História My Boss - Imagine - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Amor, Boss, Bts, Imagine, Taehyung
Exibições 110
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeonghaseyo!!! 💜
Voltei beem cedo *u*
Eu não ia postar hoje, mas não conti a vontade de postar :v

~Boa leitura

Capítulo 11 - Care of Me


Fanfic / Fanfiction My Boss - Imagine - Capítulo 11 - Care of Me

Eu acordei em um lugar diferente, em uma cama macia, e em um quarto luxuoso... onde estou?

S/N? Você acordou? — Tae entra no quarto e se senta na cama.

Tae? Onde estou?

Na minha casa.

— S-Sua casa?

— Sim, tem algum problema?

— N-Não... está bem.

— Parece que você está com febre... — ele põe sua mão na minha testa. — Tome um banho, eu vou chamar um médico. Vista isso. — ele estendeu um moletom pra mim.

— Obrigada... — eu me levantei da cama e fui em direção ao banheiro que ficava logo ao lado.

(...)

Eu saí do banho e Tae me chamou até a sala, eu cuidadosamente passei pelo grande corredor e o encontrei sentado na poltrona, ao lado dele estava um homem, aparentemente era o médico.

— S/N, este é o médico.

— Olá, senhorita. — o médico me cumprimentou e logo após isso ele foi me examinar.

Eu me sentei no sofá e ele colocou alguns aparelhos em mim. Tae não tirava os olhos de mim por nenhum segundo e eu vi uma expressão de desaprovação no rosto dele. Não é possível que ele está com ciúmes.

— Bom, ela está com a febre um pouco alta, e com certeza deve estar sentindo dor de cabeça, ela sofreu um abalo psicológico, mas logo ela ficará bem, só tome alguns cuidados: Faça compressas frias, tome banhos mornos, beba bastante água, use os medicamentos que irei passar e fique de repouso.

— Está bem, obrigada, doutor. — eu sorri

— Por nada. Melhoras. Tchau. — ele acenou pra nós e saiu da sala.

— Aigo... minha cabeça dói. — eu suspirei

— Venha cá, eu tenho esse remédio. — Ele me puxou pela mão, indo até o quarto e pegando uma maleta de remédios. — Aqui. — ele estende os remédios pra mim.

— Obrigada Tae... eu não sei o aconteceria se não fosse por você. — eu sorri um pouco sem graça.

— Não precisa agradecer. — ele faz carinho na minha cabeça. — Por acaso eu ia passando naquela rua.

— Aquele homem, ele... — senti minha cabeça doer e eu me segurei na cômoda, eu senti tontura.

— O que ele fez com você? Oh.. S/N!

-Minha cabeça está girando... — eu respiro fundo e fecho meus olhos, tentando me acalmar. — Bom... ele não fez nada de mais, só colocou um pano em minha boca.

— Fique calma. — Ele me senta na cama. — Tome o remédio você ficará melhor, depois disso, deite.

— Ok... — ele se vira, saindo e me deixando sozinha. — Tae! — eu o chamo e o mesmo se vira pra mim — Por favor, não me deixa sozinha...

— Quer que eu fique aqui com você? — eu acenti. — Tudo bem. — ele sorri e se senta na cama.

— Quando eu vou pra minha casa?

— Quando você melhorar.

— Mas eu sei me virar sozinha... e...

— S/N. — ele olha nos meus olhos — Eu vou cuidar de você. Hey... você está corada.

— Kamsahamnida... — eu inesperadamente o abraço. Ele corresponde o abraço e me deita na cama.

— Durma S/N... — ele beija minha testa.  Eu apenas sorri e dormi um pouco.

(...)

Acordei assustada, e logo me sentei na cama, eu estava suada, minha febre deveria estar passando... Eu tive outro sonho, e sempre com a mesma pessoa: Tae.

— S/N??? — Tae me tira de meus pensamentos. — Você está bem?

— Huh... Estou...

— Que bom... eu acho que você deve comer alguma coisa. Venha comigo. — ele me puxa até a cozinha. — Coma.

Ele havia preparado um jantar para mim, ele está sendo tão prestativo... Eu peguei um garfo e espetei no pedaço de carne que havia no prato e mordi, estava bom. De repente Tae se agacha ao meu lado e põe sua mão na minha testa.

— Sua febre passou, você ainda sente dor de cabeça? — eu balancei minha cabeça, negando. — Você até que melhora rápido.

Mais tarde, quando a rua se tornou silenciosa e eu só pude ouvir o barulho das folhas das árvores balançando, Tae veio até meu quarto, me deu boa noite e foi para o dele. Eu fechei a porta e numa falha tentativa eu tentei dormir, não estava dando certo.

Já havia se passado uma hora e eu continuava acordada, o que eu mais queria fazer era ir até o quarto de Tae e deitar ao lado dele, eu me sentia insegura. E assim eu fiz, na ponta dos pés eu fui até o quarto dele, quando pisei meus pés na porta eu levei um enorme susto: Tae estava na porta.

— Tae! — meu coração disparou.

— S/N? O que está fazendo aqui?

— Ahh... eu só estava procurando um banheiro... onde têm? — eu olhei pra chão.

— Do lado do seu quarto há um. - eu sorri e comecei a andar de volta pro meu quarto. — S/N. — ele segura meu pulso. — Eu sei que você iria entrar no meu quarto... não negue. Pois venha, eu não estou conseguindo dormir também.

— Tae... eu... — ele só me puxou pra dentro do quarto e trancou a porta.

— Não fique tímida, deite-se. — ele diz se deitando.

Eu cuidadosamente me deitei ao seu lado e fitei o teto, eu me senti estranha, Tae nos cobre com o cobertor. Olhei para o lado e ele estava olhando pra mim, eu suspirei e rapidamente virei meu rosto.

— Está tudo bem, S/N? — Tae estava bem na minha frente, em cima de mim.

— Sim... — eu afundei na cama.

— Não parece... — ele se aproxima do meu rosto. Eu pude sentir a sua respiração e eu estemeci. Nossos olhares se encontraram e Tae coloca seus lábios nos meus, um beijo demorado que foi ficando mais intenso.

Tae tocava meu corpo na medida que ia aprofundando o beijo, eu já estava ficando mais confortável com a situação e passei meus braços nas suas costas. Ele tenta levantar meu moletom, mas eu o impedi, as coisas estavam ficando quentes e eu não estava preparada ainda.

— Tae... ainda não. — eu estava mais vermelha que um pimentão.

— Mianhe... — ele acaricia meu rosto e volta a se deitar do meu lado.

— Vamos dormir... — eu me viro pra ele, me aconchegando no seu peito.

— Vamos... — ele passa seus braços nas minhas costas, me colocando para mais perto dele.

E assim, finalmente eu consegui dormir.

...continua


Notas Finais


Gostaram? Hahahaha 💕
Eu espero que sim :)
Até a próxima, kissus! ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...