História My Baby - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Seventeen
Personagens Baekhyun, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kai, Kim Mingyu, Kris Wu, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lu Han, Sehun, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Suho, Tao, Wen Junhui "JUN", Xiumin, Xu Ming Hao "THE8"
Tags 3some, Baekyeol, Chanbaek, Cheolsoo, Exo, Hozi, Hunhan, Jeongcheol, Jihan, Jihancheol, Jun8, Junhao, Kaisoo, Kristao, Meanie, Seventeen, Sulay, Threesome, Verkwan, Wooshi, Xiuchen
Visualizações 228
Palavras 1.772
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pra quem não lembra essa é aquela fanfic onde o EXO tentar salvar seus filhos do Jooheon vlw flw.


Aqui estou eu depois de 6 meses??? POR QUE EU DEMOREI TANTO??? MEU SER!!!
Me desculpem hehehe, me deu um SUPER bloqueio e eu mal estou tendo tempo pra escreve ( primeiro ano é difícil meu povo) mas isso não é desculpa, me perdoem.
Eu demoro mas quando volto, volto pra abalar estruturas.
Aproveitem esse capitulo super fofo, hehehe
A fanfic está entrando em reta final, acho que irei terminar em dois capítulos.
Obrigada a todos que não desistiram de mim e da fanfic.
Me desculpem qualquer erro no capitulo.
Boa leitura.

Capítulo 9 - White Noise


Fanfic / Fanfiction My Baby - Capítulo 9 - White Noise

— Fique de olho nesse pirralho e o tranque no armário!- Jooheon jogou Seungcheol nos braços de um dos capangas que segurou o garoto com precisão. — Só o tire quando eu voltar! - Jooheon ditou olhando nos olhos do capanga que assentiu abaixando a cabeça.

Assim que Jooheon saiu do quarto, o capanga colocou Seungcheol sobre a cama, foi até um frigobar que tinha ali e pegou uma garrafinha onde continha leite de banana.

— Não precisa ter medo, eu quero ajudar vocês. - o capanga colocou um canudo na garrafinha e entregou para Seungcheol que exitou um pouco, mas aceitou, logo sugando aquele líquido docinho. — Me chamo Changkyun, me chame como quiser. Eu quero ajudar vocês a saírem daqui, não é certo o que Jooheon está fazendo.

Seungcheol olhou o homem a sua frente, será que poderia confiar nele? O pequeno garoto não tinha muitas opções

— Você vai ajudar? Mas você não trabalha pro homem mau?

Changkyun suspirou pesadamente enquanto colocava uma coberta sobre o corpinho magrinho de Seungcheol.

Estava cego digitalaceitou fazer tudo por Jooheon, Changkyun é apenas um adolescente de 19 anos que se apaixonou perdidamente por uma pessoa e aceitou fazer de tudo por ela. Jooheon o persuadiu a fazer tudo que queria, mas nunca correspondeu aos sentimentos do baixinho.

Depois de ver todo o sofrimento que Jooheon estava fazendo aquela família sentir, Changkyun finalmente caiu em si. Jooheon somente o usava, para satisfazer seus desejos, até mesmo desejos sexuais. O menor estava cansado de ser usado daquela forma, estava se sentindo culpado por ajudar alguém fazer mal a outras pessoas, a crianças.

— Ele me enganou, pequeno. Mas eu quero ajudar vocês. - Changkyun segurou a mão livre de Seungcheol que o olho em seus olhos.

— Você não me parece ser mau, tudo bem então, mas eu quero que você ajude os outros primeiro. - Seungcheol abraçou o mais velho.

— Tudo bem. - Changkyun sentiu sua camisa ficar úmida, e logo ouviu soluços baixinhos. — Vai ficar tudo bem, não chore.




— Não temos notícias deles ainda senhor, a polícia não encontrou nenhuma digitar no dormitório. - Hyunwoo colocou alguns envelopes sobre a mesa de seu chefe.

— AISH! O que está acontecendo com aqueles garotos? Onde estão as crianças? Ah eu vou enlouquecer! - Soo Man estava cada vez mais agoniado, há dias não recebia nenhuma informação sobre o paradeiro dos integrantes do EXO, e nem de seus filhos.

— Senhor, se me permitir eu gostaria de indicar um ótimo investigador. 

— Quem? - o mais velho se arrumou e pegou os papéis, agora estando mais calmo.



— Sou o investigador Lee Minhyuk, prazer em conhecê-lo senhor Lee Soo Man. - Minhyuk se curvou.

— Muito prazer Lee Minhyuk, se sente. - assim o mais novo fez - O secretário Son me falou muito bem de você, então por favor me ajude a descobrir onde estão os garotos e as crianças.

— Senhor Lee, eu irei fazer de tudo para encontrá-los, eles são meus amigos e eu tenho a obrigação de ajudar.- Minhyuk colocou alguns papéis sobre a mesa de centro. - Esses são alguns dos possíveis suspeitos, são pessoas que tiveram algum desentendimento com os membros.




— Onde estamos Gyu? - Wonwoo se agarrou mais ao mais novo.

— Eu não sei, eu estou com medo, e nossos pais? Wonwoo, ele vai matar nossos pais e nossos irmãos! - Mingyu caiu de joelhos começando a chorar.

— Não fala isso, eles estão bem... Não estão? - o mais velho olhou ao redor e não conseguiu ver nada.

Estavam no meio de um campo deserto, não havia luz, não havia casas, estavam somente os dois ali, sozinhos.

— O vovô, temos que encontrar ele! Ele vai salvar nossos pais Mingyu, vem vamos achar o vovô. - os dois garotos saíram correndo outra vez.




— COMO ASSIM ESCAPARAM? VOCÊS SÃO UNS INÚTEIS, NÃO CONSEGUEM NEM MESMO AMARRAR UMA CORDA?

Jooheon sentia que poderia explodir de raiva a qualquer momento. Tao e Chanyeol haviam conseguido escapar e nem mesmo os idiotas de seus capangas faziam algo.

— Por que não estão procurando? Hein? - Jooheon puxou um dos homens pelo colarinho​ e o jogou contra o chão.

— Isso irá acabar muito mal, estamos fora, não vamos voltar pra prisão de novo. - um dos capangas ajudou o caído, e logo saiu com quase todos os homens.

— O QUÊ? YA, VOLTEM AQUI!

Apenas seis dos quase sessenta homens se encontravam ali. As crianças dormiam, estavam muito fracas e mal podiam ficar em pé. Os adultos não tinham mais forças para nada, suas energias estavam no fim, somente Tao e Chanyeol poderiam os tirar dali.

Chanyeol e Tao corriam pelos corredores, era um verdadeiro labirinto, quando acharam que estavam para sair daquele galpão finalmente, foram puxados para dentro de um quarto.

— Appa! - Chanyeol levantou o olhar e viu Seungcheol sentando em uma cama. Não pensou duas vezes e correu até o pequeno de orelhas grandes.

— Meu filho, você está bem? Por que fez aquilo? Você enlouqueceu Park Seungcheol? Sabe o quanto eu estava preocupado? - o grandão apertava o garotinho em seus braços.

Tao sorria observando a cena, mas esse sorriso morreu quando seus olhos caíram sobre um garoto jovem que estava no quarto, o mesmo garoto que os puxou para ali.

— Quem é você? - Tao se aproximou do garoto que se encolheu — É um dos capangas do Jooheon? Me responda garoto! - o chinês avançou no adolescente, mas foi impedido por Chanyeol.

— Se acalme Tao.

— Tio, ele é um homem bom, vai ajudar a gente, ele cuidou de mim. - Seungcheol foi até Changkyun e o abraçou, e o adolescente logo retribuiu.

— Por favor, confiem em mim, eu tive meus motivos, sei que não justifica nada, mas eu estou arrependido. Eu quero ajudar vocês. - Changkyun olhou os mais velhos ali.


— Então quer dizer que aquele filho da mãe te seduziu e te fez de submisso? Ah mais agora que eu vou acabar com aquele meia visão. Não me segura Chanyeol, não me segura. - Tao se levantou ao terminar de ouvir a história de Changkyun

- Não estou te segurando Tao. - o grandão segurava Seungcheol com uma não e com a outra afagava os cabelos do adolescente que chorava com o rosto escondido nas mãos.

— Vocês tem que ir agora, eu vou mostrar a saída, a dois quilômetros daqui tem um posto de combustível, um amigo meu trabalha lá, digam a ele que eu pedi para que ele leve vocês até a delegacia. Jooheon está fraco agora, é o momento para a polícia agir.

Os mais velhos ficaram confusos e olharam o adolescente.

— Como assim ele está fraco? - Chanyeol questionou ao adolescente.

— Eu consegui que alguns capangas desistissem de ajudar o Jooheon. Se eu não estiver errado, agora são somente seis.

— Como conseguiu fazer isso? - Tao pegou Seungcheol já adormecido dos braços de Chanyeol, para que o maior descansasse.

— Eu tenho meus contatos, mas chega de tanto falar. Vocês precisam ir logo, façam o que eu disse e eu irei ajudar os outros.

Chanyeol e Tao se curvaram em forma de agradecimento e logo seguiram o adolescente.




— Hyungwon cuidado com essas garrafas! - Kihyun foi ajudar o outro a encher as geladeiras.

— Obrigado.

Os dois que arrumavam tudo dentro da loja de conveniência ouviram um grito de Wonho e saíram correndo até as bombas de combustível.

— O que aconteceu? - Hyungwon foi até o mais velho que tinha em sua frente duas crianças.

— Nos ajudem, por favor - Mingyu tentou andar até o homem a sua frente mas acabou desmaiando e sendo amparado logo pelo frentista.

— Kihyun, traga o outro garoto pra dentro! - Wonho pegou o garoto desmaiado e correu para dentro da loja e colocou ele deitado sobre o balcão.

— Mingyu!

O garotinho mais baixo chorava desesperado, Kihyun pegou o mesmo no colo e o abraçou para tentar fazê-lo se acalmar.

— Ele não está respirando e não consigo sentiu o pulso dele. - Wonho fazia seguidas massagens cardíacas no garoto. — Hyungwon pegue o meu carro nos fundos e o traga.

O mais novo dos três adultos assentiu e saiu correndo pela porta dos fundos da loja.

— Ele vai ficar bem? - Kihyun perguntou vendo o mais velho não parar com a massagem.

— Se formos rápidos sim, ele não está reagindo, precisamos ir até o hospital rápido, sem um desfibrilador eu não vou conseguir fazer ele reagir rápido.

Ouviram uma buzina e saíram rápido com os garotos, ao chegarem ao lado de fora viram dois homens correndo até eles, um dos homens tinha um garoto nos braços.

— Tio! - Wonwoo se jogou nos bracos de Tao que o segurou firme.

— EXO? - Hyunwoo olhou os dois e arregalou os olhos.

— Vocês não estavam desaparecidos? - Kihyun estava espantado ao ver os dois cantores ali ensanguentados, haviam desaparecido a mais de uma semana.

— Por favor nos ajudem, Changkyun pediu para nos levar até a delegacia, tem um maníaco com os outros membros e nossos filhos! - Tao implorou aos outros homens ali.

— Entrem no carro logo, primeiro iremos ao hospital, ou então o garoto irá morrer! - Wonho entrou rápido no carro seguido dos outros.



— Até você está me traindo? Eu pensei que me amasse Changkyun! Eu te pedi algo tão simples, e você me traiu! - Jooheon prensou o adolescente contra a parede.

— Você está louco Jooheon, olhe o que está fazem com essas pessoas! - Changkyun aproximou seus rostos — Você vai acabar os matando! Irá aguentar isso? Saber que matou essas pessoas? Que torturou elas até a morte? Esqueça o que aconteceu no passado! Acha que sua filha iria gostar de ver o pai dela assim? Matando? Acha que ela iria se orgulhar de um pai psicopata como você?

— CALE A BOCA! - Jooheon acertou o rosto de Changkyun com um soco, o que fez o adolescente ir de encontro ao chão. — Você não sabe de nada! - ficou sobre o mais baixo e prendeu os pulsos dele com suas mãos.

— Eu espero que você se dê muito mal Jooheon, que fique preso pelo resto de sua vida. - Changkyun juntou todas as suas forças e inverteu as posições.

— Você me traiu Im Changkyun! - o mais velho esbravejou.

— Sim Jooheon, eu te traí, mas eu fiz o certo. Te amar demais que foi o meu maior erro...


Notas Finais


E temos os outros bolinhos do Monsta X agora na fic hehehe
E foi isso, não me matem por favor.
Mais uma vez me perdoem, eu irei tentar postar o mais rápido possível.
Obrigada por todo o amor que estão dando a My Baby, obrigada mesmo.
Qualquer crítica, sugestão, o que for me digam por favor, é sempre bom saber o que vocês estão achando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...