História Murderess? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 17
Palavras 743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Prólogo


Narrador — Point Of View

 

Sala de Interrogação do Departamento Policial de Los Angeles

 

— Eu não sou uma das pessoas mais certas deste mundo, mas eu jamais faria aquilo com Steven. Por favor, ele era meu namorado. Como acham que eu seria capaz de cometer tal atrocidade? Eu não me lembro muito bem daquela noite, fato o qual eu não sei o por quê. Mas posso garantir que alguma coisa está errada. Eu não fiz aquilo. As peças não se encaixam. — a garota loira dos olhos verdes dizia tudo calmamente, ainda um pouco confusa e atordoada com todos os recentes acontecimentos, mas com a total certeza de que era inocente.

— Tente se lembrar. Faça um pequeno esforço. — o investigador insistia, tentando fazer com que a acusada confessasse sua culpa.

Ele era um dos melhores detetives em sua cidade, sempre resolvia os casos que lhe eram entregues com maestria, enxergando os culpados e os inocentes a milhas de distância. Mas, neste caso, não consiguia enxergar nada além dos fatos que lhe foram apresentados. O trabalho foi feito com perfeição, nenhum vestígio fora deixado. Olive era vista como a real culpada, exatamente como foi planejado.

— Não se lembra de nenhuma briga, alguma discussão, ou algo que ele lhe tenha feito naquela noite que não foi de seu agrado? — ele pergunta.

— Eu já disse que não. As únicas coisas de que eu me lembro foram os momentos na boate. Ainda sim muito confusos mas nada fora do normal. Apenas pessoas dançando, bebidas, música alta, coisas que geralmente acontecem em lugares assim. — a garota responde, realmente se esforçando para lembrar do que poderia ter acontecido. Nada lhe vinha a mente.

— Substâncias ilícitas? — o investigador tenta obter mais informações. — A senhorita usou algo durante a festa?

— Eu já usei drogas. Mas não naquela noite. — ela responde, tendo este fato como uma de suas únicas certezas, além de que ela não era a culpada.

— Como pode ter tanta certeza, se me disse que não se lembrava de quase nada? — o homem pergunta desconfiado.

— Eu acordei naquele beco, mas não da mesma forma que geralmente acordo quando uso drogas. — ela responde simplesmente.

— Como acorda quando usa drogas?

— Com uma dor de cabeça quase infernal, a boca seca, um pouco de tontura, sempre vomito e no começo eu não me lembro do que aconteceu quando eu estava sobre o efeito, mas as poucos as lembranças vão retornando a minha memória. — ela diz, se recordando de como fica após o efeito de drogas.

— E de que forma acordou naquele beco?

— Eu estava meio grogue, como se tivessem me aplicado sedativo, minha cabeça estava doendo e ao passar a mão em minha nuca, meus dedos voltaram cobertos de sangue. E, como já disse, não me lembrava de nada. — ela responde, lembrando do momento mais triste de sua vida.

— A senhorita pode ter usado uma grande quantidade dessas substâncias, maior do que está acostumada, por isso não se lembra. — o investigador afirma, com um quase impercetível sorriso vencedor.

Ele não estava mais aguentando aquele caso, odiava essa enrolação toda, para ele o caso já havia sido resolvido, todas as provas levavam a uma mesma conclusão: Olive era a culpada. Sem discussões, sem mais intervenções, era o que os fatos diziam, portanto era a verdade.

— Mas eu não estava do mesmo modo que quando uso drogas. — ela insiste em sua afirmativa, calmamente.

Olive não era de demonstrar emoções na frente das pessoas. Uma das poucas que já a viram chorar era Steven, mas agora ele não estava mais com ela.

— Por que a senhorita está tão calma diante de toda essa situação? A maioria das pessoas já teriam desmoronado.

— Porque eu sei que sou inocente. E não sou como a maioria das pessoas.

— E por que tem tanta certeza de que é inocente se os fatos nos dizem totalmente o contrário?

— Porque eu jamais faria aquilo com ele.

— Algum motivo?

Eu amava, e ainda amo, Steven Moore.

 

[...]

 

Tribunal de Los Angeles

 

O som do martelo do juiz ecoa pelo tribunal, fazendo com que todos que estavam ali presentes se calem.

O juiz se pronuncia.

— A acusada deverá, tendo em vista sua menoridade, passar um ano no reformatório. Para de lá cumprir cinco anos de prisão. Olive Skye Campbell é, por tanto, considerada culpada pelo assassinato de Steven Harry Moore. O caso está encerrado!

O som do martelo em contato com a madeira ecoa novamente.

Olive jura se vingar e vingar a morte de seu amado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...