História My Bad Boy - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Selena Gomez
Tags Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Exibições 609
Palavras 3.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura amores.

Capítulo 30 - Você está linda, meu amor.


Fanfic / Fanfiction My Bad Boy - Capítulo 30 - Você está linda, meu amor.

Selena Gomez's Point Of View.

 

    Uma semana e meia depois.

 

Atlanta- GA.

 

Minhas mãos tremiam enquanto eu colocava tudo o que eu conseguia dentro daquela grande mala. Os gritos dos três adultos lá embaixo estava alto, com certeza os vizinhos estavam conseguindo escutar perfeitamente. Algumas lágrimas rolavam por meu rosto, mas agora eu já não sabia se era por felicidade ou tristeza. Nesses dias que se passaram Bryan não deixou eu sair de casa, nem mesmo para ir à escola, eu conversava com Ashley e Justin pelo celular e tinha que ser escondido para que eles não vissem e resolvessem tirar o meu celular também. Tia Kristen ficou possessa de raiva por tudo que estava acontecendo e resolveu vir em minha casa tentar conversar com os meus pais. O que não deu muito certo e eles acabaram discutindo. Bryan disse que ou eu iria para o Texas ou eu poderia ir embora da sua casa para sempre e esquecer que tenho pais. No começo me assustei com suas palavras, porém voltei a prestar atenção quando Kristen mandou eu ir fazer minhas malas porque eu não ficaria nem mais um segundo nessa casa, o que eu subi rapidamente para fazer, deixando para trás Mandy e Bryan que me olhavam de maneira matadora.

 

Escutei à porta do quarto abrir e virei meu rosto para ver Ashley pegar uma outra mala minha e começar a colocar o resto das minhas roupas e alguns objetos que eu mais usava.

 

Depois de ter colocado tudo dentro das malas, começamos a arrastá-las para o andar de baixo, onde os gritos haviam cessado e o que prevalecia agora era o silêncio. Me senti meio triste por ter que ir embora desse jeito, não imaginava que uma coisa dessas poderia acontecer, porém, a culpa de tudo isso é somente deles. Não vou deixar com que eles decidam tudo na minha vida, já estava na hora de eu começar a viver para mim.

 

— Selena. — a voz de Bryan chama meu nome quando estou prestes a sair pela porta. — Se você passar por essa porta, se considere sem pais, e nunca mais olhe para a nossa cara.

 

— Deixe ela ir, Bryan. — Mandy se pronunciou. Vi que ela estava triste com isso também, afinal eu era sua única filha e agora estava indo embora para nunca mais voltar.

 

— Há muito tempo eu já me considerava sem pais. — olhei para eles pela última vez antes de sair da casa em que passei toda a minha vida toda. Entrei no carro da tia Kristen e ela sorriu fraco para mim e ligou o carro. Não olhei para trás um segundo sequer, tudo isso era uma consequência das coisas que eles faziam comigo e eu sei que serei mais feliz longe deles. Poderei tomar minhas próprias decisões e seguir a minha vida do jeito que eu quero seguir.

 

O caminho até a casa de Ashley não demorou muito e logo eu estava no quarto que elas haviam reservado para ser meu, minhas malas estavam abertas no chão do quarto para que eu pudesse guardar minhas casas nos lugares, contudo, eu estava sem a mínima vontade de guardar tudo isso agora, então desci novamente, entrando na cozinha, onde elas estavam.

 

— Está tudo bem, querida? — Kristen pergunta. Vejo que ela está realmente preocupada com o meu bem estar e então eu a abraço, transmitindo toda a minha gratidão por tudo que ela estava fazendo por mim. Não sei o que seria de mim sem sua ajuda.

 

— Obrigada, de verdade. Não sei como agradecer por tudo que vocês fazem por mim. — suas mãos agora acariciavam meus cabelos longos.

 

— Não precisa agradecer, meu bem. Eu te amo e faço tudo para ver você feliz. — deposita um beijo em minha cabeça. — Você é minha segunda filha.

 

— Vou começar a ter ciúmes. — Ash diz, sentando-se no balcão da cozinha. Vou até ela e me enfio entre suas pernas, apertando-a em um abraço apertado.

 

— Eu te amo. Amo as duas.

 

— Também te amo, latina. — rio fraco ao escutar o apelido pelo qual ela me chama, lembro imediatamente de Justin e que tenho que avisá-lo sobre tudo o que aconteceu.

 

Mandei uma mensagem para ele, dizendo para que ele viesse imediatamente a casa de Ashley. Eu estava agoniada querendo vê-lo, nós nos falamos poucas vezes nesses dias, e nenhuma delas foi pessoalmente.


 

Sentei-me no sofá checando  cada dois minutos o celular para ver a hora e assim que a campainha da casa tocou, corri para abrir, dando de cara com Ryan.

 

— Ah, é você. — não pude esconder o tom de desapontamento em minha voz.

 

— Bom te ver também, Selena. — brincou e entrou na casa. Assim que ia fechando a porta o corpo de Justin apareceu em minha frente e eu não esperei nem mais um segundo para jogar meu corpo em cima do dele, apertando meu corpo no dele.

 

Seu cheiro me embebedou completamente e eu não queria desfazer o abraço nunca mais, me sentia segura em seus braços, me sentia como se o mundo fosse habitado apenas por nós dois quando ele estava comigo. Queria sentir essa sensação pra sempre.

Justin caminhou comigo em seu colo até a sala, onde ele deixou meu corpo em um dos sofás. Ajeitei-me para que pudesse encarar seu belo rosto e contar a mais nova novidade, talvez uma das coisas que nós mais desejávamos. Justin pegou em minha mão e começou a fazer um carinho na mesma, fazendo com que eu esquecesse do que deveria dizer. Eu me perdia toda vez que olhava para seus olhos, era como se me levassem para outra dimensão, onde o mundo era perfeito.

 

— Eu fiquei tão preocupado com você, meu amor. — sua mão toca meu rosto, acariciando minha bochecha. Fechei meus olhos para poder aproveitar mais essa sensação. — Não me diz que você veio se despedir. Por favor, diga que não. Ainda não consegui ajeitar tudo para que possamos fugir.

                        

Ri fraco do seu desespero.

 

— Calma. — falei risonha. — Eu não vou mais para o Texas...

 

— Não? Seus pais voltaram atrás? Ainda bem. — ele me interrompe, respirando aliviado.

 

— Não... Eu saí de casa, Justin. Foi o único jeito. — Justin fica em silêncio por alguns segundos, mas logo sinto seus braços me acolherem em um abraço apertado. Descanso minha cabeça em seu pescoço e deixou-me apreciar os movimentos em meus cabelos.

 

Ficamos em silêncio por alguns minutos, apenas escutando a respiração um do outro até Justin resolver quebrar o silêncio.

 

— Você ficará aqui? Na casa da Ashley?

 

— Sim. Tia Kristen é como minha segunda mãe, ela disse que posso ficar aqui o tempo que eu quiser. Mas não quero que seja um tempo longo. Assim que os estudos acabarem irei atrás de um emprego e uma tentar uma bolsa na faculdade.

 

— Eu vou arrumar uma casa pra gente. — deposita um selinho em meus lábios. — Prometo. Já conversei com Jeremy sobre isso e ele está disposto a nos ajudar.

 

— Fico feliz em saber disso. E ainda mais feliz em ver que você não desistiu de mim. — me enrosco mais em seu abraço, suspirando aliviada em ouvir suas palavras. Ele queria tanto isso quanto eu. E eu ficava feliz em saber que ele se importava de verdade.

 

Pode não parecer, mas eu me considero uma pessoa muito carente. Sempre vivi apenas com os meus pais já que a maior parte da nossa família mora no Texas, e eu não tinha irmãos, o que piorava ainda mais minha solidão, e depois que Mandy e Bryan começaram a dar mais valor para o trabalho que para mim, isso só piorou. O meu único refúgio era Ashley e Kristen que me tratavam melhor do que meu próprios pais.

 

— Já disse que não vou desistir de você. Nunca. — seus lábios colaram-se em minha testa, dando um beijo demorado.

 

Ficamos a tarde toda juntos, planejando tudo o que iríamos fazer e falamos sobre o baile de formatura que já estava próximo. Bem próximo mesmo. Seria daqui a duas semanas e fui perceber que não tinha comprado absolutamente nada. Me bateu um desespero imediato por conta dos gastos que eu teria, porém me tranquilizei ao lembrar que tenho dinheiro na minha conta. Eu sempre juntei dinheiro, gostava de ter minhas economias e também nunca fui de gastar muito, então todo o dinheiro que eu pegava, colocava em minha conta.

 

Agora eu vou ter que tirar um pouco de dinheiro, queria fazer bonito nesse baile, pois vai ser o último e também será como uma despedida do colegial e de várias pessoas que passaram esse período comigo.


 

Uma semana depois.

 

Já estava a umas três horas caminhando por todo o shopping atrás de um vestido que satisfizesse o gosto de Ashley, eu mal conseguia sentir minhas pernas agora e era como se elas estivessem sendo puxadas sozinha. Minha sorte foi que na terceira loja que entramos eu vi um lindo vestido longo com uma fenda em um lado da perna e uma abertura nas costas, foi amor à primeira vista. Não pensei duas vezes em comprá-lo, aproveitei também para comprar um salto que ficasse bom com o vestido, o que também não demorou. Já Ashley já estava quase se descabelando por não ter encontrado nenhum bom o suficiente para ela.

 

— Ei, ash! Olhe aquele, é lindo. — apontei para um vestido azul claro que estava na vitrine, ele era longo e liso e o seu azul era bem clarinho. Tenho certeza que ficará divino nela, e acho que a loira também pensou o mesmo já que saiu correndo para dentro da loja e quando saiu trouxe o vestido e mais uma bolsa onde estava o seu salto.

 

— Você me salvou, sel! — ri do seu drama e retribuí seu abraço assim que seus braços rodearam o meu pescoço. — Agora temos que avisar para os meninos sobre a cor dos nossos vestido. Se o Ryan me aparecer com algo vermelho ao invés de azul claro eu mato ele e jogo no mar.

 

— Você tem razão. Irei mandar uma mensagem para Justin. — peguei meu celular enquanto caminhávamos para a área de alimentação, eu estava morrendo de fome.

 

 

 

Alguns dias depois…

     Dia do Baile.

 

Sorri ao me olhar no grande espelho do quarto. O vestido havia ficado na medida certa, como se estivesse sido feito especialmente para mim. Meu cabelo estava com algumas ondas grossas, caindo por meu ombro, e eu estava maquiada, não muito pois não gosto de usar bastante, mas era evidente em meus olhos e em meus lábios. Nunca me senti tão bonita como estava me sentindo agora. Sorri por isso.

 

Justin já estava lá embaixo junto com Ryan, eles pareciam ansiosos, pois a cada três minutos eles chamavam o meu nome e o nome de Ashley, nos apressando.

 

Respirei fundo e saí do quarto, descendo as escadas logo vendo a silhueta de Justin no fim da escada. Ele estava de costas, porém eu já sabia que ele estava tão lindo quanto eu todos os outros dias. Ryan foi o primeiro a me ver e sorriu para mim, ele também estava muito bonito, o que me fez pensar o quanto ele e Ashley eram bonitos juntos. Justin se virou para mim e vi que seus olhos estavam perdidos, era como se ele estivesse encantado e não sabia para onde olhar.


 

Justin Bieber's Point Of View.

 

Wow. Eu estava enfeitiçado pela beleza da latina. Era impressionante como ela ficava cada dia mais bonita, ou era apenas eu ficando cada dia mais apaixonado. Seu vestido estava perfeito em seu corpo, seu cabelo estava dando um ar ainda mais fofo para ela, e pouca maquiagem estava completando todo o charme.

 

Meus olhos estavam presos nos dela, eu mal conseguia me mover ou dizer alguma palavra. Estava paralisado. Ela sorriu para mim assim que seu corpo se aproximou o suficiente para sentir o seu perfume com aroma de rosas. Peguei em sua mão e depositei um beijo na mesma, sem tirar meus olhos dos seus.

 

— Você está linda, meu amor.  — vi suas bochechas ganharem cor e não perdi a oportunidade para selar os nossos lábios em um beijo demorado. Segurei em sua cintura e não pude pensar em algo puro ao sentir sua pele macia embaixo da minha mão. Ela se arrepiou, mas tentou disfarçar. O que me fez soltar uma risada durante o beijo.

 

Assim que Ashley desceu as escadas e se atracou com Ryan por alguns minutos, nós entramos em nossos carros e fomos até a nossa escola. Onde ocorreria o baile.

 

A entrada estava toda decorada de branco e haviam pétalas de rosa jogadas por todos os corredores, o clima estava bem romântico e caprichado. As cheerleaders fizeram um bom trabalho.

 

Segurei nas mãos da Selena quando entramos na quadra, que já estava cheia à beça. Praticamente todos os alunos do último ano estavam ali, e poucos eram dos outros que devem ter vindo como convidados. Seguimos para a mesa onde sentariamos, mas antes de chegar lá uma menina morena, que parecia mais agitada que o normal, se colocou em nossa frente.

 

— Kylie. — a garota me puxou para um abraço apertado. — O que está fazendo aqui?

 

— Vim convidada pelo Brad, já que meu primo esqueceu da minha existência, não é mesmo? — coço minha nuca porque havia um pouco de verdade no que ela havia dito, talvez muita.

 

— Eu iria chamar você, mas achei que não iria querer vir. — menti na cara dura.

 

— Uhum sei. — revirou os olhos. — Selena! Quanto tempo. — disse animada puxando minha garota para um abraço.

 

— Oi, kylie! Verdade, já faz bastante tempo que nos vimos. — kylie balança a cabeça concordando e cumprimenta Ashley e olhou para Ryan, fazendo uma careta de nojo. Ela não suportava ele, mas na realidade eu acho que ela gosta dele só que nunca demonstrou.

 

— Bom, vou voltar pra perto do Dj, depois apareço na mesa de vocês. Curtam a noite. — ela vira as costas e some no meio da multidão de alunos.

 

Voltamos a fazer o percurso até a mesa e nos sentamos, olhando para a nossa volta. Todos estavam bem animados e eu queria que Selena tivesse uma noite maravilhosa.


 

Selena Gomez's Point Of View.

 

Depois de alguns drinks que Justin tinha me dado eu já me sentia bem mais confortável e relaxada. A música estava alta e as pessoas que estavam no centro da quadra se acabavam de dançar, mexendo seus corpos loucamente enquanto gritavam as letras das músicas de maneira alta, querendo competir com o próprio som alto.

 

— Vamos dançar, latina. — Justin se levanta e estende a mão para mim, não penso duas vezes e pego em sua mão, deixando que ele me leve até o centro da quadra e começamos a movimentar nossos corpos.

 

Nossos milhares de beijos ao decorrer da noite faz com que eu fique mais embriagada em Justin e ele em mim. Não nos separamos um segundo sequer, até mesmo quando quis ir no banheiro ele fez questão de ir comigo, o que me rendeu boas risadas.

 

E ao invés de voltarmos para a quadra logo após eu ter saído do banheiro, Justin me levou até uma das salas vazias e colocou meu corpo em cima da mesa larga.

 

— Eu estou me segurando à noite toda, bae. — seus lábios sugam o meu pescoço, dando várias mordidas seguidas de beijos molhados.

 

Meu corpo se arrepia de imediato.

 

— Justin, aqui não é um lugar muito apropriado. — mesmo contra a minha vontade, meu corpo responde por si só ao retribuir os seus jeitos. Puxando os cabelos da sua nuca.

 

— Várias pessoas estão fazendo isso nesse momento, amor. — ele chupa meus lábios, deixando-me cada vez mais desnorteada. — Vai ser rápido. Prometo.

 

— Urgh! Vamos logo então. — o beijo, transmitindo toda a minha vontade de tê-lo dentro de mim agora.

 

Justin sobe meu vestido e abaixa sua calça junto com sua cueca, mordo os lábios ao notar sua excitação que estava mais que evidente. Seus dedos vão até a minha intimidade, após ele tirar minha calcinha e jogá-la no chão, e ele começa a movimentar seus dedos dentro de mim, me deixando cada vez mais louca. Gemidos baixos começam a sair por minha boca de forma involuntária, e vejo que Justin gosta disso. Gosta de ver o efeito que ele tem em mim com poucos gestos.

 

Levo minha boca até a sua e começamos um beijo selvagem, cheio de desejo, vontade um do outro, necessidade de tomarmos somente um mais uma vez. Mordo sua orelha de leve.

 

— Vamos logo com isso. Por favor. — sussurro, quase implorando para que ele acabe com aquela sessão de tortura.

 

Justin ri baixo e tira seus dedos de dentro de mim e pega em seu membro, o esfregando em minha intimidade. Rodo minhas pernas em sua cintura quando sinto seu membro me invadir, trazendo uma sensação de preenchimento. Agarro seus ombros e começo a me movimentar em perfeita sincronia com seus movimentos.

 

Nossos gemidos se espalham por toda a sala e eu já começo a não me importar se alguém nos ouvirá, eu só queria aproveitar cada segundo desse momento.

 

— Gostosa… — Justin sussurra mordendo meus lábios e eu solto um gemido mais alto ao sentir ele aumentar a pressão de seus movimentos, fazendo com que a mesa começasse a fazer um barulho um pouco mais alto.

 

Sinto minhas pernas ficarem cada vez mais mole e eu sentia que meu ápice. Justin deu mais algumas estocadas e eu não me aguentei, desmanchei em puro prazer, deixando com que o nome do Justin saísse em forma de um intenso gemido por minha boca entreaberta. E em menos de dois segundos depois, senti o líquido de Justin me preencher.

 

Nossas respirações estavam rápidas, porém isso não nos impediu de nos beijarmos mais algumas vezes antes de escutarmos passos no corredor e nos vestir rapidamente enquanto dávamos altas gargalhadas.

 

Voltamos para a quadra e corremos ao ver que estavam todos juntos para tirar a foto com todos os formandos.

 

— Aonde vocês estavam? — Ryan pergunta, enquanto Ashley se mantém ocupada em ajeitar seus cabelos loiros para que ela saísse perfeita na foto. Mais do que ela já era.

 

— Ocupados. — apenas uma palavra e um olhar de Justin foi o suficiente para que Ryan entendesse.

 

Mandaram que ficássemos em nossos lugares pois eles iriam bater a foto e outras duas seriam com o nosso par. Justin me abraçou pela cintura e o primeiro flash foi batido.

 

Depois de ficar na fila para tirarmos a nossa foto em par, finalmente tinha chegado em nossa vez. Nos posicionamos no nosso lugar e para a primeira foto, Justin depositou um beijo caloroso em minha bochecha, fazendo com que eu sorrisse para a foto. Já na outra eu passei meus braços por seu pescoço e ele colocou os seus em minha cintura, fazendo alguma careta para a foto. Rimos e pegamos nossas fotos, uma ficaria comigo e outra com ele. Voltamos para a nossa mesa, que agora já estava mais cheia de alunos do que quando chegamos, e várias bebidas foram postas em nossa direção.

 

Naquela noite eu me diverti como nunca, e também fechei um capítulo da minha vida. Agora eu precisava ser mais responsável e correr atrás dos meus objetivos.


Notas Finais


olá amoras💕 bom, falta 3/4 capítulos para o final da fanfic :(sz então me digam o que estão achando. Eu quero pedir desculpas por conta da demora, pois eu estou em uma situação difícil na escola por conta das faltas e eu estou tendo que correr(muito( atrás.
É isso, beijos e até o próximo💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...