História MULHERES VINGATIVAS - Livro 2 : Perigosa Aliança - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 14
Palavras 1.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Armadilha


Kevin companhou Atena muito contrariado. Ele odiava o olhar superior da menina, e o jeito que ela tinha Victor nas mãos... Era poder demais nas mãos de uma mulherzinha mimada.

_Estou tão irritada quanto você. - ela comentou no caminho para o bar - Mas sabe como é, ordens são ordens.

Kevin revirou os olhos, fazendo Atena rir debochada.

Ela adorava provocá-lo, irritá-lo o máximo possível, ele era sua distração nas horas vagas.

Kevin até que seria um cara legal, se não fosse sua lealdade extrema à irmandade.

Ele era loiro, tinha os olhos castanhos claros e um belo sorriso, coisa que raramente exibia.

Quando ela chegou a irmandade, ele já estava lá e era o braço direito de John, o antigo líder. Ele tinha se interessado por ela, óbvio que o sentimento era recíproco, mas a obsessão de Victor entrou no caminho e se tornou um problema. Quando Victor matou John so para poder ficar com Atena, Kevin ficou furioso e se tornou frio com a garota, mas continuou leal ao líder, de uma maneira que deixava Atena irritada.

Ela estacionou em frente ao bar em que o policial deveria estar, abaixou a manga da jaqueta, arrumou os cabelos e desceu.

Nos primeiros dias como uma das Sete, Atena se sentiu insegura, não achava certo matar... Por mais que eles merecessem.

A gangue dos Sete era uma antiga irmandade, havia começado nós fundos de uma faculdade quando os alunos cansados da violência e da falta de segurança, decidiram se reunir e fazer justiça com as próprias mãos. Com o passar dos anos, a irmandade ficou mas as ideologias mudaram... Eles cansaram de lutar contra o crime em si, e foram pra origem dele... Polícias corruptos. Todos os membros já havia sofrido algum tipo de violência partida de um policial. Victor apanhou até não aguentar mais por tentar proteger um menino negro que apanhava de dois policiais. Kevin foi incrimina-lo e preso, porque se recusou a tirar a roupa enquanto eles lhe pregavam uma peça... Mag foi abusada por três "homens da lei" ...

Atena viu os pais sendo assassinados em sua frente, ela era a prova de que esses homens eram cruéis e sem coração, ela odiava qualquer tipo de policial.

A primeira vez que tirou uma vida foi com dezessete anos, ela ainda lembrava de alguns detalhes. O cretino não sentiu medo ou implorou pela vida, ao contrário, disse que quando se soltasse comeria ela e depois jogaria seu corpo para os cães. Aquilo lhe deu asco e ela puxou o gatilho, não só uma, mas sete vezes. A princípio ficou chocada, mas assim que passou o trauma, ela se sentiu aliviada, livre e poderosa... Foi uma sensação indescritível e ela não quis mais parar. Foi acumulando, um atrás do outro, e quando completou dezoito, já tinha mais de trinta na conta.

Tinha vezes que ela acordava e se perguntava se fazia a coisa certa, se era justo tirar vidas por vingança... Era só lembrar do pai gritando sua inocência e implorando pela mulher e pela filha... Ela não tinha o direito de tirar vidas, mas eles também não tinham.

Atena parou em frente às portas de vidro do bar, dando uma conferida no visual.

Sedução era sua principal arma, nenhum homem resistia à um belo par de seios e um sorriso encantador. Ela era bela e sabia bem disso, usava isso ao seu favor, já que ninguém poderia dizer que ela era uma assassina.

Ela vestia um vestido preto e a jaqueta de couro por cima, os cabelos estavam soltos nas costas e a maquiagem lhe marcou os olhos, sua melhor arma. Ela tinha um rosto quase angelical, uma aparência de menina, um sorriso inocente... Esse era o pior dos tipos.

_Juan Cardoso é o nome dele - Kevin disse, entrando junto com ela no bar.

_Qual o crime? - perguntou.

Mesmo sabendo que não adiantaria muito pra limpar sua ficha ou garantir seu lugar no céu, Atena se recusava a matar policiais inocentes, não importava o quão petulantes fossem, ela só derramava sangue corruptos, de homens que andavam do poder que tinham. Era algo dela, um jeito que encontrou de se sentir menos culpada.

_Venda de armas do batalhão, recebe propina de traficantes e já foi acusado de estupro... Está bom ou quer mais?

Estupradores... O pior dos monstros, os seres mais desprezíveis que habitavam a terra... Os favoritos de Atena. Ela adorava pegar um tipo desses, era libertador poder tortura-los e não sentir culpa alguma com isso.

_Já vi que a noite promete. - ela sorriu, caminhando na direção do homem.

Antes que ela pudesse dar mais de três passos, Kevin segurou o braço dela a impedindo de continuar.

_Esse cara é perigoso. - alertou - Você é esperta? Ele é três vezes mais...

_Está duvidando da minha capacidade? - ela jogou a cabeça para o lado, exibindo um biquinho lindo.

_Só estou alertando...

_Relaxa baby, ele é ruim só que eu sou pior.

Kevin aproximou seus corpos, descendo as mãos pela cintura dela, sentindo suas curvas generosas. Uma mão subiu pelo pescoço, puxando de leve os cabelos de sua nuca, ele lhe deu um beijo no pescoço e foi se aproximando da boca... Atena piscou duas vezes e se afastou.

_Victor te mata se imaginar algo assim.

_Esqueci que não posso brincar com o brinquedo do chefe - falou, colocando as mãos nos bolsos da calça.

Atena ergueu a sobrancelha sorrindo, escolheu não se ofender com o comentário, não o culpava por ser tão rancoroso. Ela deixou um selinho nos lábios dele e se afastou com um sorriso sapeca nos lábios.

Juan era um homem de meia idade, corpulento, ele já apresentava alguns fios brancos em seu cabelo ralo e em sua barba por fazer. Os olhos castanhos eram frios, quase sem vida.

Ele vestia calça e blusa social, nada muito elaborado ou que desse pista de quem era... Estava bem discreto, e mesmo de longe, Atena pôde ver a arma escondida por debaixo da blusa.

Ele estava sentado em uma mesa perto do balcão, sozinho e com um copo de whisky nas mãos.

Atena foi até o banco mais próximo e se sentou, fazendo questão de deixar as pernas à mostra. Logo o barman, um moreno alto, se aproximou e sorriu de maneira sedutora... Seria uma boa se ela não estivesse no meio de um trabalho.

_O que a senhorita vai querer? - ele tinha uma voz rouca e baixa, que fez Atena se arrepiar.

_Queria poder dizer você, mas estou um tanto ocupada agora - deu de ombros de maneira casual - Uma dose de tequila e o seu telefone pra mais tarde.

O moreno sorriu atrevido, voltando segundos depois com a tequila e um guardanapo com o número e o telefone do barman, Bruno.

Ela engoliu a bebida em um gole só, pedindo outra em seguida. Kevin observava de longe, a mão estava na arma, pronto para interferir assim que ela desse o sinal.

Juan a encarava, sem nem disfarçar o desejo. Ele alterava o olhar entre os seios e as pernas dela, as vezes desviava para os olhos. Ela sorria atrevida, dando condições, mas ele não saia do lugar, só olhava de longe.

Ela olhou para o relógio e revirou os olhos, detestava homens sem atitude. Se levantou, arrumando o cabelo em volta do rosto, e foi rebolando até a mesa dele que a devorava com os olhos, enquanto se aproximava.

_Posso me sentar? - ela forçou uma timidez inexistente na voz.

Ele respondeu com um aceno de cabeça, tomando mais um gole de sua bebida. Atena se debruçou sutilmente sobre a mesa, se inclinado na direção do homem e deixando seu decote a mostra.

_Percebi que me olhava - ela sorriu de lado - Posso saber o que espera pra me convidar para um outro lugar?

O homem gargalhou, deixando ela confusa, mas ela não demostrou a insegurança e sorriu também.

_É direta. - falou - Gosto assim... Mas vi que chegou acompanhada - ele apontou para Kevin, que não tirava os olhos dela - Não quero confusão.

Ela olhou para Kevin, que mesmo de longe, percebeu a ordem que ela lhe deu e caminhou em direção ao bar. Ele era tão certinho em suas missões, que as vezes fazia tudo errado.

_É meu irmão - comentou voltando a atenção para ele - Meus pais não me deixam sair sem ele.

Juan a encarou, Analizando com cuidado... Ela era muito bonita pra estar sozinha, ainda mais dando em cima dele...

_Homens mais velhos me encantam. - disse, respondendo a pergunta silenciosa dele.

Sem dizer mais nada, Atena se levantou devagar, ciente dosnolhar faminto dele em seu corpo e caminhou até a porta.

Juan olhou em volta, seu olhar cruzou o de Kevin que deu de ombros, deixando o caminho livre... Ele acenou antes de sair, seguindo Atena direto para a armadilha. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...