História Mudança de perspectiva - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger
Visualizações 10
Palavras 3.281
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 12 - O começo de relacionamentos ou o fim de amizades - Final


POV Liz

- Bem senhorita, se essas adoráveis senhoras dizem que você pode dividir o que sabe comigo, sinta-se a vontade para começar. – Dumbledore me sorriu gentilmente e me serviu uma xicara de chá.

Então comecei a falar a Dumbledore sobre tudo que Voldemort fez em sua busca pela eternidade... ou melhor tudo que ele estava fazendo e que aprendi ao longo dos anos escutando os relatos em primeira mão dos anos de guerra... a medida que contava os detalhes daquele futuro horrível, ainda sem entender por que eu e não a Mione para falar disso, pude sentir um enorme peso sair dos meus ombros e a cada palavra dita essas informações começaram a parecer algo que nunca ocorreu e antes de terminar entendi... nossas memorias seriam seladas e nossas vidas consolidadas aqui. Dumbledore escutava, prestando atenção a cada palavra que eu dizia.

- A senhorita tem certeza do que está me dizendo? – Dumbie, por favor eu vim do futuro, mas agora não era hora de agir como sempre ajo.

- Sim, o senhor está desconfiado a anos da criação de Horcrux, certo? Ele conseguirá fazer 6 conscientemente e 1 inconscientemente... primeiramente tem o anel de Salazar, o senhor o encontrará escondido na velha casa dos seus parentes maternos.

- Desconfiava do anel e ele é uma das relíquias da morte?

- Sim, mas Voldemort não sabe... então tio Dumbie nem pense em utilizar o anel/relíquia pois as consequências serão terríveis... me prometa por favor.- se eu fosse legilimens poderia saber exatamente o que passa na mente dele, mas como não sou, terei que confiar na palavra desse homem que aprendi a confiar.

- Eu dou a minha palavra senhorita, mas antes que continue, por que tio Dumbie?

- Ah! Me desculpe é que na minha época o senhor é o meu padrinho então cresci acostumada a lhe chamar assim, tentarei me controlar, mas velhos hábitos são difíceis de mudar.

- Não se preocupe, achei interessante e pode até manter a historia nessa época. Mas o que mais acaba como Horcrux?

- Sim, tem o diário dele, que deve estar na mansão da família Malfoy, acho que esse será o mais difícil de recuperar, mesmo com as batidas dos aurores...tem uma taça que pertenceu a Lufa-lufa, esse deve estar no cofre dos Lestrange, mas com ajuda do tio do Sirius, o Alphard, que é o patriarca da família, podemos acessar os cofres da Belatriz Lestrange, buscando joias Black...tem que conversar com ele.

- Investigarei mais sobre esses objetos, e falarei com ele, continue.

- O diadema de Rowena Ravenclaw, que se não me engano se encontra aqui em Hogwarts...

- Como assim?

- Lembra quando ele veio pedir a vaga de professor de DCAT? Ele escondeu o diadema aqui, em um lugar que ele acha que só ele descobriu existir aqui na escola e para completar amaldiçoou o cargo para que nenhum professor continue mais de um ano nele.

- Bom, em relação ao cargo faz sentido ser tão difícil manter um professor nele...e bem o diadema está na sala precisa?

- Sim senhor! Tem também um colar que pertenceu a Salazar e está em uma caverna marítima que ele achou durante um passeio quando ele ainda estava no orfanato, mas para conseguir esse você terá que ir acompanhado por que a caverna tem feitiços que poderão impossibilitar o melhor dos bruxos... ah é, tome cuidado há inferis na caverna.

- Me parece que ele foi bem precavido, mas a senhorita disse que tinha sete Horcrux e me falou de cinco...

- Claro, a sexta Horcrux e a cobra de estimação dele... creio que será a mais difícil de ser destruída.

- Sim, essa será difícil... e a ultima?

- A ultima será fruto de uma profecia, ainda não feita... essa profecia dirá que um garoto nascido no final de julho teria o poder de destruir Voldemort... na época duas famílias bruxas tinham crianças esperadas para o fim de julho... não sei como foi decidida qual era o garoto certo, mas ele escolheu o filho de Lilian e James Potter. – Agora sim, consegui chocar o tio Dumbie.

- Então teremos que lutar para que essa criança não vire uma Horcrux, certo?

- Sim, depois disso a vida dele fica horrível... são muitas provações para uma só pessoa.

- Ok senhorita, com essas informações a ordem fará grandes progressos, mas pela hora vejo que tanto você quanto eu perdemos o café da manhã e a senhorita perdeu algumas aulas...

- Nem vi a hora passar, sinto muito tio Dumbie, pensei que seria rápido.

- Não se preocupe, vá para o almoço, pois seus amigos podem estar preocupados com você e eu informarei aos professores onde a senhorita estava.

- Obrigada senhor, só mais uma coisa – Dumbledore olhou para mim com uma expressão de cansaço – eu sinto que elas, sabe as parcas, me deram esse sonho por que chegará um momento que serei, provavelmente a Hermione também, somente uma garota dessa época, ou seja minhas lembranças estarão perdidas...sei que será bom por que essa é a minha época agora, mas se precisar saber mais sugiro que não demore em me procurar.

Me despedi de Dumbledore e me dirigi ao salão principal, afinal já era hora do almoço e eu estava faminta.

 

POV Hermione

Quando acordei notei que a Liz já não estava na cama, mas não me preocupei por que ela deixou um bilhete avisando que estaria no salão principal tomando café... era meio estranho já que geralmente, mesmo estando com fome ela costuma esperar a mim e a Lilian pelo menos... quando terminei de arrumar as minhas coisas eu e a Lilian descemos as escadas do dormitório feminino e fomos tomar nosso café, não vimos os marotos que ainda devem estar dormindo... bem eu e a Lilian conversávamos quando entramos no salão, procuramos a Liz, mas nada.

- Onde ela está? Primeiro acorda cedo e diz que vai nos esperar aqui, agora some e não dá sinal de vida, espero que chegue na hora na aula.

- Ora Mione relaxa, ela já deve ter ido para a sala, nós a encontraremos lá. – sentei com a Lilian e tomamos nosso café, quando estávamos quase no fim Remus e os outros chegaram.

- Nossa rapazes, acho que no livro de DCAT tem inferis parecendo muito mais vivos que vocês. – quase engasguei com o meu suco quando a Lilian disso isso.

- Lírio, meu amor, no momento estou tão cansado que nem seus espinhos de amor me machucarão – Jay disse antes de começar a cochilar junto com os outros rapazes, notei que faltava dez minutos para a primeira aula do ano letivo e seria de poções, com a Sonserina de novo... droga mais um ano apartando brigas... Lilian olhando a minha cara, já começou a cutucar os marotos para levantarem.

- Então onde está a Liz? – o Six perguntou enquanto comia um bolinho e tentando parecer desinteressado.

- Não sabemos, ela acordou mais cedo se arrumou e deixou um bilhete avisando que desceria mais cedo para tomar café e nos esperaria aqui. – disse para ele.

- Eu acordei um pouco cedo demais e escutei uma musica vindo do salão comunal... fui até lá e a encontrei sentada na janela tocando o seu violino...demorou um tempo para que ela me notasse, mas ainda assim, depois que me notou ela se levantou e voltou para o dormitório... ela parecia estar a um bom tempo acordada. – Six disse, franzindo a testa, ele então bocejou, abaixou a cabeça e dormiu.

- Bom, saberemos quando a encontrarmos, muito obrigada por me escutar Black... vamos gente que já está quase na hora da aula – sem reação, serio, quando ela disse que os inferis pareciam mais vivos que eles, não estava brincando, cheguei perto do Remus e tentei algo:

- Remus eu gosto de você, vem para aula comigo – disse baixinho no ouvido dele, que na hora levantou e me olhou muito vermelho.

- Cl..claro Mione, mas precisamos acordar os outros. – tive mais uma pequena ideia e sussurrei no ouvido dos três marotos dorminhocos a mesma frase e assim como o Remus se levantaram rapidamente pegaram algo para comerem no caminho e em um piscar de olhos já se encontravam na porta. Olhei para Lilian e para o Remus que alternavam seus olhares entre mim e os marotos.

- Como você fez isso? – Lilian ainda estava espantada.

- O que você disse? – Remus perguntou, acho que ele quer saber se o que eu disse para ele foi de verdade ou só uma forma de acorda-lo.

- Eu disse para os três a mesma coisa: se vocês se atrasarem levarão suspensão do professor de poções, na frente da Sonserina e não poderão jogar quadribol... agora vamos, não quero me atrasar.

Seguimos os três rapidamente para a sala de poções e assim que entramos, procurei a Liz que não estava aqui também. Lilian notou o meu jeito e sabendo quem eu procurava disse:

- Ainda falta uns minutos para a aula começar, vai ver ela se distraiu a caminho para cá e vai se atrasar.

- Tomara. – Lilian disse tchau e foi se sentar com o Snape, que ainda a olhava com adoração sem ligar para os olhares ferinos de seus colegas de casa ou do Jay, me sentei com o Remus, o Jay se sentou com o Peter e o Sirius estava sentado sozinho esperando a Liz, mas o professor chegou e começou a dar uma introdução ao que aprenderíamos para os N.O.M’S que faríamos no fim do ano letivo.

 

POV Sirius

A noite foi extremamente cansativa, eu e os caras ficamos a noite toda conversando e jogando então acabamos nos atrasando para o café da manhã... nos aprontamos e fomos nos arrastando para o salão principal onde encontramos a Lilian e a Mione.

- Nossa rapazes, acho que no livro de DCAT tem inferis parecendo muito mais vivos que vocês. – hahaha, muito engraçado Lilian, se eu não estivesse tão cansado eu retrucava... enquanto tentava tomar meu café sem dormir notei que algo estava faltando.

- Lírio, meu amor, no momento estou tão cansado que nem seus espinhos de amor me machucarão. – Jay meu amigo, mesmo com sono acho que você pode fazer melhor.

- Então onde está a Liz? – Perguntei tentando parecer desinteressado.

- Não sabemos, ela acordou mais cedo se arrumou e deixou um bilhete avisando que desceria mais cedo para tomar café e nos esperaria aqui. – Mione disse... dei uma olhada para a mesa da Lufa-lufa, mas ali só estavam os amigos do clube de musica que geralmente estão com ela.

- Eu acordei um pouco cedo demais e escutei uma musica vindo do salão comunal... fui até lá e a encontrei sentada na janela tocando o seu violino...demorou um tempo para que ela me notasse, mas ainda assim, depois que me notou ela se levantou e voltou para o dormitório... ela parecia estar a um bom tempo acordada. – bocejei e abaixei a cabeça cochilando bem rápido.

Depois que a Mione nós acordou, de uma maneira odiosa, eu, o Jay e o Peter praticamente voamos até a sala de poções, olhei em volta da sala e não vi a Liz... é estranho por que mesmo distraída ela geralmente chega mais cedo que eu e o caras na aula... quando o  Remus, a Mione e a Lilian chegaram, pouco tempo depois, nos sentamos: a Lilian correu e sentou junto com o ranhoso, é Jay você vai ter que ralar muito para conseguir essa ai, o Remus sentou junto da Mione, o Jay sentou com o Peter e eu sentarei com a Liz, quando ela chegar... acho que o Jay está me dando uma chance para mostrar que eu posso ser o cara certo para ela... mas, o professor Slughorn chegou e começou a falar sobre os  N.O.M’S e a Liz não chegou.

 

POV Hermione

Quando as aulas da manhã terminaram, fomos ao salão principal almoçar... no caminho eu e a Lilian falávamos da festa que vai ocorrer no mês que vem e os rapazes se arrastavam atrás de nos, fora o Remus, os outros três dormiram todas as aulas da manhã. Assim que entramos no salão, olha a surpresa:

- Lisbete Potter, que coisa te encontrar por aqui, onde você estava? – Olhei para ela com o meu olhar Mcgonagall fazendo-a se encolher. Os outros já estavam sentados me olhando dar bronca nela.

- Bem... eu disse que encontrava vocês aqui e bem eu estou aqui.

- Sim, você disse que ia nós encontrar aqui no café da manhã, onde você não estava e ainda por cima sumiu de todas as aulas da manhã... quer que eu escreva para mamãe e para o papai?

- Mione depois te conto, eu prometo, mas vamos comer agora, ok? – sentei do lado dela e fiz meu prato... teríamos bastante tempo para conversar depois.

Após todos almoçarmos, eu e as meninas resolvemos sentar no jardim, próximo ao lago negro e ficamos por um tempo conversando sobre banalidades... enquanto conversávamos, ouvi um serie de gritos e risos, olhei na direção de onde eles vinham e vi Jay e os outro implicando com um Snape que estava pendurado de cabeça para baixo no ar. Assim que me levantei e comecei a me dirigir a multidão para acabar com a bagunça vi a Lilian passar correndo por mim naquela direção. Liz estava do meu lado e corremos atrás da Lilian.

 

POV Lilian

Eu estava curtindo um momento de sol com as minhas amigas, perto do lago negro quando ouvi risos e gritos vindo de algum lugar, olhei para confusão que estava próxima a nos, quando vi vermelho: James Potter tinha o meu amigo Sev pendurado de ponta cabeça no ar e estavam implicando com ele novamente... não me segurei, a Mione já havia se levantado e ia naquela direção, mas mesmo eu adorando as minhas amigas não poderia deixar o irmão babaca delas machucar assim o meu amigo, me levantei e corri ate a confusão.

- Deixem ele em paz!!! – gritei assim que os alcancei... James, Sirius e Peter olharam para mim, enquanto Remus lia um livro encostado em uma arvore.

- Tudo bem, Lilian?  James Potter me pergunta como se não estivesse fazendo nada demais.

- Deixe ele em paz, o que foi que ele lhe fez afinal? – poxa já estamos no quinto ano, eles já deveriam parar com essas criancices.

- Bom – James parecia pensar por um momento – ele existe... se é que me entende...

Os estudantes que estavam a nossa volta riram, inclusive Sirius e Peter... Remus tinha fechado o livro e agora observava a ceninha sem graça dos amigos deles.

- Você se acha bem engraçado – eu disse com frieza – mas, não passa de um valentão, tirano e arrogante... agora deixe ele em paz!!!

- Deixo ele em paz se sair comigo – por Merlin, ninguém merece – anda... sai comigo e nunca mais encostarei a varinha no ranhoso.

- Eu não sairia com você nem que tivesse que escolher entre você e a lula-gigante.

- Mau jeito, Pontas. – Sirius virou em direção ao Snape que havia se soltado e já estava no chão apontando a varinha para o Potter, houve um lampejo e um corte apareceu no seu rosto... na mesma hora Peter o desarmou e Sirius o pendurou novamente pelo pé.

James, Sirius e Peter... mais a multidão de alunos que pararam para ver a cena riam como se fosse a melhor piada do mundo fosse humilhar alguém. Olhei com raiva para o Potter:

- Põe ele no chão!!!

- É claro, meu Lírio. – James olhou para o Sirius que largou o Sev que caiu com tudo no chão, mas antes que ele se levantasse:

- Petrificus Totalus – e dessa vez o Sev caiu duro como uma tabua no chão.

- DEIXE ELE EM PAZ AGORA MESMO!!!! – apontei a minha varinha para o Potter.

- Não me obrigue a azara-la, Lírio. – Potter me pediu serio.

- Então desfaça o feitiço nele! – O que tem na cabeça desses meninos! James se virou para o Sev e murmurou o contrafeitiço.

- Pronto, Lírio – Sev tentava se levantar – você tem sorte que o meu Lírio esteja aqui, ranhoso...

- Não preciso da ajuda de uma sangue-ruim imunda como ela! – Não acredito que ele falou isso para mim...

- Ótimo – respondi calmamente – no futuro não me incomodarei ranhoso.

- Peça desculpa a ela! – James, Sirius e Peter gritaram ao mesmo tempo.

- Não quero que você o obrigue a se desculpar, Potter – gritei com ele – afinal você é tão ruim quanto ele.

- Quê? Eu NUNCA chamaria você de... você sabe o quê!

– Despenteando os cabelos só porque acha que é legal parecer que acabou de desmontar da vassoura, se exibindo com esse pomo idiota, andando pelos corredores e azarando qualquer um que o aborreça só porque é capaz... até surpreende que a sua vassoura consiga sair do chão com o peso dessa cabeça cheia de titica. Você me dá NÁUSEAS.

Me virei e corri para o castelo... não iria dar a eles a chance de me verem desmoronar. Ainda pude ouvir James me chamando.

 

POV Hermione

- Qual o problema dela? – Jay perguntou ao Six, antes de apontar a varinha novamente para o Snape e pendura-lo no ar.

- Acho que ela quis dizer que você é metido cara. – Six disse.

- certo, então... quem quer ver eu tirar a cueca do ranhoso? – quando ele ia lançar outro feitiço no Snape, eu o interrompi:

- Jay, pare agora por favor! – Eu disse calmamente.

- Mione, você viu o que ele disse...- Jay parecia a cada momento com mais raiva.

- Sim, mas também vi o que fizeram, então soltem ele... vocês sabem que eu sou bem melhor em feitiços que você – apontei a minha varinha para eles, que resmungaram mas soltaram o Snape, que deve ter um parafuso a menos para tentar atacar nesse momento... quando ele levantou a varinha e apontou na nossa direção, Liz entrou na frente:

- Chega de confusão certo? Por que todos nós não paramos com as criancices agora e vamos procurar algo melhor para fazer? Eu particularmente sugiro comermos doces ou pudim por que sempre me deixa mais feliz...

- Eu não preciso da caridade da Potter sabe-tudo – Remus veio até nós indignado – e da Potter doida – Six apontou a varinha para Snape de novo... ,mas o que que há com eles afinal?

- Chega Snape, sai daqui agora – ele estreitou os olhos e saiu de perto... me virei para os outros agora que a multidão se dispersou. – Que vergonha, estou desapontada com vocês... – Jay abriu a boca para argumentar, mas parou de falar quando olhei para ele – James Potter, ou você melhora o seu comportamento ou vou estar escrevendo para mamãe e contando todas as suas brincadeiras – Jay abaixou a cabeça parecendo estar envergonhado, mas depois de quase cinco anos de convivência ele devia saber que não me engana mais. – E vocês? Peter e Sirius achei que eram melhores que isso? Estou errada?

- E por que vocês não veem, mas os sonserinos implicam tanto quanto a gente, Mione. – Peter tentou se explicar.

- Não quero saber... mas, a minha maior decepção é você, Remus – olhei para ele – poxa você é monitor e mesmo eles sendo seus amigos você devia ter dado o exemplo...

- Mione eu...

Não esperei ele falar e ia voltar para o castelo para procurar a Lilian, ela sim precisava de mim nesse momento, olhei para Liz:

- Você vem?

- Não, no momento acho que você duas precisam conversar a sós, eu vou a cozinha – olhei para ela com se perguntasse o porquê – quero comer pudim.

Sai em direção ao castelo, ignorando o Remus me chamar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...