História My Beloved Adeul / Appa - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae
Tags 2jae, Abo, Got7, Incesto, Jark, Lemon, Markson, Yaoi
Visualizações 141
Palavras 1.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei rápido naum ?

Hashuaskjhaaaksk..

Só tenho a agradecer pelos comentários e favoritos 💛💛💛

Espero que gostem.

Boua Leitura! 💖

Capítulo 7 - Adeul / Appa


Fanfic / Fanfiction My Beloved Adeul / Appa - Capítulo 7 - Adeul / Appa


~ M Pov'S ~


Papai pisava com o maior cuidado entre as folhas secas caidas no chão. Todo o cuidado era pouco já que em suas intenções mais aguçadas poderia haver um guarda em qualquer lugar.

A respiração quente do meu pai me fez lembrar dos sons gostosos que saiam de sua boca hoje mais cedo. 


~ Seu leite é realmente bom, e eu quero mais pra mim.


-Papai... - sua respiração fazia meu corpo ficar estranho, como se algo estivesse prestes a acontecer, como se algo queimasse insuportavelmente em minha barriga. - minha barriga dói. - sussuro sentindo suas mãos movimentarem em minhas nádegas carinhosamente.

-O que você comeu antes de almoçar ? - sua voz arrastada causou um grande choque por minha espinha.

-Papai... - digo em um tom manhoso recebendo a atenção do maior.

-O que foi pequeno ?

-Quando iremos chegar ? Já estamos andando a um bom tempo e eu estou com muito calor - sinto um formigamento a baixo da minha barriga me fazendo agarrar em seus ombros com força.

-Marky ? - murmuro em busca de responde - lo sentindo uma leve tontura. - Mark ? - suas mãos me inclinam pra trás, me deitando de certa forma em seus braços.- Calma pequeno. - sua voz parecia ficar cada vez mais e mais distante. - a gente já tá chegando. - mesmo com a visão turva pude perceber seus olhos marejados porém diferenciados por uma cor mais clara.


           ~~~☆~~~


Acordo sentindo um leve carinho em minha coxa, um vento gelado batia em meu corpo me fazendo arrepiar por completo. Junto com aquela brisa pude sentir um cheiro forte de um Alpha lúpus, o que me fez abrir os olhos assustado.

-Calma pequeno. Sou só eu. - suspiro voltando a encostar as costas no peitoral definido do meu pai.

-O que houve ? - sinto minhas pernas geladas como se estivessem dentro d ' água, e realmente estavam.

-Você desmaiou. Estava muito calor ?

-Muito papai. - subo um pouco mais sentindo algo duro tocar minhas costas, me fazendo perceber que estava nu junto a meu pai, a beira do lago em que ele havia falado.- aqui é lindo. - sorri um pouco fraco.

O silêncio voltou a reinar ali, deixando destacadas a maravilhosa brisa e o som impactante dos meus pés entrando e saindo de dentro da água gelada.

As lembranças do passado invadiram minha mente repentinamente. Desde o dia em que éramos uma família feliz, até o dia de hoje que somos apenas eu e meu amado papai, o qual vem me mostrando um carinho e atenção a mais, o qual vem me dando a oportunidade de conhecer e sentir coisas que nunca havia sentido antes.

~ Aquele "leite" grosso em minha boca, aquele doce sabor em meu paladar... 

Suspiro levemente lembrando calmamente do gostinho.


~ Eu quero o sentir de novo, eu quero mais dele pra mim.

-P - papaaa....aai ... - arqueio as costas ao sentir seus dedos movimentarem lentamente em minha intimidade - pa-pa-apai... Por que ? - agarro firme em suas coxas o ouvindo rosnar baixinho. - por que ? - Minha respiração já não era a mesma, pois meu coração batia aceleradamente me fazendo soar com toda aquela queimação.

-Gema pequeno. Pode gritar. - aquela voz carregada de intenções altamente desconhecidas por mim preenchem meus ouvidos que triplicou todas as intenções do meu corpo.

Minha intimidade parecia explodir com todas aquelas novas sensações gostosas e desconhecidas.

-Papai... Por favor. - minhas unhas se findam em sua pele branca, causando furos profundos dos quais escorriam sangue.

-Calma pequeno, você ainda vai.

-E-eu v-vou o-o q - que ?

-Shhhhh... Apenas olhe bem pra aqui. - sua outra mão segura em meu maxilar movendo meu rosto e olhar até minha intimidade.

-Por que pulsa tanto ? - lágrimas escorriam pelo os meus olhos.

-Por que choras ?

-N-não s-sei...

-Porque você está que nem papai estava hoje mais cedo, você está sedento por amor.

-V-vai me e-ensinar a-agora ?

-Já te ensinei amor, só você não percebeu.

-Eu tenho que te amar papai ? - sua mão ia cada vez mais rápido e mais intenso, dificultando a minha respiração e a possibilidade de prender os gritos na garganta.

-Não pequeno. Nós temos que nos amar. - seus lábios quentes envolvem na minha pele branquinha a puxando entre os dentes e boca, me fazendo abrir os lábios involuntariamente com aqueles toques.

-Oh... Marky... Ahhhwmm... Me diga o que quer.. HWMM..?

-L-le-i-ite.. leite... quero meu leitinho. - digo sôfrego me esperneando em seu colo.

Não sei como mas algo me dizia que papai tinha um daqueles sorrisos de lado em seus lábios.


~ J Pov'S ~


Talvez o seu recente desmaio tenha sido pelo cio está mais próximo do que nunca, pois seu cheiro estava suportável, porém forte.

Os cios de um lúpus são bem mais difíceis e intensos do que os alfas e ômegas naturais. A semana vinha sobrecarregada e os desejos impossíveis de não serem atendidos poderiam causar sérias consequências.

-Outro dia pequeno. - a movimentação em seu membro era constante.

O ômega choramingava e deixava lágrimas caírem. Não pela dor que ainda nem tinha chegado, mas pelo tamanho prazer em que seu corpo tinha em ser tocado daquela forma tão íntima.

-Ahnm... Ahhh.. - uma dura missão para ser cumprida : controlar meu lado lúpus que implorava instantaneamente para o foder ali mesmo, ao ar livre.

Os lábios do pequeno Wang já nem se tocavam mais, pois eles davam passagem ao ar não mais alcançando em função de seu nariz. Como se todo seu fôlego lhe faltasse nos pulmões.

Sua pele soava e tremia com pequenas cargas dos espasmos em todos os lados do corpo.

-P-pa..pai ...

-Só mais um pouco pequeno.

-Ahhwwwm... - grita desesperado em meio aos soluços.

-Shhh... É normal, apenas relaxe - dito isso vejo o loiro fechar os olhos com força, tentando ao máximo se controlar.

Aquela bombeação de sobe e desce em seu membro inchadinho e rosado era torturante para si, Mark só queria gozar e nem mesmo sabia a existência dessa palavra.

-Pede mais vai nenê - sussuro em seu ouvido observando cada pelo do seu corpo se arrebitar em correspondência.

-P-p-pedir o-o q-que, P-papai ?

-Pede pra mim ir mais rápido - acelero mais ouvindo cada vem mais alto seus gemidos manhosos e chorosos.

-M-...m-ma... Hwwmm.. Ahhhwnrg... - sinto suas unhas rasgarem minhas coxas com força, deixando grandes e avermelhados vergões.

Mark estava tão deleitado com todo aquele misto de sensação que já não mais gemia e sim gritava pedindo e ansiando por mais.

-P-pa-pai... - arquea as costas repentinamente enquanto desmanchava seu maravilhoso prazer em minha mão.

-Ótimo. - sorri sarcástico mordendo levemente o lóbulo de sua orelha rosada pelo recém orgasmo.

Sua respiração ainda estava descompassada, mais ainda sim um pouco mais controlada do que antes. Seu peito subia e descia rapidamente a procura de mais oxigênio. E quando o mesmo já estava recuperado , pude sentir suas costas repousarem novamente em meu peitoral.

-Mark ?

-Hum... ? - murmura deixando sua cabeça repousar em meu ombro.

-Está bem ? - apenas assenti fechando os olhos se deixando levar pelo cansaço. - pequeno, temos um banho a tomar antes de voltarmos pra casa. - olho para seu rosto, sorrindo feito bobo vendo que o pequeno lúpus dormia. - É acho que devo pegar leve com você pequeno. - sorri levando a mão até a boca, lambendo todo o sêmen salgado do loirinho.



Notas Finais


Gostaram ?

Perdoem os erros, caso tenha.
Beijinhos amores.
Se eu sumir por muito tempo..É mais pela falta de Internet mesmo. Mas brevemente eu irei att INCOF e MIL , até já tenho mais ou menos os capítulos prontos.

Enfim... Se cuidem e mais uma vez agradeço pelos favoritos e comentários, irei tentar responde - los ainda hoje.

Bye amores 💛💛 até mais 😙😙❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...