História Mundos Diferentes - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Visualizações 42
Palavras 1.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello, o que acham?

Capítulo 36 - Ela está nos separando


P.O.V Isabella

Eu já estava cansada disso: Bieber quer manipular todos ao seu redor, fazer só o que ele quer. Estava muito puta pra ver ele agora, ainda mais que ele saiu todo arrumado, querendo ou não querendo eu amo ele muito, mas aquelas palavras machucaram, lembro bem de todas as palavras e a sua frieza para me responder:

A onde você vai?- ela entrou no quarto, não respondi.- Você tá me ignorando?

- Não, apenas estou continuando um jogo que você começou, agora TCHAU!.

Isso me machuca, tenho que fazer alguma coisa, nosso casamento não pode acabar assim. Vesti um vestido preto normal, calcei uma sapatilha, quando fui abrir a porta dei de cara com Carol.

- AMIGA! - ela disse, com uma cara de descontentamento.

- Você aqui uma hora dessas?- perguntei.

- Sabe o que é? É que eu tinha que contar uma coisa.

- Fala Carol, é que tenho que sair…- disse querendo despacha-la.

- É o Justin...- ela começou a falar

- Fala logo!- eu disse revirando os olhos.

- Ele tentou me beijar hoje, e disse que estava infeliz com você.- Meu mundo parou, tudo ao meu redor ficou preto, não conseguia pensar, como assim?

- Caroline vai embora- eu disse com os olhos cheios de lágrimas.

- Mas eu…

- VAI EMBORA- eu gritei e assim ela fez.

Agora eu tinha que ir mesmo atrás do Justin, mas antes tinha que resolver uma coisa, peguei o revólver do Justin, peguei meu carro, fui até o endereço que o segurança me deu, onde Juliana mora, aquela enfermeira que deu em cima do meu quase ex marido.

Cheguei na casa, e estava quieta, toquei a campainha, até que… Ela… ELA APARECEU.

- Olá no que posso ajudar você? - ela perguntou, coitadinha tão ingênua.

- Ah não se lembra de mim?- Perguntei entrando.

- Claro que sim, a louca que me ameaçou- ela disse se sentando no sofá.

- louca não, olha o respeito garota- disse e lhe dei um tapa na cara.

- O que é isso? VOCÊ É LOUCA- tadinha

- Eu disse que te mostraria, que comigo não se brinca. Vim aqui pra isso.- eu disse e peguei o revólver.

- E-eu vou chamar a polícia

- nonono, você ficaria impossibilitada antes de chegar ao telefone.

- Ah é? Como?- ela foi curiosa

- Assim- dei um tiro em cada perna, ela começou a gritar.

- P-PARA, TA DOENDO.

- Olha minha cara de importância pra sua dor!- disse e olhei com cara de tédio, olhei ao redor da casa e achei uma garrafa de whisky, me servi, e sentei.

- Você não pode me matar!- ela falou assustada

- Você não sabe, eu sou esposa de gangster, não posso deixar barato.- dei um gole na bebida

- Gangster?-ela disse espantada.

- Sim, agora que você sabe tenho que te matar, você me subistimou…-eu estava calma- em fim deixa acabar com isso logo, tenho mais o que fazer.- Tchau JULIANA.- disse e dei um tiro em seu peito e outro na sua cabeça, tinha que sair, peguei as cápsulas das balas pra não deixar pistas e sai.

Estava com raiva por aquilo que Carol me disse hoje. Tinha que ir atrás dele, segui minha intuição e fui parar em das boates do clandestina do Bieber, estacionei, na porta tinha um homem fazendo guarda, ele era muito forte me deu até medo.

- Você sabe se Justin Bieber está aqui?- perguntei assim que cheguei perto.

- Não vi nada!- ele disse sério.

- Sou esposa dele.- o cara me olhou rapidamente.

- Senhora Bieber? Ah ele chegou aqui não faz muito tempo, pode entrar.- assim eu fiz, entrei na boate, um som insuportável tomou conta do lugar, ia ser impossível eu achar o Justin ali, passava empurrando muita gente, olhei ao redor, preferia ter ficado em casa, aquele desgraçado, estava com uma mulher e o papo estava muito bom pelo visto, parei em sua frente e o olhei com desgosto, ele me olhou com diversão, ele estava com uma garrafa de whisky na mão.

- Então era isso? Você ia me trair?- perguntei alto por causa do som.

- Quem é você?- A mulher perguntou

- É quem é você?- ele repetiu a pergunta, estava fingindo que não me conhecia.

- Sou a esposa dele, e você pelo visto é uma piranha que tá desesperada​ por sexo.- eu disse

- Se você é minha esposa, por que não estou usando aliança?- ele disse e me mostrou a mão, meu mundo parou, meus olhos começaram a marejar.

- O putinha hoje sou eu que ele quer na cama, não você.- a mulher disse, estava sem paciência.

- Fica queta prostituta de esquina.- eu falei e ri- se quiser pode enfiar esse aí até no cú.

- NÃO ME CHAMA DE PROSTITUTA- ela gritou e veio pra cima de mim

- Mais foi o que eu vi que você é PROSTITUTA- ela me deu um tapa no rosto, eu aplaudi, cheguei até Bieber e peguei a garrafa de whisky de sua mão.- Tchau Bieber- Entreguei minha aliança em sua mão e sai de perto. Olhei e vi o que eu queria: um homem gostoso. Cheguei perto dele e comecei a dançar, ele me olhou de cima em baixo pegou na minha cintura e começou a dançar junto comigo, olhei de relance e vi Bieber olhar a cena, mas ele não deu a mínima, revirei os olhos, tinha que sair daquele lugar. Sai dali correndo, quando cheguei lá fora, entrei no meu carro e comecei a chorar. "POR QUE ELE FEZ ISSO COMIGO?" "ELE NUNCA MUDOU" isso era a única coisa que eu pensava, será que agora nosso casamento ia mesmo acabar? Só conseguia pensar na Medellín, bieber era mesmo um vagabundo. Entrei no meu carro e comecei a chorar não conseguia ver nada, parei o carro em qualquer canto, para conseguir parar de chorar.

Liguei o carro novamente e fui para casa, só estava a empregada lá.

- Rosalina, onde está Medellín, Fernanda e Ethan?

- Fernanda saiu junto com Ryan e levou Ethan, Mariana disse que ia levar Medellín para a casa da Senhora Pattie , o senhor Chaz e Chris foram pra Atlanta, disseram que iam voltar tarde.

- Melhor assim, Rose pode ir embora. - eu liberei a empregada precisava ficar sozinha.

- Obrigada Senh… Isabella.- eu tinha proibido ela de me chamar de Senhora.

- Não a de que.

Subi as escadas, entrei no quarto, tirei minhas roupas, entrei na banheira, quando minha pele entrou em contato com a água, as lágrimas em meu rosto começaram a surgir, só conseguia pensar no fim do meu casamento, nunca mais iria deixar Bieber ver Medellín MINHA FILHA, ele estava fora de cogitação.

Sai do banheiro, me vesti, estava decidida, peguei uma mala e comecei a colocar minhas roupas dentro da mesma, fiz o mesmo com as roupinhas da Medellín.

Peguei meu celular e liguei para Pattie.

Ligação on

Pattie: oii Isa!

Eu: oi, você pode ficar com a Medellín essa noite pra mim? É que eu não estou me sentindo bem.

Pattie: o que aconteceu?

Eu: nada de mais.

Pattie: ok então.

Eu: Obrigada

Ligação off

Me deitei e tentei dormir um pouco, até ouvir um barulho, era 03:09 da madrugada. Fui pegar o revólver… droga, está dentro do meu carro. Desci as escadas devagar, quando cheguei na sala, a mulher da boate estava tirando sua blusa, e Bieber jogado no sofá chapado.

- O QUE É ISSO?- eu gritei ao chegar mais perto.

- Ele me convidou, aliás o que você tá fazendo aqui? Essa é a casa dele.

- ELE TE BAIJOU? - eu perguntei

- Não, sempre que ia beijar ele virava o rosto.

- Ah aí você se convidou para nossa casa, para tentar transar com meu marido bêbado?- eu completei.

- Certo- ela piscou pra mim- ele não é seu marido.- ela foi pra beija-lo a agarrei pelos cabelos.

- Piranha, prostituta, vadia- dizia enquanto dava socos em seu rosto cheio de plásticas.

- Para sua loka!- ela dizia.

- Você vai ter muito o que me contar, amanhã.

- ótimo, vou pra minha casa, fala pra ele me ligar.- ela disse pegando sua bolsa, a impedi, segurei em seu cabelo e a tranquei no quarto de empregados, ia deixar lá até amanhã.

- Amanhã a gente conversa- disse, olhei para Justin roncando no sofá, abri um leve sorriso ao saber que ele não queria me trair, mas ia deixar ele dormir aí no sofá. Voltei para o quarto, me deitei e dormi, ainda tinha a história do Justin da em cima da Carol, eu acredito nela, Justin é cafajeste.


Notas Finais


Thanks 😍❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...