História Mrs. Luthor - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Alura Zor-El, Cat Grant, Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Maggie Sawyer
Tags Sanvers, Supercorp, Supergirl
Visualizações 553
Palavras 3.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 25 - Meias verdades


Kara Danvers P.O.V

– Por Merlin. – Alex começou a falar em tom baixo bem ao meu lado, enquanto eu permanecia de olhos bem fechados. Ela estava me dando colo, o que finalmente me fez respirar com tranquilidade após toda a questão no apartamento de Lena. Meus sentimentos estavam mornos. – Mas que nó você fez em torno de si, mana. Nem sei que conselho te dar exatamente.

– Eu só...Eu a amo, Alex. – Sussurrei, balançando a cabeça. Meu ritmo cardíaco acelerou quando percebi que esta foi a primeira vez que eu vocalizei isso. – Merda.

– Espera um pouco, o que? Mas como assim? Você a ama mesmo? – Questionou com o choque evidente em sua voz. – Você precisa me explicar como exatamente isso aconteceu, já que na nossa última conversa você parecia bem certa de que iria parar com o sexo perigoso de vocês.

– E eu ia, mas Gotham.... mudou tudo entre nós. Ela me disse coisas tão lindas, disse que estava apaixonada por mim ontem no seu apartamento, mas...

Virei a cabeça e olhei pela janela, observando as árvores balançarem na brisa. Havia mil pensamentos correndo pelos meus olhos e ao mesmo tempo nenhum.

– Kara, eu ainda estou confusa. Pensei que vocês duas ainda se odiassem! Como diabos a mulher que você reclamava todo santo dia por ser uma cretina abusiva é agora seu grande amor?

Alex tinha um ponto importante que dia após dia parecia mais próximo de se resolver entre Lena e eu. A relação de poder já havia se igualado a algum tempo naquele começo de relacionamento, principalmente quando dominá-la parecia ser sua coisa favorita quando estávamos juntas.

– Eu não sei. Agora é tudo tão diferente, ela pediu diversas vezes desculpas pelo seu comportamento insuportável e tentou se justificar dizendo que não sabia como fazer para que eu a notasse, sendo que inferno ela é Lena Luthor! Como não notar uma mulher daquela? – Respirei fundo e encarei de maneira mais firme minha irmã que agora tinha uma das mãos na cintura, minha postura era firme, mas minha voz saiu mais frágil do que eu esperava: – Eu sei que parece muito errado, mas parece tão, tão certo quando eu estou com ela.

Foi a vez de Alex respirar fundo com a minha declaração. Sentei de volta ao sofá. Comecei a explicar sobre Gotham, cada uma das declarações de Lena, a forma como lutei para não me envolver mais e as coisas que ela tinha confessado. Eu disse a Alex sobre a nossa semana juntas, a noite na piscina, o dia em que ela estava doente e o quanto doeu deixá-la no aeroporto. Parecia que tínhamos vivido uma no de relacionamento em menos de uma semana.

Finalmente, senti algum conforto e um rastro de felicidade ao contar como foi estar com ela na noite passada, a maneira que ela me fez sentir a mulher mais desejada e apaixonante do mundo, o quão perto eu estava a dizer-lhe que a amava, para então chegar ao assunto que estava me deixando tão mal: o incidente daquela manhã. Dizer que Alex ficou chocada seria um eufemismo, o que era muito para alguém que já havia atendido um rapaz com pregos no crânio em um de seus plantões.

– Kara, eu mal sei o que te dizer, ou que conselho te dar, mas em minha opinião você não deveria estar chateada nesse momento, mana. Você se apaixonou por uma falsa cretina. – Sua expressão não transparecia nada além de preocupação comigo. – Eu não sei até que ponto isso pode ser ruim, a situação que vocês estão é delicada, mas... se você realmente a ama deve lutar por isso. Você viu como foi meu inicio nada romântico com Maggie, mas agora ela é a mulher da minha vida e eu não trocaria nosso relacionamento por nada. Mesmo que as vezes só consigamos nos ver meia hora em um dia, ainda vale a pena cada segundo com ela.

– Eu sei, mas... – Comecei, sentada de frente para ela. – As coisas não são tão simples. Não se trata de uma agenda ocupada ou não querer estar com ela e sim, sentir que absolutamente tudo está contra nós. Eu trabalho para a Luthor Corp, na presidência ao lado dela e sabe Deus o que pode acontecer se nossa relação vier a público. Talvez, ela perca até o cargo se o conselho a resolver sabotar e na sua família tudo está ainda mais delicado. Todo esse tempo eu estive mentindo para as pessoas que eu amo, pessoas que eu respeito, que me tratavam como da família e parece que estou cuspindo em todos e pondo tudo a perde.

Eu balancei a cabeça em desgosto quando me lembrei daquela manhã.

– Eu sou uma mulher adulta e esta manhã eu me escondi em seu quarto enquanto ela mentia para o próprio irmão por mim. Eu sabia que ela precisava dizer aquilo, mas me machucou tão forte realmente ouvir aquelas palavras.

Minha voz sumiu e eu desviei o olhar, incapaz de suportar a pena que eu vi nos olhos de Alex.

– Mas você disse que Lena está apaixonada e só deveria estar fazendo o que você pediu que ela fizesse pra começo de conversa. Não parece justo você ter ficado tão mal e nem ao menos ter conversado com ela.

– Eu sei o que eu pedi, mas toda a nossa relação parece um enorme paradoxo quando outros estão envolvidos. Por isso eu queria guardar pra mim um tempo, porque como diabos eu posso continuar sendo bom para ela se a nossa relação pode arruinar sua carreira e família? Sempre vão achar que eu sou a aproveitadora que dormiu com a chefe, o que você sabe bem que só piora por sermos duas mulheres. Céus, a mídia iria destruí-la.

– Ok, eu sei que a última coisa que você precisa ouvir de mim agora são soluções, mas talvez seja bom você afastar sua cabeça do problema e tentar pensar em algo que possa evitar tudo isso. E se você se demitisse antes de alguém descobrir? Você disse que estava pensando em voltar para o jornalismo!

– Oh, não. – Protestei segurando minhas têmporas.

– E por que não? – Perguntou com uma pequena expressão de espanto no rosto. Levantei-me e caminhei até a minha cômoda, desnecessariamente reorganizando os cartões ali espalhados.

– Porque... não. Eu já pensei nisso, mas...

– O que seria esse 'Mas', Kara? Deve ser uma ótima razão para te fazer excluir a melhor opção que você tem. Vocês duas talvez não devessem trabalhar juntas mesmo, olha onde diabos foi a primeira vez de vocês! Na sala de conferencias!

– Exatamente, Alex! Se eu me demitir que essa nossa "química" não acabe também? – Se era para ser sincera eu seria integralmente, de uma forma que nunca tinha sido nem comigo mesma. – E se algo mudar? Droga, eu já estou tão apaixonada por ela que fico com um receio imediato de que saindo da empresa e alterando nossa dinâmica algo nesse começo de relação vá mudar. Por isso eu queria mais tempo com ela, para solidificar as coisas e ter certeza de que temos futuro e que eu não estou sendo apenas uma idiota de largar meu emprego por uma paixonite.

Respirei ainda mais fundo e vi o olhar de compressão finalmente chegar em Alex. Ela me entendeu. Ela também perdeu Maggie por um tempo.

– Eu estou apavorada com o que vá acontecer quando eu não puder a ver todos os dias. Quando outra for para o meu lugar.

– Você realmente acredita que tudo acabaria?

– Eu não sei. – Comecei ainda tentando colocar meus pensamentos em ordem. – E ainda que não acabassem, pensa comigo: a reação de todos poderia arruinar tudo. Lena sempre aparece nos tabloides, mas você já a viu com alguma mulher publicamente? Não, sempre havia enormes boatos dentro da empresa, coisa que funcionários sabiam e por isso tantas tentavam chamar a atenção dela, mas isso de alguma forma louca não vazou.

– Sexualidade não deveria ser considerada noticia em pleno século que estamos. – Resmungou Alex. Eu concordei.

– Exatamente, comigo as coisas ficam ainda mais frágeis porque eles teriam a história para contar. Tem tanto que nós duas precisaríamos conversar antes de eu pensar em me demitir, como sobre essa tal de Amanda que Lex mencionou durante a conversa.

– Um bom começo para vocês duas podia ser justamente essa conversa, Kara. Não tem muito para onde correr em relacionamentos humanos se não for adotando o diálogo. Lena nunca vai poder te esclarecer as coisas, ou lidar com a situação se você não disser a ela que está chateada. 

Descruzei os braços entendendo seu ponto. Quando Alex havia se tornado uma expert em relacionamento?

– Bem, aí você me pegou.

– Dê algum credito aos seus sentimentos, mana e conte pra ela como tudo está te machucando e deixe ela tentar te ajudar com isso. Eu posso estar te dando o pior conselho da face da terra, mas acho que você deve dar para Lena a chance de defesa e então perguntar a si mesma se toda essa situação vale a pena por ela.

– E se eu fizer a escolha errada, Al?

– Eu trarei sorvete, você terá um emprego novo e poderemos maratornar na Netflix até você esquecê-la.

Ri com seu comentário consequencialista, abracei apertado os ombros de minha irmã e me permiti sorrir com o pensamento insistente de que Lena valeria sim a pena.

(...)

Mais tarde, ainda naquela noite, com palavras de Alex ainda frescas em minha mente, eu sai do elevador e da maneira mais rápida que consegui, fiz meu caminho pelo corredor até o apartamento de Lena.

Eu sabia no meu coração que Alex estava certa, mas isso não tornaria isso mais fácil.

Eu estava pronta para dizer a ela? Isto era ainda muito novo e eu queria ser capaz de apreciar um pouco mais antes de deixar o resto do mundo tentar apontar erros e opiniões. Enquanto eu continuei no corredor, eu senti meu corpo relaxar com cada passo que eu dava em direção ao seu apartamento. Assim como antes, ela parecia saber o que eu precisava, muito antes da minha cabeça pensar em tudo.

Em poucos segundos batendo, a porta estava aberta e eu estava em seus braços.

– Deus, eu senti sua falta.

Senti suas palavras quando seus lábios roçaram os meus cabelos e eu não pude segurar quando elas me fizeram sorrir. Pressionando o meu rosto em seu pescoço, eu inalei profundamente, avidamente, sentindo seu perfume.

– Eu senti sua falta, também. – Disse olhando em seu rosto. Deus, ela era linda.

– Pode ir entrando. – Sugeriu ela, puxando-me ainda mais e fechando a porta atrás de nós. – Eu já fiz o jantar, e o filme só estava esperando você chegar.

Eu sorri e segui para a cozinha, incapaz de parar de admirar o modo como seu jeans estava colado ao seu corpo e lembrando de como sua pele macia ficava sob os meus dedos. Entramos na cozinha familiar, e eu mordi meus lábios para reprimir um sorriso quando minha mente voltou a última vez que estivemos lá.

O jantar estava maravilhoso, e eu não a parei quando ela pegou minha bolsa de mim e me entregou um prato cheio de comida com um beijo rápido.

– Lee, isso parece incrível. Você certamente não cozinha como uma típica solteirona, mas como a própria finalista do Master Chef.

Aspirei profundamente o aroma do prato. Cheirava melhor do que parecia, e minha boca encheu de água. Ela serviu o seu próprio prato e pegou minha mão.

– Bem, a maioria dos solteiros não viveu na França por quatro anos, e há muitas coisas que eu gosto de fazer na cozinha, Kara. – Ela respondeu com um sorriso. Revirei os olhos enquanto ela continuou. – Eu tive de aprendi a cozinhar, ou já estaria morta de fast food.

Nós nos sentamos lado a lado no sofá, e começou o filme.

– Você sempre parece tão feliz quando você fala de viver em Paris. Por que você saiu de lá?

Eu posso ter imaginado isso, mas eu achei que ela ficou tensa com a minha pergunta.

– Teve muita coisa envolvida, mas a principal foi a doença de Lex. Minha família precisava de mim em casa.

Tudo sobre Lex Luthor eram rumores especulativos, principalmente quando ele saiu da empresa para se mudar para Metrópoles quando ele deveria ser o sucessor nos Estados Unidos de Lionel. Concordei e recostei-me no sofá considerando sua resposta enquanto o crédito de abertura de 'Os miseráveis' começou.

– Eu nunca perguntei isso nem do seu pai, mas o que exatamente Lex tem?

– Bem, há todo um diagnóstico que eu não sei explicar, mas resumindo ele tem um tipo de tumor maligno que até hoje não se tem uma cura muito eficaz. Mas estamos trabalhando nisso.

– Essa é a sua pesquisa com Sara Lance?

Lena pareceu surpresa por minha pergunta, mas logo se tocou que eu ainda era sua assistente e tinha acesso a todos os seus canais profissionais para comunicação. Eu tinha lido os e-mails e correspondências solicitando informações de pesquisa no dia que ela havia ficado doente em Gotham.

– Oh, sim. Ela está envolvida como parte do time de Bruce Wayne e pode me ajudar com uma cura 90% eficaz para a doença dele. Voltamos a ter esperança de novo.

Ela sorriu um tanto aliviada e me puxou contra seu lado, o braço passou em meu ombro. Nós terminamos de comer e quando o filme terminou, ainda presas uma a outra. Eu virei para ela, minha cabeça sobre seu peito, minha perna por cima dela e meu braço descansando em seu estômago. Meus dedos desenharam círculos preguiçosos em seu abdômen e sorri quando eu senti seus músculos apertarem sob o meu toque. Seu queixo se apoiou em cima de minha cabeça e de vez em quando alguma coisa quente pressionava contra o meu cabelo.

Em algum momento eu adormeci e acordei vendo Lena me colocando em sua cama. Seu corpo quente escorregou ao meu lado, e eu virei para ela, atraída pela sensação de sua pele quente pressionada contra a minha. Meus lábios roçaram seu pescoço e seus braços me cercaram firmemente. "Lee", eu sussurrei para a escuridão.

– Shhh. Estou bem aqui. Basta voltar a dormir. – Sua voz era profunda e calma e eu me aconcheguei a ela ainda mais, eu estava me sentindo mais segura e mais feliz do que eu já estive em minha vida inteira. Pela primeira noite desde que começamos essa coisa toda, Lana e eu simplesmente nos abraçamos e adormecemos nos braços uma da outra.

Quando a manhã raiou, trouxe com ela a realização daquilo que o hoje significaria. Hoje eu me sentaria na mesma mesa que eu sentei em quase um ano, falaria com as mesmas pessoas, mas tudo seria diferente mesmo que eu não tivesse tido coragem de conversar com ela sobre nada.

Gostaria de vê-la andar e seguir para seu escritório, sabendo o que aconteceu entre nós lá. Eu saberia como era senti-la nua contra mim, sentir o seu toque afetuoso e ouvir ela sussurrado palavras de carinho, mas tínhamos que manter tudo escondido. Será que ela olharia para mim da mesma forma? Meu coração acelerava só de pensar.

Saí debaixo dela e dei um beijo em seus lábios, sabendo que eu precisava ir para casa. Ela se mexeu e murmurou meu nome, com os braços tentando me encontrar antes de segurarem um travesseiro e rolar em seu estômago. Eu varri seu cabelo de seu rosto e inclinei-me para colocar um último beijo em seu ombro antes de ativar o alarme em seu telefone celular e digitei um pequeno recado sobre onde eu tinha ido. Apesar de tudo, sorri quando deixei o apartamento e me dirigi para a garagem.

Poucas horas depois, sentei-me na minha mesa com Jess, na tentativa de dar algum tipo de organização na confusão que as várias temporárias tinham deixado para mim. A porta do escritório se abriu e Lena entrou.

Minha respiração ficou ofegante e eu tive que me recompor rapidamente quando eu a assisti entrar com seu vestido preto, sem ignorar a forma como o tecido acentuava o seu corpo, principalmente sua bunda.

– Bom dia, Mrs. Luthor. – Jess e eu dissemos ao mesmo tempo.

– Bom dia, meninas.

Para a surpresa apenas de Jess, Lena estava de ótimo humor. Seu tom de voz doce quase cantava isso. "Controle-se, Kara!" Foi a primeira coisa que pensei para evitar não ficar tão obcecada em secar seu sorriso lindo.

– Tudo correu bem em Gotham, Mrs. Luthor? – Jess questionou, girando-se mais na minha cadeira para encará-la. Mordi o lábio para não sorrir quando Lena olhou dela para mim.

– Sim, eu tive momentos maravilhosos e muito produtivos, Srta. Diaz. Foi bastante esclarecedora. – Respondeu suavemente, seus olhos lentamente foram parar em mim. – Srta. Danvers, posso falar com você na minha sala por um momento?

– Claro. – Respondi sem demonstrar qualquer emoção. Levantei-me e olhei para Jess. – Eu já volto.

Balançando a cabeça, ela sorriu e fez sinal com a boca de "boa sorte", antes de voltar sua atenção para as pastas espalhadas sobre a mesa. Lena me esperou, segurando a porta do escritório para mim. No momento em que a porta clicou suavemente atrás de nós, ela automaticamente me agarrou, seus lábios avidamente buscaram os meus.

– Hm, você me deixou sozinha naquela cama enorme. – Sussurrou e sua boca desceu a minha garganta. – Eu não quero que você faça isso de novo.

– Sinto muito, mas eu deixei um recado. – Respondi arquejando, meus olhos praticamente reverteram em minha cabeça quando ela se moveu para a frente da minha blusa.

– Eu até achei seu recado e apesar das suas palavras serem lindas, nada é mais lindo que acordar com você.

Sufoquei uma risada quando eu me lembrei o que eu tinha adicionado junto com o meu recado. – Você não está autorizada a me deixar de manhã sem me acordar e me dar um beijo de despedida, combinado?

Ela se afastou um pouco e nossos olhos se encontraram, a gravidade de sua expressão me surpreendeu.

– Combinado.

– Ótimo, como não ganhei um hoje, acho que você pode começar a me compensar agora.

Sorri quando eu me inclinei para beijá-la, fechando os olhos quando os seus lábios macios foram pressionados contra os meus. Ela me beijou carinhosamente antes de se mover e olhar nos meus olhos.

– Oh, Kara, Kara. – Ela sussurrou antes de embalar o meu rosto em suas mãos e levar a boca para a minha outra vez. Meus lábios se separaram e eu gemi baixinho quando a língua dela escorregou para dentro, a sensação familiar fez eu me esquecer que estávamos em seu escritório e Jess estava do outro lado da porta.

– Almoça comigo hoje. Parece que todas as refeições são melhores com você por perto.

– Oh, hoje eu não posso. Combinei de almoçar com minha irmã e a sua namorada.

Era mentira. Uma que eu esperava que Lena não percebesse no meu tom de voz. Ok, não dava para perceber por não ser totalmente mentira, eu só não almoçaria com Maggie e minha irmã e sim com Lana Lang.

 

 


Notas Finais


Um olá pra vocês meus amoressss. To bastante entusiasma com todo o feedback de vocês, apesar do meu sumiço por conta de faculdade e outras drogas mais pesadas que acabam com seu tempo. Aqui trago mais um pedacinho da estória e clamo por paciência ;) as coisas tão se arrumando em? ou não? qual a opinião de vocês?

Qualquer coisa eu to no twitter como @offluthor, podem dar sugestões, dms, criticas por lá, sigo de volta, bem como comentar a fic e indicar pra crush. Fiquei no chão quando me invocaram por causa do ultimo eps de supergirl com Kara falando "ms. luthor" naquela cena, manxxs também to morta, ok?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...