História Mrs. Bittencourt's Home for Peculiars. - Interativa. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares
Personagens Personagens Originais
Tags Fic Interativa, Interativa, Peculiar, Yaoi, Yuri
Exibições 151
Palavras 459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá gente! Para quem é novo aqui, eu sou a Victória, e vc provavelmente é minha unnie ou meu oppa, pois eu tenho 12 anos. Sou novinha, hahah. Se você tiver se interessado em minha escrita, venha fazer parte dos urubuzinhos! "E porque este nome, dongsaeng?" Bem, pois minha escrita é um lixo/carniça, e como meus leitores se alimentam disto, urubuzinhos.

Caso você já seja um urubuzinho, está é uma nova história minha! Será uma fanfic interativa de "O lar de Miss Peregrine para as crianças peculiares". Confesso amar o enredo e ter amado o filme, e por enquanto, já li algumas páginas do primeiro livro. Favor, caso você já tenha lido a série, me informar melhor, pois realmente quero fazer isto do jeito certo!

Espero que gostem!

Capítulo 1 - 0.0 - Carta.


Era uma tarde ensolarada. Não se via quase nenhuma nuvem no céu, e as poucas que tinham eram tão brancas quanto a neve. A brisa soava como um assobio doce e melódico, que batia sobre a grama e as folhas verdes de árvores e plantas. O dia era perfeito, talvez o típico dia de verão, no qual crianças saem animadas de suas casas para brincar no quintal.

E isto não deixava de ser verdade. Aliás, várias crianças corriam sobre o gramado, algumas brincando de pega-pega e outras apenas correndo atrás de borboletas de asas coloridas.

— Você está sendo injusto, Iris! — gritou um garoto, que tentava correr atrás do amigo, tentando espantar as várias mariposas ao seu redor. — Pare com isto! Peculiaridades não são justas em brincadeiras, lembra?

— Na verdade, não! — respondeu o de cabelos negros, com um sorriso de canto, enquanto pulava entre raízes e corria pelo gramado. — Você que é muito lerdo!

Nisto, Iris foi surpreendido com algo. Uma pequena garota apareceu em sua frente, em um toque de mágica. Malissa, a menina que conseguia se teleportar. Iris, sem querer machucar a pequenina, acabou desviando, e dando de cara com um arbusto espinhoso.

O garoto que corria atrás dele se aproximou, ajudando-o a se levantar.

— Viu? E é por isto que sempre se deve ouvir o Carter. — sorriu, e então começou a correr do garoto de cabelos negros, agora pegador.

Miss. Bittencourt observava tudo com atenção. Tinha belas e divertidas crianças, tinha sim. Além de serem dóceis. A moça as amava com todas as suas forças: cuidar das pequeninas era excepcional. Suspirou, sorrindo logo em seguida. Logo mais aquele “orfanato” estaria mais cheio do que agora, e muito mais tumultuado.

— Crianças! — chamou a moça, aproximando, e todos viraram-se para ela. — Acho que está na hora de entrarem. Aliás, não querem perder o filme, certo?

Os jovens se animaram, correndo para dentro. A moça suspirou, acompanhando-os logo em seguida. Seria uma noite e tanto, e logo mais, um dia e tanto. Novas crianças estavam por vir, e a segurança não poderia estar melhor.

Isto na visão da Bittencourt, pois obviamente a segurança de todas aquelas crianças não poderia estar pior.

Mas entrou, lembrando-se de sua carta. Às vezes encontrava a si mesma suspirando por causa de sua ótima escrita: nada humilde.

Caro(a) jovem,

Caso tenha recebido esta carta, você certamente é “peculiar”. Devo lhe informar que existe um lugar ao certo onde crianças como você, vivem. Pode até ser que você tenha uma ótima vida ai, mas eu gostaria de lhe convocar para o meu “lar”. Sinta-se bem vindo. No envelope, há o endereço. Venha o mais rápido possível. E, aliás, traga uma pequena mala. Aqui não é um ótimo lugar para se comprar roupas

Ass, Amelie D’Or Bittencourt.”


Notas Finais


Bem, segue o jornal com as regras e o modelo de ficha está aqui. Logo mais sairá a ficha dos meus personagens!

Reservem sua peculiaridade e aparência no jornal.

https://spiritfanfics.com/perfil/vickywinchester/jornal/-c-f-c-6766637

"Aliás, a peculiaridade é o que nos junta, não é mesmo?" — Miss Bittencourt.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...