História Mr. Darcy em minha vida - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orgulho e Preconceito
Personagens Fitzwilliam Darcy, Personagens Originais
Tags Jane Austen, Mr Darcy
Exibições 41
Palavras 787
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Capítulo


Hannah ainda estava parada no meio da sala 10 minutos depois de Darcy fechar a porta. Ela ainda não conseguia acreditar que ele foi dormir e a deixou falando sozinha.

_ Isso não vai ficar assim. – disse decidida antes de marchar para porta do quarto de Darcy e abrir a porta em um supetão.

_ Mas o que? – Darcy sentou-se na cama em um pulo, surpreso.

Hannah acendeu a luz do quarto e se virou para Darcy, olhando-o firmemente.

_ Nós não terminamos nossa conversa.

Após dizer isso caminhou até Darcy e sentou-se na beirada da cama.

Darcy analisava Hannah estupefato. Nunca a vira tão decidida assim. Seus olhos nem piscavam enquanto o encarava.

_ Você ainda não respondeu a pergunta que lhe fiz Darcy.

_ Olha Hannah, eu não entendo o que você quer...

_ Apenas responda Darcy. – Hannah o cortou. Seus olhos estavam frios e ela não demonstrava emoção alguma.

_ Eu...

_ Não minta. Se eu significo alguma coisa para você, no mínimo seja sincero. – cortou-o novamente.

Darcy abaixou a cabeça, passando os dedos por entre os cabelos. Quando levantou seus olhos, Hannah podia ver a derrota neles.

_ Sim. – Darcy disse olhando firmemente em seus olhos.

_ S-sim? Sim o quê Darcy? – o coração de Hannah estava disparado.

_ Eu amo você.

Hannah não sabia o que dizer. O homem que ela amava finalmente tinha dito que a amava. Não sabia se chorava ou ria. Lentamente levantou a mão e colocou-a na face de Darcy. Seus olhos estavam molhados de lágrimas não derramadas e sua boca estampava um sorriso meigo.

_ Não. – Darcy afastou sua mão em um gesto brusco.

_ O quê? – se assustou com a atitude de Darcy.

_ É exatamente por eu te amar que eu não posso ser egoísta com você. Eu não sei qual é o meu futuro... Não sei o que vai acontecer comigo... Eu jamais vou arrastá-la para isso.

_ Eu já estou nisso Darcy.

_ É diferente. Você ainda tem chance de encontrar alguém com quem possa ser verdadeiramente feliz.

_ Baka! – Hannah se levantou da cama irritada.

_ Vai ser melhor assim. Eu só quero que você seja feliz por muito tempo. Não por alguns dias ou meses... – Darcy falava sem olhá-la.

_ Darcy, nós somos humanos. Somos criaturas frágeis e vivemos muito pouco. Independente da sua situação, eu posso morrer amanhã mesmo. Não tem como adivinhar o futuro. Você diz que tem medo de ir e me deixar... Mas esse risco nós humanos corremos em qualquer relacionamento. Se fossemos deixar nos levar pelo medo nunca faríamos nada na vida. O risco de perder algo ou alguém é grande e sempre vai existir. É isso que torna cada segundo precioso.

_ A situação é diferente Hannah.

_ Eu sei que é diferente. Mas isso não desmerece o que eu disse. Você pode voltar para a sua realidade amanhã, mas eu também posso atravessar a rua e ser atropelada amanhã. O risco é o mesmo.

­_ Não é! Maldição! – Darcy gritou assustando Hannah – É a minha decisão. E não está em pauta. Não vamos discutir mais.

Hannah tinha vontade de chacoalhar Darcy. Homem baka, cabeça dura.

_ Você é a mulher que eu amo Hannah. Entenda isso. Eu posso viver em um mundo sem você, mas eu jamais conseguiria viver sabendo que você está infeliz, sozinha... Não me peça isso por favor. Eu não posso.

_ Darcy...

Hannah tentou se aproximar e foi barrada por Darcy.

_ Não. É minha última palavra. Eu quero que você seja feliz. Encontre alguém adequado e seja feliz com essa pessoa. Se case, tenha filhos, netos... Tenha uma vida longa e plena.

_ Tudo bem. – respondeu Hannah resignada.

_ O que? – Darcy assustou-se.

_ Se é isso que você quer, tudo bem. Vou viver minha vida independente de você. Vou encontrar alguém e ser feliz.

_ Obrigado. – Darcy esperava se sentir aliviado com a aceitação de Hannah, mas ao contrário do que pensou ele não estava.

_ Mas tem certeza de que é isso que você quer?

Hannah o desafiava com o olhar.

_ Sim. – Não, não era. De maneira alguma. Darcy sentia seu estomago revirando só de pensar em Hannah com outro homem que não fosse ele. Mas era assim que as coisas deveriam ser.

_ Tudo bem. – os olhos de Hannah lhe analisavam friamente – Só espero que você possa conviver com essa decisão.

Darcy ficou arrasado quando Hannah saiu de seu quarto. Ele amava aquela mulher e exatamente por isso não poderia ser egoísta com ela. Nunca.

Do lado de fora do quarto, uma Hannah trêmula se apoiava na porta com dificuldade.

_ Você pode ter ganho uma batalha Darcy. Mas a guerra está longe de terminar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...