História Muito Bem Acompanhada. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Chichi, Goku, Trunks, Vegeta, Yamcha
Tags Bulma, Dragon Ball, Goku, Vegeta, Yamcha
Visualizações 78
Palavras 2.660
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Meninas e meninos eu gostaria de agradecer a todos que acompanham a fic e em especial as meninas que comentam e que me ajudaram a melhorar minha fic pontuando os erros, sou eternamente grata a vocês! Eu ouço todos os conselhos e dicas , tento sempre encaixar na medida do possível minha fic estou revisado ela de novo, desde o primeiro capitulo. Sem mais agradecimentos.... Enjoy!
p.s: Diga não ao plágio! Achou uma ideia legal , quer pôr na sua fic, dê os devidos créditos!

Capítulo 18 - A distimia


Acordei com várias pessoas olhando para mim e reconheci que eram as pessoas na sala de dança e me ajudaram a levantar e eu olhei para Vegeta que me olhava intrigado. Porém há um pouco afastado do tumulto

– Eu estou bem! Eu falei levando a mão a cabeça.

– Eu vou chamar um médico sua pressão baixou, eu acho. Alguém disse.

– Não precisa, já estou melhor! Disse me levantando... E indo rumo à saída eu sentei-me em umas cadeiras próximas ao saguão de entrada, sentia que eu estava suando frio....

– Você está bem? A voz de Yamcha me tirou da minha dormência.

– Não! Simplesmente respondi. Então ele me entregou uma caixinha de suco. Era de morango.

– Beba você parece um pouco fraca... Ele tinha a voz triste.

Peguei o suco e tomei precisava de açúcar no meu corpo. Houve um silêncio entre a gente.

–Me desculpe Bulma. Ele falou sem me olhar.

– Te desculpar por quê? Fingir-me de desentendida.

– Por hoje de manhã fui muito grosso com você...

– Que bom que você admitiu isso. Falei com raiva. – Mas tem muitas outras coisas para você se desculpar...

– É eu sei... Porque você desmaiou? Ele estava tentando mudar de assunto.

– Sei lá, acho que fiquei muito tempo sem comer. O que você tem haver com isso? Não estava lá para me salvar. Brinquei um pouco. Lembrei-me que ele me salvou da explosão no quarto do Vegeta. Às vezes o Yamcha, sim, parecia um príncipe. Meu coração ate se alegrou um pouco.

– Mas o seu salvador Vegeta estava lá... Ele falou irônico.

– Vegeta meu salvador! Nunca! Eu cai estatelada no meio do povo e ele me veio me ver.. saber como eu estava... falei procurando por ele no meio do salão. Yamcha percebeu e ficou um pouco chateado. Controlei o ímpeto de abraçá-lo

– O que foi agora? Falei ríspida.

– Não , nada. Ele parecia incomodado com algo.

– Eu te conheço Yamcha. O que está te incomodando.

–Bulma você se lembra do dia da explosão no quarto do Vegeta - ele parecia envergonhado.

– Sim lembro... Responde sem ter certeza.

– Você se lembra de como chegou na enfermaria? Ele me perguntou.

Recordei-me dos meus devaneios e por um instante pensei que fosse Vegeta que tivesse me salvado, mas não acho que foi só um sonho.

– Acho que você me salvou. Falei finalmente.

Ele deu um sorriso largo e se sentou do meu lado.

– Depois desse casamento maldito, vamos nos resolver viu mocinha. Ele me pegou de surpresa com um beijo . que eu não retribui eu o empurrei.

– Ei o que você pensa que está fazendo? Perguntei meu coração acelerado e um sentimento de raiva me abateu

– Como assim? Estou tentando te beijar... Ele falou como se fosse à coisa mais natural a se fazer.

– Você acha que é tão simples assim as coisas ,Yamcha? Perguntei entre dentes.

–As coisas poderiam ser simples, fácies, mas você Bulma é que está dificultando as coisas... Ela falou resignado.

– Eu estou dificultando as coisas? Não. Eu só quero que você me valorize um pouquinho Yamcha...

– Te valorizar? Você me aparece aqui com o Vegeta a tira colo , fica babado por ele na frete de todo mundo e quer que eu te valorize? Alem do mais como foi mesmo que você convenceu o Vegeta a vir nesse casamento? Ele falou sério.

– Sabe de uma coisa Yamcha... Vá pra puta que te pariu... Levantei-me da cadeira e sai pisando forte.

...

Eu não conseguia entender o misto de sensações que passava na minha cabeça, eu me sentia atraída pelo Vegeta , queria me vingar do Yamcha e quando finalmente acho que consegui, me sinto péssima. Por quê? Ai que droga! Eu preciso falar com alguém! Stefani... Parece que esse casamento não está tão divertido assim.

Não fui para o meu quarto eu estava evitando olhar o Vegeta queria estar um pouco distante dele, e de todos os sentimentos que a presença dele me proporcionava.

Bati na porta do quarto da Stefani, esperando encontrar minhas respostas.

– Oi Bulma Como você está? –Stefane Me recepcionou calorosamente com um abraço.

Fiquei lá abraçada com ela até que senti um pequeno chute no meu abdômen. Sorrimos juntas.

– huum... Tem alguém com ciúmes. Falei enquanto olhava a barriga da Stefane. Ela sorri e enxugou minhas lagrimas.

– Vem conte-me tudo não me esconda nada! Ela falou sorrindo!

Deitamos na cama dela e Ficamos ali, conversando sobre tudo, Ela para ela que queria esquecer tudo não falar sobre nada só queria ouvi-la, então ela me falou sobre a “A maravilha experiência de estar grávida”.

Abaixei minha cabeça e ela colocou minha mão na barriga dela, o ser dentro do seu ventre mexeu.

- Nossa que fantástico. O que você sente quando ela faz isso Stefane?

– Sinto que não estou mais sozinha, sinto que comecei a deixar me legado na terra. – Agora era Stefane que passava a mão sobre o Seu ventre.

– Você não quer ser mãe, Bulma? Ela perguntou meigamente.

– Não sei ainda sou tão jovem... Falei ironicamente.

– Devo lembrar-te que você já passou dos...

– Não precisa me lembrar de minha idade engraçadinha! Falei enquanto me sentava e ficava de frente a ela.

- Talvez depois que eu fiz esta bendita “nave” para o Vegeta eu possa assumir uma produção independente.

- Seria bem a sua cara “assumir uma produção independente”. -Ela falou sorrindo.

– Então Vegeta e Yamcha estão fora de cogitação! Para serem os doadores de esperma? Ela falou fingido surpresa.

Coloquei a mão na nuca massageando-me, eu estava me sentido incomodada, com o rumo da conversa...

– O que aconteceu, Bulma? Ela falou pegando minha mão.

– Ai Stefani, eu não sei a cada minuto eu me sinto mais confusa...

– Em relação a que? Ela perguntou tentando olhar nos meus olhos. Eu desviei o olhar.

–Em relação ao Yamcha... E ao Vegeta... Abaixei minha cabeça.

– Vamos por partes então... Ela falou paciente.

– Ai... Eu... Acho que... O tiro saiu pela culatra, vim aqui com a intenção de me vingar do Yamcha e isso está me fazendo mal! Eu estou péssima! Apesar de o Yamcha ser um canalha, mas ele sempre foi tão meu amigo...

– Você chegou ao ponto em que eu queria chegar! Seu relacionamento com o Yamcha sempre foi focado na amizade! E o com o tempo isso só foi se intensificando... È inevitável que o amor se transforme em amizade depois de certo tempo, entretanto o nível em que chegou o relacionamento de vocês... Vocês esfriaram e nada mais existe além da amizade, só que vocês precisam tomar uma postura! Segui o caminho de vocês, sem desgastar a amizade linda que existe entre os dois...

– Talvez você tenha razão... - Suspirei resignada.

– E quanto ao Vegeta? Ela perguntou.

Eu me joguei na cama e aquele frio na barriga, apareceu.

–Ele é tão grosso, e sexy. Eu tenho que admitir que me sinto muito atraída por ele, mas eu acho que só é atração física...

– Tem certeza? Toda essa sua preocupação com ele, a necessidade de agradá-lo, será que não seria mais do que uma simples atração?- Ela me olhou nos olhos.

– Realmente eu não sei, o Vegeta é muito estranho...

– Huuum... Ele não é uma enorme incógnita, sabia? Basta olhá-lo com calma.

– O que você quer dizer com isso? Intriguei-me

– Você tem algum interesse genuíno em ficar com Vegeta? Seja sincera ela falou apontando o dedo para mim

– Sei lá acho que... Eu não sei! Falei.

–Só me responda se sim ou se não! Ela falou enigmática.

Somente balancei a cabeça positivamente.

– Você precisa conquistar o Vegeta! Superar um probleminha que ele tem! O Vegeta ele tem uma condição psiquiátrica clínica não muito rara! Ela falou em um tom formal.

– Huum então me diga doutora Stefane qual seria o prog-nós-ti-co do Vegeta? Falei em um tom formal, porem eu já estava segurando o riso.

– O di-ag-nós-ti-co do Vegeta é Distimia! Ela falou toda orgulhosa.

– Tá bom Doutor House mas o que diabos é distimia?

– O radical grego dys- do termo significa "defeituoso, anormal ou irregular"; ao passo que o sufixo thymia refere-se ao timo, um órgão linfático que está localizado na porção anterossuperior da cavidade torácica, e que se acreditava estar associada ao controle do humor. Ela falou com cara de professora.

– Ah ta! Legal. (Fiz “legal” com mão para ela) Quando eu consertar seu computar e você me perguntar “Qual era o problema?” vou falar em termos técnicos com você. Eu gargalhei alto.

– Distimia é um “Mau-humor”, erroneamente conhecido como depressão- crônica mais na verdade, essa doença antecede a depressão. O individuo fica super irritado é antissocial, mau-humor constante, temperamento difícil, tem alterações do sono... E o Vegeta se encaixa perfeitamente no quadro. Entende?

– Sim mais o que isso tem haver com conquistar o Vegeta? Perguntei.

– A distimia é mais seria do que você pensa Bulma! Vamos visualizar assim: A distimia não tem este aspecto devastador, ela se apresenta mais como se você levasse uma martelada no dedão do pé, forma-se um calo que vai te incomodando aos poucos vai apertando devagarzinho e você acha que pode se virar sozinho e não busca ajuda, mas quando vai ver o estrago está grande. Assim é a distimia. A pessoa acha que pode aguentar, acha que não precisa tratar e engana a si mesmo, se boicota e vive com um sofrimento muito maior sem a menor necessidade. Isola-se, se fecha no seu mundo e não deixa ninguém entrar, às vezes é preciso um pouco de coragem e invadir seu mundo...

– E daí... Perguntei Não acreditando na possibilidade de cogitar a ideia de ficar com o Vegeta.

– E daí que pra ficar com o Vegeta você precisa vencer isso, estimulando ele a alcançar seus objetivos, motivando, pois eu não sei quais foram os motivos que fizeram do Vegeta um distimico pode ter sido perda de um ente querido, estresse crônico associado à às jornadas de trabalhos intensas. Ela falou com um olhar um pouco triste. Mas antes você precisa se resolver com o Yamcha?

– Eu nunca consegui ter um dialogo com o Vegeta com mais de 5 minutos. Admiti.

– Tudo bem as coisas são com calma, mudando de assunto... Que fantasia você vai usar hoje á noite?

– Aii, merda provavelmente nenhuma... Eu não trouxe nada! Deitei-me na cama.

– Fala sério Bulma só faltam umas 3 horas para a festa e você não tem uma fantasia! Ela cruzou os braços.

– Se levanta mocinha e vamos atrás de alguma coisa!

– Não. Descansa mais um pouco, eu vou sozinha tá? Falei.

– Beleza, mas qualquer coisa me liga. Ela falou enquanto me abraçava.

Despedimo-nos e subir para o meu quarto. Tentando imaginar com que fantasia eu iria.

– Entrei no meu quarto, e vi que Vegeta não estava lá, mesmo me sentindo mal depois de saber que ele é clinicamente instável, acho que é melhor ficar sozinha, liguei para recepção e pedi um bom vinho, fui pra o quarto e visualizei um bilhete, uma rosa vermelha e uma cápsula em cima da minha cama.

Era um bilhete do Yamcha, que pedia que eu usasse a fantasia contida na cápsula. Era minha antiga fantasia de “coelha”.

Eu sorri diante da fantasia, lembrei que apesar de tudo vivi muitos momentos divertidos ao lado do Yamcha e não estava nada saudável nossa relação era melhor terminar com isso o mais rápido, antes que a nossa amizade fosse por ralo abaixo...

Preparei um bom banho regado a vinho tinto e Peguei meu Ipod e fiquei curtindo Minha playlist, bem eclética por sinal, Comecei com algo leve e alegre Joss Stone, Super Duper Love, Nossa que voz é essa?

Perdi as horas com horas bebendo e ouvindo, Joss Stone, Alicia Keys, Paramore e Michael J. Ufa Nossa minha playlist é bem mais eclética do que eu imaginei!

Comecei a me arrumar por volta das 21 horas e preparar meu rosto para minha make up, estava com os cabelos enrolados numa toalha grosso e longo roupão branco – nada de roupão curto para mim !-quando começou a tocar Alicia Keys No one...

“I just want you close
Where you can stay forever…”

Lembrei-me da conversa maluca que tive com Stefane será mesmo que gosto de Vegeta? Será que ele ficando perto de mim ele permaneça para sempre... Lembrei-me do começo da canção, fechei os olhos e mordi o lábio inferior, sempre evito pensar no dia em que entrei no quarto do Vegeta e que me deixei levar pelos seus belos olhos ébanos, mas será que fosse outro homem eu teria o deixado tocar-me da mesma forma? Nossa e o toque dele parecia elétrico, a sensação que me dava era que ele estava com uma necessidade imensa de me ter, de possuir-me, mas eu não me sentia ameaçada, mas envolvida, e eu queria mais, na verdade eu quero mais!

E eu envolvida pelos meus devaneios e levado pelos meus sentimentos, passei minha mão em cima do meu coração, mas havia sensualidade no meu gesto, então me senti observada, virei e adivinhem só que deu as caras, Vegeta...

– Vai ter mais alguma babaquice terráquea hoje? Ele perguntou apontando para mim, eu estava sentada em minha cama enquanto Alicia Keys ainda cantava de fundo... O olhar dele era profundo e me examinou por completo... Ele engolia em seco constantemente.

– Sim. Respondi desviando o olhar, a sensação que eu tinha era que se olhasse em seus olhos, eu estaria dizendo:- Ei eu gosto de você, me beija!

– Que seja! Ele rumou ao banheiro mais eu o interrompi.

– È... Você vai vestindo como? Perguntei insegura...

– Calça e camisa.

– Idiota... Falei baixinho.

– Eu ouvi isso ele falou apontando o dedo para mim.

– Não é uma festa que se vá vestida com roupas terráqueas comuns... Então não sei como você pode ir... - Falei .

–Então eu não preciso ir? - Ele perguntou com um sorriso lindo no rosto.

– É claro que precisa. Só precisa de uma roupa que não pareça “terráquea”. - Eu tentava explicar da forma mais simples que ele ia fantasiado.

– Se eu tivesse meu uniforme eu poderia ir vestido? Ele falou enquanto cruzava os braços e arqueava a sobrancelha direita. Perdi o fôlego.

Mordi O lábio inferior como se instintivamente a dor me fizesse lembrar-se de respirar.

– Oh! Você iria vestido com seu traje de luta? Perguntei.

– Com certeza - Ele falou.

Ai que bom!

– Eu ia te dar isso como agradecimento por ter ficando todos esses dias aqui, além da nave é claro- acrescentei rapidamente- Joguei uma cápsula para ele que pegou no ar.

– O que é isso!

– Seu uniforme, na verdade um protótipo... Falei orgulhosa.

Ele explodiu a cápsula e revelou um uniforme novo.

– Um azul mais claro sem as ombreiras. Acho que está mais clean... Falei toda orgulhosa

– Que seja. Ele respondeu e foi para o banheiro.

– Acho que isso foi um obrigado... Suspirei voltando para minhas maquiagens...

...

– 50 minutos depois eu estava quase pronta, só faltavam os sapatos e pequenos detalhes.

– Que horas nós vamos sair daqui?- Vegeta gritava da antessala.

– Já estou indo, nossa que apressadinho, nem demorei tanto assim... - Resmunguei rodando pro lado e pro outro sem saber exatamente o que eu queria

– Só vou ficar 5 minutos nessa maldita festa ele falou enquanto invadia o quarto.

– O que é isso? Ele perguntou.

Estava de costa e me dei o trabalho de virar para ele estava reforçando o rímel.

– è meu rabinho não está vendo, balancei a bunda no rumo dele. E em menos de 1 segundo ele estava do meu lado.

– Ai que merda porque voc.. – Nossa ficou perfeito o uniforme falei admirando ele.

– Não estavam lá essas coisas... Mais ficou bom depois que eu vestir. Ele falou todo orgulhoso. – Você vai vestida assim mesmo?

–Vou por quê? Ele tentou formular uma frase me olhou de cima baixo deu um sorriso e disse:

– Tanto faz. Ele deu de ombros. Alguém tocou na porta do quarto e eu finalmente larguei de admirá-lo

– Vamos! Ele falou da porta.

– Sim... E ele se retirou de lá me deixando com meus pensamentos, acho que a noite promete...

 


Notas Finais


E ai o que vocês acharam? Com a onda de plágio tomando conta do mundo das fic resolvi fazer uma homenagem as minhas amigas Ficwriter. A partir de agora cada capítulo meu,eu nomearei com o título de minhas fic favoritas... Então próximo capitulo: Eu tenho Sangue Nobre.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...