História My baby... - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Eren Jaeger, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Annie Leonhart, Armin Arlert, Eren Yeager, Jean Kirstein, Levi Ackerman, Mikasa Ackerman
Visualizações 87
Palavras 920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


fico um pouco curto? talvez

Capítulo 4 - O anjo de dezenove anos.


Fanfic / Fanfiction My baby... - Capítulo 4 - O anjo de dezenove anos.

— ...conhece Kenny Ackerman? — a morena pergunta com receio

 — Tio Kenny? — o garotinho retruca com uma pergunta olhando confuso para a mulher

 — Tio Kenny? Ele é meu tio também. — Mikasa diz dando um pequeno sorrisinho

 — Ele cuidou de mim depois que a mama morreu. — ele desvia o olhar para Eren que parecia preocupado

 — Eu nunca conversei muito com ele mas... no pouco que conversei percebi que ele era bem, como posso dizer? Ah sim. Ele era bem rude. — ela continua bebendo o refri que havia pedido

 — Ele não era rude! Ele era o melhor tio que alguém poderia ter! — o garoto soca a mesa com o punho de lado fazendo todos se assustarem com o barulho — V-Você não entende...

 — Ei, Levi. — Eren segura o rosto do pequeno fazendo o garotinho olhar para ele que estava com um sorriso doce nos lábios — Não precisa chorar, certo? Você tem um sorriso tão bonito.

 — E-Eren! — Levi levanta da cadeira e abraça Eren sentando em seu colo soluçando

 — Shh, calma... não se preocupe criança. — o mais velho afaga as costas do garoto até os soluços serem substituídos por uma respiração calma

 — Ele dormiu? — Armin pergunta olhando para Eren aparentemente preocupado

 — Acho que sim. Bem, de qualquer modo... vou levar ele para o nosso apartamento, Mikasa, precisamos conversar sobre esse tal Kenny. — Eren se levanta ajeitando o garoto que dormia em seus braços

 — Eu pago a conta, podem ir na frente. — Jean diz se levantando da mesa


 [...]


 Ao chegar no apartamento de Eren, o mesmo leva o pequeno garotinho adormecido até o quarto colocando-o na cama e o cobrindo. O dono dos olhos verdes segue até a sala onde a irmã se encontrava sentada sobre o sofá, o homem se senta em frente a mesma e a olha nos olhos, aquelas íris negras como a escuridão encontraram seus olhos de esmeralda em questão de segundos:

 — O que você quer tanto saber? — a mulher cruza os braços juntamente com as pernas

 — Quem é Kenny Ackerman? 

 — Meu tio.

 — Eu sei que é seu tio, mas eu quero saber como você o conheceu. — Eren diz já sem paciência

 — Assim que meus pais morreram ele foi no orfanato me ver. Ele me olhava como se eu fosse um fardo. Parecia não gostar nem um pouco da minha existência, nas poucas trocas de palavras que tivemos pude perceber que ele não era um homem bom. No dia seguinte uma mulher linda de cabelos pretos como os meus veio me visitar, ela parecia tão amável e doce. Conversamos uma tarde inteira, ela parecia jovem, no máximo tinha dezenove anos. Ela me fez sentir em casa por aquela tarde, como meus pais faziam. — após a morena terminar de falar poderia se ver um brilho diferente em seu olhar, como se estivesse falando de alguém muito especial

 — Entendo... qual era o nome da mulher? — Eren pergunta pensativo

 — Kuchel Ackerman. Provavelmente a mãe desse garotinho, irmã de minha mãe e de Kenny. Ela está... — o brilho em seu olhar é imediatamente ofuscado e sua pele já pálida fica branca como a neve — ...morta.

 — Assim que Levi acordar vou querer falar com ele sobre isso, perguntar onde está Kenny. — Eren se levanta e anda até a irmã

 — Eu vou pra casa. Se conseguir saber algo sobre Kuchel, por favor me avise. — ela pede logo se despedindo do irmão


 Eren andou em passos largos até seu próprio quarto, pegou uma toalha e foi tomar um banho quente. Era disso que o homem precisava no momento, sua mente estava a mil, eram tantos pensamentos que rodeavam o garoto que agora se encontrava dormindo tranquilamente, o homem nunca havia pensado tanto sobre uma pessoa quanto estava pensando agora. Após aquele banho quente enrolou a toalha na cintura e seguiu para seu quarto, tinha esquecido as toalhas no armário como de costume, ao entrar no quarto de deparou com aquela cena do garoto sentado ao lado da cama abraçando seus próprios joelhos:

 — Levi? Você está bem? — perguntou em tom sério se aproximando do pequeno

 — E-Eren... a-achei que você tinha ido embora... — ele diz abraçando o pescoço do maior sem notar a situação

 — L-Levi, eu não vou te deixar sozinho. Espere eu me trocar na sala, preciso perguntar algo para você. — Eren afasta o garoto de seu corpo agora com seu rosto levemente vermelho

 — P-Pode perguntar o que quiser. — Levi diz, enfim, notando a situação

 — Se quiser sentar na cama... — o mais velho se levanta e anda até o armário sentindo os olhos do garoto em suas costas
 
 — V-Você... — Levi inicia a frase mas logo desvia o olhar ao ver a toalha caída no chão

 — Eu? — Eren pergunta começando a se vestir

 — E-Eu quero ser como você quando crescer... — o pequeno fecha os olhos com força logo sentindo mãos macias em seu cabelo

 — Bem, você pode me contar o que aconteceu com a sua mãe? — Eren pergunta ficando da altura do garoto

 — Ela morreu e câncer. — ele diz friamente olhando para o nada

 — Sinto muito. — os dois ficam em silêncio por um tempo — E seu tio?

 — Ele cuidou de mim até ser preso. — Levi levanta o olhar entusiasmado — Ele é o melhor tio do mundo, me protegia sempre que aqueles homens maus vinham me bater. Diziam que não me batiam por ele ser meu tio...

 — Wow, ele trabalhava com o que?

 — Armas. — disse sorrindo minimamente e dava para ver o brilho em seu olhar

 — Entendo... — o mais velho e levantou e voltou ao armário para pegar uma camiseta

 — Mikasa é minha prima? — o garotinho pergunta olhando o mais velho

 — ...talvez.


Notas Finais


Desculpem pelos erros e espero que tenham gostado ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...