História Mundos opostos - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles
Tags Comedia, Jensen Ackles, Lily Collins, Megan Fox, Romance, Selena Gomez, Taylor Lautner
Exibições 105
Palavras 3.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Enquanto lê, escute:Halsey - I Walk The Line (musica maravilhosa para um hot hahahah)

Capítulo 66 - Resultado inesperado


Fanfic / Fanfiction Mundos opostos - Capítulo 66 - Resultado inesperado

*JENSEN NARRANDO*

-Você não está com fome? –Eu pergunto para a Lily que não parecia muito animada para comer, estava quieta e pensativa.

-Estou... Estou sim, é que...

-Eu sei, mas isso vai acabar tá? Eu prometo! O resultado sai na segunda e isso acaba. –Tento sorrir, mas essa situação me incomodava também.

-E se não for seu? –Ela me pergunta.

-Vou ficar com mais nojo da Sophie... –Antes que eu termine de falar, ela larga o garfo no prato e me olha fixamente.

-Você vai jogar o Gabriel pra fora daqui como se nada tivesse acontecido? –Ela pergunta e eu fico sem saber o que responder por alguns instantes.

-Eu não vou poder fazer nada se ele não for meu filho, Lily!

-Juridicamente falando não vai, mas dá pra ver no seu rosto o quanto você quer que ele seja seu filho, você já se apegou á ele... –Ela diz e se levanta da cadeira, caminha até mim e eu a coloco no meu colo. –Você nunca mais vai ver o Gabriel diferente do que vê agora.

-Eu sei... Eu sei que não... Mas o que eu posso fazer? Se eu quiser ficar perto dele ou ter algum tipo de contato com ele, eu vou ter que lidar com a presença da Sophie pra sempre na minha vida... E entre a gente! –Eu digo e parece que a deixei mais pensativa ainda. Ela encosta sua testa na minha e fecha os olhos, parecendo que estava tentando afastar algum pensamento ruim. –Ei Lily... Eu não vou abandonar o Gabriel, mesmo se ele não for meu filho, eu vou dar um jeito...

-Se você fizer isso tenho certeza que ele vai ficar feliz e eu também! –Ela diz e sua voz é baixa.

-Tem algo mais te incomodando? Foram as coisas que a Sophie disse?

-Não... Não é nada com ela, é só que... Jensen, eu tenho medo que possa ter algo... Que consiga separar a gente...

-Do que você está falando? –Eu pergunto e ela abre os olhos, começa a passar os dedos pelo meu cabelo.

-Não é nada... Deixa pra lá!

-Só não vou insistir agora pra saber o que é, porque quero deitar você na minha cama e dormir sentindo seu cheiro! –Eu digo e a pego no colo, ela solta aquela gargalhada de menina que eu amava. Eu estava vivendo o que nunca imaginei viver, a mulher mais linda do mundo nos meus braços e era completamente minha. Só minha.

Caminhamos até o meu quarto já parecia ser tarde e amanhã eu tinha uma surpresa para a Lily, ela merecia depois do trabalho incrível que fez na feira cultural. Ela é tão prática e inteligente que eu gostaria de oferecer o estágio novamente na minha empresa, mas conhecendo a Lily ela jamais vai aceitar de novo. Deito-a na minha cama e dou um selinho, não consigo ver o seu sorriso porque estava escuro, mas sei que ela estava dando aquele sorriso tímido que era tão lindo; Dou a volta na cama e deito ao seu lado, e lá estava eu dormindo de conchinha com a minha namorada. Era difícil até pra eu acreditar, mas era bom, o cheiro dela me fez adormecer rapidamente.

 

SOPHIE NARRANDO*

Eram sete horas da manhã e eu não tinha conseguido dormir a noite toda, só imaginando os dois pombinhos fazendo as orgias que o Jensen adorava fazer com as prostitutas que ele trazia aqui. Pobre coitada, acha que é alguma coisa pra ele, se ela soubesse o que já fiz nessa mesma cama que ela esta deitada se imaginando namoradinha dele... Mas apesar dela ser uma total babaca, ela era bem persistente por isso eu precisava fazer algo, ainda bem que o idiota do Taylor resolver me ajudar, vamos poder separar os dois e eu finalmente ficar com o Jensen e com toda a fortuna dele pra sempre. Antes que eles acordem, eu preciso ir ver o Taylor pra colocarmos algum plano em prática.

-Preciso que você olhe o Gabriel, vou ir resolver algumas coisas e eu posso demorar. –Digo para a babá enquanto termino de passar meu batom.

-Sim senhora. –Ela diz.

-Qualquer coisa pode ir acordar o pai dele, não fiz o filho sozinha. –Eu digo e saio do quarto e me apresso para não encontrar com o Jensen ou a Lily pelo apartamento. Pego um táxi e vou direto para a casa do Taylor, ele parecia estar dormindo ainda e eu preciso tocar a campainha umas cinco vezes até ele abrir a porta.

-Isso é hora Sophie? É domingo! –Ele diz e eu entro.

-Não tenho muito tempo, precisamos ver o que vamos fazer com os dois... O resultado sai amanhã! –Eu digo jogando a minha bolsa no sofá. Taylor caminha atrás de mim ainda sonolento.

-Parece que você tem medo do resultado...

-O filho é do Jensen idiota! Tenho certeza, mas enquanto ele estiver com a monga da Lily ele nunca vai se casar comigo!

-Ele gosta da Lily... –Taylor diz se sentando no sofá. –Vai ser difícil o fazer mudar de ideia...

 -Precisamos pensar em algo... Não podemos fazer a Lily odiar o Jensen porque isso não afastaria, mas...

-Mas fazer o Jensen odiar a Lily ajudaria muito! –Taylor diz sorrindo.

-É claro! Ele adora exclusividade, então se a Lily o trair...

-Então vamos conseguir separar os dois! Mas... Como vamos fazer isso?

-Ah, eu tenho uma ideia... E ela é muito boa, vai funcionar perfeitamente... Se você aceitar o que eu vou propor, é claro! –Eu caminho até ele e me sento ao seu lado, inclinando meu decote para ele. Eu sabia que ainda conseguia mexer com o Taylor.

 

*JENSEN NARRANDO*

Acordo com alguns raios de sol ultrapassando as cortinas do meu quarto, olho para o lado e veja a Lily dormindo profundamente, era uma ótima imagem para começar o dia.

-Bom dia. –Digo baixinho e começo a beija-la sem parar, ela vai acordando aos poucos.

-Bom... Dia! –Ela sorri e começa a se espreguiçar, então aproveito e subo em cima dela colocando minhas pernas cada uma de um lado.

-Você consegue ser sexy ate acordando senhorita Collins! –Eu digo e começo a beijar seu pescoço, ela começa a ficar arrepiada e passa de leve suas unhas pelos meus braços me fazendo ficar bastante excitado.

-E você consegue ser um tarado á qualquer hora do dia não é senhor Ackles? –Ela diz sorrindo.

-A qualquer hora que você está comigo... Aliais... –Eu abaixo um pouco da minha cala e a cueca, tirando o para fora. Eu já estava louco pela Lily. –Não grita tá? –Eu digo e antes que ela consiga responder alguma coisa, eu rapidamente afasto a calcinha dela com o dedo e penetro com força, ela arqueja as costas e coloca a mão na boca tentando abafar o grito que saiu sem que ela pudesse segurar. Ela estava tão apertada e tão gostosa, eu ficaria dentro dela por horas sem parar! Então eu espero ela se acalmar e começa um ritmo devagar e aos poucos ela vai ficando molhada e quente; eu me deito sobre ela e ela me abraça forte, gemendo baixinho no meu ouvido, chamando meu nome e pedindo mais... Eu vou cada vez mais fundo e então aumento o ritmo e dou várias estocadas fortes, ela tenta abafar seus gemidos enquanto crava suas unhas nas minhas costas. Levanto um pouco o corpo e apoio as mãos no colchão, Lily está de olhos fechados, mordendo os lábios de tanto prazer e então eu pego uma das pernas dela com uma mão e levanto até a altura do meu ombro, o apoiando ali, ela começa a se contorcer, eu sabia que ela estava chegando ao seu limite; Sua expressão me enxia de tesão e eu ficava louco apenas de olhar para ela franzindo a testa sentindo dor e prazer ao mesmo tempo.

-Ah... Jensen... –Ela agarra o lençol da cama com as duas mãos e se liberta, inclinando sua cabeça para trás e sua boca entre aberta. Não consigo segurar por mais tempo e tiro de dentro dela me aliviando na cama. Caio ao seu lado na cama.

-Nossa... –Eu digo tentando controlar a respiração, ela olha pra mim com um sorriso cansado.

-Você é louco! –Ela diz e se levanta da cama indo ao banheiro.

-Eu também te amo! –Eu grito rindo e me levanto também. Nós tomamos um banho rápido juntos e nos trocamos para irmos tomar café. A ideia de ter a Sophie na mesa do café começou já a me incomodar, ela não ia perder a chance de fazer alguma piadinha idiota com a Lily.

-Bom dia senhor Ackles. Senhorita Collins. –Minha governanta diz enquanto nos sentávamo-nos à mesa do café.

-Bom dia! –Eu respondo mais animado do que eu costumo ser. Ela estranha um pouco, mas olha para a Lily e solta um quase imperceptível sorriso.

-Bom dia! –Lily diz corando.

-A Sophie não vem para o café? –Eu pergunto.

-A senhorita Turner saiu cedo e ainda...

-Estou aqui! –Sophie interrompe chegando à sala de jantar. –Sentiu a minha falta foi Jensen?

-Não... Eu estava feliz de poder tomar meu café da manhã em paz! –Eu digo. Sophie solta uma risadinha sarcástica e se senta á mesa. –Cadê o Gabriel? –Pergunto. Lily está com sua expressão séria.

-Bom saber que você ficou transando com a sua namorada e nem se importou de ver se seu filho estava vivo lá no quarto! –Ela diz e toma um gole no suco de laranja.

-Eu só não meto a mão nessa sua cara de vadia Sophie, por causa do seu filho! –Lily diz pegando nós dois de surpresa.

-Ah ela fala! –Sophie responde.

-Cala a boca Sophie! –Eu digo.

-Não Jensen, deixa ela falar! Ela não precisa chamar a atenção o tempo todo? Então! Deixa ela dar o showzinho de mal caráter dela, porque é só isso que ela é... Uma pobre coitada que é tão podre por dentro que precisa fazer isso pra alguém notar a presença dela! –Lily diz e seu tom é um pouco mais alto. Sophie joga o guardanapo na mesa e se levanta.

-Pobre coitada? Eu? Tem certeza? Porque você é só mais uma que ele está pegando, você nunca vai passar disso!

-E você? –Lily se levanta da mesa também, me fazendo levantar em seguida. –Você não passou de umazinha no passado e não passa de uma vadia interesseira agora!

-Sophie eu acho melhor você arrumar as suas coisas e sair do meu apartamento! –Eu digo.

-Você vai mandar a mãe do seu filho pra rua por causa dessa sonsa? Me trouxe e até aqui pra jogar eu e o seu filho na rua Jensen? –Ela grita e seus olhos enchem de lágrimas. Era como se ela soubesse que eu não aguentava ver ninguém chorando.

-Você é uma vadia baixa! –Lily diz e a eu seguro pelo braço antes dela ir para cima da Sophie.

-Calma... Lily não vale a pena! –Eu viro o rosto da Lily pra mim e ela parecia bem nervosa. –Sophie vai ficar com o Gabriel, agora...

-Você uma hora vai perceber que está destruindo a chance de termos uma família, de o seu filho ter uma família por essa... Garotinha! –Sophie diz chorando e sai da cozinha derrubando a cadeira no chão. Logo o Blackwell e a minha governanta surgem na sala para ver o que tinha acontecido.

-Senhor Ackles! –Ele diz. Lily começa a chorar e senta se novamente na cadeira, eu fico sem saber como reagir.

-Eu vou trazer um copo de água e açúcar para a senhorita Collins! –Minha governanta vai correndo até a cozinha e volta.

-Obrigado. Bebe um pouco Lily... –Eu digo e a Lily tenta se acalmar.

-O que aconteceu senhor Ackles? –O Blackwell pergunta.

-A louca da Sophie... Você está melhor Lily? –Eu pergunto e seguro a mão dela que estava fria.

-Eu quero ir embora... É melhor eu ir pra casa Jensen! –Ela diz colocando o copo na mesa e se levanta.

-Não! Eu não vou deixar você ir embora nesse estado!

-Senhorita Collins, não deixe que a Sophie estrague o dia de vocês. –A minha governanta diz tentando acalmar a Lily.

-Eu não vou conseguir competir com ela e um filho! Desculpa... –Lily diz secando as lágrimas e eu fico desesperado só de pensar que ela está desistindo de tudo outra vez.

-Lily, por favor... –Eu digo e sinto meus olhos ficarem lagrimejados. –Lembra que vamos dar um jeito de fazer isso dar certo? –Eu seguro o rosto da Lily com as duas mãos e a olho fixamente nos olhos.

-Eu acho que vai ser bem difícil. –Ela diz com uma voz triste.

-Mas eu te amo e é isso que importa! Vai dar certo, eu prometo. –Eu digo e dou um selinho, ela faz que sim com a cabeça. A Senhora Mills, minha governanta, segura na mão da Lily e sorri. Eu estava surpreso porque ela não costumava ser assim com ninguém, parece que a Lily tinha conseguido a simpatia dela.

-Não deixa a Sophie entrar senhorita Collins. Não entre vocês. –A senhora Mills diz e sorri para a Lily, que sorri de volta e então ela se retira.

-Eu vou te tirar daqui ok? Blackwell... Prepara o meu carro, nós vamos sair.

-Sim senhor. –E ele sai.

-Vamos pra onde? –Ela pergunta.

-Vou te levar para um passeio... Vou fazer você esquecer isso! –Eu digo e ela me abraça forte.

Fomos para o quarto, ela ainda estava muito calada e então pegamos a bolsa dela e fomos até a entrada do hotel onde o Blackwell já estava com o meu carro. Pego a chaves e seguimos até o porto da cidade, ficavam uns trinta minutos do meu apartamento.

-Me trouxe para ver o porto da cidade? –Ela pergunta enquanto sai do carro.

-Não... Não é o porto que você vai ver hoje e sim o mar! –Eu digo e estendo a mão para ela, Lily sorri de lado e já me deixa menos preocupado.

-O mar? Como assim? –Ela diz e começamos á caminha até um ponto onde ficavam alguns barcos e lanchas.

-Vai ver o mar de perto... Em cima disso! –Eu aponto para um pequeno mais luxuoso barco ancorado no porto. Ela arregala os olhos e abre a boca surpresa.

-Você tem um barco... Só seu? –Ela pergunta sorrindo.

-Se eu quisesse Lily, eu teria essa cidade no meu nome! Vem. –A puxo pela mão e entramos no barco. –Bom dia Patrick. –Eu cumprimento o cara que cuidava do meu barco aqui no porto.

-Bom dia senhor Ackles. É um prazer ver o senhor por aqui hoje!

-Essa é a minha namorada, senhorita Collins. –Ele estende a mão para a Lily e a cumprimenta. Ele parece um pouco surpreso, afinal a única mulher que já venho aqui comigo foi a minha mãe.

-Está tudo pronto. –Ele diz e me entrega as chaves e nos despedimos dele.

-Preparada? –Pergunto para Lily e ela ainda não parece acreditar.

-Eu nunca andei... De barco assim! –Ela vai até a polpa do barco e se apoia nas grades. Confesso que a imagem dela assim, com o vento balançando seu cabelo ruivo me deixava extasiado. Eu não poderia a deixar partir da minha vida, eu não consigo mais viver sem essa garota. O dia estava lindo, o céu azul parecia que estava nos esperando. Passamos o dia inteiro juntos, pedi que ela contasse mais sobre ela, sobre sua vida... Mas eu sentia que ela me escondia alguma coisa e se eu insistisse que ela me contasse sei que estragaria o clima mais uma vez entre a gente e eu não queria, ela estava realmente feliz de estar aqui comigo.

Na volta ela acabou adormecendo no carro e eu segui para a casa dela.

-Lily? –Eu dou um selinho e ela acorda.

-Já chegamos? –Ela pergunta sonolenta.

-Sim... Queria te levar para a minha casa, mas sei que amanhã você tem aula... –Eu aliso suas bochechas com o meu polegar e ela sorri.

-Eu não acho mesmo que seria uma boa ideia voltar lá! –Sua voz é um pouco triste.

-Você está vermelhinha por causa do sol! –Eu digo e ela volta a sorrir outra vez e me abraça forte.

-Obrigada por ontem e por hoje. Eu te amo. –Ela diz enquanto me abraça. Ela não tem noção de quanto eu amo ouvir ela me dizer isso.

-Amanhã eu te ligo. Eu te amo. –Eu digo e nós nos beijamos. Espero ela entrar em casa e vou embora para o meu apartamento. Quando eu chego, vou direto para o banho, ainda tinha algumas coisas pra fazer no escritório.

-Não vai jantar? –Sophie pergunta assim que saio do quarto, ela estava com o Gabriel no colo.

-Vou... Daqui a pouco. –Eu me aproximo deles e dou um beijo no Gabriel que estava mais interessado em morder o brinquedo que estava na mão.

-Sobre hoje de manhã...

-Sophie, chega! Amanhã isso tudo acaba então não vale a pena discutir sobre isso agora. –Eu digo e me afasto deles.

-Só queria pedir desculpa pelo o que eu disse sobre a Lily. Só isso. –Ela fala e leva o Gabriel até o sofá.

-Eu preciso trabalhar agora. Não me espere pro jantar. –Eu digo e saio da sala, e vou direto para o escritório. Tinha tantas coisas pra eu resolver, essa semana seria um inferno. Eram duas da manhã quando acabei o trabalho, eu estava exausto e preferi ir dormir a jantar, então quando estava indo para o quarto, meu celular vibra e vejo que é uma mensagem do meu advogado, com certeza ele poderia esperar até amanhã. Passo pela sala e parecia que já estava todo mundo dormindo então vou até meu quarto e pego logo no sono.

A primeira coisa que eu faço quando acordo é olhar a mensagem do meu advogado e tenho uma ótima noticia: “Ackles, tudo bem? Se não está vai ficar bem agora porque acabei de receber o exame de DNA do laboratório e o Gabriel NÃO é seu filho. Conversaremos mais tarde sobre as medidas que usaremos contra a Sophie. Até mais”.


Notas Finais


Oláaaaaaaa meus amoresssss! SIM, VAMOS FICAR FELIZES PORQUE O JEN NÃO É O PAI!!!!!!! ufaaa kkkkkkkkkkkk ficaram aliviadas né? Mas já que o jen não é o pai.... Quem será? Vamos descobrir mais pra frente, Sophie é uma safadinha mesmo! E teve mais hot, porque hot de jenly é bom demaissss kkkkkkk Só que por mais que estejamos felizes agora, o Tay e a sophie estão planejando algo e posso adiantar pra vocês.... Vamos sofrer! Comentem ai o que acharam do capitulo de hoje!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...