História My biggest sin - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jungkook
Visualizações 11
Palavras 2.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo III


Já se passaram quatro semanas e faz mais ou menos uma semana que o Jungkook não vem a escola, ele não me avisou que iria ficar sem vir uma semana eu poderia ligar para ele, porém não tenho seu número. É eu poderia perguntar como está ele, não sei, não é do meu interesse saber como ele está.

Mal presto atenção no que o professor fala, eu estou perdida em meus pensamentos praticamente no mundo em que eu prefiro ficar, ou seja o mundo que criei no meu subconsciente. Sem ao menos perceber que era a única que restava a sair da sala, pego minha bolsa indo em direção a saída e vendo os amigos do Jeon e então vou em direção a eles e os mesmos estavam conversando.

- oi! -Digo para eles, e os mesmos param de conversar e sorriem

-Olá Mizuki -Diz um garoto com um sorriso esbelto

-Como sabe meu nome?

-Jeon nos contou que tinha feito amizade com você -Diz um garoto

-ele está bem? -Digo desviando o olhar do garoto do sorriso esbelto que não parava de me olhar

-Humrum, posso te dar o endereço dele se quiser

-Não é necessário, só queria saber se ele está bem. Ah, aqui está o assunto das provas de poder entregar​ a ele -Digo e o mesmo sorri

-Infelizmente eu não posso ir anjo, mas aqui está o endereço dele -Diz me entregando em um papel anotado, sorrindo

-Oh, então tá bom -Digo sorrindo

-Prazer em conhecê-la anjo -Diz o mesmo sorrindo maroto

-Ah sim, tchau

Achei estranho o restante do grupo não estava ali, quero dizer saíram primeiro que os outros enfim, agora cá estou eu indo para casa do Jungkook. Pego o papel e fico vendo o endereço do garoto, não demorando muito para chegar na casa do mesmo mas eu fiquei parada na porta criando coragem para ir apertar a campainha, fiquei parada em frente a porta que daria para entrar no quintal do mesmo e na porta que entra na casa. Fiquei andando de um lado para o outro perguntando-me se deveria ou não, até que eu escuto alguém rir e olho para cima vendo o mesmo na sua janela

-Você está me vigiando? -Diz o mesmo rindo

-Não, vim apenas te trazer os assuntos já que seus amigos "não poderiam vir" -Digo fazendo as aspas

-Hum.. você falou com eles hoje?

-Só com o Jimin e o Tae -Digo o encarando e erguendo uma sobrancelha

-Hum -Diz o mesmo com o semblante sério

-Você vai querer ou não os assuntos? -Digo já enfurecida

E quando menos espero uma mulher abre a porta e me convida para entrar, eu apenas a sigo passando pelo o quintal e entrando então em sua casa. A mesma mulher me acompanha até um quarto que provavelmente seria do Jeon, ela me elogia no caminho até o quarto e então vejo o mesmo sentado em sua cama, com uma blusa branca e uma calça cinza realmente muito bonito, mas que pensamentos são esses Mizuki? Aff aquieta seus pensamentos, você mal conhece esse garoto deve ser igual a todos os outros.

-Se precisar de alguma coisa me chame, Jungkook -Diz a mesma sorrindo -A propósito eu me chamo Yuna, sou mãe do Jungkook

-Prazer, sou Mizuki -Digo sorrindo e a mesma retribuí e saí do quarto

Agora estou sozinha no quarto do Jeon Jungkook, quantas garotas queriam estar no meu lugar afinal ele é um dos garotos mais desejados da escola, me aproximo do mesmo estendo minha mão com os papéis e o mesmo me olha ainda sério e os pega se levantando e indo pôr em sua escrivaninha.

-E então Mizuki.. -Diz o mesmo me olhando

-Por que não está indo para a escola?

-Estou gripado -Diz o mesmo tossindo

-Ah melhoras, já estou indo então -Digo saindo e o mesmo segura minha mão

-Por que veio até minha casa? Huh? -Diz o mesmo me olhando

-Eu pedi aos seus amigos para entregar os assuntos, mas não puderam vir e então eu vim..

-Só por isso?

-Você quer mesmo ficar de recuperação? Estou fazendo um favor para suas notas, e também não achei normal o mais cobiçado faltar uma semana -Digo séria

-Grossa,​ eu vou segunda-feira se é o que quer saber -Diz o sorrindo de lado

-Ah que bom, estou indo então -Digo então tentando soltar sua mão da minha

-Espera -Diz o mesmo me olhando

-Hum? -Digo erguendo uma sobrancelha

-Me dê seu celular, por favor -Diz o mesmo estendendo sua outra mão

-Para quê?

-Por favor?

-Ah está bem -Digo o entregando e o mesmo solta minha mão

-Prontinho -Diz me entregando meu celular -Agora tenho seu número e você o meu

-Oh, hã.. certo já estou indo

-Até mais Mizuki

Me despeço de sua mãe e vou indo para minha casa. Estranho, porque ele ficou com raiva quando mencionei Jimin e Tae? Ah, ele acha que vou roubar eles dele, sem noção muitas garotas devem ter vindo visitar ele, afinal ele é Jeon Jungkook. Meu pai não tem me ligado sequer um dia, sinto tanta sua falta, porque? Porque ele não se importa comigo? Eu só tenho a ele, ou tinha. Que falta faz minha omma, porque ela teve que me deixar também? Porque sempre me deixam? É um karma só pode, e agora estou chorando no caminho de casa, eu sou tão sensível mas eu não consigo mas suportar essa dor de perda, ela é minha mãe e ele meu pai, e eu estou só.

Entro em meu apartamento e vou direto para o banheiro, e tomo um banho bem quente encostando então minha cabeça na box do banheiro e então choro, desculpe-me mãe se não estou sendo forte o suficiente mas é difícil morar sozinha, trabalhar, ter um pai que talvez esteja com outra mulher e outros filhos afinal o mesmo não me avisa nada. Eu prometi que seria feliz, mas não sou, me perdoe.

Termino meu banho e me troco sentado-me no sofá, e escutando meu celular tocar vejo que “Kookie” estava me ligando mas quem é kookie?

-Alô? -Digo erguendo uma sobrancelha

-Oi Mizuki -Diz Jeon rindo

-Ah espera, vou mudar seu nome

-Aff porque?

-Não conheço nenhum "kookie" -Digo então mudando seu nome

-Sem graça, você chegou bem em casa?

-Ah sim e você está estudando para prova?

-Ainda não, você já?

-Não, vou me arrumar para ir trabalhar

-Aonde você trabalha?

-Em um lugar -Digo calçando meu tênis

-Eu vou descobrir, tchau -Diz o mesmo rindo e desligando o celular


-Esse garoto é louco! -Digo falando comigo mesma

Então vou até a cozinha preparar algo para comer, e logo lavo os pratos e coloco a comida em cima da mesa, pego meu celular enquanto como e vejo mensagens do Jeon como ele descobriu aonde trabalho? Ele é um detetive agora? Aff, falando em trabalho me apresso para escovar os dentes e logo saio do apartamento caminhando até a lanchonete. Assim que abro a porta do estabelecimento vi Jeon Jungkook me olhando sorrindo, mas ao mesmo tempo desviando o seu olhar de mim, então apenas bufo e pego meu avental indo para o balcão, mas como eu tenho que atender os pedidos então lá vou eu.

-O que quer? -Digo rude

-Isso é jeito de tratar um cliente? -Diz sorrindo -Vou querer um Milk Shake

-Tá, mas alguma coisa? -Digo o encarando sério

-Não, quer dizer.. -Diz colocando suas mãos no queixo e sorriso -Quero apenas isso

-Tá, daqui a pouco voltarei com seu pedido -Digo anotando na caderneta e indo para o balcão

-Jin?-Digo sorrindo

-Sim? -Diz sorrindo e entrego a caderneta com o pedido -Ah sim, já volto

Kim Seokjin trabalha aqui bem antes de mim, sempre me tratou muito bem além de cozinha maravilhosamente, às vezes me pede conselhos sobre sua paixão unilateral até hoje ele nunca me contou quem é apenas me dá detalhes por alto, o mais velho sabe de muitas coisas sobre minha vida e eu sobre a dele, podemos nos considerar amigos próximos sabe sobre o que acontece na minha vida, menos meus pensamentos sobre suicídio, eu acho, já tentei me suicidar mas falho eu sou tão inútil que não consigo sequer tirar minha própria vida.

Meus pensamentos são atrapalhados com o mais velho resmungando, que vivo sonhando acordada apenas pego o pedido do garoto e levo até sua mesa não comento nada com o garoto apenas saio e fico conversando asneiras com Seokjin e mais uma vez o assunto foi: seu amor unilateral, espero que esse garoto se toque logo e perceba o quão Jin gosta dele, bom apesar de eu não acreditar em amor espero que o mais velho tenha sorte.

Não demorou muito para o Jeon pagar e ir embora, o restante da tarde foi tranquila essa lanchonete é um lugar muito movimentado, mas hoje foi bem calmo. Terminamos de arrumar todo o local, enquanto o mais velho preparava algo para nos comermos eu fiquei pondo as cadeiras em seus devidos lugares.

Ouço sua voz me chamar para e então caminho até o balcão sentado-me em uma cadeira, e observando o mesmo com um avental cor de rosa. Rosa é sua cor favorita

-Aquele rapaz.. -Diz o mesmo me olhando -O que ele é seu?

-Nada -Digo mordendo meu sanduíche

-Ele não parava de te olhar -Seokjin diz e eu me engasgo com o sanduíche -Hey, calma

-Cuidado com suas paranóias

-Porque diz isso?

-Ele é apenas um garoto que estudar na mesma sala que eu, apenas isso

-Hum.. e o seu pai?

-O que tem ele?

-Tem te ligado?

-Não -Respondo rude

-Você está bem, certo? Digo..

-ah qual é a graça de continuar viva? Huh?

-Seu futuro, uma profissão que queira seguir, viajar, conhecer novos lugares e até mesmo encontrar um amor, ou realizar seus sonhos -Diz sorrindo

-Primeiro, eu nem sei que profissão seguir, segundo eu não acredito em amor e último eu não tenho sonhos

-Se você fosse um país, você seria o México sabe porque? -Começa a rir e eu revirei os olhos -Vai Mizuki

-Tá, porque?

-Porque você mexe comigo -Começa a rir e logo eu não aguento e começo a rir junto -YA, consegui te fazer rir -Diz apertando minhas bochechas

-Já entendi.. agora vamos? Irá se atrasar para ir a faculdade

-Vou só lavar esses pratos e nós vamos -Diz se retirando

Seokjin sempre me tentando fazer rir, e me dando motivos para continuar a viver. Mas, do que adianta fantasiar tudo isso? Se na verdade eu não tenho planos para o meu futuro, mesmo se tivesse como alguém como eu, inútil, iria conseguir alcançar o tal objetivo? Pensamentos, pensamentos.. tudo tão confuso.

-Ya, já terminou de lavar os pratos?

-Já, se importa de ir sozinha hoje? -Pergunta risonho

-Não, irá sair?

-Sim, minha paixão perguntou se eu queria sair com ele -Diz suspirando, tão apaixonado, não o entendo

-Bom passeio -Digo me despedindo do mesmo

-MIZUKI

-Oi?

-Não esqueça de me avisar quando chegar em casa, está bem? -O mesmo pergunta ainda segurando meus braços e eu assenti com a cabeça saindo do estabelecimento

Ando tranquilamente, até perceber alguém me olhando e seguindo-me então resolvo parar de andar.

-É estanho perseguir os outros, sabia? -Digo virando-me para trás

-Não diria que estou te perseguindo -Pisca um olho

-Ah é? Então o que faz aqui?

-Estou indo para casa

-Sua casa é para o outro lado, conta outra Jeon

-Porque é assim? -Diz se aproximando de mim

-Assim? Assim como?

-Nada..

-Começou, agora termine

-Gostei de sua atitude -Começa a sorrir -Mas não é nada, quer companhia até em casa?

-Não, eu posso ir sozinha, até mais Jeon -Digo saindo de perto do mesmo e olho para trás vendo ele me encarar confuso

Continuo andar até meu apartamento, mas com um pensamento que estava me dando nervos. Mesmo assim, decido ignorar e continuando minha caminhada calma e sozinha, ah a solidão como nunca me abandonaste? Apenas você me restou, é tão triste ser solitária mas ao mesmo tempo é como se eu estivesse sendo acolhida, afinal ela me acolheu após tudo o que aconteceu comigo.

-Que merda -Digo enfurecida -Porque ainda penso nisso? -Falo enquanto abro a porta do meu apartamento

Entro no apartamento, nunca tinha percebido o quão o local se tornou solitário a minha rotina de sempre não me fazia notar, sempre fico cansada então nunca noto nos detalhes que aqui existem, como por exemplo a pintura que teve retoque ano passado a cor me tranquiliza, gosto do tom de pérola, no meu quarto a cor ainda é a mesma um tom de pérola médio. Me pergunto o porquê do meu pai ter se afastado de mim depois que minha mãe morreu.

Já escutei tantas pessoas falarem “Onde está sua família?” “Garota boba, só sabe chorar” “Fraca”.. entre tantas outras coisas, e se eu me importei com tudo o que eu escutei? Sim, me importei pois não tenho ninguém ao meu lado, como não iria me importar se ninguém estava comigo quando precisei, se eu era apenas uma criança e agora uma adolescente desamparada que não sabe se quer ou não continuar a viver. Sou uma tola, desculpe-me mas não posso cumprir o que prometi mãe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...