História Moving On (One Shot) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin
Exibições 166
Palavras 7.910
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


O sentimento de encontrar pessoas que gostam do mesmo que você é muito bom. E senti isso quando comecei a conversar com a Beah.
 Ela se tornou uma grande amiga e com seu aniversário chegando eu so conseguia pensar no que iria fazer. E a ideia desse história me veio.
Parabéns por esse dia tão especial.
Bjs da Lulu e espero que goste.

Capítulo 1 - Se encontrando


Fanfic / Fanfiction Moving On (One Shot) - Capítulo 1 - Se encontrando

 Minha campainha tocou, mas não mexi um músculo para atender a porta. Quase não saia da cama há duas semanas. Sabia que deveria ser Yoongi na porta e depois de mais alguns gritos e batidas na porta escutei o barulho de chaves e da porta abrindo.

- Como conseguiu entrar? - Murmurei cobrindo o rosto quando meu melhor amigo entrou no meu quarto abrindo as janelas e deixando o cômodo claro demais.

- Jeon me pediu para te devolver as chaves do apartamento de vocês dois e desse aqui que ele ainda tinha uma cópia da chave e mais algumas coisas. Trouxe comida pra você, Hyung. - Yoongi falou, gentil, ao se deitar na cama comigo. - Que tal ir tomar um banho para nós dois podermos comer o frango frito que trouxe? Você precisa sair um pouco da cama, SeokJin. Por favor, Hyung.

Sai da cama sem falar nada para Yoongi e fui tomar banho. Durante o banho quente escutava Yoongi arrumando as coisas no meu apartamento.

Desde que eu e JungKook havíamos rompido nosso noivado (coisa que aconteceu depois de eu descobrir que ele me traia com uma modelo qualquer) eu havia simplesmente me fechado do mundo. Yoongi vinha me ver nessas duas semanas me fazendo sair da cama e comer algo além de ramen. Ele era um bom amigo por me aguentar mesmo no meu estado vegetativo de merda.

- Seu empresário fica me ligando já que você desligou seu celular. - Yoonie falou colocando comida para mim. Era estranho já que eu costumava o importunar para o mesmo comer direito antes. - Logo o novo drama que você foi escalado vai começar a ser gravado e você não aparece nas reuniões ou dá sinal de vida.

- Eu não quero gravar mais nada. - Resmunguei.

- Mas você finalmente vai ser o principal, Hyung. Você batalhou tanto por isso. Não pode desistir do seu sucesso por conta de uma criança que te magoou! - Meu amigo respirou fundo passando a mão pelo cabelo preto. - Te ver assim quebra meu coração, Hyung. Seus fãs estão em prantos e querendo saber o que aconteceu.

- Fale para todos que eu morri. É assim que me sinto, Yoongi. Uma parte de mim morreu quando vi Kook com aquela garota. Quero simplesmente ficar na minha cama até meu fim chegar. - Choraminguei deixando minha comida de lado.

- Só me prometa que vai ligar seu celular de novo e checar suas mensagens. Diga a todos que está bem antes que a imprensa apareça na sua porta e seja pior. Eu tenho que ir para o estúdio agora, mas eu volto amanhã. Se eu chegar amanhã e você estiver na cama igual um morto eu vou ser obrigado a chamar sua mãe! Ou pior! O resto dos garotos! A propósito vou ficar com a chave do Kook para mim.

Gemi deitando o corpo no balcão da cozinha.

Terminei de comer, eu realmente estava com fome, e depois de lavar a louça e pegar um cobertor, fui para a sala assistir todos os filmes tristes da Netflix enquanto checava minhas mensagens.

Pedi ao meu empresário que falasse que eu estava doente e por isso não estava indo aos últimos evento e gravações e que logo voltaria com minha agenda. Respondi minha mãe falando para ela não acreditar em Yoongi e falando que ela não precisava vir para Seul cuidar de mim. Avisei meus amigos que ainda estava vivo e bem e apaguei todas as minhas fotos com Jeon ou qualquer coisa que me lembrasse dele.

Depois do terceiro filme resolvi pegar a caixa que Yoongi havia trazido.

Dentro haviam coisas que estavam no meu apartamento com JungKook e nossas alianças. Nenhuma carta ou bilhete se explicando ou implorando meu perdão. Nem sempre as coisas eram como eu queria, infelizmente.

Depois de uma tarde entediante e melancólica pedi uma pizza e mandei uma foto dela para Yoongi para provar que eu estava comendo e o garoto mandou uma carinha feliz como resposta e falou que passaria o dia comigo amanhã e que iria levar nossos amigos para a minha casa.

Ao entrar nas minhas redes sociais via mensagens de apoio dos meus fãs mesmo que eles não soubessem realmente o que estava acontecendo e isso me animou um pouco e postei uma selca no Twitter com uma pequena mensagem falando que estava bem, apenas gripado.

Dormi no sofá mesmo, depois de chorar até cair no sono.

...

Acordei no outro dia com Hoseok pulando em cima de mim junto com TaeHyung. E os dois gritavam igual loucos enquanto Yoongi apenas dava risada.

- O Hyung precisa se animar. Se estiver assim quem vai cuidar de nós? - TaeTae perguntou enquanto eu tomava café.

- Vocês são adultos. Podem cuidar de si mesmos. Não sou a mãe de vocês. - Resmunguei. Hoseok me abraçou pelos ombros.

- Não seja malvado com o TaeTae, Hyung. Ele estava mais preocupado que o Suga Hyung. - Pediu e suspirei pedindo desculpas.

Conhecia os três há muitos anos. Desde que havíamos virados trainees na mesma empresa, mas seguindo caminhos diferentes. Hoseok com a dança e rap, Tae como cantor, Yoongi como rapper e produtor e eu como ator.

Por ser o mais velho sempre cuidei muito dos três que realmente eram tratados como se fossem meus filhos às vezes.

E quanto a Jeon JungKook... o havia conhecido enquanto filmava meu quinto drama já que ele cantava a OST principal do dorama. Sendo cinco anos mais novo que eu e tendo acabado de começar sua carreira o vi crescer enquanto nosso relacionamento evoluiu. Namoramos por um ano escondidos da imprensa e depois de mais quatro anos resolvemos ficar noivos e morarmos juntos.

E foi justamente em um dia que sai mais cedo de uma sessão de fotos para podermos ver alguns detalhes do casamento juntos que o encontrei na nossa cama com a garota com quem ele estava filmando alguns programas de variedades.

Park Jimin era linda e tinha um corpo perfeito, eu tinha que admitir. A ruiva cantava, atuava e dançava como ninguém.

Havia jogado tudo que via pela frente em Kook enquanto gritava e chorava. E JungKook ligou para Yoongi que me tirou de lá e me levou para meu antigo apartamento de solteiro.

Me vi sem chão e sem o homem que eu amava.

- O Hyung deveria ir para a balada com a gente. - TaeHyung falou. - Um conhecido meu me deu alguma entradas VIPs para uma boate nova que todos estão querendo ir. O que o Hyung precisa é ficar bêbado para superar isso e seguir em frente.

- Não podemos só pedir comida e ficar vendo Um Amor Para Recordar? - Perguntei fazendo cara feia e os três negaram. - Valia a pena tentar... Dependendo de como eu estiver a noite, eu vou.

- Vá se arrumar que vamos comer no seu restaurante favorito. - Yoongi falou me fazendo levantar do sofá. - Os paparazzi vão adorar ver todos nós juntos e ver que você está vivo.

Resmunguei igual a um velho enquanto eu ia para o banheiro, mas tinha que admitir que já me sentia melhor por meus amigos estarem por perto.

...

Meu restaurante favorito era perto da empresa que eu e os garotos fazíamos parte e vendia comida caseira. Eu e os garotos iamos nele desde nossa época de pré-debut.

- Achei que haviam esquecido de mim por conta da fama. - Sra. Hoon falou quando veio nos atender. Ela era a dona e por muitas vezes cuidou de mim e dos garotos. - Vocês estão muito magros. Têm que sair daqui pelo menos com mais dois quilos. Menos você, Yoongi. Sua meta é cinco.

O garoto ficou emburrado e todos rimos fazemos os pedidos de sempre.

Sabia que assim que tiramos nossas máscaras e bonés para comer que estávamos sendo fotografados e me forcei a sorri e tentar parecer bem. Não queria preocupar mais as pessoas.

Eu era o Flower Boy da nação e tinha que manter as aparências.

Daqui algumas horas a notícia de que eu havia terminado com Jeon iria sair nos principais sites de fofoca e eu precisava passar a imagem de que estava muito bem. Meu empresário havia arranjado uma boa história envolvendo agendas que não batiam e outros motivos para encobrir o real motivo da separação. Podia estar odiando Jeon JungKook, mas ainda o amava ao ponto de não querer estragar sua carreira.

- Eu nunca gostei daquele garoto. - Hoseok falou e Yoongi o olhou bravo. - O que? É verdade. Ele parecia sempre estar querendo ficar famoso às custas do Hyung. Se lembra de como ele estava sempre querendo assumir o namoro para a imprensa sendo que nem namorando os dois estavam ainda?

- Agora ele tem toda a fama que queria. - Resmunguei. - E pode ficar com quem quiser. Até mesmo com Park Jimin.


- O Hyung é mais bonito que ela. - TaeTae falou me lançando seu sorriso quadrado e não pude deixar de sorrir de volta. - Vai arranjar coisa melhor do que aquele cara.

- E como andam as coisas com vocês? Andava tão ocupado com as coisas do casamento que mal conseguia falar com meus garotos.

- Vou produzir o novo álbum do TaeTae. - Yoongi falou orgulhoso de si.

- Me chamaram para ser jurado de um programa de dança. Contrato por três temporadas. E minha academia de dança vai ficar pronta até o meio do ano que vem. - Hoseok falou animado.

- Eu voltei com as aulas de saxofone e... - TaeHyung respirou fundo. - Estou saindo com uma garota.

Todos paramos de comer para olhar para o mais novo entre nós.

- O que? - Perguntamos juntos e o garoto ficou vermelho. Nem parecia ter vinte e quatro anos.

- Só saímos algumas vezes. Nada muito sério. Ela é de um girl group. Nos conhecemos em um programa de variedade. - Ele falou sorrindo, bobo. - Assim que as promoções dela acabarem quero a levar para viajar comigo para a minha casa nas montanhas.

- Fotos. Queremos ver fotos. E me passe o número dela. Preciso conhecer a namorada do meu bebé. - Falei fazendo voz de choro.

- Hyung! Eu não sou mais um bebé! - Falou fazendo bico, mas ainda me passou seu celular para eu ver o papel de parede que era uma foto dele com a garota. - E nem somos namorados ainda. Só saimo algumas vezes.

Os dois sorriam feito bobos e ela era muito bonita. Me lembrava vagamente da garota.

- A chame para sair com a gente qualquer dia. Ela precisa passar na minha avaliação antes de poderem ir viajar. - Sorri, provocador. - Igual quando o Yoongi começou a sair com a Mina.

- SOMOS SÓ AMIGOS. - Yoongi gritou e o mandei falar baixo comigo. - Desculpa, Hyung.

- Irene vai adorar conhecer vocês. Vou ver quando ela pode. - TaeTae falou todo sorridente.

- Ela precisa escutar algumas histórias antes de decidir se vai namorar com você ou não. - Hoseok falou provocando e eu e Yoongi concordamos rindo enquanto Tae fazia cara de desespero.

- Como você está, JinJin? - Sra. Hoon perguntou colocando a mão no meu ombro ao trazer as sobremesas. - Soube que você anda sumido, querido. Está tudo bem?

Sorri, fraco, segurando na mão da idosa.

- Só um pouco abatido e doente, Ahjumma. Nada demais. - Respondi não querendo preocupar a senhora.

- Vou pegar um pouco daquele meu chá que vocês tomavam sempre que ficavam doentes por causa dos treinos. - Antes que eu pudesse falar qualquer coisa a mulher já estava correndo para longe. Logo ela voltou com uma garrafa térmica que colocou nas minhas mãos. - Aqui, querido. Melhoras. E venham me ver mais vezes, garotos.

- O que querem fazer agora? - Perguntei quando chegamos no meu apartamento. Fui até a cozinha pegar uma caneca para poder tomar o chá milagroso da Sra. Hoon. Haviamos ainda dado uma volta pela cidade e já estava quase anoitecendo.

- Vamos para nossas casas nos arrumar. Te buscamos as nove e meia. - Yoongi falou. - Esteja gato e gostoso, Hyung.

- Eu sou gato e gostoso. Sempre. Não me ofenda, Min Yoongi.

O garoto deu risada e depois de todos me deram um abraço foram embora me deixando de novo sozinho.

Me sentei no sofá e liguei a TV em qualquer canal. Enquanto escutava mulheres falando sobre decoração peguei meu celular e fui checar minhas redes sociais e meu e mail.

Parecia em completo caos. Fãs tentando descobrir motivos ocultos no término do noivado, falando sobre como nos amavam juntos ou odiavam, querendo matar qualquer pessoa que aparecesse com ele ou comigo, suposições sobre novos romances e se iríamos voltar ou não. Até mesmos comentários homofóbicos pelo fato de sermos dois homens que eram noivos e que não poderiam nunca se casar na Coreia do Sul por conta da lei.

"Jin é visto em restaurante com amigos momentos antes da empresa do ator falar  sobre término dele com o cantor solo JungKook. Muitos acreditam que este seja o motivo para seu sumiço nas últimas semanas, mesmo que outras noticias falem que é porque esteve doente e em repouso." Li em um site de fofocas. "Todos esperam para ver qual será o próximo amor do ator que logo irá estrear como protagonista de um novo drama."

Meu agente mandou uma mensagem me falando que vários programas de variedade me queriam e que mandaria uma lista com quais eu deveria aceitar e que nenhum me perguntaria sobre Kookie.

Suspirei pensando em quanto tempo levaria para que todos esquecessem disso.

Ignorei várias ligações e mensagens de pessoas que se achavam meus amigos ou simplesmente intrometidas e fui tomar um longo banho quente depois de terminar de tomar todo o chá de Sra. Hoon.

...

Tentava dar um jeito no meu cabelo, que eu havia pintado de preto a menos de um mês de novo já que fiquei loiro para meu último papel, quando os garotos chegaram.

- Eu esperava que fossem ter fãs na frente do seu prédio chorando e te desejando apoio, mas não tem nada. - Hoseok falou e dei risada.

- Ninguém da imprensa sabe que voltei para meu antigo apartamento. Muito menos as fãs. - Sorri um tanto malvado. - Kook provavelmente vai escutar os choros a noite toda. Espero que para o próprio bem dele que ele não esteja levando Jimin para lá hoje ou todos vão saber sobre os dois.

- Ele ainda está lá? - Tae perguntou e dei de ombros.

- Provavelmente. Mas não me importo, só tenho que ir em algum momento buscar minhas coisas. Meus prémios estão lá. E pior ainda... minha coleção do Mario. Aquele bastardo não pode ficar com minha coleção.

Os três reviraram os olhos.

- Você e seu vício por Mario, Hyung.

Fomos todos no carro de Hoseok, já que o mesmo não podia beber por ter que gravar algumas promos para o programa de dança que iria participar como jurado. E a boate não ficava muito longe da minha casa.

- Só tente se divertir, Jin. - Yoongi me pediu assim que entramos no lugar.

Uma música eletrônica tocava muito alto e as pessoas dançavam muito juntas e suadas. Fomos levados para a área VIP que ficava um andar acima de onde estávamos e era um tanto menos lotado e mais calmo.

Os garotos me sentaram em um banco no bar e começaram a me pedir bebidas. Logo eu estaria bêbado, mas eu não ligava.

<>

Estava no estúdio, produzindo, até mais tarde quando Suga me mandou uma mensagem me chamando para sair com ele e outros amigos dele.

Resolvi topar e logo após passar em casa já estava indo para o tal lugar. Assim que cheguei Yoongi Hyung e J-Hope vieram me puxando para o bar onde V estava com mais um cara que reconheci sendo Jin.

Já havia visto alguns dramas com ele e Suga Hyung sempre fala do mesmo já que eram melhores amigos, mas nunca havíamos sido apresentados antes.

- Jin Hyung. Este é Kim Namjoon. O Rap Monster de quem eu falo sempre. - Suga nos apresentou e o moreno sorriu de lado quando me curvei.

- Você é rapper, certo? Yoonie me mostrou algumas das suas músicas. Realmente boas.

Ele era mais bonito ainda pessoalmente. Seus lábios fartos se mexendo enquanto ele falava sobre minha música me deixava desconcentrado. Era alto e mais forte do que parecia pela TV. E parecia ser tão gentil quanto todos falavam.

- Eu também adorei os personagens que você fez em seus dramas. - Falei sorrindo de lado. - Você é muito bom. Eu realmente chorei quando Hook morreu ao tentar se declarar para Sun.

- Fico feliz que gostem da minha atuação. Estudei muito para chegar onde estou. - Seu sorriso cresceu. - E eu chorei logo que li o roteiro daquela cena. Não posso te julgar.

Ambos rimos e quando me virei para falar algo com TaeHyung vi que todos os garotos haviam sumido me deixando sozinho com Jin.

- Para onde eu olhava hoje. Você era a notícia. - Falei para Jin que riu sem humor ao dar um gole em sua bebida. - Me impressiona que esteja aqui hoje.

- Eu não queria sair de casa. Os garotos me obrigaram. Aish, eles não me respeitam nem um pouco. - Jin resmungou e dei risada. - Pode ser estranho para pessoas do nosso ramo, mas não sou muito fã de estar assim tão...

- Exposto? Entendo. Quando é envolvendo meu trabalho fico feliz, mas minha vida pessoal não deveria ser alvo de manchetes. Sou só um cara que faz música, mas isso faz parte da minha vida agora.

Jin sorriu e apontou para mim.

- Gostei de você. Por que Yoongi não nos apresentou antes mesmo, Namjoon?

- Também gostaria de saber.

...

Kim SeokJin era perfeito demais para existir de verdade. E estava bêbado.

Mesmo que ambos tivéssemos opiniões contrárias sobre o mundo ainda conseguimos conversar fluidamente e de modo leve indo aos assuntos variados. Mesmo alterado ainda era muito inteligente e tinha uma lingua afiada.

- Você já viu o meu rosto? Quem trairia alguém com um rosto como o meu, Namjoon? - Ele resmungou tomando mais um shot de tequila. - O que aquela garota tem de tão bom que eu não tenho? Por que sei que sou incrível na cama e um puta gostoso.

- Não posso discordar, Hyung. Você é realmente um puta gostoso. Já bom de cama eu não sei.

- Não se provoca um homem traído, Namjoon-ah. - Falou fazendo um muxoxo e ri. - Não ria do seu Hyung.

- Você deveria ir para casa. Antes que fique pior. - Comentei e ele suspirou.

- Os garotos parecem estar se divertindo tanto. E Yoongi nunca vem a este tipo de lugar por que é um velho de espírito. E Hoseok parece tão feliz dançando de modo idiota com TaeTae. Não quero acabar com a noitada deles. - Ele pediu ao barman mais bebidas e nunca pensei que um cara que parecia ser tão delicado poderia beber tanto.

- Que tal eu te levar na sua casa então? Eu não bebi e vim com meu carro. - Falei indicando ao barman que não deveria trazer mais nada ao Jin.

- Só vou aceitar porque você é legal. - Resmungou.

- Espere aqui enquanto eu vou avisar o Suga. - Fui até Suga Hyung que dançava, coisa em qual não era tão bom, junto com os outros garotos. - Jin pediu para eu levar ele embora. Tudo bem, Hyung?

- Usem camisinha. - Falou e arregalei os olhos. - Qual é? Vocês não param de flertar. E vai ser bom para os dois. Você nunca mais foi o mesmo depois de terminar com o Jackson, Moni.

- Já pensou em ser outra coisa? Você se daria muito bem sendo um stripper. Tem pernas bem longas e é muito bonito. Já pensou em seguir esta carreira? - Jin perguntou assim que liguei meu carro e não pude deixar de rir. Ele parecia estar falando sério.

- Eu não sei dançar. Não daria tão certo, mas vou anotar para o caso da minha carreira de rapper e produtor não der mais certo. - Pisquei para ele que sorriu. - E você pensa em outras profissões, além de ator?

- Talvez eu pudesse ser cantor. Ou trabalhar em uma loja de discos. Ou ser um fotógrafo. - Falou. Ele estava um tanto corado por conta da bebida o deixando bem mais fofo do que já era. - Já pensei em várias coisas. Até mesmo ser médico ou produtor de programas de televisão.

- Claramente um ser cheio de habilidades.

- E beleza. Eu sou cheio de muita beleza e charme.

- E muita modéstia. - Completei rindo e ele deu de ombros. - Sei que está bêbado, mas consegue me falar seu endereço? Ou o colocar no meu GPS?

Ele franziu a testa, mas colocou o destino no GPS do carro enquanto eu ainda tentava sair do estacionamento da boate que estava um caos. Fomos o caminho todo com Jin me fazendo rir com seus comentáriosqqqq de bêbado e fazia um bom tempo que eu não ria tanto.

Ao chegarmos em seu apartamento, praticamente o carreguei para dentro até o elevador e depois pelo corredor até chegar no seu apartamento.

Ele tirou seus sapatos com muita dificuldade e me chamou para entrar. Entrei mesmo com certa relutância. Não queria que ele acabasse caindo e batesse a cabeça em algum lugar.

O apartamento era grande e com uma vista linda na sala por conta de uma enorme janela que levava para a varanda. Muitas coisas na decoração eram rosa, que ele havia me falado que era sua cor favorita, e com temática do Mario Bross.

Ele se jogou no sofá abrindo os botões da camisa social preta até a metade e lutou para tentar tirar as meias e fui o ajudar.

- Você tem lábios muito beijáveis, sabia? Parecem ser tão macios e fartos. - Perguntou com a voz embargada sorrindo sedutor e dei risada. - Não ria! Estou tentando te conquistar, garoto.

- Podemos ter um encontro quando não tiver bebidas por perto. - Falei e ele sorriu. Era provável que SeokJin não se lembra-se disto ao acordar. - Agora que você está em casa. Já posso ir.

Ia andando, mas Jin segurou minha mão e me puxou para o sofá junto com ele.

- Fica. Por favor. - Jin ficou muito sério. - Tenho medo do que posso fazer se ficar sozinho de novo. Meu coração anda doendo tanto. Por que ele doe tanto, Namjoon-ah?

- Por que alguém o quebrou, Hyung. - Afaguei seu cabelo. - Mas isso vai passar. Você é forte.

Ele riu sem humor.

- Realmente sou um ótimo ator se pensam que sou assim tão forte. - Resmungou se levantando e indo para o que parecia ser seu quarto.

Escutei o barulho do chuveiro e até pensei ter escutado um choro em algum momento, mas durou pouco. Fiquei esperando sentado no sofá e olhando para minhas meias pretas.

Mandei uma mensagem para meu manager perguntando para ele o horário dos meus compromissos da manhã seguinte e por sorte não tinha nada até às três da tarde programado. Não queria deixar SeokJin sozinho neste estado.

Jin saiu do banho e veio para a sala apenas com uma calça de moletom. Parecia menos bêbado, mas não sóbrio.

- Quer que eu faça algo para você? - Perguntei e ele deu de ombros se sentando no sofá, ao meu lado, abraçando as pernas sem falar nada. - Está tudo bem?

- Já sentiu como se bem quando você achasse que tudo estava indo às mil maravilhas uma grande bomba é jogada em cima de você e tudo vira uma grande merda? Estou me sentindo assim há duas semanas. Devo parecer patético por não parar de falar de JungKook, mas eu o amava e pensava que ele também me amava. Eu queria envelhecer ao lado dele e adotar seis crianças. - Seus olhos brilhavam por conta das lágrimas não derramadas. - Nunca imaginei que ele poderia fazer algo do tipo comigo.

O abraçei um tanto sem jeito pelos ombros.

- Vai passar. Sempre passa. Sei como está se sentindo. Aconteceu quase a mesma coisa comigo. - Contei sobre todo o meu relacionamento conturbado com Jackson. - Se ainda dói as vezes? Claro, mas tenho que seguir em frente e buscar por aquilo que me deixe bem. Leve o tempo que precisar para superar, mas não se prive das coisas boas da vida, Hyung.

- Obrigado, Namjoon. - Murmurou sorrindo fraco. - E desculpa por jogar tudo isso em cima de você. Nos conhecemos hoje.

- Hoje é só o nosso primeiro dia, muitos ainda vai vir. - Assim que as palavras saíram da minha boca pensei no sentido que SeokJin poderia levar a frase. Sobre eu estar falando sobre ser nosso primeiro dia de namoro. Arregalei os olhos ao ver Jin rindo. - Não neste sentido, Hyung! Aigoo. Eu sempre me atrapalho nessas horas.

Cobri meu rosto com minhas mãos e pude escutar Jin rindo mais ainda. Senti sua mão em meu cabelo acariciando o mesmo e depois tirando minhas mãos da frente do meu rosto.

- Você é tão fofo. - Falou sorrindo e bem perto. - Assim não vou conseguir me segurar.

- Você está bêbado, Hyung. - Murmurei e seu sorriso aumentou.

- Melhor ainda. Ai não fico com vergonha de te beijar.

Tentei me afastar, mas Jin veio para cima subiu no meu colo. Apesar do banho gelado que havia tomado, seu corpo era quente contra minhas mãos e seus lábios eram macios, mas um tanto agressivos contra os meus.

Suas mãos pesadas seguravam meu rosto e iam para minha nuca e cabelo. Não evitei passar minhas mãos por seus ombros largos e sua barriga com o indício de um futuro tanquinho e costas definidas.

Kim SeokJin era um pedaço muito alto de mau caminho. E eu não queria sair tão cedo deste caminho.

 Nos separamos rápido demais e Jin fazia uma cara estranha.

- Foi tão ruim assim? - Perguntei e sem ao menos responder saiu correndo e escutei o barulho de vômito. - Acho que foi um sim...

<>

Acordei com uma dor de cabeça dos infernos e com a garganta muito seca. Não me lembrava tanto da última noite, mas me lembrava de Namjoon me trazer para casa e de um beijo e então dor no estômago.

Escovei os dentes e tive uma surpresa ao encontrar Namjoon dormindo no meu sofá. A camiseta estava levantada e desviei os olhos um tanto envergonhado. Depois de encarar um pouco e ficar tentado a tirar uma foto.

Fui para cozinha e tomei remédio para minha dor de cabeça e uma garrafa inteira de água e fui fazer o café da manhã escutando o ronco alto de Namjoon mesmo estando longe.

- Ei, eu fiz café, por que não levanta? - Namjoon abriu os olho, me olhando um pouco confuso, e se sentou passando a mão pelo cabelo cinza e pelo rosto. - Obrigado por  cuidar de mim ontem. Sou mais chato ainda quando estou bêbado. E desculpa por ter que dormir no sofá.

Namjoon riu se servindo de café.

- Foi engraçado. - Ele sorriu mostrou suas covinhas. - E seu sofá é mais confortável que o do meu estúdio.

- Eu causei algum problema ontem? Não me lembro de muita coisa...

O garoto limpou a garganta, envergonhado.

- Você me beijou, mas só isso rolou porque depois o Hyung saiu correndo para vomitar e ficou lá por quinze minutos e então desmaiou na cama.  Deitei no balcão, escondendo meu rosto corado, e fiquei com vontade de cavar um buraco para me esconder e murmurei que sentia muito. - Não se preocupe. Ao menos não vomitou em mim. Mas admito que não é o tipo de reação que tenho de quem me beija. Foi inusitado.

Choraminguei e Namjoon colocou a mão no meu ombro me pedindo para não ficar envergonhado.

- Nós mal nos conhecemos e você já tem uma imagem errada de mim. - Resmunguei e escutei a risada de Namjoon.

- Não se preocupe, Hyung. - Falou quando levantei meu rosto e o olhei. - Ainda quero continuar te conhecendo.

...

- Obrigado pela noite.

Arquei as sobrancelhas.

- Qual parte foi melhor? O vômito? Ou ter que carregar um cara do meu tamanho até apartamento dele? - Perguntei e Namjoon deu risada colocando a mão no meu ombro.

- A parte do nosso beijo e de eu te conhecer, Jin. Foram com certeza as melhores parte. - Sorriu, envergonhado, e coçou a nuca. Se curvou e eu vi que estava realmente indo embora. - Se cuide, Hyung.

O puxei pela cintura e o beijei pouco me importando de estar no corredor e se alguém iria ver. Seus lábios ainda tinham gosto de café e ele mordeu meu lábio quando o prensei contra minha porta com força.

Fazia um bom tempo que eu não beijava deste jeito.

- Pelo menos não corri para vomitar agora. - Sorri e lhe dei mais um selinho. - Me liga.

<>

- Como foi o encontro? - Suga Hyung perguntou assim que abri a porta da minha casa para ele. Tinha um engradado de cerveja em mãos e o jogou para mim ao entrar e se jogar no meu sofá.

- Não podia ter ligado para perguntar? Eu estava ocupado.

- Flertando pelo celular com meu melhor amigo? Aposto que vocês trocam certo tipo de fotos... - Yoongi sorriu malicioso e revirei os olhos. - Não revire os olhos para mim. Sou seu Hyung. Agora me conte.

Ele me ofereceu uma das cervejas, mas não quis.

- Estava indo incrivelmente bem. Estávamos na casa dele e Jin estava cozinhando, mas então no meio do almoço o JungKook ligou e SeokJin teve que sair às pressas. - Resmunguei. Suga arregalou os olhos. - Aparentemente Jeon resolveu que se Jin não fosse buscar logo as coisas dele o mesmo iria ficar sem suas coisas.

- Eu vou bater naquele garoto. - Suga rosnou e então respirou fundo voltando a sua expressão costumeira de tédio. - E por que você não se ofereceu para ir com ele?

- Eu tentei, mas Jin estava muito ocupado me colocando para fora da casa dele para me escutar.

O celular de Yoongi Hyung tocou e ele sorriu, macabro.

- Oi, Jin Hyung. Algum problema?... Ah. Como assim o Jeon quer que você busque suas coisas agora?... Eu não posso levar minha caminhonete para aí agora, mas não se preocupe... Sim... Alguém vai levar ele para você, Hyung... Em vinte minutos ela vai estar ai... De nada, Hyung. - Suga desligou a chamada e tirando suas chaves do bolso da calça as jogou para mim. Me atrapalhei e elas caíram aos meus pés. - Pode levar minha caminhonete para o Jin e ajudar ele? Bebi e não posso dirigir.

Dei risada, mas já estava pegando minhas coisas para sair.

...

Ajeitei minha máscara e meu boné esperando Jin descer. O porteiro já havia ligado para ele.

Logo um homem alto usando boné por baixo do capuz do moletom, máscara branca e óculos de sol saiu do elevador e parou de andar ao me ver encostado na caminhonete de Suga.

- Ele me obrigou a vir. - Falei abrindo a porta para Jin que provavelmente revirou os olhos e entrou sem falar nada. - Quer me contar agora o que aconteceu?

Eu e Jin estávamos trocando mensagens há cerca de três semanas, ou seja, estávamos flertando há três semanas, mas desde o beijo de despedida que ele me deu na porta de seu apartamento nada mais havia rolado.

Demoramos todo este tempo para sair por conta de nossas agendas e neste fatídico sábado nossas folgas haviam batido. Por que JungKook tinha que ligar justo hoje?

A cada momento que eu conversava mais com SeokJin via como ele era alguém precioso demais para o mundo e como os riscos de me envolver de outros modos estavam aumentando.

- Sinto muito, Jonnie. - Murmurou, de repente, quando parei em um sinal. Era a primeira coisa que havia falado desde que o peguei em sua casa. - Eu estraguei nosso encontro e seu dia de folga.

- Não peça desculpas. O Hyung sabe que odeio quando fica pedindo desculpas toda hora sem necessidade. - Falei. - E eu já estava entediado em casa mesmo. Só fico triste por não ter experimentado o prato principal.

- O espaguete? - Perguntou, inocente.

- Você. - Respondi sem o olhar e acelerando o carro.

Chegamos ao prédio e parei o carro no estacionamento subterrâneo e pegamos no elevador.

- Qualquer coisa... lembre-se que estou aqui. - Falei apertando a mão de Jin quando o mesmo tocou a campainha do apartamento.

Carregavamos várias caixas e assim que uma garota, que eu sabia ser Park Jimin, abriu a porta Jin quase derrubou as suas.

Jimin sorriu, fazendo seu eyes smile aparecer, e nos deu passagem para entrarmos na casa.

- Sinto muito por isso, SeokJin Oppa. Eu falei para o Kookie-ah que ele está sendo radical demais e que você devia estar ocupado. - Ela pareceu me notar. - Oh! Você é o Rap Monster? Não, é?

- É, sou eu. - Respondi, sem graça. Jin apenas olhava para a garota sem falar nada. - Pode nos mostrar onde as coisas do Jin estão?

Ela nos levou até onde parecia ser o escritório de Jin. Já haviam várias caixas pelo chão parecendo ter roupas dentro.

- Eu mesma guardei suas roupas com todo cuidado, Oppa. Não se preocupe. E trouxe jornal para poder embrulhar seus troféus para não quebrarem.

- Obrigado. Pode deixar que...

- Jiminie Noona! Cheguei! Onde você está. - Jin ficou tenso ao ouvir a voz vinda da sala e parecia em pânico ao Jimin indicar que estava no escritório. - Ah. Olá, Hyung.

- JungKook. - Jin falou de volta e limpou a garganta. - Não se preocupe. Não vamos demorar. Obrigado por guardar minhas roupas, Jimin. Foi uma grande gentileza da sua parte. Jonnie, tente não quebrar nada, por favor.

Fiz cara feia e Jin sorriu fraco começando a tirar seus brinquedos do Mario Bross das prateleiras e me passando pra que eu pudesse colocar em uma das caixas. Jeon nos olhou por alguns minutos antes de sair da porta e depois Jimin também foi embora falando que iria fazer chá para nós.

Tentávamos ser rápidos para podermos ir logo embora, mas Jin Hyung realmente tinha muitas coisas.

...

- Cuidado com meus prémios. Ele são praticamente meus filhos. - Jin falou e revirei os olhos. - Não revire os olhos para seu Hyung. Malcriado.

- Posso ajudar a colocar tudo no lugar no seu apartamento se quiser. - Falei fingindo não estar muito interessado. - Quem sabe transformar nosso almoço em um jantar...

Jin tentou ficar sério, mas acabou rindo me dando um soco fraco no ombro.

- Você não presta. Estamos aqui no meu antigo apartamento em que eu morava com meu ex-noivo que está na sala com a atual com quem ele me traiu para pegar minhas coisas e você só consegue pensar em ter um encontro comigo, mas deve ser só por causa da minha comida.

- Ei! Eu nunca falei que era por causa da sua comida. - Reclamei. - E quando namorarmos já sei que é só te dar coisas do Mario que você fica feliz.

SeokJin me olhou sem falar nada por alguns minutos enquanto eu continuava enrolando seus prémios em jornal e colocando nas caixas. Se eu olhasse para ele iria acabar corando e falando besteira.

- Aqui está o chá, Oppas. - Jimin falou entrando no escritório que já estava quase todo esvaziado. - Uau. Vocês são rápidos.

- Temos um compromisso mais tarde e não podemos nos atrasar. - Menti e Jimin concordou com a cabeça entregando as canecas de chá para Jin e eu. - Obrigado pelo chá.

- Você pode levar essas caixas para o carro, Jonnie? - Jin perguntou apontando para algumas caixas. - Acho melhor irmos levando algumas já.

- Tudo bem, Hyung. - Concordei empilhando três caixas não muito pesadas e tentando não trombar em nada ou derrubar as caixas.


- Eu te ajudo, Oppa. - Jimin falou pegando duas caixas e vindo atrás de mim.

Quando estávamos voltando para o apartamento depois da terceira viagem até a caminhonete escutei o que parecia ser uma discussão.

- VOCÊ NÃO TEM MAIS O DIREITO DE SE METER NA MINHA VIDA, JEON. NÃO DEPOIS DO QUE VOCÊ FEZ. - Jin gritou com a voz embargada. - Como pode me falar sobre vir aqui com o Namjoon depois de ter dormido na nossa cama com aquela garota enquanto estávamos noivos ainda. Você acabou com nosso relacionamento e não tem o direito de me falar merda nenhuma.

- Você diz que me amava tanto em suas mensagens, mas pisco os olhos e já está com outra pessoa. Pelo jeito eu não era o único aventureiro no nosso noivado.

Comecei a andar em direção ao escritório, mas Jimin segurou meu braço. Olhei para ela que tinha os olhos marejados.

- Do que eles estão falando, Oppa? - Perguntou. - Kookie-ah não estava separado de Jin Oppa há meses? Ele me falou que tudo foi um ataque de ciúmes do Jin Oppa ao nos ver junto já que Kookie que havia rompido tudo e a mídia ainda não sabia.

Merda. A história toda era ainda pior do que eu pensava.

- Não, Jiminie. Eles ainda estavam noivos. Você foi o motivo para terem terminado. - Suspirei. Os gritos continuavam. - Fique aqui. Okay? Eu vou tentar acalmar os dois. Junte suas coisas que se quiser eu te levo para sua casa quando eu e Jin formor. O que não deve demorar muito.

A garota concordou e correu para onde deveria ser o quarto que ela e JungKook usavam.

- Então você mentiu para a Jimin também? - Perguntei assim que entrei no escritório e Jeon me olhou com raiva.

- Pode tirar seu namoradinho daqui?

- Como assim, Namjoon? - Jin perguntou ignorando Jeon.

- Jimin me contou que Jeon havia contado para ela que você e ele estavam separados há meses e que aquele dia foi um surto de ciúmes seu já que ele supostamente terminou com você. - Falei arqueando uma sobrancelha.

- Eu vou mandar alguém para buscar o resto das minhas coisas. Espero nunca mais te ver na minha frente, Jeon JungKook. - Jin falou e pegando uma pelúcia no Mario saiu andando bravo. - E EU VOU LEVAR O MEU CACHORRO E A JIMIN.

- EU VOLTO PARA TERMINAR COM VOCÊ E PEGAR MINHAS COISAS AMANHÃ. - Jimin gritou e Jeon passou a mão pelo rosto claramente com muita raiva.

Peguei as duas caixas que estavam no chão e sai do escritório.

- Afim de jantar com a gente? - Jin perguntou para Jimin quando estávamos no elevador e a garota deu de ombros. O garoto tinha um poodle nos braços e não o questionei sobre isso.

- Claro. Por que não? Obrigada por me contar a verdade a propósito.

- Uma garota fofa e talentosa como você não merece alguém como Kookie. - Jin bufou. - Ninguém merece.

Coloquei as duas caixas na parte de trás da caminhonete enquanto Jin, Jimin e o poodle entravam no carro.

- JIMIN! - Jeon gritou aparecendo. Ele parecia suado de correr pelo estacionamento e talvez por ter descido de escada. - Por favor, não vá embora. Vamos conversar. Eu te amo.

- Se me ama, porque mentiu? - Perguntou a garota de dentro do carro. - Jin Oppa me odiava por sua culpa! E eu só conversei com você pela primeira vez porque queria um autografo dele!

- Jeon. Por que você não volta para casa? Estamos no meio do estacionamento e alguém pode ver toda essa confusão e amanhã seremos notícia em todo site de fofoca. - Falei e ele me encarou com raiva.

- Você! POR QUE TINHA QUE CONTAR PARA ELA? - Gritou e pulou em cima de mim me derrubando no chão.

Tentei me defender, mas os socos que consegui acertar no garoto mal surtiram efeito. Jimin gritava, o poodle latia e Jin tentava tirar Jeon de cima de mim.

- EU VOU CHAMAR A POLÍCIA SE VOCÊ NÃO SAIR DE CIMA DO NAMJOON! ELE NÃO TEM CULPA SE VOCÊ É UM BASTARDO TRAIDOR! - Jin gritou puxando o garoto pela camiseta e o jogando longe. - Fique longe de mim, do Namjoon, da Jimin e de qualquer um dos meus amigos! Ou eu vou contar para a mídia o que você fez e acabar com a sua carreira!

Jin me colocou dentro do carro e fomos para sua casa.

Eu havia acabado de apanhar do ex-noivo do cara que eu estava afim e ele era quatro anos mais novo que eu. Eu era realmente um merda.

<>

- Tem certeza que não quer ir para um hospital? - Perguntei e Namjoon negou com a cabeça fazendo cara feia. Ele estava sentado na minha privada enquanto eu limpava os cortes em seu rosto. - Desculpa. Eu deveria ter contado que Jeon pratica artes marciais.

- Meu orgulho dói mais que meu corpo. E as maquiadoras fazem milagres. Não se preocupe. - Falou e se encolheu quando toquei o algodão no canto de sua boca. - E ter o Hyung como meu médico não é todo ruim.

Jimin estava no meu escritório arrumando tudo em seu lugar mesmo que eu tivesse falado que ela não precisava fazer isso. Ela já havia arrumado as minhas roupas no meu closet.

- Seu orgulho e seu rosto vão se recuperar. Não se preocupe, Jonnie. - Afaguei seu cabelo e voltei aos curativos. - Quer remédio para dor?

- Eu prefiro soju. - Murmurou e dei risada.

- Nada de ficar bêbado hoje. Ainda vamos jantar. Esqueceu? Jimin disse que daqui a pouco tem que ir por conta de ter que praticar amanhã logo cedo então seremos só nós dois, frango frito e Netflix.

- Aigoo. Me parece o encontro perfeito. - Jonnie falou sorrindo e concordei.

Guardei o kit de primeiros socorros no armário e Namjoon se levantou e me seguiu até a cozinha onde pegamos os milhares de catálogos de comida que eu tinha e pedidos o jantar.

...

- Você tem algo para amanhã? - Perguntei para Jonnie que negou com a cabeça desligando a torneira e passando o último prato para mim e o coloquei no escorredor. - Por que não dorme aqui então... está tarde e... você ainda não provou o que queria... e eu quero.

- Tem certeza? - Namjoon me perguntou olhando para mim com sua cara fofa toda covinhas e sorrisos. Nem parecia o Rap Monster do palco. - Não precisamos apressar as coisas, Hyung. Ainda mais depois do que aconteceu hoje e...

O interrompi lhe dando um beijo rápido.

- Você fala demais, Kim Namjoon. E eu tenho certeza. Por que não ver onde isso vai dar?

O peguei pela cintura e o coloquei sobre o meu balcão e tirei minha blusa logo o puxando para um beijo que apesar da situação era lento e calmo. Namjoon abraçou minha cintura com as pernas e depois de tirar sua jaqueta e camiseta, e os jogar para longe, o levei para sala.

Ele me fez sentar no sofá e tirou o cinto e abriu o botão da calça jeans e se sentou no meu colo distribuindo beijos pelo meu pescoço, ombros e clavícula enquanto acariciava meu membro pelo rasgado na minha calça jeans.

Não gostava de preliminares muito longas então o joguei contra o sofá e tirei sua calça jeans junto com a cueca. Fui beijando todo o seu peitoral semi definido até chegar onde eu queria.

Beijei a ponta de seu pênis e então o enfiei de uma vez na minha boca fazendo Namjoon gemer alto antes mesmo que eu movimentar a cabeça.

- Hyung... - Ofegou segurando no meu cabelo para eu começar de verdade o boquete e assim o fiz.

Ele ia fundo na minha garganta e eu o chupava como um pirulito. Bem rápido e com muita sucção. Em não muito tempo, alguns arranhões nos meus ombros e eu já de pau duro só com os gemidos do garoto, Namjoon gozou e como um bom Hyung engoli tudo.

- Não saia daí. Eu já volto. - Lhe dei um selinho e me levantei do sofá enquanto Jonnie tentava normalizar a respiração. Fui até meu quarto e achei um pote de lubrificante e camisinhas de quando eu e Kookie íamos passar o fim de semana no meu apartamento de solteiro. - Preparado para mim, Dongsaeng?

Namjoon sorriu extremamente safado ao me ver colocar a camisinha em mim mesmo e me aproximar dele com o lubrificante em mãos. Me coloquei no sofá entre suas pernas e me pus a preparar ele para mim com a ajuda do lubrificante.

- Hyung. Eu te quero dentro de mim. - Ele gemeu quando tirei meus dedos dele e senti meu pau pulsar com suas palavras manhosas.

- E o que você quer que o Hyung faça com você, Dongsaeng? - Perguntei o provocando e massageando seu membro.

- Quero que o Hyung me foda. Agora.

- Isso que eu queria ouvir, Dongsaeng. - Eu entrava rápido e saia devagar e masturbava Namjoon na mesma velocidade das minhas investidas. Ambos gemiamos alto e eu esperava que o síndico não viesse reclamar no dia seguinte. - Pro chão de quatro.

Ele obedeceu sem questionar e deu um tapa em sua bunda gostosa antes de entrar nele de novo.

Beijei suas costas e ombros ao aumentar a velocidade das estocadas e masturbação. Namjoon tinha a cabeça apoiada no meu ombro e de sua boca aperta não saia nenhum som. E eu gostava de seus gemidos.

- Geme pro Hyung. - Sussurrei em seu ouvido e o virei de novo para que ele se deitasse no tapete da sala. Entrei em Namjoon mais uma vez e ele gemeu rouco. - Assim mesmo...

Jonnie gritou quando atingi sua próstata e continuei investindo rápido no lugar e o senti gozar na minha mão e em sua própria barriga.

- Me deixe te satisfazer, Hyung. - Falou me empurrando, depois de se recuperar do seu orgasmo, para que eu me deitasse no tapete e então começou a cavalgar em mim  me fazendo gemer rouco.

Namjoon esfregava a bunda nas minhas coxas e subia e descia rápido com as mãos apoiadas no meu abdomem. Só a visão de sua cabeça jogada para trás, ele com uma fina camada de suor lhe banhando e o chupão que deixei em sua clavícula já era o bastante para me fazer gozar mais de uma vez.

Ao ver que eu estava quase gozando saiu de cima de mim e me masturbou até que eu chegasse o orgasmo.

Nos deitamos no tapete, lado a lado, e Namjoon com a cabeça no meu ombro e eu com meu braço em volta de seus ombros. Ambos nus, suados e satisfeitos.

- Acho que gosto de você.

- Eu também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...