História My Boyfriend Is a Vampire - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, NU'EST, Topp Dogg
Personagens Aron, Baekho, Bang Yongguk, Daehyun, Hansol, Jason, Jenissi, Jongup, Jr, Minhyun, Nakta, P-Goon, Ren, Sangdo, Yano, Zelo
Exibições 50
Palavras 2.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Josei, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, guys
Cheguei com mais um capítulo
Gente, eu peço que prestem bastante atenção porque nesses últimos caps tem muitos e muitos detalhes importantes.
Espero que gostem <3

Capítulo 37 - Trindade


Continuamos a andar e Zelo me apresentava rapidamente a algumas divindades. O lugar era carregado de energia de morte. Enquanto andávamos, vozes me encurralavam, meu corpo parecia ser puxado para o chão. Apertei a mão de Zelo forte para não sucumbir isso. De repente ele parou e se virou para uma estátua, a maior que tínhamos passado até agora.

Era também uma mulher esculpida em pedra branca, com correntes negras em seus braços e no seu pescoço, com um elmo também negro em forma de javali na cabeça, suas mão estavam levantadas em forma de garra, um sorriso grande e de gratificação no rosto e nos pés, estátuas menores de mortos pintados de escarlate como se fosse sangue. Alguns tinham lanças enterradas nas costas, machados em suas cabeças, muitos nem cabeças tinham.

-Essa é Éris, deusa grega da discórdia e do caos. Ela não é linda? Ela saiu das profundezas do Tártaro e trouxe a nossa espécie a vida. Ela nos libertou de seu seio e nos proporcionou o poder da vida eterna. Ela nos deu a permissão de trazer a discórdia, a morte e o caos a Terra. Ela é divina!

A estátua me apavorava, o lugar em si apavorava, mas essa escultura era pior. Seria real? Ela emanava um poder muito mais forte, mas esse poder me afastava. Me virei e andei em direção as outras, deixando Zelo entretido com a própria voz.

A agonia não passava. Tinha a sensação que mãos apertavam meu crânio e outras tentavam abrir minhas costelas. A perna pesada só dificultava meu andar. Procurei algo para me equilibrar mas não havia nada. Tentei me virar para voltar para Zelo, mas caí. Bati a cabeça na borda de uma estátua e fez um grande barulho. Minha vista embaçou  e eu me senti muito tonta.

Senti braços me segurando e me puxando para cima. Dois seguravam meu braço esquerdo e um meu ombro direito. Eram mãos grandes, gélidas e firmes. Me colocaram de pé e depois me soltaram. Quase caí novamente quando me dei conta de quem eram os braços. Ou do quê.

Era de uma trindade divina. Três mulheres, ou uma, unificadas pelas costas. Cada uma com sua cabeça separada e seus pares de braços, mas sua cintura para baixo era coberta por uma vestimenta negra. Seus rostos eram iguais e pálidos, mas tinham detalhes diferentes.

A do meio tinha o cabelo repartido em duas tranças que caíam sobre os ombros, e sobre ele um laço com o desenho de uma lua, em uma de suas mãos estava uma adaga e no outro um coração vermelho. Usava um véu vermelho na cabeça e um medalhão de ouro e rubi no pescoço; A do lado esquerdo usava um manto verde e tatuagens da mesma cor pediam nos seus braços, em uma das mãos estava um mapa e na outra um coração dourado, seus cabelos estavam soltos, mas haviam chaves douradas em suas pontas; A última, do lado direito, tinha as vestes lilás, no seu pescoço pinturas de chamas, era a que tinha os cabelos mais compridos e uma tiara de bronze tombada sobre os olhos, sua boca estava manchada do que poderia ser vinho, em uma mão, como as outras, estava um coração mas o seu era negro e na outra jorrava água lilás.

Na parte de baixo da escultura, cães e serpentes de pedra as rodeavam. A estátua se movia, as três rodavam lentamente, abaixando suas costas e aproximando seus rostos do meu e contorcendo seus  braços. Os cães rosnavam e as serpentes sibilavam. Elas se ergueram de novo e uniram seus braços com os corações, os unificando e depois unificando a elas mesmas. Agora eram apenas uma e os outros artefatos haviam desaparecido.

Com a mão livre, ela se aproximou novamente e tocou minha testa. Quando um dos seus dedos tocou minha testa se abriu uma fenda e jorrou a água lilás. A deusa sorriu e uma voz soou na minha cabeça.

Hecate.

" -Odessa!" - Zelo apareceu gritando atrás de mim me fazendo virar. Quando olhei de volta para a estátua, ela estava normal, dividida em três como no início. Mas meu braço estava esticado tocando aonde deviam estar suas pernas. Havia água no chão e os corações não estavam mais nas suas mãos.

JunHong me puxou e me pegou no colo. Correu para fora do templo e assim que passou pelas portas se teletransportou para meu quarto. Ele olhou para meu braço e ficou horrorizado. Minha pele parecia queimada, mas não doía. Jenessi e YoungJae não estavam no quarto.

" -Ah! Aonde eles estão? Eu disse que não iríamos demorar.

-Zelo, se acalme. 

-Me acalmar? Como vou me acalmar, Odessa? Olha o seu braço!

-Zelo, não está doendo. Não é nada, eu já sobrevivi a coisas piores que uma queimadura, " Ele tampou os olhos com a mão e mordeu os lábios. " -Ya! Você está chorando, não fique assim."

Ele sentou do meu lado da cama e me abraçou.

" -Todos tem razão, eu sou um completo desastre. Eu ainda vou matar você.

-Ei, não diga isso.

-E o que mais eu posso dizer? Todas as vezes que você se feriu, que quase morreu foi por incompetência minha. Sou apadrinhado pelo Yongguk, mas agora ele me odeia. Eu já deveria ter me afastado de você a muito tempo.

-JunHong, pode parar! Eu não quero que você se afaste de mim, entendeu?

-Odessa, eu não...

-Acho que você não entendeu. Eu quero que você continue do meu lado. Eu exijo que você volte a ser meu guardião quando me casar. Eu vou me tornar rainha, posso exigir coisas, certo?" Ele sorriu.

" -Eu te amo, Odessa.

-Eu também te amo." Passei a mão nos seus cabelos e ele me abraçou mais forte.

 

" -Que diabos aconteceu com ela?" YongJae estava furioso. Quando ele e Jenissi voltavam -eles foram se alimentar- e viram meu braço, ele enlouqueceu. " -Era seu dever protegê-la!

-Sabíamos que ela poderia se ferir se fosse para o templo.

-Eu não quero saber. Gosto de trabalhar, mas isso é demais. 

-Os dois estão mais estressados hoje." Jenissi enfaixava minhas queimaduras enquanto os outros dois discutiam.

Lembrei de Nakta, Yano e Hansol. Eles não mereceram aquilo, ou mereceram? Se alguém traísse o rei aqui também acabaria daquela forma?

" -Mais que o normal." Ele riu.

" -Hoje você jantará no salão principal junto com o Rei e seus irmãos. YoungJae pretendia lhe entregar sem nenhum ferimento. Acho que o soberano Choi também queria. " Eu tinha me esquecido completamente. Minha barriga gelou. " -Não precisa ficar preocupada, só um dos irmãos de Vossa Majestade come carne humana.

-Jenissi, eu estava nervosa, agora você me deixou desesperada. " Coloquei minha mão livre no peito. " -Eu queria lhe contar algo que aconteceu no templo.

-Quando a lua cair, está bem?

-Que lua, cassete? A gente vive no subsolo, eu acho." Ele riu novamente.

" -Quando você voltar do jantar. YoungJae cuidará melhor do seu braço agora."

Na hora do jantar, Zelo me vestiu com um vestido azul longo e colocou luvas de renda nas minhas mãos. YongJae conseguiu deixar meu braço de volta ao normal. Tentei ajeitar o cabelo que me resta e puxei alguns fios para o meu rosto.

" -Se você puxar mais vai arrancar os últimos fios da cabeça." JunHong apareceu atrás e apertou meus ombros.

" -Jenissi disse que um dos irmãos do Yongguk come carne humana.

-Bem, isso é um pouco verdade.

-Um pouco quanto?

-Completamente." Choraminguei.

" -Eu não quero morrer.

-E não vai, confia em mim.

-Todas as vezes que eu confiei quase morri." Ele arregalou os olhos.

" -Isso foi golpe baixo. Só por isso não irei lhe dizer o quanto está linda.

-Eu consigo passar uma noite sem ouvir isso." Ele pegou a minha mão e me levou para fora do quarto.

" -Alguma dica do que fazer e do que não fazer?

-Responda todas as perguntas que lhe fizerem com cautela, não se corte, não ataque ninguém, nem vomite ou desmaie.

-Irei me esforçar."

Continuamos andando até que um outro vampiro tropeçou e esbarrou em mim no caminho.

" -Me desculpe, mil perdões!" Ele tocou meu braço, seus olhos se tornaram vermelhos e depois voltaram ao normal. " -Uau...

-Vamos, vamos. Está importunando a futura rainha." Um guarda que vinha logo atrás o puxou pelo colarinho. " -E coloque suas luvas, Sangdo!"

Zelo e eu continuamos a andar.

" -Quem era?

-Eu sei lá. Talvez um aprendiz de vidente, foi o que apareceu. Vamos, vai se atrasar.

-Você tem poderes, me teletransporte para lá e facilite minha condição.

-Olha só, minha filha. Não sou seu empregado, não, ouviu? Não é porque eu posso fazer uma coisa diferente que eu tenho que fazer o tempo todo. 

Ele me levou a um salão grande e iluminado por velas, eu entrei já sussurrando um salmo que Jenissi tinha me ensinado.

Os únicos moveis que haviam no salão era uma grande mesa oval e diversas cadeiras em volta dela. Em uma das suas pontas estava sentado Yongguk. A mesa estava coberta por comida que, sinceramente, não cheirava nem um pouco bem. A maioria eram carnes desconhecidas banhadas em sangue.

-Soberano, trouxe sua futura esposa. - Zelo me levou para o lado de Yongguk que demorou a levantar o olhar para mim e quando o fez, sorriu.

Também estavam assentados um homem mais distante idêntico a Yongguk, mais um outro vampiro e a mulher e as duas jovens que estavam no templo mais cedo. As meninas sorriam para Zelo e o resto apenas nos ignoravam. Zelo puxou uma cadeira para que eu sentasse entre a mulher e Bang. Yongguk fez um sinal com a cabeça, Zelo fez uma reverência e se teletransportou para fora do salão.

-Tio. - Uma das meninas chamou. -JunHong não pode comer conosco hoje?

-Faz muito tempo que ele não é mais bem vindo a nossa mesa. - Yongguk respondeu sem olhá-la.

Na minha frente tinha um prato com batatas, arroz, maçãs e carne mal passada. Fiquei aliviada por não precisar comer o mesmo que eles. Todos estavam em completo em silêncio, comendo sem tirar os olhos dos seus pratos. Meu coração parecia que iria explodir quando Yongguk finalmente levantou o olhar e disse:

-Ela será minha esposa. - Demorei a entender que ele falava com a mulher ao meu lado e não comigo. Me virei lentamente para ela que estava com os cotovelos apoiados na mesa e o rosto nas mãos. Ela abriu um sorriso cruel.

-Ela não irá sobreviver a troca de sangue. Sinto que ela é fraca.

-Lhe garanto que não é. Aliás, você não tem como sentir nada dela, ela não é um dos seus animais. - Todos viraram seus olhares para nós três.

-Ela é um dos seus então? - Eu corei e Yongguk rosnou.

-Ei, se comportem vocês dois. Estamos na mesa, não discutam. - O vampiro que estava do outro lado da mesa, que deveria ser irmão gêmeo de Yongguk interviu com a boca ensanguentada. O que Zelo disse mesmo? Ah é, não vomitar ou desmaiar...

-Se suportar a troca, não suportará os primeiros dias do casamento. - A mulher o ignorou.

-Nos casaremos antes da troca. - Ela arregalou os olhos e depois gargalhou. As duas meninas se entreolharam nervosas.

-Então está tudo certo! Por que me preocupei? Ela irá morrer muito antes do que eu esperava. Estou até mais aliviada.

-Ela não morrerá. 

-Por que acha que não? Ela é diferente? - Yongguk abriu e depois fechou a boca. - Foi o que eu...

-Ela é sim. Conheci a sua mãe, ela era a escolhida, mas era fraca. Então... Esperei até o nascimento dela.

-Como? - Os interrompi. - Como disse, Yongguk? Conhece a minha mãe?

-Oh! Ela é corajosa. - Disse o gêmeo de Yongguk. -Se colocou no meio de vocês dois. - Quando percebi o que tinha feito, senti o sangue escapar do meu rosto.

-Conheci, mas isso é assunto para outra hora. Natasha, ela foi escolhida por mim antes mesmo de nascer. Nada mudará isso. - Ela bufou e bateu o punho na mesa.

-Você não escolhe nada, Yongguk. Nossos deuses decidem. - Eu estava completamente perdida.

-E você garante que nenhum deles irá escolhe-la?

-Ela será fulminada assim que se deitar na sua cama. - Foi a vez de Yongguk bater na mesa.

-Ok, já chega. - O outro vampiro se levantou. -Natasha, vamos. Vocês já se exaltaram demais. - Ela deu um último soco e se levantou. Juntos, eles saíram.

-Odessa, essa que você acabou de conhecer é a minha irmã mais velha, Natasha. E o que se levantou com ela é o seu marido, JiWoo. Eles são pais de Loren e Annia - Ele indicou as duas meninas da mesa. -As sacerdotisas que você encontrou hoje no templo. - Elas fizeram uma reverência.

-O outro é YongNam, meu irmão gêmeo. - O outro assentiu enquanto limpava a boca com um pano branco. Yongguk pareceu fazer pouco caso, mas depois sorriu para o irmão. -Não vamos deixar que esse imprevisto estrague nosso jantar. - Todos assentiram e eu fiz o mesmo, começando a comer. 

 

Quando eu terminei, Bang me mandou de volta para o quarto. Aonde apenas Jenissi me esperava.

-E aí? Como foi?

-Descobri que Yongguk conheceu a minha mãe, a irmã dele não gostou de mim e o irmão gêmeo canibal é simpático e bronzeado. - Ele piscou. -Ah, e as filhas da tal Natasha são as garotas do templo.

-Imperatriz e sacerdotisas. - Ele riu. -Pelo amor de Deus, não se refira a Vossa Majestade e suas filas como as tais. - Dei de ombros.

-Aonde estão os outros?

-JunHong não voltou para cá desde que te levou para o jantar, YounJae se recolheu a alguns minutos, disse que estava cansado.

-Entendo.

-Você disse que queria falar comigo.

-Ah, sim. - Me sentei na cama. -O dia hoje foi cheio.

-Foi sim.

-Aconteceu uma coisa hoje quando Zelo me levou para aquele templo.

-Pode me contar. - Contei absolutamente tudo e enquanto eu falava as expressões dele mudavam. Quando terminei, ele disse:

-Sangue de Jesus tem poder. - Eu ri.

-Acha que eu estou ficando louca? -Ele negou.

-Coisas estranhas acontecem por aqui.

-Eu devo me preocupar?

-Ah, sim. Bastante na verdade. Mas por enquanto, tente não se sobrecarregar. Eu... vou tentar te ajudar com tudo isso.

-Obrigada. Eu vou me deitar, estou me sentindo tonta. - Ele assentiu e me ajudou a retirar minha perna.


Notas Finais


Éris é a deusa grega do caos, uma das filhas de Noite(ou Nix).
Hecate é deusa grega das bruxas, das encruzilhadas, dos caminhos da magia, da Lua, das matilhas e da feitiçaria(e de mais uma porrada de coisas irrelevantes que também tem outros deuses).

Gente, eu queria muito que vocês lê-sem o último jornal que eu fiz.É sobre correção, o termino da fic e um possível repost. Eu PRECISO MESMO que vocês leiam, por favor;
Esse é o link: https://spiritfanfics.com/perfil/candyzah/jornal/corecao-terminos-e-repost-6728017

Eu também queria pedir comentários, pleeeease! Eu preciso saber o que vocês estão achando, preciso de opiniões, inclusive sobre o jornal.

Me desculpem qualquer erro e obg pela paciência e pelas visualizações, adoro vocês, mesmo que sejam fantasmas u.u <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...