História Mudanças Para Continuar - Capítulo 10


Escrita por: ~

Visualizações 11
Palavras 1.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá, de novo! :D Mais um capítulo! ^^
Obrigada por ler! Espero que goste!

Capítulo 10 - Sérios problemas de bipolaridade


Fanfic / Fanfiction Mudanças Para Continuar - Capítulo 10 - Sérios problemas de bipolaridade

— Não, claro que não. É só uma sugestão — comenta Noah. — Bom, eu já vou indo. Boa conversa para vocês e, foi um prazer conhece-lo, Alex.

— O prazer é todo meu, Noah — fala Alex voltando a sua forma normal (pelo menos, acho que é a normal). Ele olha para mim.

— Bom, já está ficando tarde e é melhor eu ir também. Até mais, Alex Pierre — me despeço dele. — Espero nunca mais vê-lo, q-quer dizer, espero revê-lo algum dia. Tchau! Tenha uma boa vida, digo, um bom dia.

Noah olha para mim sorrindo e saímos andando juntos. Antes de sairmos, Alex se despe de mim:

— Até mais, Cindy. Espero revê-la em breve — ele diz com a mesma cara de sempre e pisca para mim, como se nada tivesse acontecido e ele estivesse simplesmente dando em cima de uma garota normalmente. Ele vai embora.

Esse cara tem sérios problemas de bipolaridade.       

Quando nos afastamos de Alex, eu e Noah nos olhamos e começamos a rir sem parar do acontecido.

— Diga-me, como você foi dizer aquilo para ele? — diz Noah, entre os risos.

— Ele conseguiu me irritar. E você estragou a brincadeira!

— Quer dizer que não ficou feliz me ver? — pergunta Noah, quando finalmente paramos de gargalhar.

— Claro que fiquei feliz! É que você revelou minha identidade! — digo para ele. Continuamos caminhando para fora da praça.

— Quer almoçar lá em casa? Minha mãe com certeza ficará feliz em ver você. Podemos jogar e relembrar os velhos tempos! — pergunto.

— Bem que eu estava sentindo saudade de sua mãe. Principalmente da comida dela. Ninguém cozinha como a Sra. Antariksa na Grécia! — nós dois rimos e vamos em direção à minha casa.

— O que faz da vida no momento, Cindy? — ele pergunta, quebrando o silêncio.

— Eu faço faculdade de eletrônicos de manhã e de arquitetura de tarde. Ainda tenho interesse em fazer um curso técnico de advocacia...

— Como sempre: querendo fazer tudo! Cindy multitarefa modo on — ele brinca.        

— E você? O que faz e porque está aqui?

— Você fala como se não gostasse de minha presença — nós rimos.

— E quem disse que eu gosto?

— Você mesma.

— O.k, você me pegou. Mas não me respondeu!

— Meu pai resolveu voltar para Paris. Ele tem novos negócios aqui. No momento vou fazer faculdade de eletrônicos... coincidência, não acha? Finalmente consegui convencê-lo de que fui feito para isso!

— Não brinca!? O esforço valeu a pena! Meus parabéns! Ninguém nunca conseguiu isso, é um grande passo para a humanidade! Não, espera: Eu vou ter que te aturar todo dia na faculdade?! Vou morrer! — digo fazendo drama e ele ri.

— Quê isso, eu sou um anjinho! — ele diz fazendo biquinho.

— Aham, com certeza — respondo rindo e percebo que chegamos em minha casa.

Mãe, eu trouxe um cara da Grécia para almoçar com a gente e servir de adversário no videogame.

 

P.O.V Manuela:

Meus pais chegam exatamente quando o almoço está pronto. São 12:05.

— Uau. Hoje vocês foram bem pontuais — digo sorrindo enquanto sento para almoçar.

— Não tem muito movimento na padaria nos domingos — responde meu pai, que também senta para almoçar.

— Novidades? — pergunta minha mãe que se senta também. Ela com certeza adivinhou que eu estava navegando pela internet de manhã.

— Nenhuma — digo me servindo. — Algo novo andando pela padaria?

Eles negam com a cabeça. Todo mundo sem novidades como sempre. Continuamos almoçando, até meu pai finalmente quebrar o silêncio:

— Eu estou curioso, como você e Cindy vão se encontrar para ir àquela festa?

— Ah, nós combinamos de... Nós combinamos de... — respondo enquanto tento me lembrar se combinamos algo mesmo. — Nós combinamos...?

— Vocês não combinaram nada, não é? — diz minha mãe com uma cara de: ’’Já entendi tudo.’’ Então sua expressão muda para: ‘’Vocês são lerdas ou o quê?’’ — Como vocês foram esquecer isso? O mais importante!?

Nós não combinamos! Você é burra, Manuela? Como pôde esquecer isso?

— Foi mal... Esquecemos... — faço um sorriso culpado e termino meu almoço. — Vou me arrumar e já vou para a padaria.

— O.k — grita meu pai, pois eu já estou no alto das escadas.

Troco de roupa e faço um rabo-de-cavalo em meu cabelo. Dou uma olhada no espelho.

É, assim está legal., penso. Lembro-me que esquecemos de combinar sobre a festa. Como eu fui esquecer? Onde vou encontrar a Cindy agora? Nem tenho o número dela! ... Depois penso nisso, agora vou para a padaria.

Desço as escadas e vou para a padaria. Meus pais já estão aqui. Coloco o avental e me posiciono atrás do balcão. Atendo vários clientes que querem pães, bolos, doces, sanduíches.

— Não, claro que não. É só uma sugestão — comenta Noah. — Bom, eu já vou indo. Boa conversa para vocês e, foi um prazer conhece-lo, Alex.

— O prazer é todo meu, Noah — fala Alex voltando a sua forma normal (pelo menos, acho que é a normal). Ele olha para mim.

— Bom, já está ficando tarde e é melhor eu ir também. Até mais, Alex Pierre — me despeço dele. — Espero nunca mais vê-lo, q-quer dizer, espero revê-lo algum dia. Tchau! Tenha uma boa vida, digo, um bom dia.

Noah olha para mim sorrindo e saímos andando juntos. Antes de sairmos, Alex se despe de mim:

— Até mais, Cindy. Espero revê-la em breve — ele diz com a mesma cara de sempre e pisca para mim, como se nada tivesse acontecido e ele estivesse simplesmente dando em cima de uma garota normalmente. Ele vai embora.

Esse cara tem sérios problemas de bipolaridade.       

Quando nos afastamos de Alex, eu e Noah nos olhamos e começamos a rir sem parar do acontecido.

— Diga-me, como você foi dizer aquilo para ele? — diz Noah, entre os risos.

— Ele conseguiu me irritar. E você estragou a brincadeira!

— Quer dizer que não ficou feliz me ver? — pergunta Noah, quando finalmente paramos de gargalhar.

— Claro que fiquei feliz! É que você revelou minha identidade! — digo para ele. Continuamos caminhando para fora da praça.

— Quer almoçar lá em casa? Minha mãe com certeza ficará feliz em ver você. Podemos jogar e relembrar os velhos tempos! — pergunto.

— Bem que eu estava sentindo saudade de sua mãe. Principalmente da comida dela. Ninguém cozinha como a Sra. Antariksa na Grécia! — nós dois rimos e vamos em direção à minha casa.

— O que faz da vida no momento, Cindy? — ele pergunta, quebrando o silêncio.

— Eu faço faculdade de eletrônicos de manhã e de arquitetura de tarde. Ainda tenho interesse em fazer um curso técnico de advocacia...

— Como sempre: querendo fazer tudo! Cindy multitarefa modo on — ele brinca.        

— E você? O que faz e porque está aqui?

— Você fala como se não gostasse de minha presença — nós rimos.

— E quem disse que eu gosto?

— Você mesma.

— O.k, você me pegou. Mas não me respondeu!

— Meu pai resolveu voltar para Paris. Ele tem novos negócios aqui. No momento vou fazer faculdade de eletrônicos... coincidência, não acha? Finalmente consegui convencê-lo de que fui feito para isso!

— Não brinca!? O esforço valeu a pena! Meus parabéns! Ninguém nunca conseguiu isso, é um grande passo para a humanidade! Não, espera: Eu vou ter que te aturar todo dia na faculdade?! Vou morrer! — digo fazendo drama e ele ri.

— Quê isso, eu sou um anjinho! — ele diz fazendo biquinho.

— Aham, com certeza — respondo rindo e percebo que chegamos em minha casa.

Mãe, eu trouxe um cara da Grécia para almoçar com a gente e servir de adversário no videogame.

 

P.O.V Manuela:

Meus pais chegam exatamente quando o almoço está pronto. São 12:05.

— Uau. Hoje vocês foram bem pontuais — digo sorrindo enquanto sento para almoçar.

— Não tem muito movimento na padaria nos domingos — responde meu pai, que também senta para almoçar.

— Novidades? — pergunta minha mãe que se senta também. Ela com certeza adivinhou que eu estava navegando pela internet de manhã.

— Nenhuma — digo me servindo. — Algo novo andando pela padaria?

Eles negam com a cabeça. Todo mundo sem novidades como sempre. Continuamos almoçando, até meu pai finalmente quebrar o silêncio:

— Eu estou curioso, como você e Cindy vão se encontrar para ir àquela festa?

— Ah, nós combinamos de... Nós combinamos de... — respondo enquanto tento me lembrar se combinamos algo mesmo. — Nós combinamos...?

— Vocês não combinaram nada, não é? — diz minha mãe com uma cara de: ’’Já entendi tudo.’’ Então sua expressão muda para: ‘’Vocês são lerdas ou o quê?’’ — Como vocês foram esquecer isso? O mais importante!?

Nós não combinamos! Você é burra, Manuela? Como pôde esquecer isso?

— Foi mal... Esquecemos... — faço um sorriso culpado e termino meu almoço. — Vou me arrumar e já vou para a padaria.

— O.k — grita meu pai, pois eu já estou no alto das escadas.

Troco de roupa e faço um rabo-de-cavalo em meu cabelo. Dou uma olhada no espelho.

É, assim está legal., penso. Lembro-me que esquecemos de combinar sobre a festa. Como eu fui esquecer? Onde vou encontrar a Cindy agora? Nem tenho o número dela! ... Depois penso nisso, agora vou para a padaria.

Desço as escadas e vou para a padaria. Meus pais já estão aqui. Coloco o avental e me posiciono atrás do balcão. Atendo vários clientes que querem pães, bolos, doces, sanduíches.

Então vejo alguém entrar na padaria. Eu conheço esse alguém, mas pensei que nunca mais iria vê-lo.


Notas Finais


Acho que consigo postar mais um. :3
Muitos beijos e até o próximo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...