História My Boss × Kim Minseok - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias AOA, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jimin, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Seolhyun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Fanfic, Hot, Xiumin
Visualizações 79
Palavras 1.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - A Casa do Daddy


Fanfic / Fanfiction My Boss × Kim Minseok - Capítulo 2 - A Casa do Daddy

   Só sei que a seleção acabou ali mesmo, Minseok pediu que eu descesse e eu obedeci. Em uma vaga exclusiva do estacionamento estava uma BMW i8 prateada novinha, arregalei os olhos e olhei o carro mais de perto, ele riu da minha reação e abriu a porta do banco do passageiro.

— Entre, eu vou te levar pra seu novo local de trabalho.

— Mas eu pensei que ia ficar na empresa...

— Não leu o aviso? Secretária pessoal.

Entramos no carro e ele começou a dirigir, passando apenas pelos bairros nobres de seul, me deixando intimidada de novo por ser tão pobre perto dele, para quebrar o gelo, eu olhei pra ele e perguntei.

— Quem contrata alguém para cuidar dos seus assuntos pessoais.

— Quero que cuide de mim também.

— Ah claro, o senhor bilionário se sente solitário e precisa pagar alguém pra ficar com ele, que deprimente.

Ele ficou quieto e sério, acho que eu não devia ter falado isso, continuei olhando pra frente, sem dizer mais nada que comprometesse meu emprego de secretária e cuidadora dele, o que eu acho ridículo, se ele se sente sozinho ele devia arrumar uma namorada ou um melhor amigo, agora eu vou ter que servir de babá desse bebezão.

Ele dirigiu até uma área mais afastada, onde tinha mato e muitas mansões, até que ele chegou na última mansão daquele lugar, e caraaaaaammmmmbaaaaa.

— Quantos rins você vendeu por essa mansão?

— Tenho mais uma na Florida, uma na praia e uma em Xangai.

Ele estacionou na frente da casa e já vieram dois empregados dele, saímos do carro e ele já jogou a chave para um deles, mandando que ele colocasse o carro na garagem. Quando entramos na casa, ela era toda iluminada e cheia de paredes de vidro, Minseok tem bom gosto e muito dinheiro quando se trata de arquitetura.

Estávamos andando pela mansão, e chegou uma parte em que eu pude ver a piscina com borda infinita, uns sofás brancos que ficavam no deck, não pude evitar de ficar olhando e ficar boquiaberta com aquilo, pra quem morou em pequenas casas a vida toda aquilo era incrível. Eu fiquei tanto tempo olhando aquela vista que Minseok picarreou para chamar minha atenção, voltei a segui-lo pela casa, até que ele abriu a porta de um quarto.

As paredes eram em um tom pastel de rosa, tinha uma grande janela, o tamanho era ótimo, tinha uma suíte, um closet e uma cama arrumada, com uma sacolinha em cima dela.

— Parece meio pequeno...

— Está perfeito, perfeito demais, muito obrigada mesmo senhor Minseok.

— Vista as roupas que tem dentro da sacola, amanhã vou mandar o Sehun até sua casa para pegar suas coisas junto com você, não demore. Vou estar na sala de estar, tem sapatos e mais roupas dentro do closet e coisas na gaveta.

O senhor Minseok me deixou sozinha no quarto, fui até a sacolinha e olhei o que tinha dentro, um top rosa escrito "Hotline Bling" juntamente com uma saia rosa com custuras dos dois lados, achei aquilo meio estranho para uma secretária pessoal mas eu coloquei as roupas mesmo assim. Olhei dentro do closet e peguei uma caixa de sapatos, era um par de saltos cor de rosa, por sorte cabiam em mim.

Olhei nas gavetas, tinham várias lingeries em todas elas, mas em uma tinha artigos de maquiagem... Porque um dos perfumes já foi usado? Será que outra mulher passou por esse quarto?

Puff é claro, ele já teve outras secretárias, só não entendo porque uma delas deixou o perfume aqui. Depois que me arrumei, eu sai pela casa, meio perdida por causa do tamanho dela, comecei a andar tentando achar a sala de estar, mas acho que o senhor Minseok ouviu meus passos.

— Estou aqui Crystal!

Ele gritou de dentro daquela sala que tinha vista da piscina, abri a porta da sala, paredes brancas como todo o resto da casa, um tapete fofinho no chão, uma parede de vidro. Minseok estava largado no sofá, passando as mãos por uma região um tanto estranha entre suas pernas, ele olhou pra mim e deu um sorriso malicioso, depois ele deu um assovio.

— Minha nossa!

— Senhor eu... Estou achando isso muito estranho.

— Venha aqui.

Ele me chamou e eu me sentei no sofá ao lado, enquanto ele me olhava e acariciava o membro por cima da calça.

— Eu quero que as regras fiquem claras...

— Regras?

— Primeiro, você assinou aquele papel certo? Só sai daqui com a minha permissão.

Aquele papel... Porque eu não li aquele maldito contrato?

— Mas...

— Segundo, você pode comer o que quiser, passear pela casa aonde quiser, pode pedir para o Sehun te levar a qualquer lugar e ele vai te levar, pode me pedir dinheiro, mas terá que trabalhar.

— Senhor os benefícios são incontáveis mas pelo que eu sei... O meu trabalho é cuidar dos seus assuntos, arrumar sua agenda...

— Sexo e companhia.

Quase engasguei.

— Co-como?

— Você não disse que o bilionário se sentia solitário e pagou alguém pra ficar com ele?

Ele se levantou do sofá onde estava e subiu em cima de mim, eu tentei retirá-lo mas ele era forte.

— Vamos lá... Você tem 18 anos, é solteira, as outras gostaram... Imagine quantas garotas gostariam de estar no seu lugar, trabalhando com casa e tudo, sem pagar nenhuma conta, e ainda com alguém pra fazer elas gozarem.

— Senhor Minseok por favor...

— Chega de senhor Minseok!

Ele segurou meu pescoço com força com uma de suas mãos, com a outra ele começou a tirar a minha saia, tocou minhas coxas e passou o nariz pelo meu pescoço, senti um arrepio percorrer meu corpo, não podia negar que ele era um baita de um homão, mas aquilo era demais pra mim, era estranho.

— Você vai fazer as coisinhas do jeitinho que eu quero, entendeu?

Ele lambeu minha bochecha e deu um tapa estralado nas minhas cochas, Minseok arrumou tudo direitinho, ele tem muito poder e com certeza alguém da polícia deve estar do lado dele, já que ele usou tantas mulheres e conseguiu sair de boa, eu não tenho mais o que fazer.

— Senhor Minseok...

Ele deu um tapa no meu rosto tão forte quanto o que foi depositado em minha coxa.

— Daddy.

Ele me largou e saiu de cima de mim, mas em compensação ele me puxou para seu colo, colocando os lábios em minha orelha.

— Rebola.

— Mas...

— Se falar mas mais uma vez eu vou te castigar.

Mas que poha que isso virou? Fanfic do Spirit?

Eu não sei rebolar bem, na verdade nem sei o básico, mas eu fiz tudo o que eu podia. Tentava ser rápida com o quadril pra ver se aquilo acabava de uma vez, senti as mãos dele tocarem minha bunda e apertarem, um tapa foi depositado ali e eu fiz uma exclamação de dor. Ele estava mordendo os lábios, me olhando com uma cara de satisfeito, se deitou enquanto segurava minha coxa, para permanecer em cima dele.

— Alguém já disse que você é um monstro?

— Irei te virar, te quebrar e te engolir, irei te roubar e desfrutar de você, eu vou te bagunçar toda... Pode me chamar de monstro.

Eu percebi que uma ereção estava tocando minha intimidade, e ai eu percebi que cai no conto de "Contratei você para ser minha puta falando que era um anúncio de secretária pessoal". Minseok gemeu baixo e deu um tapinha em minha coxa.

— Essa calça ta me machucando...

— Ninguém mandou o senhor ser um tarado.

— Tire ela pra mim, agora.

Retirei a calça dele, vendo a ereção subir um pouco mais, ele mesmo abaixou seu boxer, já que aquilo também estava machucando, santa mãe das mães que são mães no céu.

— Você não vai meter isso em mim né?

— Não vou... Ainda não. Vamos logo, sabe bater uma?

— Eu peguei meu irmão fazendo isso de madrugada uma vez, o estranho é que ele tinha 13 anos.

Bom, meus pais são separados, minha mãe perdeu tudo por causa disso e ela foi morar na minha avó com a fazenda e eu fiquei aqui em Seul para estudar e terminar a faculdade. Meu irmão foi morar em Busan com meu pai, não os vejo a um ano.

Segurei o membro do senhor Minseok, comecei a passar minha mão sobre ele na maior velocidade possível, tentava ignorar que era o membro do meu suposto "chefe", quanto menos nojo eu sentisse do que estava fazendo mais rápido eu acabaria com aquilo, mesmo que fosse super estranho.

E então aquela era minha nova vida, viver como uma princesa com um bilionário a minha disposição desde que eu fosse a puta dele, eu tentava ignorar aquilo porque ele não tinha mexido muito em meu corpo, na verdade, eu que estava mexendo nele.

E depois ele jogou um jato quente de esperma em meu rosto, eu limpei aquilo com uma toalinha que estava em cima da mesa enquanto ele colocava a calça, o senhor Minseok apertou minhas bochechas e sorriu.

— Até mais boneca, aliás, seja gentil com o Sehun, eu não comprei você só pra mim.

Então eu vou ter que bater pra outro bonitão? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...