História Music - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 1.405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Festa, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem, boa leitura, Kissus ^^

Capítulo 1 - Capitulo 1:


Fanfic / Fanfiction Music - Capítulo 1 - Capitulo 1:

  Eram 08h00minmin da manhã quando elas acordam com alguém abrindo as cortinas.

_ Anda, levantem Eduarda e Vitória já tá hora. – falou a mãe dela abrindo as cortinas e deixando os raios de sol entrar.

_ Não! Eu não quero levantar, fecha as cortinas! – reclamou Eduarda cobrindo a cabeça.

_ Ir para onde mãe? – reclamou Vitória virando para o lado.

_ Vamos ir visitar seu irmão. – falou e ela suspirou pesadamente se virando na cama – Não adianta reclamarem, já faz dois anos que ele foi embora filhas, já tá na hora de irmos visitar ele e ver como estão às coisas, andem levantem, não mandei ficarem assistindo filme até tarde.

_ Quer ver o que mãe? A garota com quem ele traiu a Anna? Porque eu mesma não tenho vontade nem de olhar na cara dele. – falou Eduarda irritada se levantando e fechando as cortinas.

_ Eduarda eu não perguntei se você quer ir ou não, então vai arrumar suas coisas porque vamos passar as férias inteiras lá, então é bom que nesses dois meses você pelo menos finja se dar bem com a nova namorada do Theo! – falou sua mãe saindo do quarto deixando-a frustrada.

_ Odeio meu irmão! – reclamou se levantando e pegando a mala.

Relaxa pandinha, olha até que vai ser bom, imagina vai que a gente encontra a Anna por lá! – falou Vitória alegre – E olha vai ser bom ver o Theo.

_ Bom para você né Vitória! – falou pegando um monte de roupas e largando na mala.

  Depois de longos minutos elas terminam de arrumar suas roupas, Eduarda colocou praticamente todas as suas coisas na mala, e depois foi para o seu violão o colocando com cuidado na cama e colocando seus discos, pendrives, cd’s e muitos livros em outra mala. Saiu do quarto levando todas as coisas para o andar de baixo, chegando lá sua mãe a encarou. Já Vitória só levou roupas e sapatos.

_ Para que tudo isso? – perguntou seu pai a olhando preocupado, achando que sua filha iria e não voltaria mais.

_ Porque se eu vou ter que ficar olhando para a cara do meu irmão e para a nova namoradinha dele eu tenho que pelo menos ter música. – falou colocando suas coisas no chão.

_ Deixa-a levar o que quiser desde que não faça escanda-lo no avião, temos cinco horas de viagem daqui até Nova Orleans. – falou a mãe dela e um som de buzina se é ouvido do lado de fora – Vamos logo.

  Eles saíram da casa e chegaram ao aeroporto, Eduarda passou a viagem inteira com os fones de ouvido olhando pela janela e até cantou dentro do avião e deixou todo mundo olhando. Quando chegaram à Nova Orleans Eduarda permaneceu com os fones de ouvido, até que na troca de música ouviu sua mãe gritar de alegria, pois provavelmente havia avistado seu irmão e ela fez questão de aumentar o volume da música.

_ Meu Deus Theo! Como você está bonito! – falou a mulher alegre por ter encontrado o filho – Francis olha! Ele não está lindo?

_ Meu Deus Angeline, se acalme, deixe o garoto respirar. – falou o homem rindo e abraçou o filho.

_ Mãe! Pai! Como eu senti falta de você! – falou os abraçando.

_ Se não tivesse sumido não teria sentido falta de ninguém. – falou Vitória ao lado de Eduarda.

_ Vivi! Que saudade de você! – falou indo abraçar a irmã que o abraçou forte e ele olhou para Eduarda que não tinha retirado os fones de ouvido – Du...

_ Eduarda, tira esse fone! – falou Angeline e Eduarda começou a cantar em voz alta.

_ Some legends are told

(Algumas lendas são ditas)

Some turn to dust or to gold

(Algumas viram pó e outras ouro)

But you will remember me

(Mas você se lembrará de mim)

Remember me for centuries

(Lembrará de mim por séculos)

And just one mistake

(E apenas um erro)

It's all it will take

(É tudo o que precisa)

We'll go down in history

(Vamos ficar na história)

Remember me for centuries (Lembrará de mim por séculos) ... – cantou Eduarda ignorando o irmão completamente, ela só fez isso para irrita-lo, pois tinha desligado a música.

_ Eduarda! – falou sua mãe puxando os fones dela.

_ Oi mamãe. – falou sorrindo de canto, Theo encarava a irmã sem reconhecê-la, pois ela mudou tanto desde a ultima vez que a virá, tudo bem que fazia dois anos, mas como ela podia ter mudado tanto?

_ Eduarda, você prometeu. – falou Francis, e Eduarda encarou o irmão como se o tivesse visto pela primeira vez.

_ Oi, eu não tinha te visto aí. – falou irônica e Vitória segurou a risada.

_ Venham – falou Theo ignorando a ironia da irmã, e eles seguiram para o carro, todos entraram e Theo ligou o carro, Vitória e Eduarda colocaram os fones no ouvido e ficaram ouvindo até chegarem a uma casa grande.

_ Filho você mora aqui? – perguntou Angeline surpresa.

_ É mãe, é aqui que eu e a Natasha moramos agora. – falou Theo saindo do carro.

_ Falando nela, onde ela está? – perguntou Francis reparando que a namorada do filho ainda não tinha aparecido.

_ Ela tá na empresa, tinham umas fotos para fazer. – falou e Eduarda revirou os olhos – Entrem.

  Quando colocaram os pés na casa Angeline começou a falar de como a decoração era bonita e tudo mais.

_ Menos mãe... – falou Vitória rindo da cena da mãe.

_ Calada Vitória, me deixa aproveitar esse momento, to entrando na casa do meu filho. – falou e Vitória e Francis riram, enquanto Eduarda continuava vendo os quadros procurando qualquer vestígio de alguma foto da Anna, mas não teve sorte.

_ Bom, tem uma coisa que preciso falar com vocês. – falou Theo e todos olharam para ele – A divisão dos quartos ficou assim, vocês em um e a Vitória em outro.

_ Mas e a Pandinha? – perguntou Vitória apontando para Eduarda que parece ter voltado a prestar atenção nesse momento.

_ Bom, eu não sabia que ela vinha. – falou Theo e Eduarda sentiu um pouco de surpresa.

_ Como assim Theo? Eu disse que era viria! – falou Angeline um pouco nervosa.

_ É mãe, e eu lhe disse para ela ficar na casa da tia. – falou e a boca de Angeline se formou em um “O” perfeito.

_ Como assim? Sua irmã não pode ficar aqui? – perguntou Francis sem entender.

_ A Natasha acha melhor para evitar constrangimento e tensão. – falou e seus pais se entre olharam e Eduarda pegou seu violão e suas malas e foi em direção da porta.

_ Pandinha! – falou Vitória chamando a atenção da irmã – Onde você vai Eduarda?

_ Eu sei quando não sou bem vinda em um lugar Unicórnio, e o problema é eu ficar aqui não tem problema, já estou de saída. – falou abrindo a porta e saindo antes que alguém falasse algo e Vitória se virou para eles.

_ Vocês não vão fazer nada? – perguntou Vitória encarando eles que pareciam pensativos.

_ Eu vou atrás dela, já está quase escurecendo e agora é inicio de carnaval as ruas estão lotadas. – falou Theo indo para a porta se abriu rapidamente revelando uma garota loira.

_ Oi amor! – falou8 a garota que logo encarou as pessoas ali – Ah, sua família já chegou.

_ Olá, você deve ser a Natasha, eu sou Angeline, mãe do Theo e esse é o Francis meu marido e pai do Theo. – falou cumprimentando a menina que deu um sorriso falso e beijou seu rosto.

_ Muito prazer! – falou sorrindo.

_ Sério? – perguntou Vitória chamando a atenção deles.

_ Vitória, venha cumprimentar a namorada do seu irmão. – falou Francis e Vitória deu um olhar de reprovação.

_ Oi. – falou seca e logo voltou a encarar os outros – Podemos ir atrás dela agora?

_ Fiquem aqui, eu vou atrás dela. – falou Theo abrindo a porta.

_ Não querido, é melhor irmos com você, afinal tudo isso provavelmente é minha culpa. – falou Natasha fingindo se importar.

_ Vamos todos então, mas é melhor irmos rápido, pois não iremos poder ir de carro e ela provavelmente está longe. – falou Angeline e eles se dirigiram para a porta.

COM EDUARDA...

Eduarda andava pela cidade carregando suas coisas pesadas nas costas, todas aquelas pessoas alegres dançando e cantando não pareciam ser nada agora, até que ela ouve alguém lhe chamando.

_ Eduarda? – perguntou aquela voz doce que tanto adorava.

_ Anna! – falou se animando rapidamente.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...