História My Angel - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Angel, God, Power, Wolf
Exibições 13
Palavras 1.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha só quem está aqui com mais um capítulo... Pois é
É pra me redimir por ter demorado tanto a postar xD

Capítulo 6 - I'm Back..


Fanfic / Fanfiction My Angel - Capítulo 6 - I'm Back..

~Alicia On~

- Mãe, cheguei – Fechei a porta assim que coloquei minhas malas pra dentro e encontrei minha mãe sentada no sofá.

- Graças a Deus, estava ficando preocupada.

- Demorei um pouco por que fiquei conversando com um menino no aeroporto.

- Que menino? – Um olhar malicioso foi lançado em minha direção.

- Ai credo, mãe, não é isso que você está pensando.

- Então vai lá, me conta – ela riu e relaxou no sofá.

- Ele... – comecei a brincar com uma maçã que estava no centro da mesa.

- Fala logo, Alicia.

- Ele não é mortal, mãe.

- O que? Existem mais de nós aqui em Los angeles?

- Na verdade não, ele é coreano, e acho que está aqui a passeio, não sei.

- Isso é perigoso, você sabe, ele pode usar seus poderes contra você.

- Mas mãe, eu já tenho 22 anos, não tenho amigos, vivo sozinha aqui, não tem problema nenhum – fiz uma pausa, sentando em cima da mala – E outra, ele não é que nem a gente, não tem os mesmos poderes.

- Ele é o que então?

- Ele soube que eu não era mortal quando sentiu meu cheiro – falei baixo e minha mãe teve exatamente a reação que eu imaginei. O copo que tinha em sua mão caiu no chão, seus olhos agora possuíam um brilho diferente.

- Se afasta dele, Alicia, não quero saber nem quem ele é, apenas se afaste, ou teremos um problema – eu sentia que ela estava se controlando pra não chorar.

- Mãe, ele não é perigoso, ta legal? Não fala assim, você nem o conhece.

- Mas já conheci outros que eram dessa mesma raça, não quero que aconteça com você o que aconteceu comigo.

- Não é só por que meu pai era um deles e simplesmente ferrou com sua vida, que vai acontecer o mesmo comigo – eu a havia chateado depois desse comentário, tinha certeza disso. Afinal, o que eu estava fazendo? Eu nem conhecia o cara direito, e já o estava defendendo desse jeito.

- Vá pro seu quarto, não quero falar sobre isso – fiz menção de dizer algo a mais, mas ela levantou do sofá e apontou pra cima – Para o quarto, agora.

Subi as escadas com dificuldade graças à mala, mas assim que cheguei ao meu quarto, somente me joguei na cama, não sei se estava preparada psicologicamente pra tomar banho antes.

Fiquei pensando no tempo que havia passado na Coreia, na viagem de volta, no Jungkook – mais nesse último do que no resto, pra ser mais específica –, então percebi que estava sorrindo, não por que eu queria, mas foi algo automático.

Foi pensando nisso que eu dormi, esquecendo da discussão com minha mãe, e com um certo sorriso na mente.

 

X Coreia do Sul – 2 dias depois X

 

~Julie On~

- Ok, já que estamos sozinhos, você pode, por favor, me dizer por que mandou ela pra lá? – falei parando na frente da mesa de Jin, no escritório.

- Motivos pessoais – disse arrumando algumas coisas na gaveta.

- Isso é realmente sério? Vamos agir como adultos e abrir logo o jogo um pro outro? Isso está passando dos limites, Jin, mandá-la pra lá foi uma das maiores burrices que você já fez.

- Ei, quer parar com isso? Ta achando que ta falando com quem? Para de tentar mandar em mim, dizer o que eu tenho ou não que fazer, os anos passam, mas você não muda nunca, né? – a única coisa que consegui identificar em seu tom de voz era raiva, mas não liguei, apenas ri.

- Achei que você não gostasse de tocar nos assuntos do passado. E no momento, o assunto não é esse, e sim o que estamos vivendo agora, no presente. Consegue entender isso ou quer que eu explique e desenhe pra você?

- Para de me tratar como uma criança, Julia.

- Quem está agindo como uma é você, então estou te dando o tratamento que ta merecendo. Se quiser que eu te trate como um adulto, aja como um.

- Continua com o nível alto de cinismo, não é?

- Não é por que nós terminamos que vou deixar de ser quem eu era antes.

- Sinceramente, não sei o que o Suga viu em você – ele saiu de trás da mesa e se aproximou de mim.

- O mesmo que você viu alguns anos atrás – dei um passo pra frente e senti suas mãos segurarem minha cintura – O que está fazendo?

- Eu te odeio – Não tive tempo que fazer nada, somente senti os lábios de Jin sobre os meus, eu juro que tentei me afastar, mas Jin tinha o triplo da minha força, então não tive pra onde correr.

- Que amor, nunca pensei que fosse ver isso ao vivo – A voz rouca ecoou em nossos ouvidos e Jin me soltou, se afastando imediatamente.

- Hoseok? – eu o estava vendo, mas não queria acreditar naquilo – Olha, só pra deixar bem claro, eu não fiz nada, esse babaca que veio pra cima de mim.

- Ah, vai dizer que não gostou? – Hoseok perguntou e riu em seguida – Interessante seria se o Yoongi e a Catherine estivessem aqui no meu lugar.

- Ela estava me irritando, não me controlei – Jin respondeu, com as bochechas vermelhas.

- Não quero te irritar nunca, não quero nem pensar na ideia de ter você me beijando – riu mais uma vez e sentou na cadeira de Jin – Confessa, Jin, você sempre quis se descontrolar assim, né?

- Eu não senti sua falta, se quiser sumir de novo e fingir que não existe, vou agradecer eternamente – Jin retrucou.

- Olha, depois vocês discutem sobre isso, ok? O que importa é, que você apareceu aqui do nada, depois de muito tempo, então quero saber o que houve – falei indo em direção ao Hoseok.

- Eu sempre estive aqui, Julie, só não aparecia pra ninguém – sorriu girando na cadeira.

- Como assim?

- Juh, é simples, depois que algumas pessoas morrem, elas tem chances de se transformar em anjos – ele permanecia sentado, apoiado em uma das mãos e nos olhando com puro deboche.

- Mas já que você era um lobisomen, não era pra ter virado um anjo, a não ser que algum anjo tenha te matado – Jin se pronunciou e eu confirmei.

- Esperto, SeokJin, mas essa informação eu não posso dar, então finjam que eu só morri e agora to aqui, de novo.

- Já estou fingindo que você morreu, só não queria que a segunda parte fosse real.

- Admita que sentiu minha falta, essa casa ficou muito silenciosa sem a minha presença – ele sorriu e se levantou – Mas enfim, não apareci aqui pra isso, só queria saber o porquê de vocês terem mandado a Angeline pra Los Angeles, sem ao menos me consultar.

- Será que é por que você desapareceu? – sentei em uma das poltronas e o encarei.

- Bela resposta, Julie, mas ainda quero saber o que aconteceu aqui – Jin o encarava completamente sem expressão.

- Quem nos deve explicações aqui é você, não acha?

- Ok, eu conto o que houve comigo, depois vocês me contam o que eu quero saber – eu e Jin concordamos.

 

~Hoseok On~

Comecei a brincar com um globo de neve que tinha em cima da mesa, e eles me olhavam como se quisessem me matar. Eu sabia que estavam esperando que eu começasse a falar, mas eu precisava enrolar mais, pra ter certeza de que não estava sendo vigiado, e quando tive essa certeza, apenas relaxei meus músculos e comecei a falar.

- Olha, não posso contar nada sobre como tudo isso aconteceu, por que não tenho permissão.

- Quem está sendo infantil agora é ele, e você não vai falar nada? – Jin perguntou pra Julie, que apenas revirou os olhos.

- Eu sigo ordens, Jin.

- De quem?

- Já ouviu falar em deuses mitológicos? Então, existe um cara, foda pra caramba, se chama Zeus, então, as ordens são dele.

- Ainda não entendi – Julie disse, claramente perdida.

- Ele é o dono da porra toda, tipo, de tudo, ele sabe de tudo, vê tudo, e ouve tudo, então se eu falar alguma coisa aqui que possa comprometer a minha segurança, eu me ferro, entendeu?

- Ta, entendi. Mas por que você está com essa cara de quem vai morrer a qualquer momento?

- Por que estou realmente com medo de que isso aconteça – brinquei – nesse tempo que fiquei afastado, acabei conhecendo uma pessoa que não queria conhecer.

- E quem seria essa pessoa? – Jin perguntou, interessado.

- Helena, uma das filhas de Zeus. Ela é meio possessiva quando se trata de mim, pensa que nós temos um relacionamento sério só por que as vezes a gente... Deixa pra lá.

- Você transa com a filha de Zeus e não quer que ela ache que vocês tem algo?

- Ela é bonita de mais pra ficar com uma pessoa só, o que ela viu em mim?

- Também queria saber – olhei pra Julie com a maior cara de poucos amigos – Traição aqui ta rolando solta né?

- Não to traindo ninguém, anjos geralmente tem uma pequena queda por filhas de deuses, é completamente normal, e mesmo que eu não fosse um anjo, seria impossível não ter uma queda por aquela mulher – dei de ombros – E além disso, a Angel está com o Jimin agora.

- Mas não para de pensar em você em momento algum – Jin começou a brincar com a barra de sua blusa.

- Ok, continua a história, você estava falando sobre a possessão da Helena.

- Então, eu contei pra ela que queria voltar pra casa, de vez, aí ela me ameaçou de várias formas possíveis, por isso estou meio receoso.

- Que tipo de ameaças?

- Prefiro não comentar, obrigado.

- Que tipo de pessoa ameaça a outra em pleno século vinte?

- Vinte e um, Julie – Jin respondeu.

- Que seja.

- Muitas pessoas fazem isso.

- Ta – ela se apoiou na mesa – O que exatamente um anjo faz? Quais são seus poderes?

- Bom, nós voamos, o que é óbvio, podemos estar presentes nos lugares que queremos só com o pensamento, o que eu acho ótimo, e ainda tenho o prazer de me transformar no cachorrinho que vocês tanto amam, além de controlar o ar.

- Nossa, quanta coisa – Julie falou e eu concordei.

- Desse jeito fica fácil ver o desenvolvimento da minha filha – sorri.

- Espera, filha? Como você já sabe o sexo se... Esquece – Jin riu da própria burrice.

- Olha, contei minha história fantástica, agora me digam o que rolou aqui.

- Você não disse que estava sempre presente?

- Nem sempre né, eu tinha outras coisas pra fazer no Olimpo – dei de ombros.

- Está bem, vou explicar.


Notas Finais


OLHA SÓ QUEM APARECEU <3 <3
Revisei? Não.. Então me perdoem pelos erros, eu realmente não to com muito tempo pra reescrever e ainda ter que revisar depois :/
Enfim, foi isso, espero que gostem e, comentem <3
Kissu~~<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...