História My Boss - Imagine Taehyung - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Personagens Originais, V
Tags Amor, Boss, Bts, Imagine, Taehyung
Visualizações 60
Palavras 1.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeonghaseyo~~~~

Omg, a autora morreu? Não pessoal, eu não morri e nem coisa do tipo. Eu tô vivíssima e trouxe capítulo dessa vez... olha a demora... mianhe :>

Boa leitura ♡

Capítulo 35 - I miss you


Fanfic / Fanfiction My Boss - Imagine Taehyung - Capítulo 35 - I miss you

Depois de uma noite mal dormida, eu me levantei da cama ao amanhecer, quando os primeiros raios de sol nasciam no horizonte, formando o crepúsculo.

Pelo menos isso era bonito no meu dia. O céu estava com cores em tom gradiente, sim, era bonito. Olhei para o relógio da parede e vi que marcavam mais um pouco das sete horas da manhã. Provavelmente Taehyung já havia chegado lá.

Pego meu celular e vejo a quantidade de mensagens que eu havia no Kakao Talk. Me sento na cama, ainda um pouco com a visão embaçada. Esfrego meus olhos e abro o aplicativo. Taehy e Hobi haviam me enviado mensagem.

Abri primeiro a conversa com Taehy. Ele me enviou a mensagem há alguns minutos apenas, fico aliviada que ele chegou em paz.

Taehy: Bom dia, tudo bem, jagi? Eu acabei de chegar, tudo está bem. Daqui a pouco eu vou para a empresa. É meio dia aqui. Acho que você está dormindo... porém, coma bem e descanse, ok? Te amo. [7h03]

Eu: Boa tarde para você aí, Taehy! Eu estou aliviada já que você chegou bem, eu não dormi direito... mas, coma algo e vá trabalhar, tá bom? Quando chegar descanse bastante. Eu também te amo! [7h20]

Ele já deve estar em casa, não vou atrapalha-lo, ele está cansado e ainda precisa trabalhar... tadinho.

Sai da nossa conversa e abri a conversa com Hobi. Havia mais de 30 mensagens não lidas. Basicamente, ele queria saber se eu estava viva porque não tinha dado nenhum sinal de vida depois que ele e Taemi saíram de minha casa ontem.

Eu: Bom diaaa. Tô aqui Hobi! Acabei de me levantar. Estou viva, não se preocupe. [7h25]

Hobi: Bom diaaaa. Ah, que bom que respondeu. Taemi disse que queria que você viesse aqui para casa. Topa? [7h26]

Eu: Claro, mas... não vou atrapalhar? Não quero ficar de vela. É péssimo. [7h26]

Hobi: Relaxa, você não vai ficar de vela! Eu prometo. Taemi quer que você coma o café da manhã aqui. E claro, eu também. [7h27]

Eu: Então tá bom, eu vou daqui a pouco. Vou lavar meu rosto e já vou para aí! [7h28]

Sai da minha cama e dobrei minha coberta. Fui ao banheiro, fazer minhas necessidades e logo eu estava pronta para sair. Vesti um short e um moletom. Usava uma rasteirinha, deixando meu cabelo solto.

Desci para a sala e vi que não havia ninguém em casa. Meus pais devem ter ido trabalhar. Fechei as portas, tanto a do fundo quanto a da frente, logo indo em direção ao portão e saindo. Em minutos cheguei à casa de Hobi.

Eu mal ia chegando na frente da casa e Taemi veio me receber, abrindo o portão e pulando em cima de mim. Eu quase caí.

— S/N! Como é bom te veeeer! — ela cantarolou. — Vamos, vamos entrando! — ela nem me deu tempo para responder, apenas me empurrou para dentro da casa.

Ela é totalmente o oposto de Taehyung.

Chegando na cozinha, Hobi usava um avental, terminava de fazer ovos mexidos para por na mesa. Aquela cena realmente era engraçada.

— Olá, S/N. A Taemi me obrigou a usar esse avental, é embaraçoso, não olhe para ele. — ele disse escondendo o rosto. Eu segurei minha risada.

— Sente-se S/N. É pra comer tudo. — Sentei na cadeira ao lado. Taemi se senta à minha frente. Havia uma porção de comida, não sei onde acham disposição para levantar cedo e cozinhar isso tudo.

Logo Hobi também senta justamente conosco para começamos a comer.

— S/N, eu vou para Daegu logo em breve, não sei muito sobre a vida do TaeTae, a gente se fala só às vezes! Me conta como ele é no trabalho, com você, etc. — ela disse após beber um gole de água.

— Ah... não sei ao que você se refere, mas... no trabalho ele é bastante focado no que faz, é um ótimo gerente. E comigo... bem, ele é atencioso, carinhoso e... protetor.

— Que bonitinho você dizendo isso. Eu shippo vocês demais. Hobi, vamos adotar ela? Você é muito fofa.

Mi, que tipo de perguntas são essas? — Hobi começou a rir. — Vamos adotar, sim.

— Gente, tenho novos pais? — comecei a rir timidamente.

Passei mais algum tempo com eles e logo voltei para casa. Eu queria voltar o mais rápido que eu pudesse para a Coreia.

Ao chegar em casa, corri para o computador e imediatamente fui procurar passagens para poder comprá-las. Mas, infelizmente não encontrei nenhuma. Talvez eu consiga amanhã...

Eu não havia absolutamente nada para fazer, então apenas prendi meu cabelo, e saí de casa. Resolvi colocar meu fone de ouvido e caminhar pelo parque ali perto, eu conseguia relaxar assim.

Parei de andar quando cheguei na grande entrada do parque, aquele em que eu vi o Taehyung... ele é muito bonito. Cheio de flores, e ar fresco.

Fiquei encantada com a beleza natural que ainda preservavam aqui. Vi duas borboletas voarem em minha direção, mas dessa vez não eram azuis. Amarelas.

A cor amarela significa luz, calor, descontração, otimismo e alegria. Eu admito que fiquei até mais alegre quando vi as borboletas. De acordo com uma superstição japonesa, quando há duas borboletas juntas, representam o amor. Faz sentido. Eu estou pensando em Taehyung...

Caminhei mais um pouco até achar um lugar onde havia sombra e que desse para olhar as nuvens. Me deitei na grama e comecei a observar o céu. Inúmeras nuvens passavam, mas eu não estava conseguindo me concentrar. Minha mente estava em outro lugar.

O que Taehyung estaria fazendo agora? Sentado na sua cadeira estofada, em frente ao computador, usando aqueles óculos que eu amo... mas, sozinho.

Peguei meu celular e vi as horas, eram um pouco mais das dez e meia da manhã, então resolvi voltar para casa, fazer o almoço.

A tarde nunca foi tão longa. Parecia que as horas não passavam ou o relógio havia parado. Comi pouquíssimo no almoço e corri para o computador verificar as passagens, eu ainda tinha esperança. Eu me deitei na cama e fiquei ali quase toda a tarde, era horrível não ter nada para fazer.

(...)

Me levantei após dormir e fui até a cozinha, beber água, minha garganta estava tão seca de repente. Com o copo de água na mão eu me sentei na cadeira em frente ao balcão, bebendo a água e depois me debruçando ali.

Não sei como, mas senti que estava sendo observada. O medo me atingiu quando eu ouvi passos ao redor da casa, não tinha a menor ideia de quem poderia ser, ou era apenas alucinações. Porém, eu continuei ali, com a cabeça baixa, sentia minha cabeça doer.

Abri meus olhos e olhei ao redor da cozinha. Havia um homem com capuz à minha frente. Como ele havia entrado sem fazer mais barulho? Eu permaneci petrificada, ainda sentada. Eu não podia ver o rosto da pessoa, mas eu tinha certeza de que era um homem. Ouvi leves batidas na porta.

— Levante-se, não ouve as batidas na porta? Vá abrir por enquanto eu revisto sua casa, e não quero saber de nenhum comentário sobre mim! Está ouvindo?! — o homem disse com uma voz arrogante, autoritária, apontando um revólver para mim.

— Você vai mesmo deixar ela abrir a porta? Jamais! Perdeu os sentidos? — outro homem aparece atrás de mim, com um revólver na parte traseira da minha cabeça. — Mostre onde fica todo o dinheiro.

— E-Eu moro aqui há um mês... e-eu não sei onde fica... — disse com a voz trêmula.

— Não diga mentiras! Quer morrer? É melhor nos mostrar onde está! — o homem à minha frente diz, segurando a arma com força.

— Esqueça, ela não vai dizer. — senti o homem de trás indo apertar o gatilho, e então eu me levantei e corri até a sala, onde eu tentei me esconder.

Me escondi atrás do sofá, com medo, eu estava ofegante. Pude ouvir a porta ser aberta, batendo na parede, com força, queria chamar a polícia, mas não podia. Um dos homens com capuz me puxou para cima, me pressionando na parede, com o revólver outra vez à minha frente.

Fechei meus olhos com força, esperando o pior. Só pude ouvir o barulho da bala ao sair do revólver, o gatilho havia sido apertado. Mas, eu não senti nenhuma dor. Abri meus olhos e vi a cena que eu jamais queria ver: Um homem havia se jogado em minha frente e a bala havia acertado o mesmo. E esse homem, ele era...

— Taehyung!?

...continua


Notas Finais


Opa...
Tudo bem? Ksjskaja
Espero que tenha tido uma boa leitura... ou talvez não :')
Olha o suspense passando... jssjsj
Um beijo e abraço, até o próximo capítulo! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...