História My Beloved Adeul / Appa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae
Tags 2jae, Abo, Got7, Incesto, Jark, Lemon, Markson, Yaoi
Visualizações 428
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores^^ 💛

Aqui estou eu novamente.. hehe..
Eu disse que essa fic ia sair quinta mais só deu pra postar hoje mesmo.

⚠AVISO : ⚠ ESSA FANFIC CONTÉM INCESTO. SE NÃO GOSTA NÃO LEIA ⚠ OBRIGADA ❤

Essa fic é diretamente para @Mel_janse ♡ era pra ter saído ontem no seu nyver, mais minha net me impediu de fazer isso.
Essa é para todos mais especialmente pra vx 😙

Espero que gostem 💛

Boua Leitura! 😙

Capítulo 1 - Começo.


Fanfic / Fanfiction My Beloved Adeul / Appa - Capítulo 1 - Começo.


~ J Pov'S ~


A vila estava em guerra. Todos os soldados do reino reviravam cada casa a procura de todos os ômegas e betas pra se apresentarem perante o seu rei.

Em todos os anos isso acontecia, os soldados apareciam pela manhã, e só saiam quando tinham todos os ômegas e betas. O que sempre gerava um conflito entre os cidadãos e os guardas já que nem todos se entregavam tão facilmente.

Depois que todos se apresentavam perante o rei, o mesmo escolhia seus amantes (os mais belos e mais puro para si) E o seu oficial esposo (a). Pois somente um teria a honra de ter a sua verdadeira marca e de gerar filhos para si.


Esse ano ele estava atrás de algo novo, algo que o surpreendesse, algo que somente ele tivesse. Um lúpus por exemplo.

Os lúpus, os mais fortes, impulsivos e incasiaveis. Como eu, sou Alpha lúpus em minha casa, e por causa da minha genética, meu filho nasceu ômega, ômega lúpus. E só de pensar em meu pequenino ômega nas mãos daquele nojento que diz ser vosso rei, meu sangue ferve.


A vila já estava cheia e estávamos todos encurralados, a única saída mais próxima era a floresta. Porém muitos /dizem que lá é um lugar perigoso de mais para se viver. Mais na hora da necessidade, podemos ir morar aonde quisermos. Até mesmo no inferno se possível, ou já era o que estávamos vivendo.

Os soldados batiam cada vez mais forte na porta fazendo meu pequeno ômega se encolher em meu colo pelos gritos de um alfa do outro lado da madeira grossa e resistente.

-Papai... - murmura baixinho o suficiente somente para mim o ouvir falar.- eu tô com medo.

-Não tenha meu pequeno. Seu papai e sua mamãe estão aqui para te proteger. - digo levando o olhar até o quadro da ômega loira e baixinha chamada de Yang Mi.

Yang Mi foi a minha primeira e única parceira da vida. A quatro anos atrás o rei Park a tirou de mim. Para ele nada importa, só importa o fato dela ser bela e ser a "merecida" e escolhida para gerar seus filhos. 

Ainda lembro claramente da noite em que estávamos todos juntos em família, e do nada ele apareceu com seus milhares de soldados a tomar e  arrancar todas as ômegas e betas para si.


      FLASHBACK ON 


Yang Mi segurava Mark em seus braços enquanto se escondia atrás de mim, fitando um pouco de longe os dois alfas rosnarem um para o outro.

-Se chegar perto da minha família...

-O que vai fazer ? - sorri debochado. - Exatamente. Você não fará nada, tente e toda a sua raça será ameaçada a extinção. - ameaça me rodeando como se fosse uma pressa.- agora se me der licença.

-Seu... - sou interrompido por sete alfas que acabaram por me encurralar para que não o impedi - se de chegar perto dos ômegas mais preciosos da minha vida.

-Você é muito bela. - Passa a mão pela pele leitosa da ômega me fazendo rosnar alto por tamanha ousadia de mecher com um lúpus.- Hora... hora.. O que temos aqui ? - se pergunta enquanto admirava a beleza do pequeno lúpus.

Mark tinha seus cabelos loiros um pouco bagunçados por tentar se esconder nas roupas de sua mãe, seu rosto estava vermelho e inchado pelo choro constante.

-Hum.... interessante. - segura em seu rosto me fazendo agir por impulso e derrubar a metade daqueles alfas com um único golpe.

-Tire as mãos deles.. - rosno alto sentindo não só o corpo do meu pequeno e minha ômega, mais de todos ali presente se tremerem.

-Segurem esse homem. - ordena aos guardas que assistem em fazer o que lhes foi mandado.- ouça bem Alpha. Daqui a onze anos eu voltarei e tomarei esse lúpus para mim. - diz sorrindo com um misto de sarcasmo e deboche.


   FLASHBACK OFF 


Aquela noite foi turbulenta e tormentosa. Acabei perdendo minha mulher e tento que escutar suas ameaças de que um dia iria voltar e possuir o corpo do pequenho lúpus de cheiro doce e intenso de mais para sua idade.

-ABRAM A PORTA. - grita o guarda dando batidas involuntárias na madeira. Me fazendo acordar dos desvaneios.

-Pai...

-Shhh.. Vamos pelos fundos amorzinho. Nada vai te pegar de mim. Prometo. - sorri deixando um beijo casto em seus lábios rosados.

Yang Mi sempre tinha esse costume estranho de beija-lo em momentos assim. Ela diz que é para de mostrar o que sente e para a proteção também.

-ABRAM A PORTA.... OU EU VOU ARROMBA - LA - grita o alfa novamente fazendo o ômega se encolhere com o corpo já trêmulo de tanto medo.

Mark me olha assustado e totalmente transtornado com as lembranças do que havia acontecido com sua mãe em um dia como aqueles.

-Senhores abram a porta - diz um outro soldado beta esmurrando a porta.

-Vamos Mark ? - o tiro do meu colo para me levantar.

-Pra onde vamos papai ? - pergunta o pequeno Wang tombando a cabeça para o lado.

-Vamos passear meu pequeno.- seguro em sua cintura o puxando com força para meu colo novamente.

O loiro assenti se agarrando cada vez mais ao meu corpo.

Abro a porta dos fundos vagarosamente e cuidadosamente, para que ninguém ouvisse o ruído da mesma se abrindo.

Pra nossa sorte não havia ninguém ali, ninguém mesmo. A rua estava vazia e a pequena estrada de pedras que iria nos levar a floresta já era avistada.

-Mamãe !? - sussura baixo chamando minha atenção.

-Sua mãe não .... - o fito vendo algumas lágrimas banharem seu rostinho.

-Está ali. - aponta para o final da rua onde uma ômega loira e baixa nos encarava com os olhos marejados.

-Yang Mi ? - me aproximo aos poucos ouvindo seus soluços aumentarem.

-Mamãe... - pronuncia Mark com um enorme sorriso no rosto.- papai a mamãe..

-Pare - grita me fazendo parar a uns três metros longe de si.- vão embora. Ele está atrás de você Mark. - diz limpando suas lágrimas com os nós dos dedos. - Jackson o proteja, não deixe nada nem ninguém se aproximar do Mark.

-Mas... - dou alguns passos a frente a vendo dar alguns para trás e parar logo que se chocou com algo ou alguém, que por está escuro não dava para ver exatamente quem.

-Só me prometa .... Eu .... Amo vocês. - sorri colocando a mãos sobre a barriga.

Foco meu olhar ali e me assusto ao ver que a mesma segurava na ponta de uma faca que lhe foi atravessada.

Mark enlaçou suas pernas em minha cintura e pos sua cabeça na curvatura do meu pescoço por está muito assustado.

-Passe o ômega ou então ... Vamos aí pega-lo a força - diz o soldado mais forte e temido por todos.

Paralisei ao ouvi - lo proferir tais palavras .

-ESCOLHA. - grita me trazendo de volta a realidade. - ou é sua mulher - afunda mais a faca em suas costas a enterrando e fazendo quase a metade perfurar o outro lado. - ou é o ômega - olha para o pequeno que tremia em meus braços.

Por breves momentos eu havia escolhido o ômega como eu havia lhe prometido. Mas por outro lado, meu coração doía amargamente por saber que era a mulher da minha vida ali em minha frente. Mark poderia morrer e a gente poderia gerar mais filhos.

-Solte - a. - puxo o lúpus do meu colo mais o mesmo se agarrou mais forte.

Já estava determinado, e já havia feito minha escolha.

-Não me deixe papai... Eles vão me matar... - dizia ao mesmo tempo em que chorava aos prantos.

-Jackson. - desvio a atenção do lúpus e olho para o soldado que ria debochadamente apertando a faca com mais força em sua pele.- Você prometeu. - sorriu permitindo algumas lágrimas caírem.

-Mamãe... - gritou o pequeno ao ver o seu corpo cair no chão já sem vida.- Mãe.. mamãe... Mamãe - pula do meu colo mais o seguro pela cintura.- papai..

-Corra. - digo firme sem ao menos perceber que alguma lágrimas haviam se derramado.

-Papai.. - me olha desesperado e com medo.

-Eu estou bem atrás - seguro em seu queixo o fazendo me fitar.- papai está bem atrás. - fito seus lábios e deixo um pequeno selar ali logo largando o ômega na outra direção o vendo correr para a floresta.

-Não devia deixa - lo sozinho. Tem guardas na floresta também. E eles adoram molestar pequenos ômegas indefesos que dependem de seus pais.- sorri sarcástico soltando a faca ensanguentada no chão.

-É o que veremos - rosno alto me aproximando do outro alfa pronto para ataca - lo.



Notas Finais


Desculpem o capítulo pequeno >.< capítulos longos viram ❤

E aí gostaram ? Querem a continuação?
Deixem o que acharam nos comentários >< ♡ é importante.

Até mais amores 😙 e se cuidem 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...