História My Angel - Capítulo 22


Escrita por: ~ e ~KitsuneGhoul

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Anjo, Fanficsnaruhina, Fanficsnh, Keina, Naruhina, Naruhina4ever, Revolução Naruhina, Romance
Visualizações 488
Palavras 2.449
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei, eu sei...demorei pacas!

Mas pra vcs terem ideia já faz mais de uma semana que o capitulo esta pronto. Só não tive coragem de postar ><

Problemas são dificeis e complicados.... E passei quase duas semanas doente!

Mas escrevi com carinho e me empenhei para dar o meu melhor!

Boa leitura!

Capítulo 22 - Missão


Naruto apertou o volante do carro ao sentir o ar gelado que vinha da água. A estação de trem ficava perto das docas da cidade e o cheiro de água salgada enchia o lugar.

Ele tentou respirar mas tinha dificuldade. Não tinha sempre essa reação de pânico, mas o fato de seu irmão estar envolvido...e a dor que ele sentia crescendo no peito não deixava pensar direito.

-Calma Naruto - a mão gelada de Hinata tocou seu rosto, trazendo um pouco mais de controle para ele.

O loiro apenas acenou com a cabeça e deu a volta na estação, entrando na área dos galpões das docas. Sentiu um frio súbito ao se aproximar do último.

- Hinata fica perto de mim...- ele sentiu o frio do lugar

Parou o carro e correu para dentro da construção, com a morena segurando a camisa dele.

-Sasuke! - o lugar estava claro o bastante para ver a figura do amigo no canto.

O moreno levantou a cabeça com os olhos inchados e vermelhos.

-Temos que tirar ela daqui. - a voz trêmula indicava que ele estava chorando.

Hinata se aproximou andando um pouco atrás de Naruto. Ao redor da rosada se formava uma poça de sangue. Os fios de cabelos tinham o tom vermelho-sangue e a blusa estava rasgada, revelando o corte na barriga. Ela soltou a camisa do marido devagar.

Sasuke segurava ela em seu colo, com uma mão apoiando o rosto da mulher. Suas mãos tinham manchas de sangue e algo mais escuro, negro. Ele estava sem camisa e claramente segurava algo com seu outro braço.

Naruto correu até ele e verificou a pulsação de Sakura.

-Vamos para o hospital rápido - ele olhou para Hinata e suspirou.

A morena ainda estava parada um pouco distante deles. O rosto pálido e as mãos tremendo indicavam que ela estava muito nervosa.

-Hina! Preciso que me ajude aqui - Naruto tentou afastar Sasuke mas o moreno não se moveu.

-Eu levo ela. - ele olhou para Hinata mas Naruto o interrompeu.

-Não! Ela não vai segurar ele Sasuke. Fique quieto e deixe a gente cuidar da Saky.

Hinata caminhou até eles e estendeu as mãos.

-Me dê ele. Vocês tem que mover a Sakura o mínimo possível, tem mais força.

Só agora ela percebeu que o que Sasuke tinha no outro braço era o pequeno Itachi enrolado em nada mais que a camisa do pai.

-Hina... - Naruto olhou nervoso para ela.

-Tudo bem anjo, vamos rápido. - a voz dela estremeceu ao sentir o tecido molhado de sangue tocar suas mãos.

Sasuke se virou para Naruto e com cuidado o ajudou a carregar a rosada para o carro.

-Ela vai precisar de transfusão. -  foi a única coisa que o moreno falou durante o caminho.

Hinata segurava o corpo do bebê em seus braços e tentava não pensar nisso. Ele não se movia nem fazia barulho algum. Ela tentava desesperadamente não chorar e não olhar para Itachi.

Naruto correu para dentro do hospital e trouxe uma equipe com ele. Rapidamente levaram Sakura para dentro e o loiro seguiu com eles.

Hinata ouvia o coração soar alto em seus ouvidos. Pensando o que fazer com um bebê morto.

-Hinata, eu levo ele. Eu preciso fazer isso.

-Mas eles vão perguntar o que aconteceu com a Sakura... - ela não conseguia pensar com clareza.

-Eu vou entrar. Ela vai precisar de sangue. Que eles vejam Itachi, eu não me importo, mas preciso entrar logo e quero segurar ele mais um pouco...

Ela se virou para o amigo que não tentava mais conter as lágrimas. Ele não parecia mais o homem rude e frio que ela conheceu a alguns meses, nem mesmo o moreno preocupado. Era apenas um borrão. Um pedaço de alguém que foi estilhaçado pela vida.

Ele segurou o filho, ainda enrolado na camisa azul escura e manchada de sangue, apertando o rosto contra o pequeno e Hinata conseguiu ver os fios pretos de Itachi.

-Vamos ver a mamãe...

Hinata se viu paralisada na porta do hospital, olhando Sasuke entrar com passos vacilantes e o filho morto nos braços. Ela deu um passo para trás e apoiou o corpo no carro com os olhos ainda fixos na porta.

 

Naruto preenchia a papelada de internação de Sakura quando viu Sasuke entrando. O moreno estava sujo de suor e sangue, sem camisa e apertava o corpo do filho contra si.

-Sasuke! - O loiro correu até ele

-Cadê ela? - o moreno estava com os olhos vermelhos e a voz rouca.

-Eles não vão te deixar entrar assim. Deixa eles ficarem com o Itachi e vem tomar um banho, acho que tenho roupas limpas na minha sala.

Sasuke acenou com a cabeça e entregou o pequeno para a enfermeira, que pegou o pequeno com cuidado.

-Vão levar ele pra onde?

-Necrotério... Vem, você precisa cuidar da Sakura.

Naruto arrastou o amigo para a sua sala, pegou uma muda de roupas e o levou ate um pequeno banheiro anexado. Quando Sasuke terminou, eles voltaram para a sala de espera.

-Eu vou ver a Hina. Se precisar de mim...

-Eram demônios Naruto - o olhar do moreno ficou afiado - Três desgraçados.

Sasuke se sentou com o queixo apoiado na mão. Os olhos fixos na mesa de centro da sala.

-Mas porque eles machucariam a Sakura? E porque três? - Naruto se perguntou - Nunca vi eles cooperarem em nada...

-Eu matei dois deles, mas um fugiu. Eu vou caçar o miserável. Quero ouvir ele gritar.

-Sasuke! Alguma coisa está errada.

-Eles falaram que precisavam do sacrifício. Mas eu não deixei eles falarem muito mais que isso... Eles machucaram a Sakura. E o Itachi... Eu ouvi o choro dele...

-Sasuke...- Naruto se sentou ao lado do amigo

-Descubra tudo...Você precisa proteger a Hinata - ele cobriu o rosto com as mãos.

-Eu vou.

O loiro apertou o ombro do moreno de leve e se levantou saindo do hospital. Hinata estava sentada no banco do carro e encarava as mãos em silêncio.

-Como você está? - Naruto se sentou ao lado dela, no banco do motorista.

-Não sei.

-Vamos para casa - ele suspirou colocando o cinto e dando partida no carro.

 

-Ele era tão pequeno... - ela se sentou na cama cutucando a bainha da blusa distraída.

Naruto colocou o livro de lado e puxou a mulher para si, aninhando-a em seus braços.

-Por isso que eu não queria que você fosse...

-Mas eu precisava. Não ia conseguir ficar aqui de braços cruzados. Amanha bem cedo eu vou passar pra ver como a Sakura está, ela perdeu muito sangue.

-Ela vai estar bem. Ela só precisa do Sasuke agora. Mas acho que será bom conversar um pouco.

-Conversar? Ela estava quase em coma! - Hinata se assustou com a confiança do loiro.

-Nossa ligação - ele colocou uma mecha de cabelo dela atrás da orelha - Nós somos doadores por natureza, mas com alguém que a gente ama, que somos ligados, o nosso sangue pode curar qualquer coisa.

-Eu to com medo... - ela se encolheu nos braços do marido e ele apertou os braços ao redor dela.

-Não precisa ter medo pequena. Eu vou te proteger.

Ela acenou com a cabeça e respirou fundo, sentindo o bebê mexer agitado.

-Ele sentiu - Naruto colocou a mão sobre a barriga da morena - Aquele frio, era a presença de demônios. Ainda não sei o que está acontecendo, nunca vi eles agirem juntos.

-Ele sentiu o frio? - ela colocou a mão sobre a do loiro.

-Boruto é meu filho - ele sorriu com o nome - ele pode sentir a presença de demônios. Você pode se sentir enjoada ou ele vai ficar agitado demais.

-Boruto? - ela o olhou de canto de olho

-É estranho? - ele coçou a nuca desajeitado

-Não. Eu não tinha pensado em um nome ainda, mas esse está muito bom. Boruto.... Bolt.

-Eu fiquei com medo que você não gostasse, é que ele fica aí, parece que fica rodando...

-Tudo bem anjo - ela sorriu - é bonito.

Naruto suspirou e se deitou na cama, trazendo a morena consigo.

-Você vai me falar se sentir qualquer coisa estranha?

-Prometo. - ela soltou um bocejo

-Boa noite Hina... - ele deu um beijo na bochecha dela e ficou olhando a morena fechar os olhos e dormir. Tentava manter Hinata calma, mas ele mesmo se sentia agitado demais.


Depois de algumas horas, Naruto se levantou e foi para a sala, com cuidado para não acordar Hinata.

Ele se sentou no sofá e respirou fundo, olhando ao redor. Todas as pequenas lembranças que construiu ao longo dos anos com Hinata, tudo o que aprendeu como humano. Não estava disposto a deixar tudo para trás, mas se fosse necessário para salvar a vida do seu filho, ele negociaria tudo o que fosse preciso.

Naruto fechou os olhos e se concentrou por alguns segundos.

-Sarutobi! - ele chamou com a voz baixa porém firme.

-Parece que está disposto a conversar hoje Naruto. - o mais velho se sentou no sofá ao lado do loiro.

-Quero saber porque demônios atacaram a Sakura. Você sabe o que eles estão planejando?

-Demônios? Trabalhando juntos? - ele riu

-Por causa deles perdemos Itachi e a Sakura quase morre.

-Itachi está bem, você sabe disso. Já era o destino dele estar ao nosso lado.

-Isso não está certo! - o loiro apertou a mão em punho

-Regras são regras. Você sabe bem, mesmo sendo você Naruto, não pode fazer nada. Não fui eu que as criei, até mesmo seu pai foi punido.

-O Primeiro está sendo egoísta.

-Não me convém contrariar as ordens do Primeiro, e nem a você questioná-lo. - Sarutobi enrijeceu o maxilar.

-O que um demônio poderia querer com uma criança? Ou uma mulher grávida? - Naruto voltou ao assunto inicial

-Há muitas coisas que demônios gostam de fazer com mulheres, você sabe. Acho que você está irritado porque algo aconteceu com um conhecido.

-Não é um conhecido! É meu irmão. Sasuke faz parte da minha família.

-Não, não faz. São esses sentimentos humanos que o fazem acreditar nisso Naruto. Seu sangue é único, e nós o teremos de volta quando seu filho nascer. Ele poderá ocupar o seu lugar de direito.

O loiro se levantou rapidamente pronto para socar o mais velho, mas mesmo com seu corpo fervilhando de raiva, ele ficou parado, impedido de se mover por Sarutobi.

-Ainda não consegue controlar seu gênio. Isso foi uma coisa irritante que você herdou da sua mãe. - Sarutobi caminhou ao redor do loiro calmamente - Você foi muito importante moleque. Mas se lembre que agora não passa de um anjo caído.

-Quero ele vivo. Como faço isso parar? - ele sentiu os olhos ardendo.

-Não há como. E o Trono abomina qualquer forma ou tentativa de mante-los vivos.

-Mas isso quer dizer que há alguma forma... - Naruto estreitou os olhos para Sarutobi.

-Você trocaria uma vida inocente, outra criança, pela vida do seu filho? Seria tão egoísta a esse ponto?

-Não faria nada - o loiro negou com a cabeça - Mas quero entender porque os demônios atacaram a Sakura daquela forma. Eles falaram algo sobre precisar do sacrifício.

Sarutobi se levantou tenso.

-Sobre aquelas condições. Você ainda aceita? - ele abriu as asas

-Se isso me permitir falar com o primeiro, eu aceito.

-Certo. E se tiver qualquer informação me chame. Eu vou procurar saber o que o inferno esta planejando.

-Tudo bem.

Naruto piscou e Sarutobi desapareceu. Ele relaxou o corpo no sofá e fechou os olhos. Sempre se sentia esgotado ao falar com Sarutobi, imaginava o quanto lhe custaria uma reunião com o Primeiro.

-Naruto-kun? - Hinata andou até o loiro

-Você acordou. - ele abriu os olhos, fitando a morena

-Ficou frio. Acho que vai começar a nevar a qualquer momento.

-Então vamos dormir, eu estou cansado.

-Porque levantou então? - ela se sentou ao lado dele ainda sonolenta

-Eu falei com Sarutobi - ele suspirou e abraçou a morena.

-O que ele queria? - ela estremeceu de leve.

-Vou fazer algumas missões em troca de uma reunião com o Primeiro.

Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos.

-Começou a nevar - Hinata falou suavemente.

-É...

-Você vai ficar longe? - a voz dela falhou

-Vou fazer o possível para voltar rápido. Tenho que entregar algumas mensagens. - ele deu de ombros tentando parecer despreocupado, mas havia tensão em cada movimento e Hinata podia perceber.

-Vou ficar te esperando. Nós dois.

-Eu não vou demorar. - ele sorriu e beijou a mulher. - Agora vamos dormir, a noite foi difícil.

-Amanhã eu vou visitar a Sakura.

-Me promete que vai ficar bem - ele apertou a mão dela - Promete que vai ficar segura.

-Vou ficar anjo.

 

Hinata abriu os olhos devagar e virou para o lado vendo a cama vazia. O dia estava frio e a neve acumulada do lado de fora da casa. Naruto teve o cuidado de colocar dois edredons sobre a mulher antes de sair e ligar o aquecedor da casa.

Ela não queria se lembrar da última vez que acordou sozinha, da primeira briga que eles tiveram. O loiro sempre esteve ao lado dela, mesmo que já tivesse acordado, ele sempre estava lá. Mas Hinata sabia que agora era diferente. Ele voltaria com certeza.

Com um pesado suspiro, se levantou e preparou um café ainda enrolada no edredom. Precisava de algo quente para conseguir ir trabalhar.

 

-Ei Hina!

A morena derramou o copo com água quando se assustou.

-Ah!

-O que você tem hoje? Ta tão aérea. - Ino parou ao lado da amiga e entregou uma toalhinha para a morena enxugar a blusa respingada.

-O Naruto viajou... Só estou pensando nisso...

-Ah sim. Vocês são praticamente inseparáveis... Ele foi fazer o que?

-Resolver uns problemas de família - Hinata esfregou a blusa rapidamente

-Pensei que ele fosse órfão. - a loira colocou a mão na cintura - Vocês não brigaram de novo ne?

-Ah não! Não! Foi alguma coisa que o pai deixou mal resolvido. Ele descobriu agora e bem... Não sei quanto tempo vai ficar longe.

-Tenho certeza que não vai demorar. Ele deve ta louco também - ela disse rindo

-Sim...deve estar - a morena deu um sorriso pequeno.

-Vamos lá, se anime. Você. Vai ficar com as crianças agora não? Elas não vão  gostar de te ver triste.

-Não vou ficar triste.

-Assim é bem melhor! - Ino segurou o braço da morena e puxou ela pelo corredor.


Menma olhou para a morena de longe e um sorriso brotou no rosto dele. Com as mãos nos bolsos ele se afastou cantarolando baixinho.


Notas Finais


Eu realmente espero que você gostem!
Bju no kokoro. Mais tarde eu volto para responder aos comentários do capitulo anterior... Vou tirar um cochilo...rsrsrsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...