História Muito Mais Que Amigos - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 7
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Cara eu tava meio morta , mas voltei :3
BOa leitura
Beijin Framboesa '3'

Capítulo 13 - Teorias


Fanfic / Fanfiction Muito Mais Que Amigos - Capítulo 13 - Teorias

Ane ON

Por que vai logo começar a nevar quando a Callynne tá só o pó?

            Camylle:- OOWWNT a neve é linda (:3)

Bom estava começando a fazer frio, melhor fechar tudo

            Eu:- Meninos fechem as janelas e portas, ah e tragam lençóis

            Ryan:- Sim capitã!

Ele saiu junto do Matheus e do Osman aí eu saí do quarto e a Rosana veio falar comigo, ela estava mais vermelha que um tomate maduro e estava suando frio, por que tanto nervosismo?

            Eu:- Fala que foi?

            Rosana:- O Osman

Se ela vier com aquilo de “Ah o Osman é lindo, perfeito, maravilhoso, gostoso, divo, dono da minha alma...” eu lhe meto um tapa bem na fuça para ela deixar de ser trouxa (*a Ane batia mermo e eu também U.U*)

            Eu:- Que tem ele?

Ela me mostrou o braço dela tinha uma mancha roxa terrível.

            Eu:- Meu Deus ele que fez isso?

            Camylle:- Aquele idiota! (Sim o Osman pode ser bonito, mas me irrita U.U)

            Eu:- Tu já sabia?

            Camylle:- Do quê?

Ela pegou a Callynne coberta com a toalha no colo e se levantou, veio até o quarto e colocou a Callynne na cama ela que já estava melhor nos chamou para conversar na sala para a Callynne se vestir em paz e depois ela desceria.

            Ryan ON

Todas as janelas fechadas... Bom vou comer né tô com uma fome infeliz (;-; sempre) Vi as meninas descendo a escada com expressão de bravas deu até medo decidi não perguntar nada não, vai que se enfurecem contra mim, a Rosana e a Camy foram até o Osman a Camy furiosa e a Rosana assustada a Ane veio até mim.

            Eu:- Fala. Por que toda essa fúria

            Ane:- Você não sabe?

            Eu:- Do que eu deveria saber?

Ela me explicou o que houve, mas acredito que tenha sido ilusão da Rosana, aquele Justin “Biba” não conseguiria fazer isso com uma menina, depois tudo se resolve e aí saberemos se foi isso mesmo

 

            *Mais outro segredo MUAHAHAHAHAHAHAHHA :3*

 

Terminei meu brigadeiro, e fui comer até que rendeu muito acho que dá para mais três pessoas

            Camylle:- Eu quero!

Já sabia que ela iria me pedir é muito mais que óbvio.

            Ane:- Passa dois a Call também quer

Pronto já deu o resto é meu.

            Camylle:- Lordose preciso falar com você!

Aquele momento que seu kokoro se apavora, me aproximei escondendo meu brigadeiro e fui falar com ela, parecia algo ruim. Nos sentamos na varanda (Melhor lugar para conversas)      

            Camylle:- Não faz sentido...

            Eu:- O que?

            Camylle:- Esses acontecimentos não fazem sentido...

            Eu:- O que você descobriu?

            Camylle:- Eu e a Ane estávamos conversando e ela do nada olha para fora e aponta para neve, não deveria estar nevando é verão, e nem deveria ter chuva ácida como naquele dia a região que moramos é florestal e fica longe de indústrias não faz sentido, isso está mais para algo sei lá paranormal

Ela realmente precisa pensar um pouco menos, se não ao tardar da vida ela ficará maluca, mas se pensar bem ela tem razão não faz sentido.

            Eu:- Você não acha que ser algo paranormal não faz sentido?

            Camylle:- Não houveram resíduos depois da chuva ácida, o cheiro era como se fosse chuva normal, só houve uma desgraça que arrancou um pedaço de mim, eu, isso, aahh, vou ficar maluca

Se é que já não está...

Eu:- Por que está me contando isso?

            Camylle:- Não sei, é pensando bem, melhor falar com o Matheus

            Eu:- Não! Já começou a falar comigo termina agora

Ela só se sentou e ficou parada, provavelmente pensando.

            Camylle:- é isso!

            Eu:- O que o que foi?

            Camylle:- Aquilo não era chuva, assim como a Ane achava que uma tal Dominique existia! Não era chuva

            Eu:- E o que era?

A Ane chegou no mesmo momento

            As duas:- É poeira tóxica!

Mas como seria poeira, o que explicaria a chuva ácida?

            Camylle:- Então aquilo não era chuva como estamos no verão resíduos de neve se acumularam enormemente nas folhas das árvores, formando um gigantesco orvalho pela casa, o barulho na madeira

            Ane:- Por isso pensamos que era chuva, e algumas pessoas que considero ignorantes queimam lixo tóxico perto daqui não sentimos o cheiro por causa da limpeza e da calmaria do local, tudo que vem até aqui é poeira.

            Camylle:- Por isso que na chuva ácida não houve grande destruição, não era ácida era tóxica, então a pessoa que morreu não era a Milene...

            Ane:- Era a Joyce! A Milene nem sequer veio conosco ao Japão a Mirla não quis, isso explicaria muita coisa.

            Camylle:- Espera se aquilo não era chuva foi tudo nossa impressão logo Kira! Não era Kira talvez nem fossem humanas por que não houveram gritos e nem sangue nas flechadas! Eram androides

            Ane:- Nem vimos os rostos delas e calculando a direção em que foram antes do ataque não estariam em Kyoto menos ainda no Japão, e sim na Coreia do Sul, mas por que iriam para lá?

            Camylle:- Porque haviam nascido lá!

Fiquei meio no vácuo...

            Eu:- Como vocês sabem de tudo isso?

            Ane:- Pensar durante o tédio

            Camylle:- Eu sei que nasceram na Coréia do Sul porque estavam falando e tudo que pude ouvir foi “Ulineun geu babo babo gwanli”

            Ane:- Que seria...

            Ryan:- Seria “Conseguimos enganar aquelas idiotas”

Há achavam que eu não sabia, sou muito útil rapaz

            Camylle:- Armamentos, Já sei nós vamos usar o nosso dinheiro que seria para estudos que no caso já não precisamos mais porque sim, e então iremos para a Coréia do Sul

Sei que ela tem outros planos para a Coréia...

            Ane:- Vamos falar para o pessoal, melhor que façam logo as malas e então iremos o mais rápido possível!

            Camylle:- Precisamos matar Kira se não nunca teremos paz...

Foram se arrumaram falaram a todos, e o Matheus comprou as passagens, mas ele e a Callynne não vão enquanto ela não melhora ele fica para cuidar dela. Anoiteceu e de manhã nós fomos até o aeroporto

            Ane:- Nossos problemas se resolverão

            Camylle:- Nós vamos ficar na casa de um amigo meu que por acaso é só um pouco rico...

Depois de tudo subimos no avião e decolamos não foi uma viagem longa...


Notas Finais


HEEEEEEEEEY Bugaram eu bugay :3 Adiós
Nem tô estudando pra prova '-,-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...