História Mundos opostos - Capítulo 62


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles
Tags Comedia, Jensen Ackles, Lily Collins, Megan Fox, Romance, Selena Gomez, Taylor Lautner
Exibições 159
Palavras 3.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Enquanto lê escute: Halsey- Ghost (musica maravilhosa!)
Peguem a pipoca e o refrigerante que o capitulo vai ser longo rs

Capítulo 62 - Eu te quero aqui e agora.


Fanfic / Fanfiction Mundos opostos - Capítulo 62 - Eu te quero aqui e agora.

-A senhorita Collins precisa se apressar. –Jensen diz para os fotógrafos e repórteres que estavam lá e segura a minha mão. Eu sorrio de lado e quando estávamos dando as costas alguém grita lá no fundo: ENTÃO PODEMOS DIZER QUE O SOLTEIRO MAIS COBIÇADO DO PÁIS ESTÁ DE CASAMENTO MARCADO? Jensen Para e abaixa a cabeça sorrindo, eu o olho surpresa esperando para ver o que ele iria responder, então ele se vira e fala sorrindo.

-Eu encontrei o amor da minha vida, digam isso. –E depois que ele fala nós voltamos a caminhar e eles ficam eufóricos com a resposta do Jensen, já eu fico bastante confusa e sem graça. Eu o amava e ele me amava até ai tudo bem, mas e todas as coisas que andam acontecendo com a gente? E a Sophie, e o filho dele com ela? Eu não posso simplesmente fechar os olhos pra isso afinal, tenho uma oportunidade irrecusável de estudar na melhor universidade da Europa, era como se nós não fossemos feitos para ficarmos juntos.

-Você adora criar uma polemica não é? –Eu pergunto assim que entramos no prédio da universidade onde eu estudava.

-Acha que o que eu falei foi só pra criar polemica? –Ele me puxa e nossos corpos ficam colados no meio do corredor das salas. –Eu sou o mais rico empresário do país, aparecer em uma revista de fofoca não é bem o que eu procuro... –Ela sorri me olhando.

-E o que você procura Jensen? Realmente? –Eu o olho bem nos olhos e vejo aquele lindo sorriso se abrir um pouco mais e então com o polegar ele alisa a minha bochecha.

-Eu procuro você. –Ouvir isso dele me fez perder o chão, eu tinha vontade de chorar e gritar o quanto eu o amava, o quanto eu queria ele só pra mim, pegar ele e fugir para um lugar onde não existisse toda a fortuna dele, nem todo o passado.

-Decidiram fazer barraca do beijo e eu não tô sabendo? –Selena fala e nos interrompe, eu afasto o Jensen rapidamente e ele sorri com a situação.

-Selly! Sua turma deve estar precisando de você, onde estava? –Eu pergunto tentando disfarçar.

-Oi pra você também Jensen! –Ela diz e ele responde com um sorriso. –Estava colocando certas vadias em seus lugares. –Ela me abraça e sorri, sinto que ela precisa me contar algo.

-Tenho certeza que sim. Ah... Acho que está na hora de iniciar logo, as pessoas já estão chegando. –Eu digo.

-Jensen pode começar me ajudando. –Selena diz e olha para o Jensen. Eu seguro o riso e ele me olha surpreso.

-Eu não vou desfilar pra você Selena.

-E quem disse que é desfilando? Não quero que as vadias dessa escola pulem em cima de você não é? A Lily me mataria! –Ela olha pra mim e pisca, eu começo a dar risada.

-Ninguém mandou você vir aqui Jensen! –Eu digo dando os ombros e ele começa a rir.

-Você acha que é só chegar aqui e beijar a minha amiga e simplesmente sair sem fazer nada? Anda, vem comigo, você se importa Lily? –Ela segura o Jensen pelo braço e me olha.

-Claro que não! Ele é todo seu. –Eu digo e pisco para ele que balança a cabeça rindo.

-Obrigada. –Selena diz e puxa o Jensen para a área que ficariam as turmas de moda. Ela deve colocar ele para carregar algo. Eu fico parada por alguns minutos olhando os dois caminhando, Omo eu gostaria que tudo sempre ficasse bem entre mim e ele, que fôssemos duas pessoas normais tentando se acertar porque se gostam, mas infelizmente a cena dele com a Sophie, com a Megan e com todas as outras não saem da minha cabeça. Sei que ele esconde mais coisas de mim, talvez seja por isso que não consigo confiar completamente em tudo o que ele diz.

 JENSEN NARRANDO*

-Você tem sorte que eu gosto de você Selena. –Eu digo do alto de uma escada onde ela me fez subir para trocar o jogo de luzes que eram pra hora do desfile.

-Não meu bem, quem ter sorte de eu gostar é você! E olha que eu nem gosto tanto assim. –Ela fala olhando pra cima.

-Uau! Porque não gosta de mim? –Eu digo enquanto desço da escada.

-Porque você só faz a Lily sofrer! É uma merda atrás da outra, como posso gostar de você? –Ela coloca as duas mãos na cintura e me observa.

-Eu amo a sua amiga, mais do que qualquer coisa... Mas antes dela eu tive uma vida, que infelizmente eu não posso mudar. –Eu digo enquanto coloco as luzes que tirei no chão. Todos olhavam para mim, estavam surpresos de me verem trocando lâmpadas em uma feira cultural universitária.

-Qual é Jensen! Você puder mudar o presente. Não seja burro, não perca a Lily! –Ela diz e me dá uma tapa de leve no braço. –Ela é a garota mais doce e leal que você irá conhecer.

-E você acha que eu não sei? Eu conheci muitas mulheres Selena, mais do que você imagina e de todos os tipos, porque acha que nunca me apaixonei? –Olho para ela e ergo a sobrancelha.

-Todas as que você conheceu eram vadias, a minha amiga é diferente... –Ela diz e uma garota loira se aproxima da gente, ela não tira os olhos de mim e Selena percebe. –Algum problema querida? –Selena pergunta, mas a garota nem dá atenção.

-Você é mesmo o Ackles? –Ela pergunta e morde os lábios.

-Sim... Por quê? –Eu pergunto e Selena cruza os braços encarando a garota.

-O que o cara mais cobiçado do país faz aqui? –Ela pergunta e Selena ri irônica.

-Escuta aqui linda, ele namora a Lily e nós estamos um pouco ocupados aqui, pode procurar outro ponto pra você. –Selena fala e sorri erguendo a sobrancelha, a garota fica sem graça e da meia volta. Eu começo a rir.

-A Lily tem uma boa amiga! –Eu digo.

-Ela tem sim! Então é melhor você se comportar... Eu to de olho! –Ela aponta pra mim e eu a puxo para um abraço e então começamos a rir. –Ei, pode voltar ao trabalho, vamos!

-Acho que vou contratar você pra trabalhar pra mim, você é bem mandona. –Eu digo e ela dá os ombros.

-Não estou interessada, agora cala a boca e arruma aquelas lâmpadas! –Ela me empurra devagar e começamos a rir.

Depois de ajudar a Selena, as pessoas já começaram a chegar para o desfile e pelo barulho tinha bastante gente já dentro da universidade e então eu aproveito que a Selena estava ocupada brigando com uma garota por algum motivo relacionado a maquiagem da garota e eu vou atrás da Lily pelos corredores. Algumas pessoas paravam e me olhavam, outras arriscavam dar um tchauzinho com a mão, e bastante gente tirando fotos, eu não sabia que era famoso assim, mas continuo procurando a Lily e passo na frente da diretoria, onde sou surpreendido com o diretor da faculdade.

-Jensen! –Ele grita segurando meu braço.

-Senhor Travis! –Eu digo surpreso. –Algum problema?

-É um prazer muito grande te-lo aqui hoje, acredito que venho prestigiar a senhorita Collins... –Ele diz e eu tento ser simpático, acho que Lily gostaria disso.

-Sim, minha namorada é a organizadora, é um prazer estar aqui, com licença... –Eu digo, mas antes que eu me vire ele começa a falar.

-Acho que poderíamos ter uma conversa, aproveitar que está aqui, o que acha? –Ele pergunta e coloca as duas mãos no bolso e sorri de lado.

-Conversa? Sobre? –Eu pergunto tirando meu sorriso forçado do rosto.

-Entre na minha sala, conversaremos mais a vontade. –Ele aponta para a sala dele.

-Tudo bem. –Eu digo e entro na sala, ele entra logo atrás de mim e fecha a porta.

 

LILY NARRANDO*

As pessoas estavam chegando e cada vez mais a feira estava ficando cheia, e apesar de estar cheia de coisas para pensar, não consigo deixar de notar que Taylor ainda não chegou, e então fujo para trás da universidade e tento ligar para ela, mas assim que pego o meu celular o vejo estacionando do outro lado da rua.

-Boa tarde bela adormecida. –Eu digo e ele sorri.

-Tive que enfrentar um sapo agora, mas estou aqui. –Ele me abraça forte. –Parece que você se virou sem mim aqui. –Ele me olha sorrindo.

-Usei todos os neurônios que eu tinha... A professora estava me deixando louca... –Enquanto falo percebo que Taylor está com um olhar triste. –O que foi? –Pergunto e ele tenta disfarçar.

-O que? –Ele responde e abaixa o olhar.

-O que você tem? –Digo.

-Lily... Você sabe o quanto eu amo você não sabe? –Ele segura meu rosto com as duas mãos.

-Do que você ta falando? –Eu pergunto.

-Eu estou do seu lado ok? Tudo o que eu fiz foi pra te proteger.

-Você está me assustando... –Eu digo e ele sorri de lado, um sorriso fraco e triste.

-Só não se esquece disso ok? –Ele pergunta e eu balanço a cabeça em sinal de sim e então ele me solta. –Agora vamos, temos a tarde inteira pra trabalhar. –Ele me puxa pelo braço e eu acho que seria uma ótima hora para dizer que o Jensen estava aqui.

-Taylor... Espera... –Ele para e me olha. –O Jensen... Ele está aqui. Comigo. –Eu digo e vejo a expressão do Taylor mudar, era como se eu tivesse falado a pior coisa do mundo para ele, e então lentamente ele solta a minha mão.

-Ah... Então quer dizer que vocês estão... Juntos? Outra vez? –Ele pergunta sem graça.

-Acho que sim. Quer dizer... Não sei... Eu não sei o que pensar, eu o amo. –Eu digo e ele força um sorriso.

-Tá tudo bem, ele não vai estragar meu dia com você, não hoje. –Ele diz e novamente estende a mão para mim.

-Eu sei o caminho de volta! –Eu digo e ele sorri.

-Eu sei que sabe. –Ele diz e começamos a rir. Ele vai resolver algumas coisas do baile que iria acontecer na quadra e eu vou ver as barracas, se estava tudo bem.

-Como estão as coisas por aqui? –Eu pergunto e o garoto que estava cuidando da barraca de doces me olha.

-Senhora Ackles! –Ele diz e aperta a minha mão. Eu fico sem entender o porquê ele tinha me chamado assim.

-Senhora Ackles? –Eu pergunto e ele sorri.

-Meu pai trabalha para o senhor Ackles... Soube que vocês estão noivos, todos estão comentando a entrevista que vocês deram hoje mais cedo.

-Ah isso... Olha... Não estamos noivos! Sou só a namorada dele... –Pela primeira vez eu fiquei tranqüila a dizer isso. Sim, ele era problema e dos grandes, mas qual namorado de verdade que não tem?

-Meu pai disse que depois que você apareceu na empresa, o senhor Ackles mudou... Ele costumava ser bastante... –Ele se aproxima e cochicha. –Diabólico e maléfico entende? –Ele diz e se afasta. Eu tento segurar o riso. –Mas ai depois de você...

-Jura que falam isso? –Eu pergunto mesmo sabendo que Jensen era um chefe e uma pessoa bem difícil de lidar.

-Sim, mas você o mudou... Acho que não existe prova de amor maior não é? –Ele olha para mim e sorri. –Você mudar alguém pra sua melhor versão?

-Não... Não existe prova maior. –Eu digo e abro um sorriso ao pensar o quanto aquilo era verdade. Era como se minha mente se abrisse e eu conseguisse entender tudo. Ele não só mudou por mim, como melhorou! E todos conseguiam ver isso, porque eu negava tanto? Porque eu não simplesmente me jogo nisso tudo de olhos fechados?

-Boa sorte para vocês dois. –Ele diz sorrindo e se afasta. Eu me viro e vou embora querendo encontrar o Jensen, eu precisava dizer o que eu estava sentindo naquele momento. Eu queria olhar nos olhos dele e simplesmente dizer que eu queria cair de cabeça, porque eu finalmente acreditava no nosso sentimento. Entro na universidade e começo a procurá-lo pelos corredores, mas tinha muita gente por todos os lados seria muito difícil encontrar ele a essa hora.

-Lily! –Escuto alguém gritar meu nome e logo depois sinto segurar meu braço.

-Tomaz! –Eu digo.

-É... Acho que não era eu quem você estava procurando não é? –Ele pergunta sarcástico como sempre.

-Não, mas não significa que não estou feliz de ter te achado! –Nós começamos a rir. –E então, o que foi?

-A professora está te chamando no andar de cima... Algo com o camarim que você queria para o pessoal da banda... –Ele diz.

-O que será dessa vez?  Vamos lá! –Eu digo preocupada e então subimos as escadas até a sala onde ela estava me esperando.

  

JENSEN NARRANDO*

-E então... O que quer conversar Travis? –Eu pergunto enquanto me sento.

-Primeiro quero parabenizar você, Lily é uma das melhores alunas que nós temos...

-É isso? –Eu pergunto e ele ri irônico.

-Seria uma pena ela não ter mais onde estudar não é? –Ele diz e me encara.

-Como assim? Do que está falando?

-Olha senhor Ackles, a universidade apesar de seus bons alunos, passa por alguns problemas... Você sabe a economia nem sempre está em alta. –Ele apóia os dois cotovelos em cima da mesa.

-Está me pedindo dinheiro? –Eu pergunto e dou risada. –Você tem patrocinadores, por todo o país!

-Temos, mas quando eles souberam que o magnata da economia do país estava se envolvendo nas atividades da universidade... Eles... Quiseram abandonar o barco, você roubou muita grana dos negócios deles... -Ele diz e eu começo a rir novamente sem acreditar.

-Quer dizer então que o problema sou eu namorar uma aluna de vocês? E ser melhor no mundo dos negócios?

-Basicamente isso. –Ele diz. –Eles acham que nós não precisamos mais deles porque temos você!

-Temos? –Eu pergunto.

-Sim, Lily é nossa aluna... Bolsista inclusive. –Ele ri mais uma vez irônico e aquilo já estava me tirando do sério. Ele estava se aproveitando do meu relacionamento com a Lily para arrancar dinheiro de mim. –Estamos nessa junto... Se não tem patrocinadores, não tem bolsas e se não tem bolsas sua namorada infelizmente não tem universidade.

-Deixa eu ver se entendi... Seus patrocinadores souberam que eu namoro uma bolsista daqui e por vingança deixaram você na mão e então você como é muito esperto, está me propondo que eu sustente sua universidade pela bolsa da Lily, se não ela está fora. É isso?

-Cada dia mais admiro sua inteligência Ackles, não é a toa que você comanda os negócios do país.

-Tem noção do que está me propondo? Isso vai me custar milhões por mês! –Eu digo e meu tom é um pouco mais alto.

-Milhões? Ora Jensen, você tem de sobra! –Ele se levanta da cadeira. –E você não quer comparar seu amor pela Lily com dinheiro não é?

-Você é muito filho da puta Travis! É claro que não estou comparando! –Eu digo.

-Então temos um acordo? Você vira patrocinador oficial da universidade e a bolsa da sua linda namorada continua intacta? –Ele se aproxima de mim e se apóia na mesa do meu lado. É claro que o dinheiro não era problema, a Lily e a sua idéia de independência eram os problemas! Ela iria surtar se soubesse que eu estava sendo chantageado por causa da bolsa dela e não iria querer ouvir explicações, mas eu também não poderia a fazer perder a bolsa aqui.

- Segunda feira de manhã, vá ao meu escritório. Lá assinamos a papelada toda. –Eu digo e me levanto.

-Estarei lá, senhor Ackles. –Ele sorri e a vontade que eu tinha era de socar aquele cara, mas forço um sorriso rápido e saio. –Foi um prazer fazer negocio com você. –Ele diz e eu bato a porta atrás de mim. Eu precisava pensar rápido se eu contava ou não para a Lily o que tinha acontecido e saio á procura dela.

Vou até a quadra, onde parecia estar mais vazio e dou de cara com o Taylor, para a minha infelicidade.

-Ackles. –Ele diz em tom de desaprovação.

-Também acho uma merda de te ver, com licença. –Eu passo do lado dele.

-Você acha que vai conseguir levar essa situação até quando? –Ele diz e eu paro de caminhar. Me viro e olho pra ele.

-Que situação?

-Enganar a Lily... Você sabe que no final você vai ficar com a Sophie e vai jogar a Lily de lado.

-Você com certeza torce pra isso... Mas eu tenho uma péssima noticia... No final sou eu quem fica com a Lily. –Eu pisco e dou risada o deixando bastante irritado e dou as costas.

-Isso é o que veremos. –Ele grita, mas eu continuo andando e procurando a Lily. Entro na quadra onde tinha apenas algumas pessoas arrumando alguns balões pratas que estavam espalhados pelo chão, as luzes coloridas que dançavam no ritmo da musica. Eu olho para todos os lados e não vejo a Lily, e então quando eu estava quase saindo pela outra porta da quadra escuto alguém me chamar.

-Jensen! –Lily grita e a sua voz se mistura com a musica Ghost da Halsey que começou a tocar. Eu sorrio e me viro devagar, Lily estava parada olhando para mim. Olho para ela dos pés á cabeça, minha garota estava tão linda com aquele vestido florido, parecia um quadro pintado á mão; Ela sorria e era como se só estivéssemos nós dois ali. Caminhamos um até o outro e nossos passos se envolveram com a música ao fundo; Paramos um na frente do outro nos olhando profundamente, eu era completamente apaixonado por ela, eu finalmente encontrei o que eu passei a vida inteira procurando, eu me encontrei nessa pequena garota de cabelos avermelhados e incrivelmente branca, que neste momento está me olhando como se tivesse me encontrado também.  Eu a puxo pela cintura e ela coloca seus braços em torno do meu pescoço sorrindo, mas sem tirar os olhos dos meus; Ela começa a se mover com a batida da música e eu a acompanho como se ninguém estivesse olhando e então ela fecha os olhos e encosta a cabeça no meu peito, tenho certeza que ela estava escutando meu coração acelerado, eu também fecho os olhos e encosto minha cabeça na dela.

-Você vai me deixar cair? –Ela diz baixinho.

-Nunca. –Eu respondo. Eu jamais deixaria que algo acontecesse com ela, eu jamais tive isso na minha vida, eu estaria em qualquer lugar por ela. –Me deixa tentar? –Eu pergunto e ela olha para mim e sorri.

-Nós vamos tentar juntos. –Ela diz e me beija. Nos beijamos e viajamos dentro daquele abraço, enquanto a nossa trilha sonora se acabava e parecia ficar cada vez mais longe.

-Eu te quero. Aqui e agora. –Eu digo e sinto que a respiração dela fica mais acelerada e então ela sorri.

-Eu sou sua. –Ela diz e aquelas três palavras entram nos meus ouvidos e eram como se eu tivesse respirado depois de estar afogado por horas. Então eu a puxo pela mão e começamos a correr até o vestiário que ficava na parte de trás dentro da quadra.

Eu a encosto na parede e a beijo com força, ela puxa meu cabelo me fazendo ficar arrepiado e então eu a pego no colo fazendo com que suas pernas fiquem em volta da minha cintura, ela geme baixinho me deixando cada vez mais louco. Eu começo a beijar o pescoço dela e ela inclina a cabeça para trás com os olhos fechados, e então eu caminho com ela no meu colo até um banco e a deito lá; Passo uma perna por cima dela e ela me olhando sorrindo.

-Você não sabe o quanto eu senti sua falta. –Eu digo enquanto tiro a minha camisa e jogo a de lado. Afasto as pernas dela e me encaixo no meio. –Eu te amo tanto. –Eu digo enquanto morde devagar sua orelha, ela arranha as minhas costas e seu corpo começa a se movimentar contra o meu, ela estava com muita vontade de mim também. –Quero que você seja minha pra sempre. –Eu digo e para olhar para ela. Ela sorri e morde os lábios.

-Vou ser apenas sua, pra sempre. –Ela diz com a voz rouca de desejo me fazendo explodir de excitação e então eu começo a beijar novamente dando mordidas em sua boca, ela geme um pouco mais alto. Levanto o vestido dela e olho a cacinha dela, branca com alguns detalhes rosa, era tão pequena que me deixa imaginando muitas coisas. Eu me levanto um pouco e abaixo até abaixo da sua barriga e puxo a calcinha dela com o dente. Ela segura meu cabelo com as duas mãos. Eu abaixo a calcinha dela até o joelho com a boca e depois puxo, rasgando no meio. Ela solta uma gargalhada gostosa e alta, eu olho e rio também; Me levanto e abro o zíper da minha calça revelando o quanto eu estava excitado e com vontade dela, mas antes começo a beijar sua barriga e cada vez mais descendo até chegar ali, no meio das pernas dela. Ela estava molhada e pronta para mim e então eu começo a chupar com força enquanto colocava um dedo dentro dela, ela se contorcia de prazer, suas costas saiam do banco e suas mãos puxavam meu cabelo. Ela gemia e sua respiração era ofegante. E então quando ela não agüentava mais eu penetrei com força até o final, ela solta um grito abafado, e então eu coloco meu corpo sobre o dela, e começo a beijá-la lentamente e saio de dentro dela enquanto ela tenta acalmar sua respiração, eu volto a colocar com força, ela geme mais uma vez e me abraça forte; Começo a tirar e colocar rápido e com força, ela estava tão apertada e tão quente! O perfume dela entra pelo meu nariz e me faz ficar arrepiado e cada vez mais eu aumento a velocidade. Quando eu senti que ela estava quase chegando ao seu clímax, eu a levanto, fazendo a ficar sentada no meu colo de frente para mim, seguro a cintura dela e a ajudo a pular em cima de mim, ela inclina a cabeça para trás com os olhos fechados. Eu puxo os cabelos dela com uma mão e ela geme e começa a pular com mais força me deixando louco até que ela se entrega pra mim, me beijando na tentativa de abafar seus gemidos de prazer, logo em seguida é a minha vez. Ela me abraça e me beija lentamente, eu solto o cabelo dela devagar e também a abraço forte, tentando me recuperar. Estávamos suando muito,mas eu não queria soltar desse abraço, por mim eu ficaria ali para sempre.


Notas Finais


Vooooltei amoresssss! Bom, depois desse hot não tenho o que falar kkkkkkkkkkkkkkkkkk Tá longo eu sei, mas eu estava inspirada rss me digam o que acharam! Será que agora vai de vez? hahahahahaha estamos torcendo né? lembrando que ainda tem o resultado do teste e a bolsa da Lily fora do país! Ahh e daqui a dois capitulos alem do resultado do teste, tenho uma surpresa pra revelar!!!! Aguardem! Comentem muito ai, e até o proximo capitulo amores ♥
*perceberam que escrevi pouco né? tô exaustada me perdoem kkkkkkk, no proximo batemos mais papo*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...