História Mr.&Mr. Uchiha - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, , Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Haku, Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kankuro, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Kurama (Kyuubi), Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Ação, Animes, Gay, Lemon, Mpreg, Narusasu, Naruto, Sasunaru, Yaoi
Visualizações 375
Palavras 3.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - •11•


Quando Sasuke acordou na manhã seguinte, percebeu que Naruto não estava na cama.

Levantou-se e fez sua higiene matinal e em seguida andou em direção a cozinha, onde provavelmente o esposo estava. Acertou em cheio, o loiro estava sentado na mesa tomando café ao mesmo tempo em que fazia anotações.

— O que está fazendo? — Perguntou se aproximando. Ele tinha um palpite que era a lista de convidados e não errou, realmente era.

— Ohayo Sasuke. — Lhe foi respondido. — Estou terminando a lista de convidados e não liguei nem para a metade ainda.

Sasuke tinha que admitir que estava começando a gostar da história de festa. Baixou o rosto até o mesmo ficar perto da face do esposo.

— Quer ajuda? — Depois do dito depositou um selar nos lábios do loiro.

Todos os nomes que Naruto estava guardando para escrever avaporaram-se, esqueceu até mesmo qual estava escrevendo. Puxou o moreno para aprofundar mais aquele selar rápido, que tornou-se um beijo doce.

— Não. — Disse depois de quebrar o ósculo. — Tome seu café, eu cuido disto.

Sasuke sentou-se na cadeira e desfrutou no café da manhã servido enquanto observava Naruto e admirava sua total concentração no que estava fazendo. Viu-o fechar os olhos por alguns instantes, como se estivesse tentando lembrar de algo.

— Qual o nome da sua parceira de time mesmo? Aquela de cabelos róseos e olhos verdes..

Sasuke arqueou uma sobrancelha. Naruto estava descrevendo Sakura, mas por quê?

— Sakura. — Respondeu.

— Isso, você teria o número de telefone dela aí? Estava pensando em convidá-la para..

— Não. — O moreno ditou, firme.

— Por que? — Naruto pareceu intrigado.

— Não gosto dela. — Respondeu simplista e deu de ombros. — E não acho que ela seja um boa companhia para você, Naruto.

— Você trabalha com ela. — O loiro lembrou-o

— E é por isso, trabalho.

Naruto suspirou exasperado, não chegando na lógica do outro. Então lembrou-se: O aniversário era dele, e portanto, não poderia convidar alguém que o mesmo disse não gostar. Com o peso de culpa nas costas por quase ter obrigado Sasuke a convidar Sakura, riscou o número da rosada da lista.

Mais tarde naquele mesmo dia, Sasuke disse ao esposo que tinha de sair e não demoraria para voltar.

Quando fora questionado, apenas respondeu: "Preciso reforçar a segurança desta casa, não quero que algo como aquele aconteça novamente." E Naruto tinha que concordar que nem ele queria, decidiu aceitar o breve resumo.

Então lembrou-se de que nem havia agradecido o moreno, não que tivesse não tivessea intenção, mas estava tão apavorado que esqueceu da cortesia. Também não era como se Sasuke lhe cobrasse tal coisa, afinal, eram casados. Então por que se sentia um completo ignorante?

A lista de convidados era grande, mas Naruto conseguiu ligar para todos os nomes e avisar-lhes sobre a festa que haveria em dois dias.

Enquanto fazia o almoço — Que era  mais uma vez, um dos pratos internacionais preferidos de Sasuke, Paella Espanhola — cantarolava uma música baixinho.

Depois de feito o almoço, o loiro  tomou banho e arrumou a mesa para o almoço e sentou-se, esperando Sasuke. Este que tinha mandando mensagem dizendo que não demoraria para chegar.

Ouviu a porta da casa bater e soube que Sasuke havia chegado, olhou para o relógio, que marcava exatas 13:30 da tarde.

Quando Sasuke entrou em seu campo de visão, tinha várias sacolas grandes nas mãos. Ofereceu ajuda, mas o mesmo lhe disse que embora o volume, não estava pesado.

Quando o moreno fez menção de sentar na cadeira, disse:

— Lave as mãos. — Viu Sasuke sair e voltar em tempo recorde.

Almoçaram quietos, o que foi um surpresa para Sasuke, que arqueou uma sobrancelha para Naruto.

— O que houve enquanto eu estava fora?

Naruto pareceu pouco a vontade com a pergunte e se remexeu na cadeira, inquieto.

— Nada.

— Você não mente muito bem. — Ditou, encarando o esposo nos olhos.

— Obrigado. — O loiro disse sem pensar.

— Pelo o que? — Sasuke encarou-o com curiosidade, querendo saber onde queria chegar.

— Por ir atrás de mim quando fui sequestrado. — Esclareceu.

Sasuke largou o talher e colocou a mão na borda da mesa e apertou-a, encarou os olhos azuis com intensidade.

Naruto quase perdeu o fôlego, viu ali a convicção do outro queimando como brasa. Os olhos ônix fitavam-o com tanta admiração que ficou difícil pensar. As seguintes palavras ditas lhe causaram arrepio por todo o corpo.

— Eu iria até o inferno para mantê-lo seguro, Naruto.

E o loiro acreditava nele.

— Mas não é so isso, há mais alguma coisa que lhe incomoda. A ponto de deixa-lo bravo, o que é?

Negou com a cabeça.

— Não é nada. — E levantou-se para recolher o jogo de mesa. Porque não consiguiria mentir olhando dentro das onix do marido. E ele já não era bom mentiroso.

Andou até a cuba e depositou ali a louça para começar a lavar. Sasuke andou até si.

— Você não mente muito bem. — Disse novamente, fitando-o e sabia que Naruto não correspondia o olhar apenas para não ser pego em uma mentira.

— Tudo bem. Porque não gosta de Sakura? Já tiveram algo antes de mim? Pelamor Sasuke, você sabe que eu não tenho ciúmes com essas coisas e poderia muito bem ter me contado. — Blefou em cada palavra, ele tinha sim ciúmes. E talvez, mas só talvez por isso estivesse um pouco magoado e bravo.

— Nunca tivemos nada.

Sasuke não mentia melhor do que ele.

— Olha, espero que você saiba que pode contar para mim tudo, tudo o que acontecer. Sasuke somos casados e confiança é uma via de mão dupla. — Mordeu o lábio com o bolo que se formou em sua garganta. Droga! Ele realmente estava emotivo demais e não sabia como parar.

O loiro resolveu que a louça se secaria sozinha e colocou os pratos juntamente dos talheres em seus devidos lugares.

Abriu a geladeira e encontrou ali o último pote de sorvete napolitano, pegou-o e logo em seguida uma colher. Quando passou por Sasuke, ignorou-o completamente.

Ligou a TV num canal de desenho infantil e passou a comer o sorvete em grandes colheradas.

Sasuke sentou-se ao seu lado no sofá e olhou-o, não correspondendo, Naruto continuou a olhar para a TV e a comer seu gelado tentando conter a enorme vontade de chorar.

— O que eu e a Sakura tivemos não foi... Um namoro, só saímos algumas vezes e até hoje ela ainda acha que podemos voltar. — O moreno explicou.

— Sair? Você transou com ela? — Perguntou.

— Naruto eu estava um pouco confuso na época, ainda não tinha assumido minha homossexualidade porque ainda estava me descobrindo e..

— Transou com ela? — Indagou novamente.

— Sim.. — E viu um lampejo de culpa passar pelos olhos cor carvão. — Já fiz de tudo para desencoraja-la Naruto.

— Eu acredito em você. — Ditou, e por Deus. Ele realmente acreditava.

— Então por quê? — A mão dele pousou sobre o ombro de Naruto. Uma sensação de calor fluiu da palma de sua mão. — Porque neste momento, eu adoraria poder beija-lo e não sei se posso. Não sei se está furioso comigo, quero dizer.

Naruto inclinou a cabeça como se estivesse ponderando e mordeu os lábios, avaliando a situação. Então colocou o pote de sorvete sobre a mesa e virou-se para o moreno ao seu lado.

— Pode beijar.

E então teve sua boca devorada pela do marido, a língua habilidosa percorria cada canto de sua boca. A mão forte do moreno desceu para a cintura e puxou, fazendo com que o loiro sentasse em seu colo.

Borboletas faziam presente a sensação de dobragem no estômago de Naruto. O peito abarrotado de sentimentos por causa da mudança hormonal, sentimentos esses que desejavam ser extravasados.

Sasuke levantou-se com Naruto ainda em seu colo e andou em direção ao quarto. — Ou pelo menos tentou, pois não tinha quebrado o ósculo com o loiro. Bateu em móveis antes de finalmente chegar ao quarto. — Abriu a porta do cômodo com o pé e fechou idem.

Depositou Naruto sobre a cama e intensificou o beijo. O esposo estava com o gosto do sorvete que este devorava a pouco tempo. Em mistura com o seu de menta, por causa da escovação que havia feito depois do almoço.

As mãos de Naruto afagaram seus cabelos negros pequenos selares foram deixados em seus lábios, dando tempo para ambos respirarem e retornarem ao ósculo.

A blusa do loiro foi ao chão, Sasuke desceu os lábios para o pescoço bronzeado e depositou ali selares, mordidas e marcas enquanto ouvia Naruto arfar. Estava tão sensivel...

Os lábios desceram mais, para os mamilos eriçados e mordiscou antes de rodear com a língua e finalmente suga-lo. O aperto nos cabelos negros aumentou assim como as arfadas do esposo, que viraram gemidos baixos e manhosos.

Naruto virou-os na cama, ficando por cima e rebolou no colo do moreno. 

Um alarme soou dentro da cabeça de Sasuke, que agarrou a cintura firmemente, fazendo o esposo parar com os moventos e sair de cima de si.

O moreno levantou-se e andou de um lado para o outro em frente a Naruto  que estava deitado na cama virado para si e o observava puxar os cabelos enquanto ia e voltava.

— Não. — Disse. — Sinto muito eu não deveria ter deixado evoluir assim.

E então ele ajoelhou-se no chão em frente a cama e pegou as duas mãos de Naruto, que estava crispadas e apertou-as carinhosamente.

— Eu sei que você não está pronto. — Começou. — E vou esperar quanto tempo você quiser.

— Eu não sinto. — Respondeu Naruto.

O loiro teve que morder fortemente os lábios para não mandar que Sasuke voltasse para a cama e terminassem o que haviam começado.

Sasuke levou a mão aos seus lábios carnudos e avermelhados por causa dos beijos anteriores. Passou o polegar ali e viu o esposo fechar os olhos, aproveitando a carícia.

— Eu me sinto tão tentado. — Admitiu, finalmente voltando para a cama. O esposo nada disse, apenas aconchegou-se no peito do moreno.

Quando Naruto dormiu, Sasuke substituiu seu peitoral quente por uma almofada que nem de longe se comparava a parte do seu corpo.

Levantou-se da cama e caminhou até a sala, onde as sacolas das compras que fizera de manhã estava. Pegou-as e tirou de dentro todas as câmeras e fios.

Fora de casa, começou a arrumar as câmeras de vigilância em pontos estratégicos, onde ninguém pudesse vê-las. Conectou-as ao seu relógio de pulso, o celular e também ao notebook. Assim poderia verificar a segurança em qualquer um dos aparelhos em que estivesse consigo.

Safisfeito com o trabalho que havia feito do lado de fora da casa. Andou apressadamente até o portão do condomínio e posicionou câmeras ali também, sem pontos cegos.

Quando deu-se por conta, o Sol já estsva se pondo. Voltou para dentro, com o trabalho terminado. O suor salgado lhe escorria a testa até o pomo de adão e então sumia pelo peitoral. A camisa molhada e grudada no abdômen definido que faziam com que tanto mulheres quanto homens se aproximassem.

E foi isso que viu nos olhos do esposo quando adentrou a cozinha, que ele queria se aproximar. Mas ao ver o suor, fez uma careta desgostosa e inflou as bochechas.

— Vá tomar um banho. — Disse quando o moreno tentou se aproximar.

— Não tem muitas horas que você queria praticamente ocupar o mesmo espaço que eu. — Viu o esposo enrubescer e desviar o olhar.

— Teme.. — Ouviu-o sussurrar antes de ser virar a o fogão novamente. Sasuke reparou que ele usava um avental de cozinheiro e que só usava sua camisa branca larga, sem bermuda. — Vá tomar banho, Sasuke!

O outro mandou ainda de costas. O moreno seguiu, obedientemente para a sua ducha.

Naruto continuou a mexer o recheio de chocolate e ao mesmo tempo esperava o primeiro andar do bolo ficar pronto.

O braço esquerdo, de tanto mexer o chocolate estava cansado, não poderia mudar de mão sem perder o compasso, o que não seria nada bom.

Sentiu-se observado e olhou para trás, Sasuke estava encostado na parede enquanto tinha os olhos sobre si. Não deixando de reparar na aparência no esposo.

Os cabelos naturalmente loiros que não deixaram o corte infantil e espetado, — Não que fosse proposital, Sasuke sabia que eles ja eram espetados por si só. — o rosto que há três anos antes era infantil agora tomou a feição de um adulto. — Ou quase. — Mas quando viu Naruto sorrir brincalhão e os olhos azuis brilharem em sinal de malícia infatil, Sasuke percebeu que havia se precipitado um pouco. Naruto era uma criança no corpo de um adulto.

E que corpo. Não deixara de perceber que as curvas pouco femininas e mesmo assim com pequenos músculos, o bumbum saliente e pernas com coxas fartas. Sim, Sasuke amava o corpo de Naruto. Na verdade, amava-o por inteiro.

Até mesmo quando o loiro fazia beicinho para conseguir de si alguma coisa.

Os mesmos detalhes não passaram despercebidos por Naruto. Embora Sasuke só fosse dois anos mais velho que ele. Em seus plenos vinte e dois anos que exalava toda a sua masculinidade e responsabilidade.

Os cabelos ainda molhados por causa do banho recente pingavam. Naruto desejou largar aquele recheio e ir escovar as madeixas escuras e lisas. Afagar aqueles cabelos e pedir para Sasuke abraça-lo fortemente.

O marido não vestia camisa alguma e Naruto pensou ser porque este sabia que gostava de observar o abdômen bem trabalhado e denido, junto às clavículas pelas quais Naruto tinha uma tara estranha. Havia também o peitoral: Largo, sólido, quente. Onde o loiro encostara a cabeça tantas vezes.

— Cuidado para não babar. — Sasuke alertou. Lançando a Naruto seu sorriso de playboy galanteador. Então o moreno fez a pergunta certa. — Quer ajuda?

— Sim! — Lhe foi respondido quase que imediatamente. — Não perca o compasso, Sasuke. — Foi avisado.

— Dobe eu sei lidar com um recheio de chocolate. — Respondeu revirando os olhos, então olhou para Naruto e abriu um pequeno sorriso, mostrando que sua ação anterior era uma mania.

O alarme soou e Naruto retirou o bolo o bolo do forno. Colocando-o sobre a bancada grande e livre dos acessórios de cozinha.

— Tenho que esperar esfriar um pouco. — Disse para si mesmo. Olhou para Sasuke e viu que seus cabelos ainda pingavam.

Bateu o pé no chão e tirou a toalha do pescoço do outro e começou a secar os cabelos negros enquanto murmurava que estavam no inverno e que Sasuke não poderia ficar com o cabelo molhado por muito tempo, do contrário pegaria um horrível resfriado.

—.... por acaso você não se lembra da última vez que ficou resfriado? — Perguntou. Ah, Sasuke se lembrava muito bem, lembrava-se dos beijos que Naruto não lhe deu durante uma semana e meia. "Não posso cuidar de uma pessoa doente se eu também estiver"  Lembrava-se do motivo tosco que o esposo lhe dera.

Recordou-se também do remédio ruim que foi obrigado a beber porque, segundo Naruto, era melhor do que qualquer comprimido.

Viu que o loiro continuava a falar igual à uma matraca e abaixou-se um pouco, encostando ambos os lábios em um selar inocente e leve. Naruto ficou quieto por alguns segundos.

— Por que me beijou? Eu estava falando contigo! — Naruto não estava realmente bravo, sabia disso. Possívelmente mais constrangido que bravo. — E-eu acho que isso já está bom. — Então apontou para o recheio de chocolate, Sasuke apagou o fogo.

Viu Naruto pegar uma grande bandeja e colocar sobre a bacanda e, em seguida, segurar uma faca e passar pela forma do bolo, para solta-lo. A bandeja antes pega foi colocada na base e então a forma foi virada e depositada na bancada novamente.

Quando Naruto retirou a forma, o bolo estava na bandeja e em toda sua beleza circulatória.

— Essa é a base do seu bolo. — Naruto disse, orgulhoso de si mesmo.

— Ainda faltam dois dias, não poderia ter feito isso depois de amanhã? — Sasuke perguntou, envolvendo o quadril de Naruto com os braços e pousar o queixo em seu ombro e então sentiu sua fragrância natural.

— Não, a decoração que irei fazer exige tempo. — O loiro levou a mão até os cabelos negros e afagou ali. — Se quiser ir dormir eu não irei ficar magoado. — Disse, depois de dar uma rapida olhada no relógio e constatar que eram 19:58.

— Não, tudo bem. Eu quero ficar aqui com você.

Naruto levou as mãos e Sasuke foi obrigado a larga-lo à força, já que não queria desgrudar. O moreno encostou-se na bancada de braços cruzados e cara emburrada por ter sido rejeitado.

Naruto partiu o bolo que fora retirado da forma ao meio de derramou sobre uma metade o recheio de chocolate e espalhou-o com uma espatula de silicone e então voltou a colocar a metade do bolo novamente.

Quando virou-se para pegar a panela de chocolate, Sasuke a tinha das mãos junto de uma colher e esbaldava-se do doce.

— Sasuke! — Naruto advertiu. — Você sabia se eu iria usar? Pergunte então!

E para a sorte de Sasuke, Naruto não usaria, apenas tinha procurado para colocar na pia.

Sasuke o ignorou e continuou a comer do doce. Naruto pegou uma forma, agora menor e colocou a massa do bolo ali e enfiou no forno, vendo que dava para mais uma, pegou outra e colocou ali o conteúdo para logo depois colocar dentro do forno, que ja estava pré-aquecido, fechou-o e olhou de volta para Sasuke. Que tentava esconder o sono com doce.

— Sasuke vá dormir.. — Disse Naruto, tirando a penela e a colher das mãos do outro.

— Não está tudo... — Ele bocejou. — Bem.

— Estou vendo. — Naruto sorriu de lado ao ver o esforço que o moreno estava fazendo. — Eu já vou para a cama.

— Promete? — Sasuke puxou-o pela cintura e depositou um rápido selar em seus lábios.

— Eu prometo.

Blefe horroroso foi aquele, Naruto continuou a fazer o bolo até o último andar e iria deixar para decorar no dia seguinte.

Estava-o guardando na geladeira extra quando Sasuke apareceu com a rosto amassado, seria engraçado se ele não tivesse uma expressão nada satisfeita no rosto.

— Sabe que horas são? 03:00 da madrugada! — Suas voz saiu esganiçada, como quem esta se contendo para não gritar. — Você esta todo sujo, já para o banho.

— Espere só um...

— Naruto. — Sasuke usou o tom manhoso que não utilizava havia meses. — Volta para a cama.

Suspirando derrotado, o loiro andou pelos corredores e entrou no banheiro seguido do box, o banho foi rápido e quando saiu, Sasuke ja segurava a roupa para ele vestir em mãos.

Naruto vestiu-as e teve sua mão puxada pelo moreno até o quarto de ambos. Deitaram-se e sua cabeça foi puxada para o peito alheio e teve os cabelos loiros — E agora limpos e cheirosos. — Afagados até dormir.


Notas Finais


Espero que possam perdoar a minha demora com essa atualização dupla♡

Eu tenho uma divulgação de fanfic aqui. Ela é threesome de Namjin + você. Segue o link:


https://spiritfanfics.com/historia/me-apaixonei-pelos-meu-melhores-amigos-9561182


Em falar em Namjin, tem algum kpopper por aqui?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...