História Muito Bem Acompanhada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eliane Giardini
Personagens Eliane Giardini
Exibições 84
Palavras 634
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais capítulo...

Capítulo 3 - Em casa.


Fanfic / Fanfiction Muito Bem Acompanhada - Capítulo 3 - Em casa.

-Chegamos em são Paulo, descemos do avião Vitor pegou em minha mão entrelaçando ela
-somos namorados lembra? Então vamos agir como tal, começando agora para a nós portar assim. Ele disse piscando para mim. Sorrimos juntos.
Logo o táxi nos deixou na casa da minha mãe, descemos juntos. Respirei fundo e entrei com Vitor,
minha família estava reunida como sempre, minha maninha seu noivo meu pai e minha mãe e toda minha família que vieram para casamento da minha irmã.  assim como eu vi longe tinha parente de tudo quanto é lugar do Brasil nunca vi tanta gente reunida assim, tinha parente meu que eu não via há séculos entrei com o Vitor estava muito nervosa quando minha mãe me viu com Vitor Abril logo sorriso me abraçou e logo perguntou com a voz maliciosa --quem é minha filha?
olhei para ela e disse um pouco nervosa
-mãe esse é Vitor o meu namorado. todos olharam sorriram alguns espantaram quando me viram com o namorado pois eu passei dois anos sem ninguém e sempre dizia que não me importava com a solidão todos me abraçaram abraçaram Victor foram muito calorosos com a gente, Vitor olhava para mim sorridente pelo que percebi ele estava se sentindo bem isso me deixou Alegre, minha mãe levou a gente para cima mostrando onde iremos ficar pensei comigo ela vai arrumar um quarto separado para Vitor Isso é óbvio, mas não,  haa qui raiva. !  ela disse - vocês dois podem ficar aqui nesse quarto de casal. eu olhei espantada para minha mãe!  -Mãe cadê o quarto do Vitor disse sem graça,
ela me olhou e disse - que isso filha?  não precisa se preocupar, vocês podem domir Juntos sem nenhum receio, falou ela balançando a cabeça como reprovação do que eu havia dito, saiu sorrindo. fechando a porta e deixando eu e Vitor a sós.
- então vamos ter que ficar juntos. Falei muito, muito nervosa de vergonha.
-Eu me assentei na cama enquanto ele tirava suas roupas na minha frente sem nenhum pudor  nem vergonha.
Ficando só de cueca box vermelha, ele fazer isso com muita naturalidade como se fosse normal ficar pelado na frente de uma mulher que ele nem conhece, parece que tava fazendo de propósito!!!  nossa nesse momento sentir meu corpo se arrepiar mordi  meus lábios inferior olhando para ele Indo em direcao ao banheiro chegou na porta do banheiro, ele tirou sua cueca e ficou literalmente nu na minha frente. suspirei,  ele entrou fechou a porta e tomou seu banho.
deitei na cama e fiquei  pensando em tudo o que estava acontecendo naquele momento, Vitor estava ali, eu fazendo aquela farsa  toda fingindo que ele era o meu namorado tudo isso para não dar o braço a torcer que ainda gostava do meu ex.
Ele saiu do banheiro enxugando com a toalha seus cabelos e pelado na minha frente descaradamente pelado.
- Vitor por favor !. Vista -se.
Fechei meus olho com as mão.
Ele apenas sorriu, E colocou uma cueca, enquanto ele vestia uma roupa começou a falar comigo -Olha eu sei que o nosso combinado foi u$ 6000 dólares apenas para mim te acompanhar, sou seu namorado por esse preço mas se você quiser alguma coisa a  mais, falou ele com a voz muito sexy - é r$ 1500 em dólares combinado?
- o que?
Estava abismada com que ele acabou de me falar !
- Fique tranquilo eu não vou querer servicinho Extra. Falei fria e indiferente.
- mas só por curiosidade, você cobra esse valor apenas para transar com uma mulher? Isso é um absurdo Doutor Victor.
Jamais pagaria para um homem me ter, e se acontecesse quem teria que pagar alguém aqui seria você não eu. Falei sedutora e pisquei para ele me levantando e saindo do quarto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...