História My Boss Sexy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Boss, Bottom!jimin, Fuckme__styles, Gays, Jeongguk Seme, Jikook, Jimin, Jimin Uke, Jungkook, Kookmin, Sexo, Top!jungkook
Exibições 1.242
Palavras 1.698
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ois gente, cheJimin.
UM VALEU AOS INÚMEROS FAVORITOS, O BERRO QUE EU DEI CHEGOU NA COREIA E PAROU DIRETO NO CU DO JEON.
Alô alô pode chegar mais favoritos que eu amo.
janjnxsjamnsxsz
ais, vamo que vamo
Meme do capitulo: ele mesmo Jancu mello

Capítulo 3 - Um pau enterrado naquela boca dele.


Fanfic / Fanfiction My Boss Sexy - Capítulo 3 - Um pau enterrado naquela boca dele.

Capitulo 3

Depois do dia anterior ter sido cheio de emoções, surpresas e pressões. Estar em casa, numa manhã de sexta-feira, tomando Champanhe ao lado da sua melhor amiga louca, não poderia ser mais do que gratificante.

— Pode me dizer novamente como foi a reação de Jungkook ao ser chantageado? — Savannah pediu, apoiando seus pés na mesinha de centro, na sala do meu apartamento.

— Eu sempre vou ter o prazer de relembrar a feição furiosa do meu querido chefe. — falei risonho.

Eu levei um soco na cara, mas ainda assim, saí daquela empresa completamente feliz.

Flashback:

— Se você fizer o que eu mandar, juro de dedinho não contar nada do que eu sei a ninguém. — falei soando fofo, isso fez meu chefe bufar impaciente.

— Está me chantageando? — perguntou Jeon, parecia indignado com o que eu disse.

— Oras, não leve como uma chantagem, e sim como uma troca de favores. — um sorriso malicioso preenchia os meus lábios. — Você faz exatamente o que eu mandar, e então eu não mostrarei ao mundo quem você realmente é. — falei simplista.

Avaliei a expressão carrancuda de Jungkook, e pude sorrir com o fato de saber que meu plano estava começando a dar certo.

— Você é patético, Park Jimin. — Jeon murmurou feroz, antes de desferir um soco forte em meu nariz.

Grunhi cambaleando para trás, continuava sorrindo mesmo depois do ato agressivo de Jungkook.

— Eu não estou surpreso por você ter feito isso, na realidade, já esperava. De um covarde feito você, devemos esperar tudo, uh? — comentei, irônico.

Podia jurar que Jeon havia ficado mais vermelho do que já estava. Vê-lo assim me deixa com vontade de gritar de tamanha felicidade.

— Você está colhendo o que plantou, deveria saber disso. — falei, me recompondo do murro, embora sentisse meu nariz pulsar por conta da dor.

— Você continua sendo um total incompetente, Park. Isso não vai mudar. — Jeon sorriu de lado, avaliando minha expressão neutra.

— O incompetente que pode acabar com a sua vida em menos de minutos, não é? — mordi meus lábios ao ver Jungkook desfazer seu sorriso ácido.

— É dinheiro, não é? Qual é o teu valor, seu imundo? — ele caminhou em passos pesados até sua mesa, procurou por algo, e quando o achou pude identificar um cheque em suas mãos. Rolei meus olhos com isso.

— Não lembro de ter mencionado que queria dinheiro. — eu falei, observando os mínimos detalhes do que Jeon fazia.

— MAS ENTÃO QUE PORRA VOCÊ QUER?! — ele gritou, em plenos pulmões. A raiva era mais do que vista em seu rosto.

Fingi não ter me assustado com isso, sorri abertamente me aproximando de sua mesa.

— Eu quero você, Jungkook, só você. — falei baixo, mas fora o suficiente para que o homem a minha frente me olhasse estático. Era excitante vê-lo assim.

Flashback off.

— Quem te vê assim, nem pensa que é você quem dá a bunda. — Savannah disse, me fazendo engasgar com o champanhe.

— Savannah?! — eu entrei em uma crise de risadas, acompanhado juntamente da morena.

— O que? Só falei verdades. — ela falou risonha, rolei meus olhos ainda me recuperando dos comentários idiotas da minha amiga. — Eu vou fazer uma lista do que eu quero, mas primeiramente, eu necessito de um aumento. Não sou paga o suficiente para ter que aguentar as putas do Jeon entrando e saindo da sala dele. Quem vê isso também nem pensa que o Jeon gosta de um pau enterrado naquela boca dele. — cuspi na mesa o pouco da bebida que estava a pouco tempo em minha boca.

— Aish! Sem comentários sobre isso, por favor. — gargalhei, Savannah fez o mesmo.

Ouvi a porta do meu apartamento ser aberta e logo um Yoongi entrar com cara de enterro — como sempre faz —, ele fechou a porta com força e caminhou até a sala, onde eu estava com Savannah. Pude notar o um sorriso nascer nos lábios do branquelo, ao ver Savannah.

— Opa. — o esverdeado sorriu, passando seus olhos pelo corpo esbelto da morena.

Sorri avaliando os dois, Yoongi era louco por Savannah, desde que eu e a mesma havíamos nos tornado amigos. É realmente uma pena que Savannah nunca tenha dado uma chance ao meu querido amigo.

Friendzone, o nome.

— Boatos de que a gente deveria se pegar. — Yoongi falou, ao pé do ouvido de Savannah. A mesma riu, rolando seus olhos castanhos.

— Só boatos mesmo. — ela o empurrou de leve. O esverdeado bufou, jogando sua mochila no sofá da frente, e logo se jogou também.

— Vocês não deveriam estar trabalhando? — perguntou Yoongi, reparando na garrafa de Champanhe em cima da mesinha, assim também em como eu e Savannah estávamos relaxados no sofá.

— Hoje nós vamos chegar mais tarde. — falei. — Porque nós podemos. — pisquei o olho, ouvindo Savannah gargalhar.

Meus dois amigos entraram em uma conversa animada, enquanto eu me pegava pensando em como Jungkook deveria estar furioso com o meu atraso proposital. Antes eu estaria morrendo de medo de ser demitido, hoje eu pouco me importava. Sabia que Jeon não me demitiria, nem se quisesse.

Meu celular tocou, eu o peguei atendendo, mandando ao fundo Yoongi e Savannah calarem a boca.

— Alô? — minha voz saiu um pouco alta, já que fora totalmente em vão pedir para que calassem a boca.

— Park Jimin! — oh não, era Jungkook. Como esse maldito conseguiu meu número? Que eu saiba ele não tem... Ou tinha. — É assim? Esqueceu que tem um trabalho, é? — o mais velho estava irado, como eu imaginava.

— Ei, acalma-se, querido. Só estou um pouco atrasado, relaxe. — falei irônico, fingindo uma falsa voz doce. Eu sabia como isso o deixava irritado.

 — Um pouco atrasado? Você está mais do que atrasado, seu incompetente. Aish, você tem cinco minutos para estar na minha frente, ou... — o interrompo, tedioso.

— Ou o que? Vai me demitir, Jeongguk? — ironizei, com um sorriso em meus lábios.

— Aish! — fim da ligação.

Jungkook desligou em minha cara, isso me fez explodir em risadas. Savannah e Yoongi fixaram suas atenções na minha pessoa, ainda sem entender o que de fato ocorreu.

— Vamos, Sav’s. Nós realmente temos que ir. — fui procurar minha bolsa, ainda rindo do que havia acontecido.

— Tem certeza de que o Namjoon não vai brigar com você, por conta do atraso? — perguntei para Savannah, quando eu já estava prestes a chegar no andar onde eu trabalhava.

— Sim, ele avisou ontem que hoje chegaria mais tarde, parece que está resolvendo alguns assuntos pessoais... Não sei. — respondeu a morena, se olhando no espelho do elevador.

Assenti em entendimento. Passando alguns minutos, pude ver a porta do elevador se abrir, fiz uma careta.

— Se Jeon reclamar no pé de seu ouvido, o cale com um beijo na boca... Ou quase isso, o deixe pensar que vai. Provoque. — Savannah sorriu provocativa.

Eu ri de sua fala, saindo do elevador. Ainda por cima levei um tapa forte e estalado em minha bunda, da pessoa que se diz minha amiga.

Caminhei até minha mesa, deixei minha bolsa em cima da mesma, e antes de sentar e começar mais um dia de trabalho, resolvi que iria até a sala do Jungkook. O mesmo devia de ter arrancado todos os fios de seu belíssimo cabelo, apenas por minha causa.

Se eu gosto disso? É obvio que sim.

Lá se foi a minha pessoa, até a sala de Jeon. Bati na porta, ouvindo um “entre” seco, como sempre. Abri a mesma e me coloquei para dentro.

A atenção de Jungkook estava em seu computador, porém quando seu olhar se chocou com o meu, pude-o ver ficar vermelho.

Aquilo era vergonha ou raiva? Eu não sabia dizer.

— Tem algo que queira que eu faça? — cocei o topo de minha cabeça, ao fazer uma pergunta a Jungkook.

— Se jogar de uma ponte, eu quero que faça isso. — ele disse, ainda me olhando. — E vá direito para o inferno, por favor. — concluiu com desdém.

— Oh, não. Acho que já estou nele... E mais, ainda estou de frente para o demônio. Adivinha quem é?! — sorri sem mostrar os dentes.

Fechei a porta da sala com força, me virei para Jeon e pude o pegar secando minha bunda. Um ótimo começo para alguém que quer terminar de quatro na cama do chefe.

 — Achei que não fosse mais colocar seus pés aqui. — Jeon mudou rapidamente de assunto, suspirei com isso. — Depois daquele seu showzinho barato, achei que estivesse arrependido. Estou esperando suas desculpas. — continuou me encarando.

— Achou que eu te deixaria mesmo em paz? — fingi uma tristeza, ganhando um olhar seco de Jungkook.

— Eu não sei o que você pensa que vai conseguir com essa chantagem barata, Park. Mas te garanto que seja lá o que for que você esteja pensando, tudo o que conseguirá de mim é pena. — ele disse, me olhando de cima a baixo.

— Um mês. — falei, Jeon arqueou suas sobrancelhas, confuso. — Um mês para que eu te prove que tudo o que eu estou fazendo valerá a pena. Apenas um mês, Jeongguk. — caminhei até a cadeira onde o homem estava sentado, em um piscar de olhos, me sentei em seu colo.

Dei uma rebolada de leve, vendo meu chefe ficar tenso. Suas mãos foram de encontro a minha cintura, e um aperto forte fora desferido por Jeon.

— Um mês. Apenas um mês, um maldito mês. — ele falou me encarando, sorri deixando um beijo em seu pescoço, a pele de pluma se arrepiou e isso me fez rebolar contra seu pau mais uma vez.

— Ótimo, é bom saber que estamos no caminho certo. — deixei um beijo no canto dos lábios rosados de Jungkook. Fiquei alegre ao ver que o homem não me afastou, sinal de que ele está gostando. — Agora me diga quais relatórios eu tenho que fazer, prevejo que hoje será um dia longo. — me levantei em um pulo, do colo de Jeon. O mesmo bufou, passando suas mãos pelo rosto.

Gargalhei cruzando meus braços.

Eu tinha mesmo conseguido provoca-lo?

 

" Você é o cara, mas eu tenho, eu tenho, eu tenho o poder.

Você faz chover, mas eu vou fazer, vou fazer, vou fazer cair os céus.

Você deveria saber, sou eu quem está no controle.

Eu posso deixar você vir aqui e liderar um pouquinho, contanto que você não se esqueça.

Eu tenho, eu tenho o poder. "

Little Mix - Power


Notas Finais


Jimin num tá no controle porra nenhuma, é ele quem dá o brioco aqui qq-
Musiquinha das minhas mulheres SIM, amo, adoro.
GENTE, DEEM AMOR PRO MEU FILHOTINHO QUE EU ACABEI DE POSTAR HBHJSNXJZ
É uma gracinha esse vídeozinho dos Jikook, podem olhar por favor?
Link: https://www.youtube.com/watch?v=Wp5CRyEZPzI
É NÓIS, ATÉ QUALQUER DIA!
Ps: Não se esqueçam daquele famoso comentário, bjão da tia aqui <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...