História Mudança de Vida - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Akame ga Kill!
Personagens Personagens Originais
Exibições 15
Palavras 3.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem como posso dizer isso...Hm...Domingo eu fui visitar minha avó e não tinha net lá então... Não deu pra postar e ontem eu só dormi mesmo, mas felizmente hoje aqui está o capítulo que eu pensei bastante antes de fazer, talvez vocês entendam o porque enquanto lêem
Espero que gostem :)

Capítulo 39 - Últimas horas do Duque - Parte Final - Traição inesperada


Fanfic / Fanfiction Mudança de Vida - Capítulo 39 - Últimas horas do Duque - Parte Final - Traição inesperada

Pov's Mark ON


Depois de um breve cochilo eu me levantei e percebi que estava com minha roupa ''normal'' se é que posso falar assim. Camisa branca, uma calça jeans, e sapatos pretos, o que aconteceu com a roupa que eu estava antes eu não sei, bom tanto faz, estou com fome então vou dar uma passada na cozinha pra ver se tem o que comer. Chegando lá acabei me encontrando com Thea que reparou que minhas vestimentas tinham mudado bastante e não deixou de perguntar.


-Onde estão as suas outras roupas?-Indaga ela curiosa.


-Nem eu sei, talvez elas apareçam em breve sei lá.-Disse despreocupado pegando um suco que tinha na geladeira.


Então eu fiz um sanduíche e me sentei na mesa junto à Thea.


-O que você pretende fazer primeiro?-Pergunta ela.


-Em relação ao que?


-Nós avistamos uma pequena cidade a alguns metros daqui, claro que vai depender se você vai querer ir lá.


-Não tenho motivos pra ficar aqui então vou para lá.


Depois da conversa nós apenas terminamos de comer e fomos para sala do trono onde Keita estava esperando.


-Huh? O que houve com suas roupas Mark?-Pergunta ele.


-Não faço ideia onde estão, mas não precisa falar desse jeito, até parece que estou pelado.


-Bom, então vamos para cidade?-Digo indo lá para fora.


-Mas Mark, eu posso usar o teleporte para chegar lá mais rápido.-Diz Keita.


-Se vocês dois quiserem ir usando teleporte podem ir, eu vou andando mesmo.


-Sendo assim irei te acompanhar.-Falou Thea.


-Ok, você vem Keita?-Pergunto.


-Se você prefere ir andando então tudo bem, irei junto com vocês.


Eu não contei para eles mas minha intuição me dizia que era melhor ir andando, claro que essa seria a primeira vez que confiaria na minha intuição, ou seria a segunda? Ah, tanto faz.


Pov's Mark OFF


Pov's Kram ON


Enquanto estávamos escondidos nos curando era possível ouvir ainda certo dialogo entre Liver e Lest.


-Você ainda vai querer lutar mesmo nessas condições?-Questiona Lest.


-Já que irei morrer, não vai me custar nada leva-lo junto.-Responde Liver.


-Admiro sua determinação, por tal motivo, serei rápido.-Fala Lest puxando um baralho de poker.-Eu adoro poker sabia?-Sorri Lest.


-Luz e Transformação correto?-Diz Liver acertando em cheio a magia e qual a teigu de Lest.


-Você percebeu que minha teigu é o chapéu? Magnifico.


-Chega de papo furado.-Fala Liver jogando um pouco do seu próprio sangue perto de Lest que se afastou bem a tempo antes de agulhas liquida surgirem daquelas pequenas gotas.


Lest começou a disparar suas cartas contra Liver que por sua vez foi apenas desviando, o que mais me assustava é que aquelas cartas pareciam mais balas de canhão do que apenas cartas de poker, de qualquer jeito Liver estava em grande desvantagem. O objetivo de Lest pelo visto era manter Liver ocupado desviando de suas cartas para que não tivesse oportunidade alguma de usar magia, já que com o tempo ele iria morrer por hemorragia, Lest sabia que essa luta não iria exigir magias incríveis ou habilidades excepcionais, mas sim paciência e resistência, por conta que do mesmo jeito que Liver estava com problemas Lest também tinha os seus, afinal ele estava gastando muita aura e magia para deixar as cartas naquela velocidade e força. Caso vocês não saibam é possível sim usar sua aura para intensificar ainda mais a força da sua magia e até mesmo ataques físicos, claro que poucos sabem disso e aqueles que sabem nunca contam para ninguém. Em apenas alguns segundos de luta já era notável o cansaço de Lest, entretanto, Liver estava ficando cada vez mais lento, pelo visto a perde de sangue estava começando a afeta-lo. De repente Lest para de atacar e guarda suas cartas no bolso e fica encarando Liver que retribui o gesto.


-Me responda uma coisa antes de continuarmos com isso.-Diz Lest.-Por que você tem tamanha lealdade ao Duque? Não vê sua situação? Não vê que se seguirmos com isso irá morrer?!-Grita Lest irritado.


Pelo visto a lealdade e determinação de Liver que Lest disse admirar, começaram a incomoda-lo e bastante.


-Duque? Acha que eu sou leal a ele? Assim você está me insultando.-Responde Liver que abaixa sua cabeça por um minuto e depois volta a encarar Lest.-Minha mestra Esdeath foi quem pediu para protege-lo, e se foi um pedido de minha mestra...Estou disposto a dar minha vida por ela!-Grita Liver atacando Lest que por estar irritado acabou perdendo o foco nos arredores, o sangue de Crowley que estava numa parede próxima de Lest foi usado para criar uma lança que por sorte atingiu apenas o braço de Lest.


-LEST SEU RETARDADO, MATA LOGO ESSE COROA PORRA!-Diz Crowley extremamente irritado com a situação.


-É vovô agora você conseguir me irritar de vez...-Fala Lest jogando um baralho novo para cima, fazendo as cartas se espalharem no ar.-STRAIGHT FLUSH!-Essa magia tinha o nome de uma jogada de poker mesmo, esse tal de Straight Flush é o nome de uma jogada de quando alguém tem cinco cartas em sequência do mesmo naipe, o que a magia fazia não era diferente, ela pegou cinco cartas do mesmo naipe em sequência e disparou contra Liver, porém, a velocidade que elas foram disparadas foi incrível, nem eu muito menos Crowley conseguimos acompanhar aquilo com os olhos.


Acreditávamos que aquele era o fim de Liver, contudo, ele desviou de 4 quartas de uma forma inexplicável, felizmente a quinta carta ele não conseguiu a tempo, o que custou seu braço esquerdo. Lest estava pronto para atacar novamente mas foi surpreendido por Liver que apenas se sentou no chão e disse tais palavras:


-Vocês perderam.


Crowley e Lest caíram na gargalhada, eu por outro lado senti um medo tomar conta de mim, pois quando olhei para os olhos de Liver certamente tinha algo errado, com toda certeza ele tinha um último recurso, e esse recurso seria mais do que o suficiente para sua vitória.


-Ai! Minha barriga,HAHAHAHAHAHA.-Comenta Crowley entre risos.


-Sabe, essa é a primeira vez que vou desobedecer a ordem de minha mestra, acho que ela vai entender.-Comenta Liver fazendo Lest e Crowley pararem de rir.-Eu pedi ainda quando era jovem, para colocar um ultimo recurso dentro de mim, caso meu coração parasse, tal recurso seria ativado, hehehe.-Ri ele fechando os olhos.-Vejo vocês no inferno.-Essas foram suas ultimas palavras antes de enfiar a própria mão direita no peito acertando o coração, o que veio em seguida foi...


Pov's Kram OFF


Pov's Nara ON


Meu corpo não me obedecia de jeito algum, eu queria levantar e parar de chorar mas não conseguia não importava o quanto eu tentasse, quando de repente uma imensa explosão acontece, foi ai que consegui retomar o controle do meu corpo. Quando olhei para o céu, uma imensa cortina de fumaça saia de um lugar de onde só restou uma cratera imensa.


-É verdade! Tenho que correr pro palácio!-Disse me levantando e sentindo uma dor do peito, quando olhei meu ferimento estava aberto novamente, bom tanto faz tenho que cumprir meu objetivo primeiro.


Chegando lá eu vi medico correndo para lá e para cá, entretanto muito soldados me olharam e vieram correndo até mim.


-General a senhora está bem? Está ferida?-Pergunta um soldado extremamente preocupado.


-Estou bem não precisam se preocupar.-Disse escondendo o ferimento.


-E quanto a general dos ventos.-Dito isso minha vontade de chorar voltou e ainda mais forte, mas consegui me conter.


-Eu...Eu a eliminei...-Digo deprimida.-O que tenho a dizer é que...Ao que parece a vitória é nossa.


-Ouviram isso homens! A vitória é nossa!-Grita o comandante para todos ouvirem.


Todos gritaram e ergueram suas espadas e escudos em comemoração. Depois de uma batalha sangrenta e difícil, finalmente a vitória era nossa. Mesmo estando ferida fui para dentro do palácio onde eu e Kram combinamos de nos encontrar quando tivéssemos acabado nosso respectivos objetivos.


Lá dentro um dos soldados que estava aparentemente me aguardando pergunta:


-General! Quais nossas ordens?-Questiona ele.


-Fale para todos que podem descansar, apenas isso.-Respondi.


-Entendido!-Diz ele deixando eu passar.


Enquanto eu estava andando pelo corredor repleto de tropas um dos lanceiros que estava conversando com seu colega acabou reparando no meu ferimento e não pode deixar de perguntar:


-General a senhora está ferida, necessita de um médico?-Pergunta ele preocupado.


-Não se preocupe isso não é nada.-Disse seguindo caminho.


Seguindo caminho pelo corredor eu via alguns corpos sem vida no chão, porém tentei não olhar para isso até chegar ao salão. Quando cheguei no salão era possível ver inúmeros corpos mutilados tanto de inimigos quanto de aliados, vários pendurados nos corrimão das escadas, outros jogados em qualquer outro canto, era uma cena perturbadora e desconfortável já que eu comecei a lembrar daquela vez...Mas quer saber, isso não importa mais tenho que superar isso, o que está feito não pode ser alterado. Quando me aproximei mais vi Crowley, Kram e Lest sentados na escadas me esperando.


-Está atrasada sabia?-Brinca Kram.


-Sério? Pensei que chegaria aqui primeiro.


Eu então olhei para os três e vi que estavam bem feridos, mas estavam se curando com talismãs, entretanto não esquecei de perguntar.
-Vocês estavam no lugar daquela explosão?


-Isso ae, aquele velho quase matou a gente mas Lest deu o jeito dele para nos salvar.-Responde Crowley.


-Eu não dei um ''jeito'' eu sabia o que fazer se aquilo ocorresse.


-Aham, e eu vou acreditar.-Respondeu Crowley.


-É vocês tiveram bastante trabalho então.-Comentei.


-Hahaha, nem tivemos, esse ferimentos aqui eu chamaria de arranhão.-Diz ele curando o buraco que tinha em sua barriga.


-Parece que você trombou com alguém que lhe causou problemas também não é?-Diz Lest vendo meu ferimento.


-Está tão na cara assim?-Disse quase caindo no chão mas consegui colocar mão a tempo, eu estava com tontura e a dor acabou aumentando do nada.


-Aqui, vamos levar você para um médico.-Disse Kram estendendo sua mão para mim.


Eu então agarrei ela e ele me puxou contra seu corpo, de repente minha visão fica fixa e normal, eu não estava sentindo mais tontura? Porém estava ouvindo meus batimentos cardíacos um por um só que estavam ficando mais lentos e fracos, então abaixei minha cabeça bem devagar  até conseguir olhar para baixo, e acabei me deparando com a mão de Kram em forma de lâmina atravessando meu peito por completo enquanto meu sangue escorria pelo seu braço manchando seu terno.


-...K...K-Kram?-Seu nome foi a única coisa que consegui dizer até minha visão começar a ficar turva e meus batimentos ficarem ainda mais fracos.


-Descanse em paz, Nara.-Falou ele retirando sua mão de meu peito.


Eu me sentia caindo em câmera lenta e quando atingi o chão senti meu coração bater pela última vez, eu estava com tanto sono que não consegui impedir de meus olhos se fecharem deixando tudo preto...Então... Acabou?


Pov's Nara OFF


Pov's Mark ON


Quando estávamos pra pisar na cidade um arrepio forte percorreu minha espinha.


-Mark, tudo bem?-Indaga Keita vendo que eu parei de andar.


-A-Ah, tudo só tive um leve arrepio hehe.-Disse voltando a andar.


Quem visse aquela cidade iria falar que era auto sustentável já que ela parecia ter tudo, pelo menos era o que parecia.


-Thea, Keita te falou o que estou procurando né?


-Sim, ele me deu a descrição física dos dois, pela minha intuição você vai dizer para nós perguntarmos se alguém viu um dos dois correto?-Diz ela adivinhando.


-Você realmente tem uma intuição afiada, mas esse será o trabalho de Keita o seu vai ser voltar para floresta.


-Então o senhor também percebeu?


-Sim, tinha alguém observando nós 3, as chances são de 1% mas...Pode ser Yuto ou Elisabeth, portanto, se cuide.


-Sim senhor.-Fala ela se curvando e sumindo do meu campo de visão em seguida.


-Bom vou ver se consigo descobrir alguma coisa, até mais.-Diz Keita se separando de mim.


-Bem, agora tenho que decidir o que fazer por aqui...-Comentei.


Eu fui andando por todos os lados e reparei que todos ali estavam usando magia, curioso eu decidi perguntar pra um vendedor de um loja próxima.


-Olá, gostaria de sabem em que cidade eu estou.


-Você está em Masadora meu jovem, mais conhecida como cidade da magia, aqui todos usam magia para ajudar as pessoas das mais variadas formas.-Responde ele.-Observe.-Diz ele apontando para um bandeja cheia de pães só que...ainda não estavam prontos, com um dedo ele jogou fogo nos pães, eu pensei que aquilo ali iria virar carvão, mas quando ele parou os pães estavam perfeitamente no ponto coisa que me deixou impressionado.-Aqui, experimente um.-Fala ele entregando um em minha mão.


Quando eu provei, parecia ser o melhor pão que eu já comi em toda a minha vida.


-Ow! Isso aqui tá muito bom!-Elogiei.


-Hehe, são anos de treino garoto.-Diz ele com um sorriso no rosto.


Depois de comer o pão agradeci e fui embora, então cada um nessa cidade tem uma função para mantê-la funcionando, mas o trabalho fica mais rápido e mais legal usando magia, uma cidade bem interessante de fato. Passando perto de um bar senti uma aura nem um pouco amigável, não era como a das pessoas da cidade que era pura, certamente aquilo era uma aura corrompida, seria Keita dentro do local? Retirei minha suspeita quando vi que bem... O bar era meio...Como digo...Era de entretenimento adulto se é que vocês me entendem, de qualquer forma, não podia deixar aquela passar , tinha que conferir de quem era aquela aura perturbadora. Quando entrei no bar vi várias strippers dançando para homens em um cantinho próprio enquanto se embebedavam, aquele lugar apesar de bem vulgar era bem arrumado e bem estruturado, a musica de lá incomodava bastante, o fato das garçonete estarem vestidas de coelhinho deixava o lugar ainda mais...Quer saber não sei o que pensar em lugar desse, vou fazer logo o que vim fazer. Eu por minha vez acabei chegando num quarto que dizia privado e tinha dois seguranças barrando a entrada, bom não custa nada tentar obter informação deles ao invés de mata-los.


-Ei, quem tá ai dentro?


-Quem quer saber?-Responde o grandão da esquerda.


-Acho que você não entendeu bem minha pergunta, eu perguntei quem está ai dentro.


-O que um moleque feito você está fazendo aqui?


Quando a palavra ''moleque'' chegou ao ouvido de todos, todo mundo começou a olhar para mim.


-Eu vou contar até 5 pra você responder minha pergunta.-Disse ficando irritado.


-Ei pirralho não leu a placa?! Apenas adultos são permitidos!-Diz um bêbado se aproximando.


Eu nem me dei trabalho de olhar para ele eu apenas comecei a contagem.


-Um...Dois...Três...


-Tá brincando com a minha cara moleque?!-Grita o segurança tentando acertar um soco na minha cara, mas antes que seu punho acertasse minha face eu decepei seu braço fora com um espinho de gelo que eu formei pelo chão.


Eu já tinha ficado puto por ele ter desafiado minha boa vontade, porque as pessoas não entendem que quando se faz uma pergunta é pra você responder? Que merda viu. Antes que um dos dois pudesse agir eu arranquei a cabeça dos dois com apenas a minha mão que revesti com uma sombra, minha mão com aquela sombra poderia cortar até mesmo uma espada. Todos gritaram apavorados e começaram a se retirar do lugar eu por minha vez arrombei a porta com um chute e fui entrando.


-Com licença.-Disse fazendo o figurão que estava com uma mulher nua no colo se assustar.


-Q-QUEM É VOCÊ?!-Grita ele jogando a mulher no chão.


-Eu que faço as perguntas aqui, e você.-Disse olhando para mulher que me olhou com medo.-Fora daqui antes que eu mude de ideia.


Ela se levantou desesperada e saiu correndo pelada mesmo.


-O-O q-que você q-quer der mim?-Pergunta ele.


-Seu nome, qual seu nome?


-S-Syura.-Responde ele se acalmando e ficando em pé.


Syura parecia ser um homem jovem, tinha pele bronzeada, olhos dourados, cabelos lilás pálido, tinha uma cicatriz em forma de X perceptível no rosto, ele usava uma camisa skintight branco que revela sua barriga e calças brancas, e não usava sapatos. Esse medroso era quem possuía a aura corrompida que senti do lado de fora.


-Hm entendo, obrigado era só isso mesmo.-Disse desfazendo a magia que tinha em minha mão e virando as costas, sabe eu só vim verificar quem era não vim mata-lo, apesar que matei os guardas...Bem eles me irritaram não tenho culpa.


-ESPERA AI!-Grita ele furioso.


-Hã? Algo de errado?-Pergunto virando a cabeça.


-ERRADO? VOCÊ MATOU MEUS GUARDAS E EXPULSOU TODOS DO BAR PRATICAMENTE E PERGUNTA SE TEM ALGO ERRADO?!


-Eu não sou surdo só pra constar, não precisa gritar ok? Relaxa ai que mais tarde eles voltam quem sabe.-Falei saindo da sala acenando.


-VOCÊ SABE QUEM EU SOU? NÃO NÉ VERME INSOLENTE, EU SOU FILHO DO PRIMEIRO MINISTRO!


-Não me interessa de quem você é filho ou quem você é, se continuar a me irritar...-Disse me virando e o encarando com um olhar assassino.-Eu te mato.-Depois disso sai dali e fui para entrada da cidade onde estava Thea e Keita.


-E então, algum resultado?-Questionei.


-Não conseguir achar os rastros de quem estava nos observando, ao que parece era alguém bem habilidoso e cuidadoso, peço desculpa por não ter conseguido.-Diz ele ficando de joelhos.-Seja qual for a punição, estou pronta para recebe-la.


-Punição? Desculpas? Thea fique de pé por favor.-Ela então obedeceu.-Você deu o seu melhor ok? Não vou punir alguém que está querendo me ajudar e ainda está se esforçando, eu não sei se disse isso pra alguém uma vez mas vou dizer não só pra você, mas pra você também Keita, vocês não são meus subordinados, aqueles que querem me ajudar e se esforçam para isso não são servos, escravos nem subordinados, são amigos, vocês são meus amigos.


Percebi que os dois ficaram um pouco abalados com minhas palavras.


-Você não mudou nada sabia.-Comenta Keita um tanto quanto emocionado, ver alguém sério e frio como ele quase chorando fez eu pensar um pouco nos meus sentimentos que até o momento eu não tinha.


-Eu...Eu não sei o que dizer...Nunca ninguém foi tão gentil assim comigo.-Disse Thea.


Tais palavras me lembraram Nara que também havia dito elas uma vez. Além do mundo que eu estava ser falso, eu detesto dizer isso mas... meus sentimentos por Chelsea talvez eram falsos também, bom não posso fazer nada, porém essa vontade de ver Nara tem feito minha dor sumir por alguns segundos, lembrando daquele sorriso puro e inocente dela eu consigo me sentir um pouco calmo, é...Assim que achar Yuto e Elisabeth vou ver Nara e nada vai mudar isso.


-Hahaha, vocês dois são até que bem sensíveis.-Comentei sorrindo, mas dessa vez, dessa vez era um sorriso de verdade, um sorriso que eu consegui sentir felicidade por alguns momentos.


-Bom é melhor irmos andando.-Disse Keita.-Eu descobri onde Elisabeth pode estar.


-Sério? Bem, estou confiando em você.


Então íamos começar a procura por Elisabeth e depois pelo Yuto, isso de certa forma me deixa animado. Nara eu prometo, quando terminar aqui irei te ver com certeza.


Pov's Mark OFF


A traição de Kram sobre Nara... Qual será a reação de Mark quando encontrar Nara morta?

 


Notas Finais


Muito Obrigado por ter lido
Espero que tenha gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...