História Multiversal - Planeta Solabun - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 1.161
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Diário Rebelde - capítulo 3:
" Aqui é Joshua escrevendo. Casado com Ellenoire, sangue tipo B +, com 158 anos. A recruta Luna está se saindo muito bem! Ela gosta de observar as estrelas as vezes, e ela ganhou companhia. Dois jovens chamados Alexander e Lola, mais ou menos da idade dela, resolveram treinar para pilotagem também. É uma bagunça na pista de treinamento, mas eles chegam lá. Não sei porquê, mas ela parece estar me esquecendo. Será que eu fiz algo de errado? Ops, hora do almoço, hoje é Dia dos Milagrosos cozinharem. Até mais! "

Capítulo 4 - Adeus ao orfanato!



Orfanato das Irmãs Kelpin, Cidade de Fifty, Bakuni X. 15 horas da tarde de 58 anos atrás.


- Sim, ela é uma Claire. O homem segura com firmeza o braço de Selene, e ela de repente não se mexe mais, como se seu braço tivesse congelado.
- ... eu nem sei o que dizer. Deixe ela conosco que eu vejo o que faço, senhor. Obrigado por dar lar a uma criança. Ardelis pega a garota e nota que seu braço está cheio de água fria.
Ela, Kuasimodo, Selene e o homem entram na residência, e várias crianças olham atrás deles para ver a altura do homem. Ele usava uma capa com um símbolo estranho: uma cabeça roxa com chifres dentro de um círculo de mesma cor. Por algum motivo, Selene se sentia bem mais calma ao lado de Ardelis.
- Qual o seu nome, senhora?
- Ardelis. Ardelis Phyrus. Um dia antes, ela tinha ido ao cartório para mudar seu nome, já que o sobrenome Bloom é uma desgraça na cidade.
- Prazer...
- Você vai se dar muito bem aqui. Temos várias crianças, sabe...
- Eu não costumo ter amigos. E eu não quero ter nenhum.
- ? Bem.... você quer ser minha amiga?
- Sim.
- E do Kuasimodo?
- ... não sei. 
Grande tempo passou a partir dali, até que dois meses chegaram. Selene e Kuasimodo conversavam na frente do orfanato enquanto Ardelis limpava a janela com Jannet, que voltou para cuidar das crianças após uma ter se atirado da janela sem Ardelis perceber. Eles escutam um barulho na grade, e eis que surge um homem enorme, forte e com uma capa escura. Todos ali sabiam quem era o homem, principalmente Selene.
- Kaiser???
- Oi... Selene diz bem desanimada. Era por causa de seu pai que ela tinha fugido de Bakuni X.
- Selene... como você cresceu. Bom dia, senhoras. Vocês comandam este orfanato? Ele revela seu rosto sério, rígido e barbudo, elegantemente arrumado.
- Sim, kaiser, senhor... Ardelis tremula a voz ao falar com ele. Por algum motivo, sua presença era aterradora. Kuasimodo, porém, parece não ter se assustado.
- Já devem saber que esta menina é minha filha. Vim pegar de volta. Ele segura ela pelo braço:
- Me solta...
- Selene, você finalmente voltou para casa. Não está feliz?
- Não, pai! Eu nunca fui feliz aqui! Só eles me deixam felizes! Eu não vou com o senhor! Ela lança seu olhar enfurecido, com um brilho roxo nos olhos, e Cadmeu a solta.
- Hm... isso é mesmo um problema. 
- Além disso, kaiser senhor, o senhor teria que preencher alguns documentos... é a lei.
Ele pega um charuto e acende:
- Hm. Pepit, anote isto.
Uma vozinha esganiçada vem do carro de onde ele saiu:
- Sim, senhor? Pepit pega uma caneta e um bloco de notas.
- Decidi uma nova lei: pais  que quiserem recuperar seus filhos biológicos precisam apenas mostrar sua identidade.
- Anotado. Devo mostrar ao kaiser Alubis e ao kaiser Brulen?
- Sim.
Ele olha para a jovem Ardelis, com um avental muito sujo, um Kuasimodo de 65 anos e Selene, com 61. Jannet parece muito perplexa para tentar falar qualquer coisa.
-  Vocês dois. Por favor, acompanhem Selene e venham morar conosco no Palácio.
- O quê?! Kuasimodo e Ardelis exclamam.
- NOSSA! Várias crianças que estavam espichando gritam.
- Como é que é? Jannet se manifesta.
- Sério, papai? Selene parece ter duvidado do pai, conhecendo ele bem.
- Selene... ele se ajoelha para poder falar com ela. Eu sei que eu fui muito ruim para você, e eu sei que era de propósito. Mas 20 anos se passaram... ser um kaiser agora me fez enxergar bastante coisa, e ter mais liberdade. Tudo o que eu peço é que você me perdoe, e que venha morar comigo. Eu não quero mais ser assim. Ok?
Selene suspira. Embora fosse fria e indiferente, ela não podia negar que já amou o pai. E o Imperador era bem injusto, então ele era bem mais submisso. Ela olha para ele:
- Tudo bem. Eu confio em você. Ardelis e Kuasi podem vir, certo?
- É claro! Ele a abraça, e ela abraça de volta com um olhar vago nos olhos. Os outros três assistem calados, até que:
- Arrumem suas coisas. Vocês irão comigo.
- AEEEEEEEEE!!!! O trio de amigos vibra, bastante animado, e corre para dentro do orfanato para comemorar com as crianças. Jannet lembra de 20 anos atrás, quando Ardelis ainda era uma criança, e começa a lacrimejar, embora estivesse feliz.
 A despedida foi bem emocionante, mas breve. Os três entraram no carro de Cadmeu e seguiram pelas ruas até o aeroporto de Fifty.
- Que emocionante, não é, gente? Eu sempre quis ser uma Oficial! Ardelis se empolga.
- Se quiser tentar, pode ir, mas somos linha dura com todos. 
- Eu aguento!
Selene vira para Kuasimodo, que olha a paisagem da janela, e lembra de algo:
- Kuasimodo... eu tenho que te contar uma coisa.
- O que é?
- Eu acho... eu acho que conheci seu irmão gêmeo.
Os dois no banco de trás olham para ela, interessados.
- O quê? Meu... irmão? 
- Sim. E seu pai também. O nome dele é Billius, não é?
- Eu... não sei. Por favor, me conta isso quando chegarmos lá.
- Ok.
Palácio dos Três Grandes, sala dos tronos no topo do palácio. Cidade de Manmoriu.
- Damon? O que faz aqui? O kaiser Alubis se levanta, descrente nos seus olhos. 
- Retornei da minha busca, ora. O que acham? Estou exausto, vão preparar uma cama bem macia para mim, vamos! Rylliak Damon bate palmas para os dois, que se olham:
- Não seguimos mais suas ordens. Brulen retruca, continuando sentado.
- Que história é essa, Brulen? Quer morrer?!
Antes mesmo do tiro de gelo de Damon chegar no trono, Brulen já aparece atrás dele e o imobiliza.
- Você não comanda mais este planeta, Rylliak. Seu governo inútil acabou, e nós assumimos e formamos uma ditadura.
- O quê?!
- Você não tem mais poder. Ele levanta o dedo, que vira uma lâmina.
- O QUE VOCÊ VAI...!
- Swip.
O dedo - faca de Brulen atravessa Damon na barriga, e ele cai desmaiado.
- Bem pensado. Guardas, levem este lixo daqui. Ele não tem mais poder nenhum. NOVA LEI: não deixem nenhum membro da família Damon entrar no palácio ou no planeta.
Vários conselheiros e secretários anotam a lei:
- Sim, kaiser. Todos dizem em seguida.
A partir dali, a vida de todos mudaria drasticamente. Damon iria fugir de uma multidão furiosa e partir para sempre na sua nave. Ardelis chegou ao posto de espiã tenente e resolveu contatar seu pai. Hysterium, morando no asteroide 115 agora, disse para sua filha que ela deveria ficar disfarçada entre os próprios inimigos, pois esse é o jeito mais seguro de se esconder. E assim ficou por 58 anos...


Notas Finais


Kaiser é líder em alemão. Eu preferi colocar assim porque chamar de " líder " parece muito primitivo, e Kaiser é uma palavra que definia Adolf Hitler, um grande ditador, que é o que esses caras são, porém mais justos. Eu só escolhi isso para parecerem mais impotentes, sabem? Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...