História Mudanças - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Deadpool, Homem-Aranha
Personagens Flash Thompson, Peter Parker, Wade Willson (Deadpool)
Tags Bullying, Drama, Gay, Lemon, Sexo, Spedeypool
Exibições 73
Palavras 1.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


As coisas vão começar a mudar.
.
espero que adorem.

Capítulo 3 - Chega


Passo pelos corredores recebendo mais olhares e fui até meu armário e peguei meus livros que precisava e pensando um pouco aliviado, que não vereia a porcaria do Flash hoje, com horários diferentes, cada um em um canto da escola e por ele estar um ano acima. Fecho a porta do armário e quase tenho um treco com uma cara que aparece atrás dela.

.

— E ae gatinho, novo na escola? - fala Wade galanteador, não aguento segurar e rio.

— Wade. - falo o olhando mais sério depois que me recupero e ele diminui seu sorriso.

— Eeer... desculpe por ontem, não sei o que me deu... - fala coçando a cabeça um pouco envergonhado. 

— Ok, só não faça isso de novo. - falo o olhando sério. 

— Ok, não faço mais. - fala se endireitando, mas depois fala olhando pro lado. - Só se você pedir. - fala e lhe bato no braço. 

— Wade!! - falo meio corado e depois rimos.

E depois saímos andando em direção as salas, quer dizer pra minha, que a dele também era do outro lado, mas ele nem ligava.

— E ae, qual é a do novo visu? - pergunta quando uma garota ruiva passa me olhando quase quebrando o pescoço,  mal acreditando que era eu mesmo.

— Novos tempos, não vou deixar aquele trasgo atormentar minha vida. - falo meio raivoso. - Esse é meu novo eu. - falo sorrindo. 

— Isso ae garoto e aprovado esse novo eu, quebra queixo dos outros. - fala quando passamos por mais um que me olha besta.

— Isso ae, acostume-se. - falo fingindo jogar o cabelo pro lado e rimos.

— ui, arrasou,  colega...- fala e lhe bato no braço. 

— Idiota. - falo rindo.

— Entregue. - fala quando chegamos a minha sala.

— Dispensado. - falo e ele bate continência. 

— Até o intervalo. - fala sorrindo.

E logo após sai correndo que nem um maluco que era quando o sinal toca. Rio e balanço a cabeça e entro logo na sala e quase estaco no lugar envergonhado, quando meia sala olha pra mim espantada. Me recupero pra não rir e vou pro meu lugar e mais alguns alunos entram e me olham primeiro antes de sentar, to gostando disso.

Logo depois o professor chega e depois faz a chamada e me encara dois segundos antes de chamar o próximo e dou um soquinho no ar em pensamento,  todo mundo me admirando. E passa nisso até a hora do intervalo.

.

Saio junto com a leva de alunos até o refeitório e fico na fila da comida, fico um pouco ali, até que sinto minha alma quase sai do corpo quando sinto um braço ao meu redor, olho pro lado era o cabeça de melão do Wade e ele ri de se acabar da cara que fiz.

— Wade!! Não me mata assim seu doido. - falo me recuperando. - e para de rir praga, tá chamando atenção demais.

— Foi malz, não resisti você se eriçando que nem um gato. - fala limpando uma lágrima imaginaria, parando aos poucos de rir.

— Idiota. - falo por falar e ele ri mais um pouco.

Cata uma bandeja e se põe atrás de mim, mas a coitada da pessoa nem reclama, sabendo do jeito retardado desse moleque. Bem, não posso reclamar dele, já que desde que ele se mudou pra cá, ele era meio sozinho que nem eu, por ser Hiperativo e tudo mais, ninguém aguentava ficar muito perto dele, e ele depois passou a ser meu amigo, por que gostou da minha cara e simples assim.

E eu também meio sozinho por causa da porcaria do Flash, arranjava problemas pra quem andava comigo e mal tive amigos que ele os afastava, mas não esse doido ao meu lado, que quase fez o mesmo com ele e passei a ser seu 'chaveirinho' preferido. E o loiro me azucrinava as ideia quando ele não estava perto, o que eram muitas, que eram do mesmo período.

Estávamos sentados na mesa até que ele olha sério atrás de mim, mas nem preciso olhar, pra saber que era o praga passando, que me sinto arrepiar por trás e lhe seguro a mão antes que se levante e se senta na cadeira direito novamente e me olha com cara de pidão.

— Deixa quebrar ele petey... - fala com um bico e eu rio.

— Hoje não Wade. - falo com um sorriso.

— Posso amanha? - fala sorrindo.

— Não! - falo rindo.

E ele murcha que nem um balão e olha pra minha mão ainda o segurando e recuo lutando pra não ficar vermelho. Sorri leve e olhei pro lado e vi o Flash me encarando, quando olho ele pisca um pouco atordoado pela minha aparência, mas logo da um sorriso maldoso, que não iria escapar dele.

O olho sério em desafio, não me deixando abalar e ele comprime os olhos por eu não abaixar a cabeça e da um sorriso de lado adorando, achando que iria esmagar essa pequena fagulha de mim, olha pro lado e depois volta a falar com os amigos, olho e Wade amassava uma latinha de refri o olhando. Sorri e peguei em sua mão e ele me olhou sorrindo mais relaxado.

— Valeu. - falo e ele sorri.

— Adorei também a cara que tu fez pra ele Petey. - fala e sorrio balançando a cabeça.

— que problema você tem com meu nome, tava tão bem com PeteR. - falo e ele sorri dando de ombros.

— sei lá, é mais melhor falar peteeyyy... - fala puxando o nome e eu rio.

Não tem jeito. Rio e continuamos a falar besteiras até o sinal bater pra voltar pras salas. Nos levantamos e fomos, com ele me 'escoltando' até minha sala.

.

.

Finalmente posso ir pra casa, estava tirando meus livros do armário, quando algo me avisa e olho pro fim do corredor, onde vinha aquele peste loiro com sua trupe atrás, conversando e rindo sem nenhuma preocupação. Até que ele olha pra frente e me acha no meio daqueles alunos e abre o maior sorriso que tinha.

Me estremeço por dentro, ele sorri olha pro armário a minha frente e depois pra mim, sabendo muito bem o que fazer comigo depois disso. Olho pra dentro do armário, quase esmagando a porta em meus dedos, de novo isso hoje não.

Olho novamente pra ele e meu sangue ferve, por ele sorrir para os outros e andar mais rápido ao meu encontro. Hoje não! me sinto a raiva subir que nem o Hulk, jogo meus livros novamente lá dentro e fecho a porta com força, fazendo estrondo, ecoando por aquele corredor, estranhamente mais silencioso hoje, fazendo todo mundo dar um salto no lugar e o encaro com raiva, quando estava próximo.

— CHEGA!! - grito e minha voz ecoa por todo o corredor.

Ele estaca no lugar e todo mundo ao redor e todos me olham espantados, me vendo praticamente bufar de raiva e meus olhos vermelhos, depois uns segundos, todos entendem e olham de mim pra ele.

— Chega dessa merda! - falo com raiva e ele me olha espantado, que não sou de falar assim, só de ficar encolhido pelos cantos. - Chega, que porra eu fiz com você, que não me deixa em paz um segundo desde criança!?

Ele abre a boca espantado, mas não o deixo falar o imitando.

— ah, porque você tá vivo e é um gayzinho nerd de merda... - falo. - Foda-se que eu seja gay e o caralho a quatro, já não aguento mais você! - grito e vejo alguém gravar.

— todo dia praticamente a mesma merda, não se cansa porra!? - falo e soco o armário ao lado e se amassa só um pouco e sinto quase meus dedos quebrarem, mas não ligo com a raiva me subindo a cabeça e isso espanta todo mundo.

— quer que eu faça o que? que eu me jogue daqui de cima e que morra estatelado no chão da escola pra fazer você feliz, por não ter que me ver pela frente? e sinceramente pensei em fazer isso ontem, lá em cima mesmo, mas vi que não valia a pena, pra ninguém! - falo e se espantam.

— ou você quer que eu seja um daqueles malucos, que sai atirando em todo mundo na escola por que não paravam de mexer com eles? e você seria o primeiro e seu amigos, depois pensaria no caso do resto. - falo com escárnio e se espantam.

— brincadeira. - falo sarcástico olhando pro lado e relaxam só um pouco. - talvez você não. - falo brincando, a adrenalina baixando um pouco e ele leva um pouco a sério se estremecendo e gravam isso dele e quase rio. - cresça, apareça, amadureça! quer ser a porra desse moleque pra sempre!?

O olho sério e depois saio andando fazendo o caminho contrario, me sentindo mais leve por ter descarregado aquilo e me sinto um pouco heroico que abrem passagem pra mim e sigo no meio deles sem olhar pra trás.

Olho mais a frente e estava Wade com o maior sorriso do mundo e dou um pequeno pra não quebrar aquilo e ele faz que começa a bater palmas, mas nego com a cabeça e ele sorri ainda mais e quando vou passando por ele, seu sorriso vai morrendo, quando olha mais atrás de mim e ouço passos rápidos a minhas costas.

Ele fecha a cara e avança, mal tenho tempo de virar e ver a cena dele dando o maior soco do mundo na cara do Flash e o jogar pra longe pelo impacto, escorregando pelo corredor até parar.

— Ele falou pra você crescer e não continuar a ser mané! - ele grita pro loiro.

Que se ergue meio zonzo com a mão no rosto o olhando espantado. O ruivo o olha sério, depois se vira e me cata com um braço e vai embora comigo.


Notas Finais


gostaram?
.
comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...