História Mundos Opostos - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Lésbica, Original, Romance
Visualizações 38
Palavras 1.762
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, FemmeSlash, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Me perdoem o atrasos p postar att, eu estava tão focada em estudar p as provas que esqueci de escrever

Espero que gostem e desculpa os erros

Capítulo 15 - Suprise


Pov Lucy  


Segunda-feira, 8h00 am 


Todos os preparativos para o campeonato já estava completamente prontos, as pessoas começavam a chegar já indo para a quadra, onde montaram um palco


–Lucy, você sabe cantar? – uma garota perguntou para mim 


–sei... Porque?


–a minha amiga faltou e ela ia cantar, já pedi ajuda para todas as meninas do 1° B aí a Max mandou eu vir pedir para você. Você poderia cantar no lugar dela? – ela me fitava com uma preocupação evidente


–se realmente não tiver alguém que possa ir, eu vou 


–sério?? – assenti – muito obrigada – ela me abraçou e depois saiu indo falar com os professores


–abraçando os outros quando eu não estou por perto é? – escutei a voz de Max, me viro e a vejo, ela estava linda como sempre, seu cabelo solto, vestia uma calça jeans clara justa, uma camiseta larga preta com a estampa do Batman, e um all star preto


–primeiro, ela que me abraçou, segundo, pretende matar quantas? – ela me olhou confusa – andando assim tão linda, acho que nem eu sobrenãoo – ela revirou os olhos rindo


–idiota


–sou, ah... Parece que você vai conseguir me ver tocar, uma garota não veio e eu vou me apresentar no lugar dela 


–a sorte está do meu lado 


–que casal mais lindo – Scott falou nos fitando – eu quero fotinha de casal das duas

                      *********


Grande parte dos alunos já tinham se apresentado, eu pedi um violão emprestado, e agora estou esperando a minha vez


–vai lá e arrasa – Max falou sorrindo e me beijou 


–pode deixar 


Escutei os aplausos, era a minha vez, subi no palco caminhando lentamente até o centro do palco onde tinha um banquinho, olhei para as pessoas a volta e vi um homem no fundo, alto, cabelos tão escuros quantos os meus e grande o suficiente para cair sobre seus olhos, ele vestia uma camisa social e uma calça jeans, não consegui ver seu rosto por causa da distância, olhei para Max e comecei a tocar


E pra deixar acontecer,

À pena tem que valer

Tem que ser com você

Nós livres para voar,

Nesse céu que hoje tá tão lindo

Carregado de estrelas

E a lua tá cheia refletindo o seu rosto

Dá um gosto de pensar

Eu, você e o céu e a noite inteira para amar 


Aquele homen me fitava, diferente das outras pessoas na platéia, e isso estava me intrigando 


E quando o sol chegar

A gente ama de novo

A gente liga pro povo

Fala que tá namorando 

E casa semana que vem

Deixa o povo falar

O que é que tem?

Eu quero ser lembrando com você

Isso não é problema de ninguém

Eu quero ser lembrando com você

Isso não é problema de ninguém


E pra deixar acontecer,

À pena tem que valer

Tem que ser com você

Nós livres para voar,

Nesse céu que hoje tá tão lindo

Carregado de estrelas

E a lua tá cheia refletindo o seu rosto

Dá um gosto de pensar

Eu, você e o céu e a noite inteira para amar 


E quando o sol chegar

A gente ama de novo

A gente liga pro povo

Fala que tá namorando 

E casa semana que vem

Deixa o povo falar

O que é que tem?

Eu quero ser lembrando com você

Isso não é problema de ninguém

Eu quero ser lembrando com você

Isso não é problema de ninguém


Pra deixar acontecer...


Terminei olhando para Max que sorria me vendo, os aplausos começaram e eu saí do palco, delvolvi o violão e Emily me parou 


–caralho viada, tu canta e toca bem pra caralho – eu ri de sua reação, Max me abraçou por trás e Emily sorriu maliciosa


–arrasei? – indaguei fitando a ruiva com o rosto na curva de meu pescoço


–sim


–como eu não sabia desse talento? –Scott falou – mesmo se eu treinar a minha vida toda eu não consigo essa caralha


–olha a boca – Max o repreendeu, escutei palmas vindo de trás de mim, todos pararam de falar tão confusos quanto eu


–será que eu posso conversar com a Lucy um minuto? – uma voz mas que conhecida chegou até mim, me viro e vejo o mesmo homem de antes, dessa vez eu pude ver seu rosto


Eu perdi as forças assim que o vi, se Max não tivesse me segurado eu teria caído ali mesmo


–Lu tá todo bem? – eu não conseguia falar ou agir, eu estava paralisada


–eu sei que te devo muitas explicações, mas pode não me odiar? Pelo menos até eu explicar tudo? – eu corri em direção à ele e o abracei deixando que as lágrimas caíssem – eu também senti saudades, filha – ele retribuiu o abraço com a mesma intensidade do meu


–Lu, tu é foda! Tenho orgulho de te ter como irmã – Alice se aproximou e também paralisou ao ver ele 


–olá Ali – meu pai disse sorrindo, Alice não pensou duas vezes antes de abraçá-lo 


–a mamãe vai ter um treco quando te ver – comentei imaginando a reação dela


–quais são as minhas chances de sobrevivencia?


–30% – falei, senti uma mão segurando a minha, a Max estava mais branca do que ela já é – até parece que viu um fantama – falei divertida


–é quase, você não disse que viu ele morrer?


–posso saber quem é essa? – meu pai interrompe me fitando sugestivo 


–pai, essa é a Max, minha namorada – Scott e Emily que já estavam sem expressão alguma ficaram boquiaberta ao escutar o que eu falei


–o que? Quando? Como? – Emily me perguntou


13h00 pm


Depois de Scott e Emily se destrair com o campeonato meu pai nos chamou para comer algo fora, Ele explicou tudo que aconteceu e falou que a mamãe já sabia de seu paradeiro, na verdade ela sempre soube de tudo antes mesmo de tudo acontecer


Flash back on


3 anos e meio atrás 


Charles e Jonas estavam na cabana, bebendo e jogando conversa fora como sempre até que uma van preta para em frente à cabana chamando a atenção dos dois, um homem de terno e oculos saiu do carro, Charles foi de imediato ver o que esse homem queria


–por que está aqui? Eu já disse que não vou mais trabalhar para vocês – Charles disse 


–eu não vim aqui para fazer você voltar, eu vim aqui para lhe dar um aviso – o moreno ficou confuso e curioso – tem pessoas que estão atrás de você, por vingança


–como você sabe disso?


–uma dessas pessoas veio até mim te procurando, é claro que eu não dei nenhuma informação sobre você ou sua familia, mas eles o acharam mais cedo ou ma tarde – o homem voltou para dentro da van e sorriu para Charles – existem pessoas que pagarima uma nota alta para te matar, eu ficaria em alerta se fosse você – o homem fechou a porta da van e foi em bora


–o que houve? – Jonas se aproximou curioso


–minha família tá em perigo – o olhar de Charles era de preocupação – eu tenho que fazer algo – o mesmo entrou na cabana e começou a fuçar nas coisas enquanto pensava o que poderia fazer


–como assim?


–tem pessoas vindo atrás de mim, e se souberem que eu tenho uma esposa e duas filhas, eles irão atrás delas – Charles pegou um vidro e o fitou por alguns segundos – não se...


–eu odeio quando você faz essa cara, no que você está pensando?


–eles não irão atrás delas se descobrirem que eu morri


–e o que vá fazer? Se matar? – Jonas perguntou sem humor algum


–quase... você ainda tem aquele remédio que deixa você "morto" por um certo tempo? 


–sim


Jonas parecia não gostar da ideia de Charles no começo, mas sabendo o quão cabeça dura seu amigo é ele resolveu ajudar


Forjar a própria morte e deixar seu melhor amigo e antigo companheiro de batalha cuidando de sua família em outra cidade não foi fácil. Ficar afastado da esposa e das filhas por três anos, uma tafera bem difícil, mas Charles queria ter certeza que todos achavam que ele estava morto, inclusive suas filhas 


Flash back off 


–e na teoria sua mãe não aprontou nada com o Jonas 


–então era por isso que eles não faziam sexo – falei pensativa arrancando risadas de Alice e Max bateu no meu ombro me repreendendo – o que foi?


–não fala essas coisa num lugar público! – ri de seu olhar levemente ruborizado


–mas espera... Se foi assim porque a mamãe fingiu estar com o Jonas todo esse tempo?


–por você – Alice falou – ela sabia o quanto você seria afetada por isso então pediu para o Jonas fingir ter algo com ela


–ela deveria trabalhar de atriz – comentei 


–se deus quiser, tudo voltará a ser como era nos velhos tempos rapidamente – meu pai comentou – mas mudando de assunto, eu quero saber mais sobre vocês, ela cuida bem de você? – ele perguntou para Max, imediatamente senti minhas bochechas esquentarem


–pai!


–o que? Eu quero saber


–sim – Max respondeu – ela cuida muito bem de mim 


–vocês já... 


–ontem de manhã eu escutei uns barulhos vindo do quarto da Lu, pai – Alice falou tomando um gole de seu suco


–isso é um complô agora? – Max riu, ela estava tão sem graça quanto eu nessa situação – eu desisto – peguei meu fone, mas antes de eu ligar a música Max puxa meu fone chamando minha atenção


–nem pense em me deixar nessa situação 


–você se colocou nessa situação após ter feito aquilo ontem, se vira 


–não, eu quero falar com as três – meu pai falou – a Ali anda aprontando muito?


–ela vive chamando o Jake para "estudar" – fiz aspas com os dedos


–Jake? – meu pai e Max falaram em uníssono e Alice olhava para o chão como rosto ruborizado 


–o irmão da Max que é da mesma sala que a Ali – Max fitou Alice boquiaberta 


–você não pode falar muita coisa, vive levando a Max pra casa! – Alice rebateu me fazendo rir 


–sim, mas eu não uso uma desculpa esfarrapada como "meu amigo vai vir aqui para a gente estudar" 


–vocês não mudaram nada – meu pai falou divertido


–fazer o que né – Alice levantou e passou o braço no meu pescoço me puxando para perto de si – a gente não tem concerto 


Depois de um bom tempo Max se despediu e foi para a casa dela, agora era só pegar uma câmera e gravar a reação da mamãe e do Jonas ao ver o meu pai


–Chegamos – meu pai falou ao entrar, de imadiado a minha mãe foi o abraçar. Jonas ainda não chegou


foram lágrimas e abraços quase a tarde toda, Jonas chegou e também quase desabou ao ver meu pai. E eu descobri que o Jonas nem dormia no mesmo quarto que minha mãe, assim como a nossa antiga casa Jonas tinha o seu próprio quarto, que ele dizia ser seu escritório e que não era para ninguém entrar


Tudo estava finalmente melhorando para mim.




Notas Finais


O que acharam??
Eu tô trabalhando em algo então talvez eu demore p lançar a próxima att

Bye stars <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...