História My Bad Boy - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Bad Boy, Bts, Colegial, Romance
Exibições 71
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente!
Eu sei que é meio tarde, mas eu só consegui terminar agr.
Espero que gostem do capitulu!

Capítulo 9 - Fingir?


Minha descrição nesse momento, é definitivamente de acabada.

Ontem, quando cheguei em casa, era umas 22:00. Estava encharcada, cansada, pés doendo... Tudo! Minha família estava dormindo na hora em que cheguei, por isso não viram o meu estado.
          Hoje de manhã, eu estava tossindo um pouco, acho que peguei um resfriado. Quer dizer, não é o bastante ser beijada(à força) por aquele menino que eu não gosto nem de citar o nome; brigar com seu melhor amigo; ir à pé para a sua casa, que por sinal é muito longe. NÃO BASTA! Tem que sofrer! Sabe, às vezes acho que vivo no lixão, porque só entra lixo dentro na minha vida.
      Além disso, já tentei mandar inúmeras mensagens para Taehyung, mas ele não me atende de jeito nenhum.
      Mas, não adianta ficar me lamentando. Tem que levantar a poeira e dar a volta por cima. 
      Agora, estou tomando café com a minha família querida.
      - Querida, que cara é essa? – mamãe perguntou, percebendo que eu não estava com uma cara muito boa.
      - A única que eu tenho. – respondi. Não estava com paciência para ninguém hoje.
      - Mayumi! Isso é jeito de falava com sua mãe!? – exclamou papai e eu apenas ignorei, olhando para o lado.
      - Acho que o Taehyung deu um pé na bunda nela. – riu Jin. – Estava achando estranho o namorico de vocês estar durando por tanto tempo...
      - Ele NÃO é meu namorado! – era só o que me faltava, meu irmão para encher meu saco. 
      Empurrei o meu prato, que nem havia sido tocado ainda. Peguei a minha bolsa e entrei na limusine, sem me despedir de ninguém. 
      Peguei meu celular, pus os fones de ouvido e comecei a escutar música. Eu estava pensativa. Parte de mim estava com raiva: a culpa não foi minha de ter beijado Jungkook, sim dele, e depois disso V saiu com a carruagem sem pelo menos ouvir a minha explicação. Outra parte estava triste: antigamente nós, eu e Taehyung, éramos muito próximos, mas parece que agora só sabemos brigar e nos desentender.
      Em pouco tempo, cheguei ao portão do colégio. Rapidamente, guardei as minhas coisas e saí do carro.  No momento em que coloquei o pé dentro da escola, fui recebida com uma recepção calorosa(SQN).
      Começaram a jogar vários ovos em mim, e eu não sabia de onde isso tava vindo. Depois começaram a atirar farinha e penas. Em seguida, puseram uma coroa de papelão em minha cabeça. Levei minhas mãos ao rosto, com o intuito de protegê-lo, fechei meus olhos. Eu só conseguia escutar as risadas frenéticas das outras pessoas. Sei que foi um dos piores momentos que já passei nessa escola. 
      Eu já vi os valentões do grupo da elite tratarem os alunos da base da pirâmide escolar(impopulares) dessa maneira. Mas, eu nunca imaginei que fosse tão humilhante, porque talvez, eu não estivesse sentindo na minha própria pele. 
   Abri os olhos, que antes estavam fortemente fechados. Todos me olhavam como se vissem  um palhaço em um circo. Olhei meu corpo: eu estava parecendo uma galinha; toda melada por causa da gema do ovo, e ela serviu como cola para grudar as penas brancas e os grãos de farinha.
      Mas uma pessoa me chamava a atenção. Ela tinha uma risada extremamente escandalosa e maldosa. Percebi que era ninguém mais, ninguém menos que Seoh Kitara. Só podia ser. Como não saquei antes? Ela com certeza foi se vingar, só porque não ganhou o prêmio da rainha do baile.
      - HAHAHAHAHAHA! – sua risada era semelhante à de uma bruxa. – Aqui está sua rainha, a rainha da humilhação! CLARO, que ela não é digna de uma coroa, como percebemos neste exato momento! Porque EU sou a verdadeira rainha dessa escola! – disse para todos, depois olhou para mim. – Agora, como sou uma rainha "boa", permito que a nossa "rainha" tenha um momento de brilho. Aplausos para ela! – disse fazendo com que todos batessem palmas, a seguindo.
      Tentei segurar as lágrimas, mas elas se foram facilmente. Porque? Porque ela tinha de ser assim comigo? Porque eu não me defendo?... Não sei. Essas perguntas são sem respostas neste momento. 
      - Sério, se fosse você, teria vergonha de si mesma! – riu Kitara.
      Enquanto estava lá, sofrendo, alguém interrompeu aquela algazarra. 
      - Você é que deveria ter vergonha de si mesma. – alguém disse.
      Olhei para trás, todos pareceram fixar os olhares para o mesmo lugar que eu. Quem se pronunciou foi Jeon Jungkook.
      - Ah, é? Porque teria? – perguntou Kitara, fazendo cara de cínica.  
      - Não percebe?Você se transformou em um monstro. É falsa, orgulhosa, desonesta. Belos adjetivos, não? Além disso, você faz isso pelo simples fato de ter inveja dela. Porque ela tem amigos, é bondosa, verdadeira. Tudo, que mesmo que se esforce para conseguir até o final da sua vida, nunca vai ter.  – Todos estavam calados, ouvindo seu discurso. – E vocês, alunos. Deveriam ter vergonha de estarem dando apoio à uma maldade como essa. É muito legal assistir e se divertir com as desgraças dos outros. Mas quando a desgraça é sua, a situação muda um pouco, não é? Então, espero que respeitem uns aos outros e a si mesmos. – terminou, e todos permaneciam calados.
      Estava grata? Sim. Todos pararam de rir e me humilhar. Mas, esqueci tudo o que ele fez? Não. Talvez, apenas talvez, eu mude UM POUCO minha opinião sobre ele. 
      Kitara, que agora estava com a cara no chão, perguntou:
      - Afinal, quem é você? Para chegar tão de repente, e defendê-la. Deve ser algum dos seguranças que a mãe dela contrata. Coitada, não consegue se defender sozinha. 
      - Não sou nenhum tipo de segurança. Sou o namorado dela. – ele disse, orgulhoso.
      VOLTA A FITA! Eu acho que perdi a parte dos encontros, conversas, até o pedido de namoro. Porque eu não me lembro nem de ACEITAR ser a namorada daquele garoto! Minha admiração por ele, que por um segundo sequer tinha subido para o nível 1, voltou para a estaca zero novamente.
      A reação de todos, foi espanto. A cara de Kitara foi a melhor, a menina estava boquiaberta. 
      - Vamos sair daqui. – aconselhou Jungkook, me puxando pelo braço. 
      Ele me levou ao banheiro, entramos e fiquei olhando para a cara de "santo" dele.
      - O que foi? – perguntou tranquilamente.
      - O QUE FOI!? Você disse que era o meu namorado! Para começo de conversa, eu nem gosto de você, para aceitar que seja o meu namorado! – gritei, estava furiosa com ele.
      - Nossa, eu também te amo! – ironizou – Eu só fiz aquilo para te ajudar! E foi a única maneira que encontrei para calar a boca dela! Além disso me senti meio culpado por ontem.– se justificou.
      MEIO CULPADO!? Totalmente, só se for.
      - Mas não precisava! Eu sei me defender sozinha!
      - Eu percebi! A forma como as lágrimas rolavam pelo seu rosto mostrou bem a sua autodefesa. – disse sendo sarcástico.
      ARGH! Que raiva eu tenho desse menino! Ele me tira do sério!
      - Certo! E agora, "namorado"? – quase vomitei quando disse a última palavra.
      - Claro que vamos fingir "namorada". Não pense que estou morrendo de amores por você. Porque não estou. – ele falou.
      - Fingir? 
      - Sim. Não precisa ter beijo nem nada meloso. É só fingir por um tempo, depois a escola esquece. Quando tudo terminar, você volta à sua vidinha chata de sempre, e eu volto para a minha. 
      - Não sei.
      - Tanto faz a sua opinião. Tenho mais o que fazer. – ele disse saindo pela porta do banheiro.
      Eu não acredito que vou ter que fingir que estou namorando com ele. Era só o que me faltava. Ter um namorado de mentirinha.
      Estava perdida em meus pensamentos, quando uma menina entrou olhando para mim com os olhos arregalados. 
      Ai meu Deus! Só agora percebi duas coisas. Ainda parecia uma galinha ambulante e estávamos no banheiro feminino. Ou seja: eu estava no banheiro feminino com um garoto, e aquela menina viu ele saindo de lá.
      Dei um sorriso tímido para ela, depois comecei a me limpar. Minha cabeça só ficava em uma coisa: como vou fazer para fingir um namoro?

      


Notas Finais


E terminou!
PS: eu tentei colocar um gif na imagem do cap, mas não tava pegando pq tá o maior bug no meu cell, mas é a vida.
Bjs com leite condensado para vcs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...