História My baby. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jay Park
Personagens Jay Park
Exibições 88
Palavras 1.619
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 1 - Bby.


Fanfic / Fanfiction My baby. - Capítulo 1 - Bby.

Eu estava no meu apartamento assistindo algo não muito interessante. Estava olhando, mas meus pensamentos estavam bem longe dali. 

Estava pensando em minha melhor amiga, Rosé. 

Eu gostava dela já tinha um tempo, uns 4 anos. Nos conhecemos desde pequenos, então eu comecei a desenvolver sentimentos por ela há alguns anos. 

Eu nunca tive coragem de me confessar, mas hoje eu estou decidido de que é isso que eu vou fazer. 

Estava pensando em como fazer isso, até que meu celular tocou. 

- Oi. 

- Fala direito comigo, babaca. - Era Rosé. Eu nem tinha olhado quem estava me ligando, então só atendi. 

- Desculpa, eu nem olhei quem estava me ligando. O que foi, amor? 

Sim, chamávamos um ao outro assim. Isso sempre mexeu comigo, me deixando feliz. Era bom chamá-la assim e era ótimo ver/ouvir ela me chamando assim. 

- Tá em casa? 

- Uhum. Por que? 

- Tô chegando aí, vem me encontrar. 

- Sobe aí, eu tô com preguiça. 

- Anda logo, Jay. 

- Não, vem sozinha. 

- Jay.. - Ela falou com aquela voz manhosa que sempre me deixava todo bobo. Ela sempre conseguia o que queria quando falava assim. 

- Tô indo.

Ouvi a mesma rir e então desliguei, encerrando a ligação. Coloquei uma blusa e saí, fui para frente do elevador e esperei. Eu morava no último andar no enorme prédio, então ela iria demorar um pouco. 

Assim que o elevador abriu, saiu de lá Rosé muito animada. Eu estava encostado em uma parede e a mesma veio rapidamente me encontrar. 

- Oi, senhor preguiçoso. 

- Por que está tão animada? 

- Porque vou passar o dia com o amor da minha vida. - Ela falou e me olhou sorrindo, eu comecei a sorrir também. 

Entramos em meu apartamento e a mesma foi jogando as sacolas no sofá. 

- O que é isso? 

- Doces! 

Rosé e seus doces.. Ela amava doces, vivia comendo e comprando doces. 

- Você não vai comer isso. - Falei me sentando e olhando pra ela, sorri com a cara de supresa e triste dela. 

- O quê? - Ela se aproximou e fez um biquinho. Que vontade de beijar.. - Eu vou sim. 

- Nem vem com esse biquinho. Você não vai comer e pronto. Você comeu muitas besteiras nos últimos dias, Rosé. Imagina só como tá seu colesterol? Não vai comer e pronto. 

- Jay.. - E lá vem ela com essa voz. Ela se aproximou fazendo um biquinho e se sentou no meu colo. Droga. - Deixa, vai.. - Ela colocou as mãos em meus ombros e me olhou. 

- Não. 

- Mas Jay.. Por favor, amor? - Ela chegou mais para frente, colando seu corpo ao meu.

- Rosé, eu sou um homem. Você sentada no meu colo, falando com essa voz manhosa e me chamando de amor, não tá me ajudando muito.. - Falei na tentativa de fazer ela sair dali, não queria ficar duro com ela em meu colo. 

Rosé sempre sentava no meu colo, isso era normal entre nós, assim como dormir juntos, ela deitar sobre meu corpo, ficar comigo sempre e essas coisas. Sempre que eu começava a ficar excitado, eu arrumava uma desculpa e tirava a mesma dali, sem ela perceber ou suspeitar de algo. Eu sabia que ela não ia sair dali, mesmo se eu arrumasse a desculpa mais grave desse mundo. Quando se tratava de doces, ela ficava ali até eu dizer o famoso "tá, pode comer". Ela sempre fazia isso, eu ficava excitado e deixava só pra ela sair. 


Mas não vou fazer isso. 

Não hoje. 

Rosé me olhou com os olhos arregalados quando ouviu, eu achei que a mesma ia sair dali imediatamente. 

Mas ela não saiu. 

- Ah, é? Então quer dizer que vai ficar excitado se eu continuar em seu colo? 

- Você sabe a resposta. 

- Então eu tenho a permissão para fazer isso. - Ela começou a rebolar em meu colo, imediatamente minhas mãos foram para o quadril da mesma. 

- Rosé.. - Eu falei e a mesma continuou. - Eu não vou deixar você comer doces. Não adianta e pode sair. 

- Esquece isso de doces, eu gostei e vou continuar. - Olhei surpreso para a mesma, ela estava gostando de rebolar em meu colo? Um sorriso se fez presente em meus lábios e comecei a ajudar a mesma a rebolar, já que estava com as mãos no quadril dela. 

- Jay.. - Ela gemeu assim que apertei o quadril da mesma, fazendo ela encostar com força no volume que tinha em minha calça. 

Deitei ela no sofá, ficando por cima. Não resisti e colei nossos lábios em um beijo calmo, mas preciso. De calmo, nosso beijo foi passando para quente e necessitado. 

Passei meus lábios da boca dela para o pescoço, onde comecei a beijar com calma e dar algumas chupadas que com certeza deixariam marcas mais tarde. 

- Você quer isso? - Perguntei com a voz rouca no ouvido da mesma. 

- Sim, Jay.. 

Sorri e continuei. Fui descendo minha mão direita por aquele corpo tão bonito que Rosé tinha. Do pescoço, fui descendo até a barriga da mesma, onde tirei a blusa e fui me aproximando dos seios calmamente. 

Comecei a dar alguns beijos por cima do sutiã roxo que Rosé usava. Sim, usava. Assim que ela levantou um pouco, procurei o fecho do sutiã e o tirei, tendo a visão dos lindos seios que Rosé tinha. 

Sorri e coloquei minha boca em um, ouvindo um gemido manhoso de Rosé. Enquanto isso, estava acariciando o outro. Enquanto fazia esse trabalho com seu seio, desci a mão que estava no outro e fui para a coxa da mesma, onde comecei a apertar com calma. 

De cima dela, fui para o lado, onde abocanhei o outro seio da mesma e fui subindo minha mão por sua coxa.

Subi a saia que Rosé usava e comecei a aproximar minha mão de sua parte íntima. Ela gemeu assim que comecei a acariciar sua intimidade por cima da calcinha. Estava fazendo alguns movimentos calmos, me divertindo com aquilo. 

- Jay..

P.o.v - Rosé. 

Assim que Jay tirou minha calcinha, ele me olhou com um sorriso malicioso em seus lábios. 

- Tão molhadinha.. 

Aquela voz rouca dele estava me deixando louca. Quando menos esperei, senti a língua dele em minha intimidade. 

Aquilo resultou em um gemido um pouco alto de minha parte. 

Jay estava me torturando, passando sua língua, chupando algumas vezes e brincando com meu clitóris. Aquilo realmente estava me deixando louca, às vezes ele me olhava com um sorriso e eu não conseguia controlar meus gemidos.

Sentir a língua daquele homem em minha parte íntima era a melhor coisa desse mundo. 

Ele com calma foi colocando seu dedo e começou a movimentar com mais calma ainda, me fazendo gemer. Ele estava trabalhando com seu dedo e sua língua, eu estava quase chegando ao meu limite. E assim que cheguei, senti que estava me desfazendo em seu dedo. O mesmo sorriu e se aproximou, colocando o dedo em minha boca. 

- Deixa eu foder sua boquinha, amor? 

Jay me perguntou e eu sorri. Fui me aproximando do mesmo que me colocou de joelhos no chão e comecei a tirar a calça que ele usava.  

Assim que vi o membro dele sair para fora, comecei a passar a minha língua, olhando para ele. Ele me provocou, agora que aguente também.

Comecei a provocá-lo, ficava passando minha língua, às vezes colocando só a cabecinha em minha boca e isso estava deixando ele louco. 

- Não faz isso, bebê.. Deixa eu foder sua boquinha, vai. 

Assim que ele disse isso, coloquei seu membro em minha boca, ouvi o gemido de Jay e sorri satisfeita. 

Comecei a chupar ele que levou a mão para os meus cabelos, entrelaçando as mãos ali. Ele fazia força e comandava meus movimentos em seu membro, às vezes empurrava até o final, fazendo eu colocar seu membro inteiro em minha boca. Ouvir o gemido de Jay me deixava mais molhada ainda.

Finalmente ele se desfez em minha boca e colocou a mão em meu queixo, olhando seu gozo em minha boca. Dei um sorriso, passando minha língua por lá e depois engoli tudo, fazendo ele sorrir. 

- Deita, agora. 

Ele ordenou. Ouvir aquela voz grossa e rouca mandando eu fazer as coisas era a melhor coisa desse mundo. 

Assim que me deitei, Jay abriu as minhas pernas e foi passando seu membro em minha parte íntima. 

- Jay, para de me provocar.. - Pedi manhosa e o mesmo sorriu. 

- Eu vou te foder, meu amor. Vou te foder todinha. - Ele falou aquilo e eu sorri. - Mas você vai ter que me pedir antes.

Eu não aguentava mais provocar. Precisava dele dentro de mim. 

- Me fode, Jay.. 

Assim que falei, senti o mesmo me penetrar com força. Gemi alto, vendo o mesmo sorrir. 

Jay estava estocando com força, me levando a loucura. Ele sabia muito bem disso e estava gemendo também. 

Depois de algumas estocadas, ele se retirou de dentro de mim. 

- De quatro. - Ele ordenou de novo. - Agora. 

E assim fiz, sentindo a mão do mesmo que deu um tapa forte em minha bunda. 

- Gostosa. 

E ele me penetrou de novo. 

Ele começou a se mover com força, me fazendo gemer. 

- Jay.. 

- Isso, geme meu nome, bby. 

Depois de várias estocadas, algumas fortes e outras nem tanto, atingi meu limite, me desfazendo em Jay. Me senti um pouco fraca, então o mesmo me virou e me deitou, me penetrando algumas vezes até se desfazer também. 

Depois disso, ele se deitou ao meu lado, me abraçando. 

Olhei para o mesmo e sorri. 

- Vou fazer você gemer mais vezes. 



Notas Finais


rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...