História My Boss × Kim Minseok - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias AOA, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jimin, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Seolhyun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Fanfic, Hot, Xiumin
Visualizações 70
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Avisando que os hot dessa baga são bem loko.

Vai ter trepação à três, à quatro, a cinco, incesto, umas viadagi...

Capítulo 3 - Meu Chefe, O Amigo Dele e Eu


Fanfic / Fanfiction My Boss × Kim Minseok - Capítulo 3 - Meu Chefe, O Amigo Dele e Eu

   E eu ia pegar as minhas poucas coisas na minha casa com o Sehun, coloquei a calça jeans e a camiseta com que eu vim, não ia sair na rua parecendo uma boneca Barbie a Puta. Lá estava Sehun, aquele cara altão e sério, estava parado na frente de um carro preto com os vidros escuros, ele abriu a porta do banco do passageiro pra mim e sorriu.

Depois de entrar, ele entrou também e começou a dirigir, eu dei o endereço e fiquei calada, não queria falar com ninguém sobre o que tinha acontecido a uma hora atrás na sala do senhor Minseok, Sehun percebeu que eu estava estranha e deduziu que eu já tinha usada... Pelo menos minha mão foi.

— Você já descobriu né?

— O caladão resolveu falar? — Ele segurou o riso só pra continuar sério.

— Bom, você sabe que ele divide os brinquedinhos comigo.

— Quantos anos o senhor tem?

— 23.

— Pelo menos não são dois velhos tarados.

Ele não pode evitar rir, e olha que ele tem um sorriso muito lindo, só posso estar ficando doida pra falar algo assim desse cara, e a gente rodou tanto até minha casa que quando fui tentar sair do carro, minhas pernas estavam quase dormentes.

— Esse é seu barraquinho?

— Ta ta ele é um barraquinho... Mas é arrumadinho.

Eu entro enquanto ele fica sentado em uma poltrona velha, de pernas cruzadas e olhando pra minha cara. Me sinto tão desconfortável com esse armário me olhando, principalmente quando eu estou de costas. Conseguia ouvir ele suspirar de raiva e fungar, porque eu estava demorando demais pra arrumar poucas roupas.

— Não aguento mais!

Ele começou a me ajudar e... Ele fez muito mais do que eu em cinco minutos. Pegamos minhas coisas e fomos pro carro dele, o trajeto de volta foi o mesmo, em silêncio. Sehun ficou colocando as mãos em minhas pernas, eu tentava ignorar, eu sabia que ele o Minseok iam me usar em uma das surubas gays deles.

Que foi? Acha que eu não notei? Eles tem cara de viadinho.

Chegamos na mansão do Minseok, e a primeira coisa que Sehun fez foi tirar quatro camisinhas do porta luvas, eu fiquei grudada naquele banco, olhando fixamente para frente. Não, eles não iam me usar agora, e eu não fiz nada de errado pra merecer isso.

— Vamos logo Crystal.

— Não, eu não quero.

— Quem se importa.

Ele me puxou do banco e me arrastou até a entrada da casa, onde Minseok estava largado no sofá, do mesmo jeito que anteriormente, dessa vez ele parecia meio triste, mas quando ele me viu já deu aquele sorriso malicioso, pior do que o dele na primeira vez que abusou de mim, agora ia ser bem mais do que minhas mãos.

— Sehun ela é boa, mas ela ainda é virgem.

— Vamos cuidar disso então.

Sehun me agarrou com força e arrancou minhas roupas, depois me jogou no sofá com uma certa brutalidade, não sei porque eu não conseguia me mexer, deve ser porque eu já sabia que mesmo que eu tentasse eles seriam mais fortes e iriam me segurar. Minseok se levantou e foi ao encontro do outro homem, os dois se olharam e sorriram um pro outro, tipo aquelas cenas de yaoi.

— Ah então vocês são gays?

— A gente só... Se gosta como amigos, muito amigos.

E eles começaram a se beijar em uma selvageria que até me assustou, tinham línguas e dentes nos beijos, os dois ficavam pegando um na bunda do outro, é parece bastante com uns yaoi de qualidade que eu assistia. O Sehun tirou a roupa e SENHOOOOOOORRR.

Calma Crystal, ele é um estuprador, bonito, mas estuprador.

— Segura ela Sehun.

— Não! Não quero!

Não adiantou, aquele grosso me pegou pela cintura e me colocou entre ele e o Minseok, eu sentia que algumas coisas encostavam em minhas pernas, eram dois paus durinhos esperando pra acabar com o que eu conhecia de "vagina". Os dois começaram a se beijar que nem uns dois gays na minha frente e começaram a se despir, ficando completamente nus.

Minseok fez pressão nas minhas costas, fazendo eu me abaixar um pouco, ele me colocou de quatro no sofá, de costas para ele e de frente para Sehun. O mesmo segurou o membro dele rente a minha boca, eu não queria abrir de jeito nenhum.

— Ande logo! Faça o que o Sehun está mandando.

Minseok disse me dando um tapa muito forte nas costas, acabei cedendo, o pouco que eu abri da boca foi o suficiente para que o homem a minha frente a abrisse a força usando seu documento, que tinha até um comprimento bom. Eu não fiz nada, apenas deixei que ele colocasse o quanto quisesse na minha boca.

— Chupa.

Fiquei novamente em silêncio, enquanto sentia Minseok acariciar a minha intimidade com seu pênis. Um outro tapa foi depositado em minhas costas, mas dessa vez era Sehun, fiquei lambendo a cabecinha de seu membro levemente, era óbvio que eu estava desanimada e que não estava com nenhum pingo de vontade de fazer aquilo.

— Certo Sehun... Eu animo ela.

Então eu senti uma língua passar pela minha intimidade, aquilo era tão bom que eu soltei um gemido contra a minha vontade, olhei para trás e vi que Minseok tinha começado a me chupar, e ele fazia com vontade, me jogava um olhar sensual, e isso ta mexendo comigo.

Ele é tão lindo, tão sexy, está quase fazendo eu querer transar com ele. Sehun bateu o membro dele em meu rosto e eu tive que voltar a chupá-lo, além de masturbar o que eu não conseguia colocar pra dentro da boca, era difícil me concentrar no Sehun enquanto Minseok estava me chupando tão bem.

Minseok parou de me chupar e começou a colocar seus dedos dentro de mim, eu revirei os olhos porque aquilo era realmente bom... Crystal para, você não quer isso. O homem a minha frente segurou meu rosto e começou a socar na minha boca. Ouvia Sehun gemendo e o outro colocando a língua e os dedos dentro de mim, segurando minhas pernas para que eu não saía do lugar.

Tirei a boca do membro de Sehun, Minseok se posicicou de joelhos, segurando meus quadris e abrindo um pouco minhas pernas.

— Mas o que você...

Pow.

E eu fui penetrada sem nenhuma dó por parte de Minseok, ele nem se importou se eu era virgem ou não, apenas meteu com força me deixando gritar de dor por não aguentar tudo aquilo.

— Eu to abrindo ela pra gente Sehun, faz ela cara a boca.

— Deixa ela gritar, ela já vai parar.

Sehun saiu da minha frente e foi para junto de Minseok, conseguia ouvir os dois se beijando, olhei para trás e vi que o homem de cabelos claros masturbava seu amigo com uma das mãos, enquanto me segurava com a outra, os dois são realmente estranhos. Sehun me puxou para que eu ficasse em cima dele, ele afastou minhas pernas com as mãos e acabou penetrando... A parte ruim é que foi no buraco de trás e eu acabei dando um grito de dor.

— Vocês não tem coração?!

— Cala a boca.

E então Minseok foi lá e me penetrou pela vagina, eu estava tentando lidar com dois pênis dentro de mim, e a sensação de primeira não é lá muito agradável, é dolorosa. Os dois estavam estocando rápido e forte demais para que eu aguentasse, e era a minha primeira vez ainda por cima, vendo que lágrimas começaram a escorrer do meu rosto, Sehun parou e me tirou de seu colo.

— Não dá cara...

— Que que foi Sehun?

— Eu não gosto quando elas começam a chorar.

— Quem se importa, fica atrás de mim.

Minseok ainda estava me penetrando, mesmo que Sehun fosse o mais sério e o mais carrancudo ele tinha mais compaixão de mim, e então eu fui surpreendida quando o homem alto de cabelos negros começou a penetrar o que estava tendo relações comigo, aquilo estava parecendo aqueles pornô.

— Vai Sehun! Vai!

Dúvida eterna:Qual ser a sexualidade de Minseok?

Ele estava tão entretido com o Sehun que eu arrumei uma brecha para sair do sofá e fui correndo para meu quarto, tranquei a porta e não pude evitar chorar um pouco mais.

Eu estava machucada... Minha virgindade foi roubada por... Aquele cara?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...