História Mundial's School - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Tags Ciriquina, Daléria, Jorgerida, Marilina, Paulicia
Exibições 91
Palavras 1.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Obrigada pelos comentários e favoritos!
Boa leitura! Nos vemos nas notas finais.

Capítulo 2 - E agora?


Mário on

Estava na quadra com o Paulo quando a Marce e a Ally chegaram. 

- Senta aqui. - Eu pedi e ela sentou do meu lado. 

- Marrentinha, você pode sentar do meu lado. Eu não mordo, a não ser que você peça. - Paulo falou com deboche. 

- Larga de ser tarado. - Marce chamou a atenção do irmão. 

- Tudo bem, eu não ligo para o que esse imbecil do Guerra diz. - Ally falou irritada. 

- Então. . . Quinta é o seu aniversário né Marce? - Eu perguntei mudando de assunto. 

- É sim. - Ela afirmou. - Sábado terá uma festinha lá em casa pra comemorar. 

- "Festinha? " Pelo que eu vi dos preparativos o papai vai precisar trabalhar mais uns quarenta anos pra pagar esse aniversário. - Paulo falou e nós rimos. 

Marce e Ally se olharam e depois a Ally pediu pro Paulo ir com ela até  a sala. 

- Nem quis sentar do meu lado e agora já quer que eu te acompanhe até a sala? - Paulo perguntou desconfiado. 

- Porra Guerra, vem logo! - Ela pediu puxando ele da arquibancada onde estamos sentados. 

Depois que eles saíram a Marce virou pra mim e falou:

- Mário, eu queria te pedir uma coisa. 

O que será? 

Daniel on

- Senta aqui, Dan. - Carmem falou simpática. 

- Veio estudar o que? - Jaime me perguntou. 

- Vim revisar as aulas de hoje. - Respondi. 

- Quando eu crescer quero ser igual a você, cara! - Ele disse e Carmem e eu rimos. 

- Bom, eu aceito, Jaime. - Carmem falou olhando para o Jaime. 

Aceita o que? 

- Valeu, linda! - Jaime se levantou e deu um beijo na bochecha dela que corou. 

Será que ela gosta dele? 

Maria Joaquina on

- Fala! - Eu pedi, ou melhor, ordenei que a coisinha falasse. 

- Nossa mas você não dá uma brecha, só quero ser sua amiga! - Ela se explicou. 

- Por qual motivo você quer tanto ser minha amiga? - Questionei. 

- Porque você é legal, divertida, estilosa, popular. Quero ser amiga da turma toda! - Luiza fez uma breve pausa e depois prosseguiu. - Eu sei que você também gosta do Cirilo e. . . - Eu a interrompi. 

- Eu NÃO gosto do Cirilo. - Afirmei dando ênfase. 

- Enfim. . . trégua? - Luiza pediu estendendo a mão. 

-Trégua. 

Apertamos as mãos e ela saiu do quarto. 

Paulo on

A louca da Alicia me fez ir até a sala com ela. 

- Cadê o seu fiel escudeiro Kokimoto? - Ela perguntou enquanto recitava sua mochila. 

- Aquele sashimi de abóbora me abandonou depois que começou a namorar com a ruiva. - Eu respondi. 

O que tanto essa garota procurava na mochila? 

Alicia on

Não tinha nada pra procurar na minha bolsa mas como a Marcelina me pediu um favor eu tive que despistar o Paulo. 

- Ah, ele e a Bibi formam um casal bonito. - Falei enquanto continuava a revirar minha bolsa. 

O Paulo não falou mais nada, quando deu por mim ele já estava colado comigo. 

-O que você tanto procura?  Quer que eu te ajude? - Ele perguntou com uma voz sedutora que só Paulo Guerra sabe fazer. 

Marcelina on

Coragem Marcelina, coragem. 

- Pode falar, Marce!  

- Você sabe que é meu aniversário de quinze anos né? - Ele assentiu. - Então, eu quero as coisas bem tradicionais e isso significa que eu vou dançar valsa com um Príncipe. - Ele apenas concordava. - QuersermeuprincipeMario? - Perguntei. 

- Desculpa, não entendi Marce! - Ele falou e deu um sorrisinho. 

- Quer ser meu Príncipe? Olha se não quiser aceitar tudo bem, nem sei porque eu pedi isso. Esquece!  - Eu falei nervosa e ele riu. 

- Calma, linda! - ELE ME CHAMOU DE L-I-N-D-A. - É claro que eu aceito, Marce. Obrigado por me escolher. 

Ai ele é tão fofo. 

- Que bom, eu que agradeço por você ter aceitado. - Falei e dei um beijinho na bochecha dele. 

Depois disso ficamos conversando. 

Paulo on

Lá da sala a única menina com quem eu havia ficado foi com a Margarida mas isso já faz uns dois anos e também já  tive que dar um selinho na Maria Chatonilda por causa de um desafio em um jogo. Agora do Colégio em geral perdi as contas de quantas garotas beijei. 

Como eu gosto do que é difícil tô louco pra ficar com a Alicia mas ela nem deixa eu chegar perto! Se eu beijo ela acaba a marra em dois segundos. 

- Entende que eu não sou essas piriguetes que você se esfrega e depois descarta, Guerra! Sai! - Ela falou me empurrando. 

- Sorte sua que eu sou paciente. - Disse rindo. 

- Idiota, o que eu tava procurando não tá aqui. Vamos! - Ela saiu me arrastando pra fora da sala.

- Tá com medo de ficar sozinha comigo, Ally? - Eu disse segurando na sua cintura e depois escorregando a mão até a sua bunda. 

- Merda! - Ela exclamou dando um tapa na minha mão. - Esse fogo é de família? Se a Marcelina for foguenta desse jeito imagina o que ela e o Mário não vão fazer. . . 

QUE? 

- Minha irmãzinha é uma santa e outra coisa porque ela e o Mário? - Perguntei desconfiado. 

- Por nada, anda! - Ela voltou a me puxar.

Essa garota é completamente maluca. 

Valéria on

Por volta das cinco da tarde eu e as meninas estávamos no quarto da Maria, Ally e Marce fazendo o que a gente mais gosta: Fofocando. 

A Marce falou que o Mário aceitou ser seu Príncipe, MaJo deu uma trégua pra Luiza, Laura contou que marcou um encontro com o Adriano esse final de semana. . . Quando nos demos conta estava na hora do jantar. 

Jorge on

O meu relógio importado marcava 23:50 como não estava conseguindo dormir sai do quarto e fui até a sala assistir um filme. 

Tava passando um filme de suspense qualquer e  eu comecei a assistir pra ver se o sono chegava. Uns vinte minutos depois a Margarida apareceu na sala. 

- Sem sono? - Perguntei. 

- Sim, achei que se assistisse um pouco de televisão o sono chegava e parece que você teve a mesma ideia. - Ela falou e sentou-se ao meu lado. 

Semanas atrás eu tinha quase me declarado para a Margarida, tivemos uma conversa mas não chegamos a um pedido de namoro oficial. 

- Que filme é esse? - Ela perguntou. 

- Pra falar a verdade nem sei. . . Quando liguei já tinha começado. - Respondi.

Ficamos alguns minutos em silêncio. 

- Esse filme é chato. - Ela reclamou. 

Eu ri. 

- Verdade, deveríamos fazer algo mais legal enquanto o sono não chega. -Insinuei. 

- Tipo?  -Marg perguntou. 

- Tipo isso. - Respondi e logo em seguida a beijei. 

O beijo começou calmo mas quando nós demos conta eu já tinha deitado ela no sofá. 

Ouvimos um barulho que nos fez parar o beijo. 

- Quem é que está na sala uma hora dessas? - Droga, era a voz da Suzana. Além de professora ela é inspetora! 

Eu e a Marg nos olhamos assustados. E agora? 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Ih, Jorgerida estão encrencados!
A festa da Marce vai ser movimentada, já adianto! Hahah
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...