História My Beloved Teacher - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Exibições 255
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Luta, Orange, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTE PARA ENTRAR NO GRUPO DO WHATS MANDEM O NUMERO COM O DDD E O NOME!

Capítulo 17 - Mamãe ursa.


Fanfic / Fanfiction My Beloved Teacher - Capítulo 17 - Mamãe ursa.

‘Danielle Woodley.

 

Faz dois meses que eu havia saído do hospital, e com muita dificuldade consegui ir direto para cada de Oliver que me recebeu de braços abertos junto a Sophie que faltou me quebrar em seus bracinhos.

Os dias passavam com um tedio sem fim, eu gostava de estar ali, mas eu não gostava do que eu passava ali, sozinha por horas enquanto Sophie ficava na escola e Oliver trabalhava eu tentava concentrar meus pensamentos nos meus planos, mas era por demais chato, e mesmo me recriminando por isso, eu pensava em Bieber, pensava nele me tocando, me tornado mulher, céus.

Eu voltaria para a escola hoje e por mais que seja desanimador, era agoniante ficar toa isolada, então escola era meu foco naquele momento. Terminei de me arrumar correndo ao quarto de Sophie pra desperta—la, quem geralmente fazia isso sempre atrasado era Oliver, mas o mesmo perdeu a hora hoje e ainda está se arrumando.

―Meu anjo, acorde! ―Disse puxando sua coberta a despertando ―Hora da escolinha! ―Disse sorrindo para ela que bufou.

―Num quilo. ―Franzi o cenho com sua manhã, Sophie não fazia manhã, muito menos falava muitas coisas erradas junto.

―Porque meu bem, você sempre gosta da escolinha! ―Disse sorrindo fraco para ela.

―Elas riem da Sophie. ―A mesma disse fazendo bico ―So poque eu num tenho cabelo. ―A garotinha tinha seus olhinhos cheios de lagrimas.

―Sophie, elas riem porque você é uma princesa, e elas não. ―Disse como se fosse segredo a ela que ficou pensativa, podia ser maldade com as outras crianças, mas eu não tinha culpa desses projetos de Luciana irritando a minha princesa ―Quando elas falarem ou rirem de você, você ri delas, ri mais alto que elas param, porque vao ver que você é uma princesa melhor que elas! ―Sophie assentiu rindo e pulando da cama.

―Você devia falar para ela relevar e ignorar esse tipo de coisa e não afrontar as meninas! ―Oliver disse parado no batente da porta com sua típica roupa branca.

―Crianças são maldosas senhor Blaise. ―Disse caminhando ate ele ―É bom cortar o mal pela raiz. ―Selei nossos lábios ouvindo Sophie me gritar do banheiro.

―Antes ela chamava por mim! ―Oliver fez uma careta.

―Sinto muito! ―Joguei meu cabelo o fazendo rir.

O tratamento que eu estava fazendo era ridículo, eles tentaram raspar meu cabelo o que quase resultou em uma enfermeira inconsciente, mulher estupida, depois de bater muita boca com Oliver ele cedeu, mesmo sabendo que era uma escolha minha eu sentia que ele queria me dominar, tomar decisões por mim, chegava a ser ridículo, não sou feminista nem essas patifarias todas, mas céus, ele precisa se tocar algumas vezes.

Banhei Sophie a arrumando para a escola, depois de todos prontos e os dois de café tomados seguimos para o carro, eu estava em uma dieta ridícula, mas necessário, pois todos os soros me fizeram ganhar peso, e eu podia estar morrendo, mas ia morrer bonita.

Oliver me deixou na escola nos despedimos com um beijo maravilhoso enquanto ouvia Sophie reclamar no banco de tras que aquilo era nojento, minha princesa, você fara tanto isso.

―Boa aula princesa e não esqueça, ria delas! ―Disse vendo Oliver me repreender pelos olhos ―Bastante! ―Afirmei minha fala.

Sai do carro seguindo pelo campus ate a escola, na minha cabeça martelava tudo que passei nesse meio tempo, céus, Oliver me satisfazia muito bem, mas Bieber me fazia perder o ar e hoje eu teria aula dele, eu estava preparada para aquilo? A resposta so teria depois da aula.

Me encontrei com as meninas na porta da escola, elas me contaram todos os babados e por um estante eu me senti uma adolescente novamente, era estranhamente bom.

―Danielle. ―Ouvi uma voz atrás de mim, so podia ser ele.

―Sim. ―Me virei vendo as meninas se afastarem.

―No primeiro período, me encontra no quartinho do zelador! ―Ele disse me deixando sozinha.

Bufei seguindo ate meu armário e guardando as minhas coisas. Bieber podia ser um cretino, mas era um puta cretino.

No primeiro período segui ate o quartinho do zelador o encontrando encostado em uma mesinha.

―Você foi embora! ―Ele disse assim que eu fechei a porta.

―Sim, eu fui. ―Disse seca.

―Porque fez isso? ―Franzi o cenho com seu tom de voz, ele parecia desesperado ―Voce me deixou! Como pode? ―Eu estava confusa com aquilo.

―O que? ―Bieber me puxou para ele selando nossos lábios.

Mesmo não querendo, não pude me conter, retribui o beijo com intensidade enquanto Bieber apertava todo meu corpo.

―Senti falta de você! ―Disse beijando meu pescoço.

―Não podemos... ―Me afastei levemente, eu estaria mesmo disposta a fazer isso com Oliver? Ele é um cara perfeito, mas a carne falava tão alto naquele momento.

―Podemos sim. ―Bieber me jogo sobre a mesa selando nossos lábios arduamente.

Como sempre Bieber estrava sua mão por todo meu corpo, causando algumas dores que logo iam sumindo, nada que me importasse naquele momento. Bieber arrancou meu vestido jogando o mesmo, o mesmo se afastou de mim procurando alguma coisa, assim que achou uma corda sorriu amarando minhas mãos, Bieber retirou sua gravata amarrando em meus olhos beijando meus seios logo em seguida.

―Você continua linda. ―Disse pegando alguma coisa sobre a mesa.

Senti o cheiro de um frapuccino de morango me fazendo crer que ele havia comprado no Starbucks do lado da escola, o barulho do copo se abrindo e logo algo gelado deslizando calmamente sobre minha barriga permitindo que a agua do mesmo se dispersasse por toda a região que passasse.

Bieber deslizou provavelmente o gelo por toda a minha barriga o que me fez gemer um pouco alto.

―Você não quer que ninguém nos pegue não é? ―Neguei levemente me calando.

Bieber afastou minha calcinha pressionando o gelo em minha intimidade, quando eu pensei que seria o mais longe o mesmo penetrou o gelo em minha intimidade, era uma sensação agoniante aquele gelo derretendo em minha boceta enquanto eu me contorcia.

Bieber não demorou muito para me penetrar me fazendo pula na mesa. A cada estocada eu sentia o gelo derretendo ainda amis, quando por fim não sentia mais a pedra em mim, apenas a agua escorrendo, Bieber por sua vez não parou a penetração momento algum, o que tornava as sensações melhor ainda, Oliver sabia me tornar mulher, mas Bieber sabia me tornar sua mulher.

Depois de um maravilhoso orgasmo, Bieber tentava me convencer a voltar para casa, o que não aconteceu, e assim brigamos novamente, mandei ele pra a puta que pariu e sai daquele quartinho seguindo para o campus.

Fiquei ate o intervalo quando as meninas chegaram cheias de perguntas, mas preferi não comentar nada. Já estávamos próximos do verão e logo as férias chegaríamos, as meninas iriam viajar e eu cuidar de Sophie, é bem estranho isso.

Depois da aula Cathe me levou para casa ainda perguntando o que havia acontecido, mas preferi me manter em silencio, caralho elas não entendiam.

―Cathe coloca uma coisa na sua cabeça! ―Disse assim que ela parou o carro ―Se fosse para você ou qualquer outra pessoa saber eu já tinha falado. ―Sai batendo a porta com força.

―Grossa! ―Cathe gritou dando partida no carro.

Revirei os olhos seguindo ate meu apartamento, minha cabeça chegava a dar piruetas de tanta confusão, talvez eu devesse voltar para casa, fazer Bieber largar Luciana e ficar comigo, ou desistir, céus eu não sabia o que fazer.

O horário de ir fazer um exame de sague passou voando e como geralmente eu fazia, liguei mancando para outro dia, Oliver ficava muito bravo com isso, mas eu não me importava muito com isso.

Quando o fim da tarde estava chegando, Oliver me mandou uma mensagem perguntando se eu podia pegar Sophie pois ele tinha uma cirurgia de emergência, confirmei pegando meu carro e seguindo ate sua escolinha.

Quando cheguei avistei algumas mães paradas em frente a mesma esperando seus filhos, não demorou muito para um amontoado de crianças saírem. Sophie assim que me viu correr ate meus braços, seu rosto abatido deixava claro que ela havia chorado.

―Elas não bincam comigo Elle! ―Sophie disse voltando a chorar.

―Minha princesa, quem fez isso com você? ―Perguntei vendo ela apontar para uma mulher próxima de nos com duas meninas ―Vem, senta na sua cadeirinha que a Elle vai resolver! ―Sophie assentiu, ajeitei ela na cadeirinha e fechei a porta travando o carro.

Segui ate a mulher que conversava com uma amiga, suas filhas brincavam com as barbies nem notaram minha aproximação.

―Ei. ―Chamei sua atenção ―Quero falar com você! ―Disse seria.

―Olá. ―A mulher sorriu falso me olhando de cima a baixo ―Não tenho dinheiro para esmolas! ―Abri a boca chocada a medindo de cima a baixo.

―Meu bem, vamos começar com a educação que você da para essas duas pestinhas que estão atazanando  a minha filha, se voltar a acontecer vou por minha filha em aulas de caratê e  mandar ela descer a porrada nas suas filhas. ―Disse vendo a mulher arregalar os olhos e as meninas se assustarem ―Viu, vocês querem apanhar? ―As menininhas negaram ―Então parem de provocar a Sophie. ―Disse seria ―E segunda esmola? Linda meu pai é podre de rico, se eu quiser compro sua casa e de todos os pais dos alunos desse pais! ―Disse seria ―Fiquem avisadas, eu não estou brincando, Sophie vai descer a porrada nas suas filhas e eu vou deixar! ―Disse dando as costas e saindo.

Entrei no carro sorrindo para minha princesa que continuou seria, céus só espero que depois do meu discurso mamãe ursa, ela não seja expulsa da escola.


Notas Finais


NAO ESQUEÇAM DE COMENTAR BEIJOS! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...