História My Angel - Capítulo 35


Escrita por: ~ e ~idksuckers

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Cher Lloyd, Cody Simpson, Dylan O'Brien, Francisco Lachowski, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Dylan O'Brien, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Drama, Escola, Família, Festa, Luta, Novela, Romance, Shoujo Romântico, Violencia
Visualizações 467
Palavras 2.897
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡

Capítulo 35 - Vacation Pt.1


Fanfic / Fanfiction My Angel - Capítulo 35 - Vacation Pt.1

Justin’s POV On

Eu estava puto comigo mesmo pois eu havia pisado o pouco orgulho que me restava. Disse tudo o que tenho vindo a sentir nesses últimos meses ou pelo menos uma parte, porquê se eu fosse falar tudo o que ela me faz sentir eu me fodia, era estranho o que ela criava em mim, talvez até um estranho... bom. Eu nunca vou conseguir dar pra ela tudo aquilo que ela quer, tudo bem que eu posso dar tudo em bens materiais pois dinheiro não me falta, mas não em "bens sentimentais" digamos, como por exemplo, andar de mãos dadas passeando, oferecer-lhe presentes, ser carinhoso, basicamente eu não conseguia nem sabia ser romântico e estava fora de questão eu ser desse jeito.

Eu sou da máfia alta, porra. Não podia me rebaixar nem sentir pois isso seria meu ponto fraco, e muitos filhas da puta estavam desejosos pra me derrubar, isso não podia acontecer, e não iria acontecer. Mas todas essas coisas que eu falei que não posso dar pra ela é tudo o que ela precisa neste momento, alguém que a faça sentir especial, como nunca ninguém fez.

 Eu não podia sentir. A vida maltrata quem sente demais.

Entrei no meu escritório batendo a porta com tudo e abri o frigobar enchendo um copo com wisky puro bebendo tudo de uma vez, deixando toda aquela ardência me entorpecer talvez me fazer esquecer aquela porra de sentimentos, eu só podia estar delirando. É isso. Eu estava apenas confuso e com falta de uma boa transa, não podia ser doutro jeito. Procurei em minhas gavetas do escritório e peguei minha cocaína, fiz três carreiras e cheirei tudo de uma só vez sentindo a adrenalina subindo em meu corpo. Aquilo era a única coisa que fazia meu corpo e minha mente relaxar, talvez até fugir da realidade. Fiquei um bom tempo assim. Apenas bebendo, cheirando e pensando em tudo.

Eu amava o perigo.

Aprendi que meus medos me levam ao perigo e no fim de contas tudo o que eu amo é arriscado. Depois de entrar nesse mundo você nunca pode sair, é como se o teu passado sempre fosse voltar para fuder com a tua vida, então eu apenas me limitei a viver desse jeito. O passado me moldou completamente.

Viver correndo perigo e sentindo a adrenalina aumentando toda vez que torturo alguém que me quer passar a perna, ou quando pego um carregamento com os manés, quando assalto um banco e gasto todo meu dinheiro nas minhas boates onde uso e abuso das vagabundas que trabalham para mim, ou até mesmo nas rachas onde sempre ganho milhões, isso para mim era a real definição da palavra viver. Mais uma razão pra eu não poder sentir, não havia espaço nesse mundo para sentimentos,  isso te tornava fraco.

Dinheiro, poder  e respeito.

É tudo o que eu preciso neste momento, e não me poderia arriscar a perder tudo isso por uma simples garota. Não posso deixar a merda de meus sentimentos fuder com tudo. Isso é o meu mundo, e sou eu quem comanda ele.

Fui espantado de meus pensamentos com Ryan entrando com tudo no escritório e se jogando na cadeira em frente.

— Tenho que ensinar pra vocês como se bate numa porta. — disse me encostando na cadeira e bebendo mais um pouco de meu wisky.

— Dude, já passou o tempo que você mandava em mim. — disse rindo enquanto pegava um copo e se servia.

— Ainda sou seu chefe. — disse apoiando meus braços na mesa com o meu famoso sorriso sínico.

— Tabom, tabom. Vamos ao que interessa. — ele bebeu um pouco de seu wisky se sentando e logo me encarou, o olhei tentando entender onde ele queria chegar. — O que acha das Bahamas? — ele abriu um enorme sorriso e jogou um envelope na mesa, o abri vendo passagens de avião para as Bahamas para daqui a 2 dias.

— Sério isso? — o olhei com minhas sobrançelhas arqueadas.

— Andamos sempre nos matando de trabalho, e acima de tudo tirando alguns inimigos podres tentando pegar nosso pé tudo está correndo bem.  Tamos precisando disso. Emma foi sequestrada e tudo mais, o que deixa todo mundo num ambiente bastante pesado. — olhei de novo as passagens na minha mão e suspirei. Ryan tinha razão fazia um bom tempo que não embarcamos numa viagem dessas, tinhamos que marcar território, expandir um pouco nossos negócios ou até mesmo arranjar mais aliados, mas isso não nos impedia de nos divertimos um pouco, não é mesmo?

— Tudo bem. — o mesmo sorriu e logo veio pra cima de mim gritando de felicidade, me dando leves tapas. — TABOM TABOM, CHEGA. — o mesmo saiu de cima de mim rindo. — Sempre soube que você jogava pro lado errado. — não consegui conter o riso, recebendo o dedo do meio de Ryan. — Vamos tratar daqueles dois que estão no galpão quando voltarmos, trate de garantir que eles lá ficam fechados sempre, sem comida nem água, mantenha o segurança na porta apenas, como ele está agora. — o mesmo concordou. — Hotel?

— Não, comprei um casa. — acenti. — Vamos nós e o resto dos meninos e Emma claro. Espero que não te irrite mas comprei passagem pra Mary pois Jack me pediu, e obvio que a pivete quer ela lá. — revirei os olhos. — Pedi pro Chaz arrumar as cameras de segurança, Chris arranjar o jatinho privado pra nós e pra segurança e Cailtin...

— COMO É? Acho que não entendi bem esse nome que você acabou de falar. — travei meu maxilar, eu espero que ele não fale o que eu penso que ele vai falar.

— Sim. Cailtlin vai tratar das armas. — o mesmo encolheu os braços me fazendo bufar.— Nem vem Drew, nós precismos dela e tu sabe disso. — bebi mais um pouco de meu wisky, depois suspirando.

— Eu juro que se tu não fosse meu “irmão” já estaria sendo comida pros ratos á muito tempo Ryan.— o mesmo revirou os olhos e logo continuo explicando.

— Vamos levar 100 homens para nossa segurança, esses irão em jatinhos diferentes, connosco irão apenas 10 pra manter tudo controlado na viagem caso haja precalços, também já mandei exportar alguns carros nossos para lá pra ser mais fácil do que ficarmos alugando um monte de carros, isso iria atrairia muita atenção pra nós e é tudo que menos queremos, já pra não falar que temos os melhores carros de corrida. Seus prediletos também estão junto. — dito isso não contive meu sorriso, ele tinha pensado em tudo.

— Você organizou isso tudo, sem eu nem ter dado permissão?

— Sabia que você não iria recusar.  Tudo o que envolve drogas, rachas, sexo e festa, você aceita.— neguei com cabeça rindo, realmente ele tinha falado a verdade. — Não que eu queira muita saber da pivete. Mas como ela esta? — meu maxilar travou e senti meu sangue ferver.

— Não sei. Ela não fala o que aconteceu lá. — passei minhas mãos pelos cabelos impaciente.

— Eu ouvi tudo. — levantei meu olhar rapidamente o encarando.— Eu não sou a melhor pessoa pra falar sobre ela ou sobre esse assunto, mas posso mesmo dizer que você é meu irmão então é minha função te ajudar. Você enlouqueceu?

— Eu faço essa pergunta pra mim, todos os dias. — passei minhas mãos na cara tentando me acalmar e bebi mais um pouco de wisky. Eu confiava nele, depois de tudo que passamos ele sempre me ajudou tal como Chaz e Chris, eles sempre estiveram lá, conseguimos construir tudo o que eu tenho, meu império, eu devo tudo a eles. — Eu não sei o que ela faz comigo. É como se ela fosse uma droga sabe? Tipo uma droga que você usa uma, duas ou três vezes, mas acaba viciando. Eu não consigo entender. Você me conheçe e sabe como eu sou, melhor que ninguém. — o mesmo acentiu. — Eu não sei o que está acontecendo comigo. — Ryan suspirou.

— Eu podia até falar que estaria delirando, mas tudo isso só mostra o quanto você está apaixonado por ela. — o mesmo riu abafado abanando com a cabeça em forma de negação. — Nunca pensei viver pra falar que você se apaixonou de novo.

— Não fala merda.

— Só espero que você saiba que talvez ela venha ajudar a amenizar todo esse mal da sua vida. E que entenda isso antes que seja tarde demais. — fiquei um tempo encarando um ponto fixo, até a campainha tocar afugentando todos meus pensamentos.

— Vai chamar os viados, quero todos aqui em 30 minutos. — dito isso sai do escritório seguido de Ryan que logo subiu as escadas na direção oposta a mim.

Fui em direção a porta, abrindo a mesma me deparando com a amiguinha de Emma me olhando com ar de louca. A mesma entrou sem pedir permissão me empurrando com tudo, fazendo meu sangue ferver. Será que hoje, todo mundo quer ir pro caixão mais cedo?

— ONDE ELA ESTÁ? AI MEU DEUS. ELA ESTÁ BEM? ONDE ELA ESTÁ PORRA? VOCÊ É UM IDIOTA.  É TUDO CULPA SUA...— ela andava de um lado pro outro até chegar em mim e me encarar gritando e apontando o dedo na minha cara, a cortei.

— Primeiro cê vai falar baixo, porque esta casa ainda é minha. — ela me encarava com cara de tédio olhando as unhas. —Segundo, se controla porque eu tô nem ai se você é amiga dela ou não, eu estouro sua cabeça. — a mesma revirou os olhos. — E terceiro você vai calar a boca e esperar, eu chamo ela. Não quero você andando pela minha casa sujando meu chão. — disse sorrindo sínico, a mesma suspirou de alívio mas permaneceu na minha frente com os braços cruzados.

— Está esperando o que? Vai logo porra.— falou irritada, respirei fundo tentando não matar ela alí no meio, pois paciência era aquilo que eu menos tinha no momento.

— Ainda sou eu quem dá as ordens e  se você quer ver ela vai ter que segui-las. — a mesma revirou os olhos e eu pude escutar um " vai tomar no cu".

 

Emma’s POV On

Estava ainda em choque com as palavras dele. Não estava acreditando que aquelas palavras saíram de sua boca, deve ter sido algum tipo de pegadinha. Onde ele escondeu as câmeras? Produção onde você está escondida? Ele acabara de dizer que se importava demais comigo, isso queria dizer que ele sentia algo? — meu deus ele tinha sentimentos? Tô brincando gente...—  não se iluda pois ele não está apaixonado por você, larga de ser trouxa. Justin Bieber não se apaixona. Mas será que ele poderia se apaixonar por mim? Não, deixa de ser idiota. Justin Bieber apaixonado? Piadinha do malandro.

Fui retidada de meus pensamento pelo pau no cu entrando no quarto. Quando se fala no diabo ele sempre aparece né.

—Sua amiga cabeça de gema tá lá em baixo.— o fuzilei com o olhar pelo apelido que usou. Ele falou normalmente sem ser muito seco ou muito querido, ele estava calmo e fingia como se nada tivesse acontecido, ele só pode ser louco.— É bom que você vá falar com ela agora. Me parece que ela não vai passar viva pelas portas, pois já não aguento vê-la na minha casa. — disse fazendo enfâse no minha, revirei os olhos.

—  Tudo bem, tô indo.— suspirei e calçei meus chinelos de quarto, passei do seu lado quase abrindo a porta quando Justin me agarra no braço.

— Quero vocês duas no meu escritório em 30 minutos, sem atrasos.— arqueei minha sobrançelhas sem entender. — E depois eu e você temos muito que conversar.—  engoli em seco e olhei nos seus olhos tentando decifrá-los, ele tinha um sorrisinho no rosto que parecia estar controlando para que não se notasse. Acenei com a cabeça concordando, quando sinto seus lábios tocar minha bochecha carinhosamente fazendo as mesmas ganhar um tom vermelho, e com isso saí do quarto enquanto ouvia seu riso. Filho da puta.

Eu estava com muita vergonha neste momento. Só queria um buraco pra me esconder. É nestas alturas que eu preferia ser o Liam de teen wolf e viver caindo em buracos, meu deus. Para que que ele quer falar comigo e com Mary? Ele nem sequer gostava gostava dela.

Vi uma criatura sentada no sofá mexendo no celular, mas quando ouviu o som dos meus passos descendo as escadas logo tratou de largar tudo e ver correr me abraçar, quase tirando todo ar em meus pulmões.

— AI MEU DEUS EMMA VOCÊ ESTÁ BEM?— ri com a preocupação dela e beijei sua bochecha.— ELES TE MACHUCARAM? OLHA PRA SUA CARA GAROTA TÁ PIOR QUE O DEADPOOL DEPOIS DAS EXPERIÊNCIAS QUE FIZERAM NELE LÁ NO LABORATÓRIO, MEU DEUS!

— Adoro você amiga, sempre aumentando meu ego né?—  cruzei meus braços emburrada, mas sorrindo cínica.

— Você sabe que sim. — piscou e me abraçou de novo. — Como você está?

— Agora estou bem. Eles me acharam a tempo. — encarei o chão tentando não relembrar tudo, mas era impossível, puxei sua mão a levando até o sofá onde nos sentamos.

— Amiga fiquei milhões de preocupada com você, quem é que fez isso com você? Conseguiu enxergar a cara do cara?

Consegui. — meus olhos já estavam ficando embaciados, eu estava tentando ao máximo não chorar.

— Diga logo criatura, porra. — a mesma me olhava impaciente.

— Ethan. —  saiu quase como um sussuro, seus olhos quase que saltaram das orbitas.

— COMO ASSIM? ELE ESTÁ AQUI? O QUE? MEU DEUS? COMO ASSIM?— ela se levantou desesperada mas logo a puxei obrigando a sentar de novo. — AQUELE CANALHA FOI CAPAZ DE FAZER ISSO TUDO COM VOCÊ? PORQUÊ? VINGANÇA? AI MEU DEUS EU MATO ELE, SE EU APAN...

—Já passou. — segurei seu rosto fazendo a mesma me olhar e respirar fundo. — Justin levou ele e um de seus capangas para o galpão, não sei o que aconteceu lá, mas acabou.

— Mesmo assim Emma. Ele foi seu namorado, como é que ele pode fazer essas coisas com você? Ele não tem sentimentos por ninguem? Para nao falar que anda metido nesse negócio da máfia. — ela parou um tempo, parecendo pensar em algo. — Ele não iria raptar você se não soubesse que Justin estivesse envolvido nessas porras, ele sabia que você estava com ele...— Eu já estava chorando de novo. Machuca ouvir que alguém muda desse jeito, mas era a pura das verdades. Ethan nunca teve sentimentos verdadeiros e eu notei isso tarde demais. Sou burra demais por acreditar demasido nas pessoas que não devo, sempre me fodo no fim.— Me desculpa, eu não devia falar essas coisa, depois do que você passou não deve querer tocar neste assunto, me descu....

— Mary. — segurei sua mão apertando um pouco e limpei minhas lágrimas. — Não tem problema, não vamos falar mais sobre o assunto. — Ela acentiu. —Bieber quer falar connosco. — ela fez  cara de nojo e eu não me contive e ri com isso. O ódio entre eles chegava a ser engraçado.

— Não suporto aquele garoto , mas só vou porque o meu Jonhy está lá. — a olhei colocando minha mão no peito mostrando que me senti ofendida, a mesma riu.— E você claro. — sorri pra ela.

Mary se levantou começando a andar em direção ao escritório. Bati na porta, porque sei o quanto bieber detesta que não batam na porta e não estava com paciência pras frescuras dele. Ouvi um entre, respirei fundo e assim o fiz encontrando todo o mundo lá. Parecia uma convenção de um celular novo da apple ( eu tenho que parar de falar merda, me desculpa).

Dei uma olhada em todo o mundo que lá estava. Chris jogando no celular, Chaz implorando e irritando Chris para jogar depois dele, Jack e Mary começando aos segredinhos fazendo me revirar os olhos. Ryan com a sua tipica cara de cu e Justin, o chefão negão, sentado na sua cadeira acolchoada. Ele ficava tão sexy com postura séria, porra puta que parriu porque que você tinha de ser tão gostoso porra?! Fui desviada de meus pensamentos quando ele começou a falar.

— Bom vocês devem estar se perguntando o porque de estarem aqui .— ele falou olhando para mim, todos acentiram. — Bom vocês conhecem as Bahamas?

— Claro. Quem não conhece, cara de pau? — Mary respondeu revirando seus olhos.

— Cala a boca, barata.— ele disse sério, mary ia se levantar mas eu a puxei fazendo a mesma se sentar de novo. — Preparem suas malas, porquê estamos indo para lá em dois dias. — todo ficou espantado, mas logo começaram gritando feitos loucos.

Mary começou dando pulinhos de alegria enquanto eu apenas encarava todo mundo feliz, não estava lá com muito entusiasmo para ir, tendo em conta tudo o que se passou nesses últimos dias, mas tenho a certeza que Mary vai encher meu saco para eu ir, então nem vou poder pensar se quero ou não. Mas secalhar poderia ser bom me distrair um pouco com os garotos e tal.

Justin não tirava os olhos de mim e isso sinceramente estava me incomodando muito.

— É só isso? — perguntei quando todo mundo já estava mais calmo.

— Você não parece lá muito entusiasmada Emms. — Chaz disse me encarando com sua sobrançelha arqueada.

— Não tô com muita vontade de ir em lugar algum. — disse encolhendo meus ombros.

— Mas você vai.— Mary falou (lê-se gritou).— Nem que eu te tenha que enfiar você dentro da minha mala.

— Vai ser bom para você se livar um bocado desse ar pesado. — Chris falou colocando sua mão em meu ombro, sorri com isso.

— Tabom. —disse me rendendo, fazendo gritarem me fazendo rir, apenas Justin me encarava sem expressão alguma.

Bahamas, se prepara.


Notas Finais


Desculpem pra quem já leu este cap mas ocorreu um pequeno erro, então tivemos que postar novamente. Espero que gostem!

♡Espero que tenha gostado!
♡ NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR!
♡ SIGAM: https://www.instagram.com/suggstilinski/
♡TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=FvUe7cpS60Y
♡ YT: https://www.youtube.com/channel/UCshCTdZZL4DvIgyY-dZ9djA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...