Sentou ao meu lado, tão perto que seu ombro empurrava o meu confortavelmente.  

-"Nós somos os próximos... Precisamos ficar ali na porta..."- Avisei pra ele, apontando para a passagem do camarim para o palco.  

-"Tudo bem, vamos lá!"- Concordou sorrindo. Fomos até lá e o garoto começou a arrumar seu cabelo novamente, puxando a camisa e olhando se algo estava errado com o seu sapato. -"Você acha que estou bonito?"- Perguntou debochado olhando pra mim. Fiquei sério e apertei os olhos na direção dele ameaçando bater naquela sua cara.  

-"Você não pode ser um pouco menos irritante?"- Perguntei baixinho. Ele olhou pra e riu. 

-"Você disse que não ia mais ser ruim comigo!"- Brincou com minhas palavras. 

-"Eu não deveria ter dito nada pra você!"- Respondi irritado e olhei pra frente. Claro que ele não deixou isso quieto e resolveu que me fazer cocegas era uma ótima ideia. Tentei segurar a risada pra não chamar atenção, enquanto violentamente sentia suas mãos apertando minha cintura em lugares diferentes. 

-"Me perdoe por favor..."- Implicou e finalmente me livrei de suas mãos sorrindo grande. 

-"Apenas fica quieto!"- Tentei implicar, mas minha voz saiu apenas engraçada  e eu estava sorrindo.  

-"Você tem covinhas... Como eu nunca vi isso antes?"- Falou enquanto botava um de seus dedos na minha bochecha. 

-"Sai!"- Falei tirando sua mão. 

-"Isso é realmente legal!"- Falou. 

-"O que tem de legal num furo na minha cara?"- Devolvi inevitavelmente rindo.  

-"Dupla 22..."- Ouvi o apresentador chamando e respirei fundo entrando no palco com Kwon. Quando a dupla anterior passou por nós eles estavam sorridentes, mas o maior segurava o ombro do outro com força e ele mancava um pouco. Acho que se estava machucado, não tinha jeito de não sair doloroso pra ele.  

-"Então garotos quantos anos vocês tem?"- O homem perguntou quando as palmas morreram. Tantas pessoas nos olhando, minha sorte é que eu sempre amei um holofote.  

-"Tenho 21 anos e me chamo Lee Minhyuk!"- Falei sorrindo o mais charmoso eu consegui para os espectadores. Então o microfone foi direcionado para Kwon. 

-"Tenho 20 e me chamo Kim YuKwon!"- Quando ele terminou de falar gritos histéricos femininos começaram tanto dentro do camarim quanto da plateia, ele apenas riu.  

-"Parece que o senhor Kim tem muitas admiradoras!"- O apresentador brincou e Kwon apenas colocou uma mão na nunca de forma meio envergonhada, meio charmosa. -"Vamos ver do que essa dupla é capaz!"- Ele falou apontando para o centro do palco. Sorrimos e nos posicionamos calmamente lá.  

-"Kwon..."- Sussurrei baixinho enquanto esperava a música começar. 

-"Hum?"- Indagou observando a marcação do meio do placo. 

-"Não se esforce demais para não machucar seu joelho... Apenas dance como conseguir."- Falei calmamente e ele olhou pra mim por um momento, mas antes que pudesse dizer algo a nossa música começou. 

Foi fácil dançar aquela música porque tínhamos ensaiado tantas vezes e era tão simples, porque simplesmente Kwon deixou que todos os movimentos fossem os que eu conhecia e estava acostumado a fazer, não tinha nada difícil naquilo. De vez em quanto eu olhava na direção de Kwon, querendo perceber se ele deixaria algo mais lentos ou suave, se pararia de marcar tanto cada movimento. Porque eu o pedi que fosse devagar com seu joelho e estava decidido a deixar as coisas mais fáceis pra ele, quando ele decidisse ir mais devagar eu deveria estar pronto para ir mais devagar junto com ele ou ia parecer um erro. Minha atenção em seus movimentos durou toda a performance, mas ele não tentou mudar a coreografia nem por um segundo, performando perfeitamente do jeito que planejamos, até que finalmente a música acabou, palmas foram ouvidas e a outra dupla subiu no palco. Nós começamos andar e quando estávamos no camarim ele imediatamente sentou.  

Sem pensar muito peguei uma das garrafinhas de água oferecidas no freezer e levei até ele. Quando ele ia pegar recuei a mão e primeiro abri a tampa pra ele, o loiro nem ligou e apenas pegou a garrafa e tomou um longo gole. Me abaixei colocando um dos meus joelhos no chão e encostei minhas mãos na barra da sua calça. Pronto para dar uma boa olhada no seu joelho. Mesmo que ele já tivesse usado shorts que mostrassem-no eu nunca tinha realmente prestado atenção por não saber.  

-"Ya! Para com isso, eu to bem. Você acha que se eu estivesse assim tão mal, ia me inscrever numa escola de dança. Só dói um pouco, mas não tem um dançarino no mundo que nunca tenha se machucado ou não tenha enfrentado alguma lesão."- Falou seriamente enquanto olhava pra mim e apertava a própria panturrilha pra que eu não conseguisse subir sua calça. Não consegui insistir por ver sua cara séria. Então apenas me levante e sentei ao seu lado em silêncio. Kwon passou a garrafa de água pra mim e a bebi rápido. Eu não estava ofegante nem nada. Pra quem dança sem intervalos todos os dias, alguns minutos dançando não faziam nem cocegas.  

-"Para de fazer essa cara triste! Vamos descer e aproveitar o resto das apresentações!"- Reclamou pra mim e segurou nossas mãos juntas me puxando para fora... Estávamos os dois nos mexendo por todas aquelas pessoas, no meio de todo aquele barulho, mas tudo que eu conseguia pensar e olhar era sua mão segurando a minha. Meu coração deveria bater tão forte  por algo tão trivial? 


Notas Finais


Nosso Minnie tentando se redimir <3 Owwwn Merece um tapa na cara <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...