História Mundos Opostos - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Luan Santana
Tags Drama, Luan Santana, Romance, Segredos, Superação
Exibições 55
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - (25) Estamos a Caminho


Fanfic / Fanfiction Mundos Opostos - Capítulo 27 - (25) Estamos a Caminho

MARIA JÚLIA

Plim, plim...

Estava arrumando minhas coisas para ir embora quando meu celular vibrou e fez barulho dentro da bolsa, era som de mensagem.

– HM, mensagem do boy? – Perguntou Beth, ela estava me esperando para irmos embora  juntas.

– Não começa, vamos! – Peguei minha bolsa e sai da minha sala, a tranquei e depois descemos. – Apaga as luzes da sala do Bruno, por favor? Ele sempre esquece, acha que sou sócia da Light.  – Ri. Beth foi fazer o que pedi, sempre prestativa essa minha amiga. Aproveitei para pegar o celular e vi que a mensagem era de Luan.

"Estou exaustooo! Mas não fugirei do nosso jantar hoje. Bjs e até mais tarde, às 20h...

DO SEU LUAN."

Em poucos segundos não consegui disfarçar o sorriso que se formou em meus lábios.


– Do seu Luan? – Disse Bethany atrás de mim me dando um susto. – Já estão assim e nem me contou, que tipo de amiga é você Maria Júlia?

– Nossa, você parece um ninja. Quase me mata de susto garota! – Pus a mão no peito para parecer mais dramática. – Se você me desse tempo para deixar que eu contasse as coisas, não é mesmo?

– Não tenho culpa se tenho um dom para bancar a detetive. – Se gabou.

Bufei.

Fechamos o escritório e no caminho para minha casa contei o que tinha acontecido no dia anterior para Bethany, sem detalhes obviamente. – Se sem os detalhes ela já estava super estérica no meio da rua, imagine com... Parecíamos duas garotas que tinham acabado de dar o primeiro beijo no ginásio.


– Boa noite Sr. João, adivinha quem tem um encontro hoje? –  Beth cumprimentou seu porteiro favorito e não perdeu a chance de dar com a língua nos dentes. – Ai! – Reclamou com o tapa que lhe dei.

– Se você puder segurar essa sua língua, eu agradeço! – Cochichei para ela enquanto esperávamos o elevador.

– Ah, eu nem disse nada demais...

[...]


Bethany me ajudou a escolher uma roupa para jantar com Luan, foi uma verdadeira mistura de extravagância e formalidade para o meu gosto e estilo. – Se é que posso ousar dizer que tenho algum estilo. – Mas, ficou perfeito. Beth sabe o que fazer com minhas peças de roupa.

– Você está digna de uma mulher de alta classe. – Disse Beth, batendo palmas depois de me vir pronta.

– Então quer dizer que eu não tenho classe? – Olhei para minha melhor amiga indignada. – Tudo bem, que eu não me visto como uma modelo, mas eu tenho um bom gosto. Um pouco contraditório, minimalista, nenhum pouco favorável, às vezes, mas ainda sim um bom gosto. – Tentei me defender.

– Me recuso a debater.  Você está linda, curta à noite e não faça nada que eu faria. – Nós duas caímos na gargalhada.

– Com total certeza! A última coisa que eu pensaria em fazer, seria dar uma de você perto do Luan.  – Respondi.


Bethany foi embora minutos depois e eu fui sentar no sofá da sala para esperar Luan, que estava atrasado 20 minutos.


"CADÊ VOCÊ?"

Enviei uma mensagem.

"Chegando..."

Ele respondeu 10 minutos depois, e mais 10 minutos se passaram até que a campainha tocasse.


– Finalmente a noiva chegou. – Brinquei com Luan assim que abri a porta, ele riu e ficou parado me olhando.  – Vamos ficar parados aqui, ou podemos ir?

– Estou admirando você, aliás, você está uma gata! – Ele sorriu e sua covinha apareceu me fazendo suspirar. – Vamos.

Luan deixou que eu pegasse minha bolsa e trancasse a porta, depois descemos até seu carro,  que ficou estacionado na garagem do condomínio para que não me vissem entrando em seu carro e causasse problemas. – Mesmo com essas precauções, nós dois sabíamos que os problemas (paparazzis) sempre dão jeito para tudo!

– Aonde esta me levando? – Perguntei minutos depois que Luan saiu com carro. – Já que vamos começar a ter um "relacionamento" – Fiz aspas no ar. – Você precisa saber que sou impaciente e muito curiosa.

– Sabe uma coisa engraçada? Sou bastante paciente e adoro fazer surpresas. – Ele riu, me olhou por um instante e depois voltou a se concentrar no caminho que fazia.

[...]


Fomos o restante do caminho calados por falta de assunto. Deveríamos estar a uns 40  minutos ou mais dentro do carro, eu já estava morta de fome e minha bunda quadrada por ficar sentada tanto tempo.

– Luan, pelo amor, esta me levando aonde? Nunca vi demorar tanto para chegar a um restaurante qualquer. – Reclamei impaciente.

– E quem disse ser um restaurante qualquer, Maria Júlia? – Ele respondeu calmo. – Já estamos chegando, garanto que não vai se arrepender de ter aceitado meu convite.

– Assim espero. – Murmurei. – Nem sei mais em que lugar estou, se estiver planejando me sequestrar, me dê comida antes. – Falei sério, aguento passar por qualquer coisa, menos fome.

– Se eu quisesse te sequestrar, teria contratado alguém qualificado para isso, não acha? – Ele riu. – Só esta pensando na comida, é?

– É verdade, não pensei dessa forma. E se quer saber, comida é melhor que muita coisa.

– Melhor até do que fizemos ontem?

Meu rosto queimou no momento em que ele pronunciou a frase/pergunta, Luan tinha o prazer de me deixar envergonhada.

– Vou fingir que você nunca disse isso, acredite será melhor pra você e para minha sanidade.

Ele riu da minha cara por um bom tempo, mas eu gostava de fazê-lo rir, não assim as minhas custas, mas gostava.


– Chegamos. – Luan entrou com o carro em um local de portões grandes, subimos um morrinho e logo depois ele estacionou o carro. – Ah! Antes que você pergunte, nós não saímos do estado. Mas estamos em um local, basicamente de interior.

– Deu para perceber, os quilômetros atrás só tinham mato.

Descemos do carro e uma brisa suave e fria invadiu-me, não sabia muito bem onde estávamos,  porém amei sentir que estava em lugar nenhum.

Estava um pouco escuro e eu não estava conseguindo enxergar muito bem, Luan se aproximou de mim, pegou seu celular e ligou a lanterna, me guiou por um percurso de uns 10 minutos caminhando...

Ele sabia perfeitamente para onde estava me levando e exalava confiança. Ansiosa como sou, não via a hora de chegar logo aonde quer que ele estivesse me conduzindo.




Notas Finais


Eu não apareço aqui tem um mês e alguns dias, segundo a última postagem. Pedir desculpas por sumir já tá chato, por que eu sempre sumo de novo e de novo, eu sei... Mas, preciso pedir desculpas. Odeio ter "abandonado" de alguma forma a fanfic, muitas coisas passaram pela minha cabeça inclusive excluí-la para não deixar vocês esperando por capítulos que eu não sabia quando iriam ser postados/ou escritos. Se ainda estão aqui lendo isso, o meu MUITÍSSIMO OBRIGADA, de coração <3
Estou com probleminhas pessoais, fora outras coisas que todo mundo passa um dia... Mas voltei a escrever noite passada e senti que não deveria parar nunca (clichê). Hoje estou postando 2 capítulos seguidos pois estou em divida com vocês e queria fazer essa aparição bombástica sqn ;-; K
Amanhã (25/11) irei postar outro capítulo *uhul* é ótimo me sentir inspirada depois de tanto tempo.
Comentem aqui embaixo o que acharam, se quiserem me xingar também, aceito. Mas, me xinguem com amor, por favor okay? Xingar com amor? Que isso? KKK

Bjs de Luz ;**


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...