História My Angel - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Beth Greene, Bob Stookey, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Jessie Anderson, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sam Anderson, Sasha, Tara Chambler
Tags Negan
Visualizações 36
Palavras 1.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meninas, tudo bom? Desculpem a demora. Eu estava sem internet por isso demorei pra atualizar, quero avisar tambem que vou ficar uns tempos sem postar capitulo dessa e das outras fics motivo? Acebei de receber a noticia que meu tio faleceu e isso me abalou muito psicologicamente. Eu gostava muito dele, e sua morte mecheu muito comigo. Entao é so isso, boa leitura amor voces ❤❤

Capítulo 5 - Caipira egoista


  Chego em casa batendo a porta,eu estava puta. Depois da noite de ontem eu pensei que as coisas entre mim e Daryl iriam mudar mas não,ele só me usou como um brinquedinho pra satisfazer seus desejos e depois me descartou.

Minha raiva e indignação entalada na garganta,querendo ser solta esmurrando algo. Soco a parede mas me arrependo em seguida,chacoalhando a mão que doía pelo ato de segundos atrás.

Nossa briga vem em minha cabeça como um soco.

Flashback on

Acordo sentindo minhas costas repousada em algo macio. Me sento na cama atordoada,não sabia como tinha ido parar ali. Mas logo Daryl vem em minha mente,ele havia me trazido até aqui. Mas sera que dormiu comigo? Meu coração se aquece com a imagem de nós dormindo juntinhos.

Olho pro lado vendo que só havia um travesseiro ali,oque eu usava a poucos. Então provavelmente ele tinha dormido na salá ou qualquer outro lugar.

Levanto vestindo minhas roupas que estavam na poltrona ao lado da cama e saio do quarto.

Quando chego a sala o vejo deitado no sofá,sua respiração era tranquila e ele dormia serenamente. Sorrio vendo seu peito desnudo subir e descer lentamente.

Ando ate ele me abaixando ao seu lado,me sentando nos calcanhares. Faço carinho em suas madeixas pretas e ele se remexe abrindo os olhos azuis. Me olhando confuso.

-Lúcia?..-pergunta,a voz rouca e sonolenta. Sorrio beijando seu rosto

-Bom dia dorminhoco.- indago ainda afagando sua cabeça. Ele afasta a cabeça de meu toque e eu tiro a mão a pondo em cima de minha perna.

-Bom dia..-Diz ríspido. Se sentando no sofá e passando as mãos no rosto.

Seus músculos rígidos com algumas marcas vermelhas. Sorrio vendo que eu o marquei,me sento ao seu lado passando a mão por sua costa mas ele segura meu pulso em um movimento rápido.

-Oque você ainda esta fazendo aqui?..-pergunta rude. O olho confusa puxando o braço.

- Acabei de acorda.. Decidi acorda-lo pra irmos preparar o café da manhã juntos.

-Juntos?.. Ta pensando oque? Que somos um tipo de casal ou algo do tipo?..-Suas palavras saem gélidas e grosseiras. Mas eu não dou a mínima.

Já havia aprendido a lidar com a bipolaridade de Daryl Dixon. Essa era sua maneira de se defender do mundo,sendo grosseiro pra afastar as pessoas. Mas eu já me acostumei

-Não. Claro que não,que doideira Daryl..-Falo sorrindo. Ele bufa frustado.

- Olha lucia. Não foi só porque eu te comi que agora vamos ter que sair por ai de mãos dadas e acordar juntos e irmos pra cozinha preparar café enquanto o outro fica olhando abobalhado pra pessoa que nem nos filmes.. Você é linda e muito muito atraente.-Respira fundo..- Você é muito gostosa e porra,é difícil pra mim confessar isso mas não quero que me entenda mal.

Eu o olhava atenta,sorrindo largamente por ele ter confessado que me achava bonita.. Mas ignorando as suas grosserias e palavriados sujos.

-Me acha linda?..-pergunto sem graça. Ele desvia os olhos da parede pra mim me encarando indignado e ao mesmo tempo irritado.

-Só prestou atenção nisso?.-Pergunta incrédulo,nego

-Não,mas eu ja aprendi a lidar com suas grosserias. Não me abalo mas como antes.-dou os ombros. Ele respira fundo.

-Sim lucia,eu te acho linda. E só um otário pra dizer ou achar o contrário.. Mas quero que entenda que oque nós tivemos não foi nada,foi apenas sexo. Só uma noite..-Sua expressão fechada demostrava o quanto ele não estava feliz com a conversa

- Te farei pensar o contrário. Mas enquanto isso obrigada,eu também te acho lindo e..

-Porra..-ele Vocifera me interrompendo..- Garota você é burra? Eu não queria ser grosseiro,não mais que o normal. Mas pelo visto é difícil fazer você entender algo sem ser xingando.

Eu arregalo os olhos,assustado com sua atitude. Ele respira fundo tentando se acalmar.

-Oque houve entre nós dois. Foi bom. O sexo foi maravilhoso,e foi exatamente isso sexo. Apenas desejo carnal sem sentimentos... Pelo menos da minha parte. Quero que entenda que nada entre nós vai mudar,eu não sinto nada em relação ao que ouve,contínuo te vendo como a maldita filha do meu melhor amigo,mas somente isso. Você é só uma criança e tem muito oque aprender,não me leve a mal.. Mas eu sou homem,tava a tempos ja sem sexo. E ver uma garota atraente como você se esfregando em mim foi a deixa pro meu desejo falar mais alto,por minha falta de sexo tomar posse de mim.

Ele pausa,respira fundo e me encara. Eu sentia suas palavras entrarem em meus ouvidos como facas me perfurando. Contínuo calada,eu estava em choque. Em choque por ouvi-lo falar daquele jeito e em choque por perceber que eu amava aquele maldito caipira.

- Eu entendo que você como a Garota mimada que é,esperasse mais. Que depois de ontem tudo iria virar um mar de rosas e que iriamos sair por aquela porta de mãos dadas exalando amor. Mas não,desculpe mas eu não sinto isso..-suas palavras morrendo a cada palavra..- Eu transaria com qualquer mulher que aparecesse em minha frente se esfregando em mim e que estivesse disposta a me abrir as pernas pra mim enfiar meu pau e me satisfazer... Você é linda e muito boa,com certeza vai encontar alguém que a queira de verdade. Não somente por sexo mas por ama-la realmente.

Eu ouvia suas palavras atenta,meus olhos ardendo assim como minha garganta.

Mas não deu,me descontrolei e meu auto controle evaporou. E foi ao ouvir suas últimas palavras que eu explodi

-CHEGA.-grito alto. O pegando de supresa,seu rosto se contorcendo em choque.- Chega.chega.chega. Eu não quero mais ouvir,não quero..-coloco as mãos no ouvido.

Porque ele tinha que ser assim? Tão fodidamente teimoso.

- Você não sabe nada sobre mim. Nada. Não sou a porra da filhinha de papai que você pensa seu maldito caipira egoísta.-Cuspo as palavras alto.

Ele ficava calado,me ouvindo. Mas era bom,eu precisa desabafar. Todos esses malditos anos me dedicando a ele,tentando o fazer me enxergar. Tentando ama-lo,dar carinho pra no fim das contas me tratar assim? Como uma maldita vadia? Não,não dá. Essa foi a gota d'água

-Eu tentei. Juro que tentei quebrar esse muro que você criou como barreira impedindo seus sentimentos bons,e deixando somente os ruins a mercê de quem chegasse perto. Eu tentei faze-lo enxergar que nem todos são iguais as pessoas que você conheceu e conhece tentei te dar amor,carinho. Tudo aquilo que achei que você precisasse mas não eu vejo que isso nunca vai dar certo. Você construiu uma maldita duma barreira de aço que não se destrói com nada nem com palavras boas reconfortantes e bonitas,você é um caso perdido Dixon. E eu me arrependo amargamente de ter dedicado cada dia da minha vida tentando faze-lo enxergar o contrário. Tentando me aproximar e te dar aquilo que você nunca teve provavelmente,porque pra ser assim como é,você só pode ter Sid rejeitado e nunca foi amado. Não por uma mulher de verdade

Enxugo minhas lagrimas que nem havia percebido que escorriam por meus olhos. Respiro fundo,o encarando. Sua expressão fechada mostrando o homem rude,ríspido e gélido que era. O homem que não se abalava por nada,mas era tudo faixada. Eu sabia disso e comprovei isso no dia que encontramos merle morto.

- Você é um caso perdido Dixon.. Eu desisto de tentar faze-lo enxergar que nem todos são como as pessoas que você conviveu antes do mundo desabar. E até depois do apocalipse. Espero que outra consiga quebrar esse seu muro e o faça enxergar que nem tudo está acabado pra ti.. Eu realmente espero que ela corresponda o amor que você sente por ela ou seja oque for o sentimento que você tem pela mesma... Tchau Dixon.-Falo tudo o mais friamente possível e saio da sua casa sem dar tanto dele dizer algo.

Flashback off

Porque tão difícil? Porque tão amargurado,tão rude,tão ríspido. Tão,tão definitivamente gostoso.

Ai como eu odeio isso,odeio oque eu sinto por aquele caipira arrogante. Odeio o fato de ser atraída por ele,por deseja-lo por quere-lo por.. Por a sei lá. Eu odeio esse seu jeito estupidamente arrogante.

Resumindo eu odeio Daryl Dixon.

Não era mentira,eu o amava. Eu o amava aquele bosta e não sei se um dia alguém poderá me fazer esquece-lo.


Notas Finais


Prometo que quando me recuperar volto pra postar mais capitulo dessa e das outras fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...