História Mudanças Para Continuar - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 14
Palavras 780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá! :D
Desculpe-me pela enorme demora.
Obrigada por ler! Espero que goste!

Capítulo 8 - Prazer, Srta... como é seu nome mesmo?


Fanfic / Fanfiction Mudanças Para Continuar - Capítulo 8 - Prazer, Srta... como é seu nome mesmo?

Acordo na hora. Olho para a porta do quarto e vejo que minha mãe está escorada no batente da porta, me encarando com uma cara confusa e apavorada ao mesmo tempo. Devo ter gritado quando acordei, mas não me lembro disso. Não lembro de muita coisa, na verdade.

— Bom dia, filha — ela continua com a expressão confusa e apavorada. — O café está pronto. Te esperemos na cozinha.

Eu apenas assinto e fico observando ela ir embora. Levanto-me da cama e me olho no espelho do quarto. Estou com a mesma cara de sempre (não me diga!) e meu cabelo está bagunçado, nenhuma novidade.

Era tudo um sonho., penso. Mas parecia tão real...

Ignoro meus pensamentos e vou tomar um banho. Saio do banheiro já vestida, e desço as escadas indo em direção à cozinha. Meus pais estão tomando café. Sento-me e faço o mesmo.

— Bom dia, filha — diz meu pai.

— Bom dia.

Meus pais começam a conversar, mas eu não presto atenção. A conversa não é comigo do mesmo.

— Por que eu estava sonhando aquilo...? — murmuro baixinho para mim mesma. Tão inteligente.

— O que você disse, Manuela? — pergunta minha mãe.

— Hã? Ah.... Nada! Eu estava pensando alto, só isso — sorrio enquanto falo. Ela não diz nada. Afasto estes pensamentos e continuo a tomar meu café.

Meus pais logo saem e vão para a padaria. Eu termino meu café e limpo a mesa. Depois, vou para os fundos da casa e alimento Cookie. Fico um tempinho lá, afagando sua cabeça e então entro novamente em casa. Aproveito meu tempo livre para navegar um pouco pela internet e depois vou fazer o almoço.

P.O.V. Cindy:

Acordo com Joe andando em cima da cama. Afago sua cabeça. Levanto e vou tomar banho. Saio do banheiro e vou tomar café. Não estou com muita fome, então pego somente uma maçã (clichê). Ao terminar de comer, vou alimentar Joe.

— Bom dia, filha. Dormiu bem? — disse minha mãe saindo do quarto e bocejando. Ela com certeza acordou agora e meu pai deve estar dormindo ainda.

— Bom dia, mãe. Acho que sim. Não me lembro com o que sonhei, mas acho que foi alguma coisa boa.

Hm... O que eu queria fazer hoje mesmo? Ah, sim! Vou procurar Manuela, mas onde?, penso. Na praça! É, ela disse que só conhecia a praça e só passeava por lá! Espero que ela esteja lá.

— Mãe, vou ir na praça. Volto antes do almoço — grito para minha mãe, que parece ter escutado, e saio de casa.

Chegando na praça, procuro em todos os cantos pela Manu, mas não encontro-a em lugar algum. Por favor, esteja aqui, Manu! Por favor! Preciso achar você, caramba.

Não encontro Manuela. Caminho até um banco e sento-me. Vou esperar, talvez ela venha mais tarde. Verifico a hora em meu celular, são 10:45. Acho que hoje ela não foi passear. Levanto-me do banco e caminho enquanto dou uma última olhada em toda a praça para ter certeza que Manu não está aqui.

— Ai! — enquanto caminho e procuro Manuela, esbarro em alguém. — Desculpe-me, eu estava distraída procurando alguém e.... — faço uma pausa quando finalmente vejo em quem esbarrei: no loiro alto com olhos azuis fortes de cara safada, que assoviou para mim ontem.

Não acredito. Ele?! Tinha que ser ele? Não podia ser qualquer outra pessoa por aí, não é mesmo, universo? A gente sempre encontra quem não quer, incrível., penso.

— Não foi nada. Espera... conheço você! — ele diz. Droga. — Lembro de você, na verdade. Passou ontem na oficina, não é? Ah, esqueci de me apresentar...

— Não precisa — antes que ele termine a frase, eu o interrompo fazendo um sinal de silêncio com a mão. — Estou com pressa. E desculpe por ter esbarrado em você. Adeus!

Já estou indo embora, quando ele segura meu braço. Viro-me rapidamente para encará-lo. Como você teve coragem de me segurar?!

— Eu insisto — ele diz sorrindo com aquela mesma cara que me assusta e irrita. — Eu sou Alex Pierre. E você é....?

— Alguém que está com pressa e você não vai querer conhecer, mas seu nome é lindo — respondo rapidamente. Meu tom de voz e minha cara demonstram que estou com raiva (e que sou sarcástica). — Poderia soltar meu braço?

— Garota rebelde — ele diz com a mesma expressão. — Mas eu perguntei primeiro, Srta.... como é seu nome mesmo?

Esse cara está me irritando!

— Pode me chamar de: Eu estou com pressa, então largue meu braço — olho para ele com mais raiva ainda. — Agora.

— Mas a Srta. ainda não se apresentou — ele retruca. — Apresente-se primeiro. Eu já me apresentei, agora é sua vez.

Estou vendo que não vai ter jeito. Maldito Alex Pierre!, penso.

— Eu sou Cin...

Quer saber? Vamos fazer uma brincadeirinha!


Notas Finais


Tentarei postar mais alguns hoje, para compensar a demora.
Muitos beijos e até o próximo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...