História My Badss Queen - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gray Fullbuster, Igneel, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Sting Eucliffe
Visualizações 84
Palavras 2.725
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Nada a declarar hoje.
Boa Leitura!

Capítulo 6 - 4 Horas e 45 Minutos


Caminhava calmamente tomando cuidado com Naomi que tentava se equilibrar no meio fio, eu segurava uma das suas mãos enquanto ela deixava o seu outro braço aberto. O que me deixava com certo receio já que estávamos em uma rua movimentada. A tal praça ficava bem no meio da cidade e isso quer dizer: uma hora caminhando. Não posso negar e muito menos esconder de mim mesmo que estava totalmente preocupado com o sumiço de Lucy, eu não sabia da sua situação atual para colocar na minha cabeça um simples “Ela está bem. ”, não dava, simplesmente não dava.

Com as duas mochilas colocadas sobre o mesmo ombro caminhava desajeitado pela calçada, finalmente já em frente a quadra em que as garotas iriam treinar, sentei-me no gramado fazendo da minha mochila um travesseiro duro e desconfortável. Naomi descansava ao meu lado bebericando de uma agua gelada recém comprada. Ela iria entrar no próximo turno, estava tão desinteressado que cheguei a esquecer de deixar o meu rosto “Apresentável”.

- Por que está tão fora de si? Qual é o problema? – Perguntou Naomi pela quintagezima vez – Me responda! – Aumentou o tom da voz

- Por que Levy estava chorando? – Perguntei olhando diretamente em seus olhos

- Eu já disse que eu não sei! – Bradou – Estávamos conversando sobre o namorado dela e ela saiu correndo – Respondeu aflita, como se estivesse me escondendo algo

- Você acha que eu nasci ontem? – Perguntei retoricamente – Eu te conheço Naomi, você fez algo e não quer me contar! – Afirmei com os olhos entre abertos

Ela se levantou e se sentou na minha cintura segurando meu rosto com força.

- O que aconteceu com você? Você não era assim, você ficava todo animado quando ficava comigo e agora nem me olha direito. Eu pensava que seria recebida com beijos, mas nem olhar para a minha cara você olha direito. Foi apenas sexo para você? Quem diria... – Negou com a cabeça – Nunca pensei que você seria um galinha

- Não foi apenas sexo Naomi, mas hoje eu não estou na minha melhor forma e não posso dizer que por termos transado somos algo além de amigos, então tire essas ideias absurdas da sua cabeça. – Falei tirando sua mão do meu rosto

Ela não pareceu gostar da resposta já que saiu bufando com a mochila nas costas, e eu, nem liguei. Continuei deitado sobre o gramado vendo o céu ser preenchido por nuvens cinzentas, iria chover. Respirei fundo fechando os olhos e logo me levantando dando de cara com uma ruiva.

- Você não usava óculos? – Perguntou Erza

- Eu uso, mas eu esqueço desse pequeno detalhe, já que com ou sem óculos é quase a mesma coisa – Falei coçando a nuca

- Então por qual motivo os utiliza? – Perguntou com uma cara estranha

- Eu o uso para leitura – Respondi como se fosse obvio

Ela riu e se sentou ao meu lado fazendo da minha mochila um encosto para ela, a roupa que ela usava era composta por um micro short preto e um top preto por baixo de uma regata cinza com o número 33 estampada e seus pés se encontravam descalço. No braço esquerdo estava amarrada uma fita azul e um apito pendurado no pescoço.

- Deixa eu ver... – A olhei – Capitã do time de vôlei? – Deduzi e ela assentiu

- Como você consegue ficar com aquela loira insuportável? – Perguntou com nojo – Ela é tão asquerosa...

- Eu não acho isso, ela é uma pessoa boa mesmo sendo rabugenta, mal-humorada, irritante, boba e nada feminina. – Falei sem pensar

- Você não disse nada de bom nela – Disse risonha

- É que eu não a conheço a fundo, mas garanto que se perguntar para a Levy ela te dirá uma lista enorme – Sorri

- Aquela Naomi não é flor que se cheire, o que você tem ou teve com ela? – Perguntou, aparentemente interessada

- Eu já fui meio que um namorado – Falei – Eu estava tão feliz quando recebi a notícia de que ela viria para cá, mas agora que ela está aqui, me sinto tão... Desanimado.

- Como assim ‘Meio’ que um namorado? 

- Não sei como explicar... – Cocei a nuca nervoso com o interrogatório

- Está interessado na Levy? – Perguntou sem rodeios – Ou até mesmo na rabugenta da Lucy? Você estava distraído hoje, muito distraído

- Não estou interessado em ninguém Erza – Firmei a voz tentando não gaguejar – Levy e a Lucy são pessoas totalmente diferentes, com gostos diferentes e eu te juro que estou longe de ser um deles. – Arqueei as sobrancelhas

- Não me parece, por que você olha para Levy como se você um suculento pedaço de carne – Estralou a língua e eu revirei os olhos em resposta

- Nada haver.

- Natsu-San – Ouvi um grito, me virei para trás e vi Levy correndo até mim

- Ola Levy, como está bonita – Falei admirando a sua roupa que se resumia em uma blusa branca de manga curta com uma estampa de Mickey mouse e um short jeans.

- Obrigada – Sorriu dando uma volta – Como vai Erza? – Cumprimentou a ruiva quase que cuspindo as palavras.

- Bem, obrigada por perguntar – Sorriu

- O que faz aqui Levy? – Perguntei sorrindo

- Eu vim aqui acompanhar o Gajeel no treino de basquete – Apontou para a outra quadra – E você veio como acompanhante da Naomi, mas o que faz com a Erza? – Se sentou ao meu lado, tão perto que quase se sentou em mim.

- Erza é a capita do time de vôlei, ela estava descansando aqui daí aproveitamos e começamos a conversar – Falei (Menti por partes) antes que a mesma dissesse algo.

- Ah, entendo – Sorriu falsamente

(...)

- Natsu, você poderia me dizer o porquê dessa garota estar aqui? – Disse se referindo a azulada que segurava meu braço

Já haviam se passado duas horas desde que fomos para o parque, o relógio de pulso indicava 13h e alguns minutos, o céu já se encontrava totalmente escuro não tendo mais dúvidas que o mundo iria desabar.

- Vocês são estranhas! Hoje de manhã estavam sorridentes conversando com amiguinhas e agora agem como inimigas prontas para se matarem! – Reclamei, tentando me soltar do aperto de Naomi

- As coisas mudam, e as vezes rápido demais – Levy riu, agora segurando a minha mão

- Você tem namorado! Pare de dar em cima do meu! – Naomi deu tapas na minha mão para que me soltasse da dela, mas parou assim que bateu seu dedo contra a aliança logo reclamando da dor – Ai! Eu não me lembro de você usar anel

- Você tem um namorado que é casado?! – Riu freneticamente enquanto erguia minha mão – Oh, parece que essa aliança! – Passou o dedo sobre ela

- Por que usa uma aliança? – Perguntou Naomi me parando no meio da calçada, e ficando de frente para mim

- Eu ajudei uma amiga minha, desde de então não tirei ela e não ou tirar até ela mandar – Me irritei ao sentir os dedos ágeis de Naomi ao tentar arranca-la, acabei por puxar minha mão com força assustando-as.

- Vamos logo, eu quero visitar a Lucy antes que comece a chover! E Levy liguei para o seu namorado e peça para ele vir busca-la por que vai chover – Me soltei das duas e comecei a caminhar rapidamente pelas calçadas

Onde já se viu isso? Eu não devia nem ter dado satisfação a elas, e que coisa mais idiota eu falei “ Não irei tirar até ela mandar”, não, eu fui idiota. Ouvi os passos apressados atrás de mim e parei ali mesmo as esperando.

- Meninas, desculpe eu não deveria ter dito isso eu só – Fui interrompido

- Nos te perdoamos – Afirmaram juntas com um sorriso no rosto

- Né Natsu... – Começou Levy, pegando na minha mão novamente – Porque quer ir visitar a Lucy?

- Eu... eu me sinto preocupado com ela, não sei explicar esse sentimento, ele vem do nada! – Exclamei injuriado

As duas riram com as bochechas coradas, continuamos a andar abraçados pelas calçadas movimentadas do centro, parei várias vezes para satisfazer as vontades das madames que me acompanhavam, as duas sorriam cada vez que olhavam para mim, não posso dizer que isso não é estranho. Depois de mil anos caminhando, chegamos em frente a pequena e humilde mansão.

- Licença, a Lucy está? – Perguntei apertando o interfone

- Boa tarde senhor, ela não mora mais aqui e não tenho permissão para dizer seu novo endereço – Disse uma voz feminina, conhecida por mim

- Ah! – Reclamei – Por favor Virgo, eu preciso muito vê-la!

- Desculpe senhor – Disse e finalizou a chamada

Chutei uma pedra e bufei estressado, olhei para as duas que estavam com expressões normais no rosto. Pedi para que Levy ligasse para o tal Gajeel e assim ela fez, minutos depois esperando sentados no meio fio um carro bordo parou em frente a nós e o vidro fumê se abaixou mostrando um moreno de cabelos pretos e espetados com vários piercing no rosto

- Gajeel, esse é o Natsu e aquela vaca aqui é a Naomi – Falou e eu ri junto a ele, recebendo um cascudo da Naomi

 - Prazer – Falou e lhe deu um selinho

- Tchau gente – Acenou Levy entrando no carro que partiu em seguida

- Vamos para casa?  Eu quero tomar um banho relaxante e comer uma boa comida – Riu enquanto passava as mãos na barriga

- Esfomeada – Ri da sua reação

/● ᴥ ●/● ᴥ ●/● ᴥ ●/

Lucy

Estávamos esperando anoitecer para que pudéssemos tacar o terror nos Nerds que estavam saindo da faculdade, Layla chegou cansada em casa então nesse exato momento descansava em seu quarto, cocei os olhos espantando o sono, pausei o filme que passava na Tv e comecei a limpar o sofá.

- Patrícia sua folgada! Limpa esse tapete – Bati em sua perna e ela riu saindo do sofá de forma desleixada

Começamos a limpar o que sujamos de pipoca e salgadinho, por que se a minha velha ver isso eu fico surda! Arrumei o sofá colocando as almofadas alinhadas. Limpei a mesinha de vidro a deixando um brilho.

- Vamos Patrícia! – Falei animada e corri para o quarto, peguei meu moletom preto e uma calça preta folgada e claro, a minha máscara de bruxa. Me arrumei rapidamente e tampei meus cabelos loiros com o capuz. Enquanto a patrícia estava utilizando um moletom bordo e uma calça preta parecida com a minha, e a máscara dela era a de um ogro bizarro, seu cabelo estava preso em um coque e coberto por uma toca da mesma cor que seu moletom.

- Minha fia se tá muito bela com essa máscara de ogro! – Forcei a voz, parecendo uma idosa falando 

- Obrigada Vovó – Falou com uma voz grossa e se virou para o banheiro, voltou do cômodo com dois bastões em mãos, tirados de narnia! – Sorri com isso e peguei um deles o pondo em meu ombro esquerdo.

Deixei um bilhete na geladeira antes de sair do apê, corremos para o elevador e torcemos para que não houvesse ninguém dentro do mesmo, e graças a Odin não havia ninguém. A porta de entrada e saída estava aberta e a velhinha estava trocando seu turno com um homem albino. Saímos correndo para fora do apartamento e nos escondendo em um beco escuro que havia ali ao lado, atravessamos o mesmo escoradas na parede até chegar na rua principal, podendo ver a grande estrutura, mais conhecida como Faculdade.

Dizer que não estava animada seria uma grande mentira, eu mal conseguia esconder o meu sorriso maldoso por baixo da máscara, com cuidado fomos nos aproximando até o terreno baldio que ficava ao lado da faculdade, o espaço era pequeno, ou seja, perfeito.

Me ajoelhei atrás de um grande arbusto e esperei a minha vítima, que por grande azar era a “Namoradinha” do Gray, mais daí você me pergunta: Como você sabe que é ela? E eu te respondo: A cadela de cabelos azuis estava beijando-o.

As aulas da faculdade acabaram não faz 4 minutos e Gray já estava aqui antes mesmo disso, fechei os olhos com força mentalizando um “Não faça isso, ele está aqui. Dessa forma ele nunca vai te amar! ” Senti uma mão em meu ombro, me assustei e virei rapidamente para trás vendo apenas os olhos da patrícia

- Hey! Você está bem?  - Sussurrou com a voz abafada

- Não! Não estou! Sabe aquela mulher ali, hoje ela será o nosso brinquedo – Falei estralando os dedos, com raiva

Os seguimos até o final de seu “Percurso” descobrindo o lugar onde a azulada morava, esperamos os dois pararem de se comerem em frente à residência de cor clara. Aparentemente a jovem morava sozinha.

Me espreguicei na moita pegando em seguida o bastão, subi em uma arvore que dava direito em sua janela, que por sorte minha estava aberta. Quem em sã consciência deixa uma janela aberta? Adentrei seu quarto de forma silenciosa e me escondi atrás do guarda-roupa, fiquei quieta e a esperei entrar em seu banheiro.

5 Minutos se passaram e ali estava ela, cantarolando enquanto trocava as suas roupas e pegava outras em seu guarda-roupa. Ouvi a torneira ser aberta, provavelmente era uma banheira. Sorri com isso e sai de traz do guarda-roupa com o bastão em mãos. Consegui adentrar no banheiro no mesmo instante em que ela se virou para entrar na sua banheira.

Tampei a sua boca com força, não queria que ela gritasse. A arrastei até a sua cama onde a joguei de bruços e segurei seus braços com forças, arremessei o bastão que acabou por bater na cabeceira fazendo um estrondo. Ela parecia um peixe fora da água de tanto que se debatia. Era engraçado ao meu ver. Em um movimento rápido consegui vira-la e me sentar em sua cintura, assim ficando cara a cara com ela, prendi seus braços em cima de sua cabeça e lhe dei um soco.

- Shiii! – Coloquei meu indicador em seus lábios secos – Não queremos que a brincadeira acabe tão rápido – Engrossei um pouco a voz, não quero ser descoberta.

Lhe deu outro soco em seu rosto, agora acertando além de sua bochecha o seu nariz. Ela apertou os olhos deixando uma solitária lagrima escorrer sobre o seu rosto, ri mentalmente e ergui o meu joelho em direção ao seu queixo dando uma pancada. Sai de cima da mesma a deixando cair no chão de lado, mirei em seu estomago e lhe dei uma sequência de chutes deixando a azulada desconhecida com uma expressão de dor no rosto. Me ajoelhei em sua frente e a segurei pelos cabelos logo colidindo sua cabeça com o chão, ato que a deixou desmaiada no chão gélido. Peguei o bastão e pulei a janela caindo na grama molhada e depois rolando sobre a mesma, me sujando toda.

Patrícia me esperava sentada em baixo, estava totalmente encharcada.

- Vamos, você pode pegar uma gripe – Estendi a mão para que ela se levantasse

(...)

No meio do caminho encontramos aqueles latões com fogo em baixo de uma marquise, arranquei a minha máscara e taquei ao fogo, afinal ela poderia ir a poilicia e fazer retrato falado, mesmo que isso não levasse a lugar algum é melhor prevenir do que remediar.

(...)

Deitei sobre a minha cama e me afundei em pensamentos, todos eles apareciam Gray decepcionado comigo, não estavam entendo esses pensamentos já que nunca senti nada disso quando eu machucava os pobres nerds. Me virei várias vezes antes de realmente pegar no sono.

Dentro dos meus sonhos, eu estava cercada por homens todos conhecidos por mim: Gray, Gajeel, Sting e Laxus. E mais ao fundo havia um cara sentado sobre uma cadeira de couro bebericando em um copo de whisky. Ele mantia um sorriso macabro nos lábios enquanto os meninos se aproximavam, minhas pernas estavam doloridas e sangravam pelos cortes profundos que pareciam ter sido feitos por maquiagem. Tentei me levantar, mas fui impedida por uma forte pancada na minha cabeça, me deixando atordoada. Olhei para cima com a visão turva vendo apenas fios róseos cair sobre o seu rosto, era Natsu, apenas esse babaca tinha um cabelo assim. Mas por que!? Por que ele me esfaqueou?

Acordei em um pulo, passei a mão pelo rosto sentindo o suor grudar a minha franja. Respirei fundo e me estiquei para pegar o celular sobre o criado-mudo.

Ele marcava: 4h:45min 


Notas Finais


Eu realmente peço perdão por não saber como detalhar aquele 'Espancamento'.
Eu gostei de escrever esse capitulo, por que agora vão aparecer mais personagens novos (Alguns serão utilizados apenas uma vez).
E sobre esse horário 4h:45min, gravem ele! Ele será a chave de tudo hehe...

É isso, me desculpe se o capitulo foi chato.
Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...