História Mundo Em Branco - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari
Tags Amor, Colégio, Hinata, Naruto, Romance, Sakura, Sasuhina, Sasuke, Vida Diária
Visualizações 90
Palavras 2.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Josei, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas lindas do meu kokoro ❤
Como vão vcs? Eu espero que bem pq hj eu vim postar mais um capítulo delicinha pra vocês!! TutsTutsTuts🎉🎊👏👏
Eu espero realmente que gostem desse capítulo e espero vcs no próximo!

Capítulo 6 - Tudo por um pão!


Sasuke on

Os dois ficaram se olhando com olhares mortais. De um lado um garoto de dezessete anos, 1,75cm de altura, pesando aproximadamente sessenta e dois quilos, Naruto Uzumaki! Do outro, temos uma garotinha minúscula com cerca de 1,57cm de altura, com aproximadamente trinta quilos de tão magra, Fulana de Tal! Quem será que vai ganhar essa? O que antes era um campo de guerra, agora mais parecia um ringue mesmo. Todas as pessoas que estavam em volta fizeram um grande círculo deixando somente Naruto, a garota que eu não lembro o nome e, por azar meu (como se minha vida não estivesse cheio dele) eu.

Naruto sorriu de forma gentil, mas na verdade ele estava pensando o seguinte: “Solta o meu pão, sua ordinária!”. Bem, a garota estava visivelmente irritada, já que vez ou outra ela franzia a cenho ou, enchia as bochechas de ar. Sem dizer que ela estava ficando rosa. Tipo, toda rosa. Mas nenhum dos dois iriam desistir do tão querido pão de yakisoba.

- Eh... Olha, garotinha... Se você soltar o pão, eu te dou outro de outro sabor... É só... – deu uma puxada no pacotinho, mas isso não a fez soltar. – Me dá o pão!

Eu pude ver a mandíbula dá garota se apertar. Já em Naruto eu vi uma veia saltar dá testa. E depois de alguns segundos se encarando, os dois começaram a puxar o pão, de um lado para o outro.

- Você tem um monte aí! Me dá esse! – a garota falou entre dentes. Naruto mais uma vez puxou o pão para si. A garota puxou novamente em , fazendo assim um vai e vem com o pobre pão. Eu estava ali parado olhando para os dois idiotas puxando a droga do pão. Mas então, algo aconteceu. Algo que faria esse jogo mudar. Eles puxaram tanto o pão, que ele caiu na mão de quem? Exatamente! Esse que vos conclama. Nossa eu preciso parar de falar de mim mesmo assim... Na vossa graça, Sasuke Uchiha! Tá, agora parei.

O pão voou por uma altura quase impensável, girando e girando e caiu exatamente na minha mão. Todos pararam e me olharam, até mesmo as tias dá cantina. Eu estava com o ouro. Olhei para o pão. O molho dele parecia brilhar mais que o comum, mesmo estando todo amassado por causa da briga. Logo em seguida olhei para os dois que antes brigavam por causa deste mísero pãozinho. Os olhos de Naruto brilhavam para mim. A garota não parecia muito feliz com isso.

- Sasuke! Que bom que foi você quem pegou. – ele olhou para garota com cara de deboche. A menina só desviou o olhar dele e cruzou os braços. – Agora me dá o pão. – ele me pediu sorrindo.

Agora pensem comigo. Eu não comi nada de manhã, esqueci o almoço em casa, to morrendo de fome e a única coisa que tenho pra comer são dois pães doces. E eu odeio doces. E de repente um belo pão de yakisoba cai diretamente na minha mão. Então olhei de novo para o pão e depois para Naruto. Até a garota estava me olhando esperando por algo.

- Sasuke... O pão... – olhei em volta. Deveria devolver a Naruto? E deixar aquela bela moça do lado sem pão? Ou deveria simplesmente...

- Naruto... – disse com a voz baixa e olhando fixamente para o chão. Não observava nada em específico, só não queria levantar a cabeça agora. – Foi mal, mas... – levantei a cabeça vagarosamente e enfim tive coragem de encara-lo. Com olhos firmes e completamente decidido do que faria. – EU ODEIO PÃO DOCE! – dei dois passos para trás, dei as costas para os dois ali atrás e sai correndo como se minha vida dependesse disso. Bem, talvez dependa.

Passei voando por todas as pessoas que estavam nos cercando e corri como um trem pelos corredores do colégio. Óbvio que Naruto correu atrás de mim. Ele gritava “SASUKE SEU BASTARDO! ME DEVOLVE O PÃO!” e a garota, bem ela só corria mesmo. E eu? Não conseguia parar de sorrir. Por algum motivo eu estava me divertindo muito correndo dos dois.

Corri até a escada e, quando cheguei em frente aos degraus, patinando, dei um pulo que saltava por todos os degraus até o segundo lance de escadas. Todos que subiam ou desciam se assustaram. Uns se afastaram, outros até caíram, outros nem precisaram de mover. Mal havia encostado os pés no chão e já fazia a curva para pular mais um lance de escadas, para aí, chegar no corredor do andar de baixo, que por sinal, era o corredor da minha sala. Pulei e enquanto estava ali, no meio do ar, sentia meu peito queimar, como se o ar que estivesse puxando para os pulmões não fosse suficiente. E era impossível não rir. Meus olhos até lacrimejavam. Pisei no chão e dei uma parada. Olhei para a escada e, como se fosse um daqueles filmes de terror em que o assassino te acha de qualquer jeito, Naruto veio. Só vi a cabeleira loira passando num pulo também, seguido por mais uma cabeleira castanha que provavelmente era da menina de antes. Não pensei duas vezes, sai correndo num impulso.

Nesse momento, até a inspetora de corredores já estava atrás de mim, o que me fazia ter a certeza que, se eu parasse, estava completamente ferrado. Por isso iria continuar correndo feito doido. Mas não fui muito mais longe que isso não. Eu nem percebi quando ela se apareceu na minha frente. Bem, eu até vi a bengala batendo no chão, mas nem passou pela minha cabeça que em pouco tempo poderia estar na frente da minha sala, muito menos que Hinata sairia assim do nada. Ou que essa bendita bengala fosse mesmo dela. Poderia ser de outra pessoa não é mesmo. Isso não importa. O que importa é que, a pobre Hinata atravessou minha linha de frente e, infelizmente, não consegui parar. Resultado: bati de frente com Hinata levando, tanto eu quanto ela a um encontro amigável com o chão. Até tentei segurar ela, mas não deu certo, só deixou a situação pior.

- Aí... – ela exclamou. Quando olhei para ver o estrago vi toda a situação constrangedora em que tinha me metido. Naruto já havia me alcançado junto com a garota e a inspetora. Olhei para Hinata que não parecia estar muito bem. Ela estava visivelmente sentindo alguma dor, sem dizer que estava irritada. E por alguns segundos podia sentir seu peito bater e suas veias saltarem de tanta raiva. Ela estava até mais quente. Mas também, quem não estaria putasso tento outra pessoa jogada em cima de você? Eu estaria. – Escuta aqui pessoa...- não deixei ela terminar, sabia que dali viria vários xingamentos e não queria ouvir. Não na escola.

- Hina! – eu comecei sorrindo e já ajudando ela a se levantar. – Eu... tropecei. Mil desculpas! -segurei sua mão e me curvei na frente dela, como se ela fosse me ver. Olhei para o rosto dela e tenho que dizer, não parecia nada feliz.

- É mentira dele Hinata. – Naruto quase gritou no corredor. Olhei o repreendendo, como ele ousa falar assim da minha pessoa?

- Ele tem razão! – disse a garota que também queria o pão de yakisoba. Até mesmo ela está fazendo minha caveira. – Ele pegou o pão e saiu correndo! – inchei as bochechas e olhei para Hinata. Agora que tinha me tocado que não havíamos pago nenhum dos pães que tínhamos pego. Mas que merda...

Hinata não parecia estar muito feliz. Ela estava seria e, provavelmente tentava analisar a nossa situação. Posso dizer que estava errado, mas não iria admitir isso, tenho meu orgulho. Se bem que meu orgulho pode ter ficado para trás na hora que (praticamente) roubei o pão.

Hinata deu uma suspirada, que pra mim, foi mais pesada que qualquer outra que já tinha ouvido e, pegou sua bengala e começou a andar de encontro com as janelas do corredor.

- Dentro da sala resolveremos esse problema. – Naruto e até garota entraram sem nenhum problema, já eu olhei para Hinata toquei em seu ombro e disse.

- Hina... A sala fica do outro lado... – vi a menina ficar quase roxa de tanta vergonha. Ela se virou rapidamente com a cara mais fofa que poderia fazer e, pisando firme foi andando em direção a sala.

- E-Eu já sabia! – Ela disse como se conseguisse enganar alguém. Sorri de canto e olhei para o pão que estava na minha mão. Eu realmente queria esse pão, mas agora, sabia que não era certo comer ele. Respirei fundo e entrei na sala, logo atrás de Hinata. Seja o que for. Até a inspetora entrou na sala, acho que só pra ver os delinquentes aqui tomarem esporro.

Nos sentamos nas carteiras vazias que eu e Naruto havíamos arrumado para almoçarmos juntos. Hinata me pediu para colocar uma cadeira na frente de nós, para ouvir a história de cada um. Naruto começou, claro, fazendo o maior drama, dizendo que ele, mais que ninguém merecia o pão. Depois foi minha vez, que tentava convencer que não tinha nenhuma intenção ruim, só queria comer o pão, já que não tinha comido nada no café e estava sem almoço. Então foi a garota, que reforçou que seu nome era Matsuri e que nos, eu e Naruto, simplesmente chegamos, brigamos pelo pão e, depois de tanto puxar o pão, ele caiu na minha mão e que, sem nem pensar, sai correndo como se minha vida dependesse daquilo. Ela pensou na mesma coisa que eu. E agora eu vi que realmente, minha vida dependia daquele pão. Meu fígado já era, meu estômago já comeu e ainda estou morrendo de fome.

- Cahan! – Hinata pigarreou. Ficamos quietos e olhamos atentamente para ela, que pela cara, já havia decidido quem ficaria com o pão. – Eu já sei o que vocês vão fazer. – Ela sorriu de forma gentil e todos, até mesmo as pessoas que não tinham se envolvido com a história do pão estava prestando atenção. – Naruto e Sasuke, vocês iram juntar essas pães que vocês compram e irão dividir entre vocês três. – olhamos para as sacolas cheias e concordamos, assim eu não como só o pão doce. – Já o pão de yakisoba... – Ela deu uma pausa e sorriu ainda mais. – Pode ficar com Matsuri! Já que ela me contou direitinho o que realmente aconteceu.

Todos da sala comemoram. A torcida por Matsuri era grande. Eu realmente não esperava que eu fosse ganhar o pão, então estava feliz por ter sido a garota. Quem não parecia nada feliz era Naruto, que estava com a carranca mais feia que já tinha visto e olha que já vi várias. Não demorou para Naruto e Matsuri começarem a discutir novamente, mas dessa vez a discussão estava tão infantil, que era quase impossível não rir. Na verdade, todos da sala riram disso.

Puxei minha cadeira até o lado de Hinata e me sentei ali. Olhei para ela que ainda estava sorrindo. Era como um sonho, por que todos da sala estavam se conversando, se enturmando, deixando de lado todos os grupos, panelinhas e estilos. Nesse momento era como se fôssemos todos unidos. Como se fôssemos todos cegos, sem se importar com aparências, nem classe. Todos iguais. E é tudo por um pão de yakisoba. Não, é tudo por Hinata. De alguma forma, ela deixa os ares mais leve e isso, faz com que todos tenham um gosto diferente pela vida. Foi assim comigo, com Naruto e vai ser assim com qualquer um que fale com ela.

Olhei de volta pra ela, e não havia percebido, ou pelo menos não tinha visto como deveria, mas ela é realmente linda. E é gentil, muito diferente de todos que conhecia. E quando ela sorria, era como se existisse um oceano no estômago, como se o universo explodisse e borbulhasse com várias estrelas. O ar falta e quando piso no chão, parece que ele não existe. Estava me sentindo estranho desde ontem a noite, antes de sair com Naruto. E quando encontrei com ela a noite, senti como se aquilo fosse algo extremamente bom. Como se milhões de borboletas insistissem em voar dentro da minha barriga. Mas talvez sejam só gases. Ou pode ser outra coisa. Por enquanto vou dizer que Hinata me causa gases, não é uma forma muito bonita de dizer, mas acreditem, é bom sentir gases assim.

Sorri e olhei de volta para a galera que se conversavam e brincavam e, estava indo tudo bem, até que a porta abre com uma força quase absurda, e dela entra um ser quase diabólico e loira, com peitos gigantes e pinta na testa. Nunca soube o que era realmente aquilo, mas era lilás. E ela vinha bufando, com fogo nos olhos e tão vermelha que mais parecia um tomatão.

-SASUKEEEEEEEEE! NARUTOOOOOO! – Ela gritou da porta e fez todos se assustarem. Lá vem. – PRA DIRETORIA, AGORA! – e lá se vai meu dia perfeito.


Notas Finais


E o Sasuke de novo se ferrou. Bem eu espero que tenham gostado desse capítulo e logo logo vou postar o próximo.
Beijinhos dá tia Neko 😘😘😍❤💞💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...