História My bro Luhan - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun
Tags Exo, Luhan, Personagem Original, Sehun, Sexo
Exibições 92
Palavras 5.777
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ETAAA VOLTEI
Depois de um longo tempo ( eu acho)
Não sei se sentiram minha falta mais decidi voltar e compensar o tempo que eu fiquei sem escrever.
Vim trazer essa pequena one shot do Luhan (pq sei lá, eu só quis escrever sobre ele) e espero que gostem.

Senti saudades de escrever coisas "quentes" então pra matar um pouco disso tá aí essa coisa.

Espero que gostem e nos falamos lá em baixo. Amo vocês. 💖

Capítulo 1 - What is your problem?


Fanfic / Fanfiction My bro Luhan - Capítulo 1 - What is your problem?

Eu andava rapidamente até a casa de Luhan pra que eu pudesse aproveitar o dia com ele o mesmo mora a três quarteirões da minha casa, porém é muito cansativo pra uma pessoa super sedentária como eu. Estava soando feito uma porca mais cheguei inteira e um pouco cansada, toquei a campainha e nada.


“Ele deve tá dormindo.”


Conclui. Tateei a viga da porta em busca da chave que ele sempre deixava, até um ladrão descobrir e levar tudo o que ele tem! Entrei e fui direto para o quarto já que o caminho não era difícil.

Eu e Luhan somos amigos desde a 6° série onde nos tornamos inexplicavelmente próximos pra caralho, ele era do tipo que só falava com quem falava com ele e bom...Sehun, nosso amigo mais novo foi a minha ponte pra ter contato com Xiau. Olhei o relógio no final do corredor que marcava as cinco da tarde, meu Deus, Luhan dormia muito.

Adentrei o quarto, um ato que eu me arrependi amargamente. 

- Ei dormi.... Ai meu Deus! – Corri para a sala cobrindo o rosto, já dava pra imaginar o que havia acontecido.


“Ai Deus! O que eu fiz pra merecer isso?!”


Continuei cobrindo meu rosto e me forçando a esquecer aquela cena. Sim! Luhan estava batendo uma na frente do computador. Senti um nojo me invadindo e a vontade de vomitar também, nunca pensei que presenciaria um momento desses, por meio mental eu pedia pra mim mesma deletar tudo aquilo da minha mente mais com toda certeza era em vão. 

- Porque que eu não bato na porta? – Me perguntei inconformada.


“Jennie todas as vezes que for à casa de alguém, independente se conhece ou não bata na porta, além de ser educado você evita de presenciar muitas coisas.”


- Porque eu não escuto a minha mãe?

Esfreguei o rosto e resolvi mostrar indiferença em relação à isso até porque o que eu iria fazer era mais importante, porém eu não estava conseguindo nem respirar quem dirá ser indiferente. Minhas bochechas estavam quentes e eu ainda estava traumatizada, como eu ficaria quando ele descesse? Senti minhas pernas bambearem e minhas mãos tremerem.

Ouvi sons de passos na escada e era evidente que era ele, droga! Se eu o encarasse perderia o foco e aquela cena me invadiria a mente.


“Jennie respire fundo! Feche os olhos e pense no que veio fazer aqui.” 


- Jay?

- Hm? – Respondi baixinho, que merda.

- J-Jay me desculpa...eu...

- Não Lu! Quem tem que pedir desculpas sou eu, eu devia ter batido na porta e esperado sua permissão pra entrar. – Respondi um pouco rápido ainda tentando evitar a porra de um contato visual então fiquei de costa.

- Mais é que...bom, você viu aquilo e é constrangedor tanto pra você quanto pra mim. – Sua voz ficou doce mais preocupada. – Me desculpa.

- Tudo bem Luhan! A gente é amigo e...eu já devia saber que você faz esse tipo de coisas, aliás você é uma menino. – Eu disse tentando mostrar que estava tudo bem.


“Não se preocupe, o gostei do tamanho!”


Me engasguei com própria saliva, como a minha mente pode fazer isso comigo nesse e momento? Que porra! Passei a mão na garganta e não conseguia parar de tossir, esse pensamento estava me matando, literalmente. Luhan se aproximou todo preocupado e logo em seguida correu até a cozinha pra buscar um copo com água, senti minha respiração ficar mais regulada e parei de tossir feito uma retardada.

- Você está bem Jay?

- Tô, só me engasguei com baba. – Respondi depois de beber a água toda de uma vez, eu precisava mesmo de refresco já que o meu corpo subiu um calor repentino. 

- Você me assustou, achei que ia morrer!

- Eu também.

Então tudo ficou silêncio, eu ainda me amaldiçoava por ter esse tipo de pensamento mais o problema era que eu realmente havia gostado do tamanho. Droga! Tô que nem uma virgem desesperada por sexo, tenho que parar agora mesmo. LUHAN É SEU AMIGO E DOS MELHORES ENTÃO NEM COMECE!

- Então... O que você veio fazer aqui? – Ele parecia ainda tenso, eu só não sabia se era pelo que tinha acontecido primeiro ou o meu engasgo.

- Luhan eu tô bem okay?! Pode ficar tranquilo. 

- Eu tô tranquilo.

- Não, você não está. Parece um boneco de cera só que respirando, não vamos falar desse flagra por um longo tempo então esquece. – Acabei rindo mais porque eu lembrei da cena dele com a mão no pau e os olhos arregalados, ai eu não presto.

- Do que está rindo?

- Nada. – Fiquei séria. – Minha mãe pediu pra te convidar pra um jantar que vai ter lá em casa no sábado então como hoje é quarta eu vim te avisar com antecedência pra quando chegar no dia você não vier com a desculpa de que eu não te avisei.

- Então porque não me ligou? Poderia ter evitado tudo isso!

- Porque eu estou sem o meu celular.

- Aishh~...Eu não acredito!

- Luhan! – Voltei ao meu estado normal.

- O que eu fiz?

- Quer que eu responda? – Perguntei com um olhar malicioso porque sabia que ele ia ficar com vergonha.

- Você quer falar sobre isso mesmo? – Ele me devolveu o olhar. Porém quem ficou envergonhada foi eu, Luhan sabia me deixar sem graça quando queria.

- Yah~ Não faz essa cara! – Reclamei virando de costa pra que ele evitasse de ver meu rosto.

- Você quem começou. – Ele tocou em meu ombro e seu tom de voz mudou, estava sexy.


“Filho da puta! Sabe que não gosto dessas coisas.”


- Não me toque com a mesma mão que fazia aquelas coisas! – Me afastei e ele me encarou. 

- Eu me limpei tá!

- Ahh~ esquece não foi por isso que eu vim. – Cruzei os braços. – Você não vai acreditar na merda que Oh Sehun se atreveu a fazer!

- Qual foi a merda dessa vez?

- Você acredita que ele voltou com aquela...aquela profissional do sexo? – Perguntei indignada com a tamanha burrice do meu melhor amigo, Sehun era um idiota mesmo.

- E porque tá preocupada? A vida é dele! – Ele deu de ombros e virou pra subir.

- COMO ASSIM LUHAN? ELE VOLTOU COM AQUELA TRAÍRA E É ASSIM QUE VOCÊ AGE? – Eu realmente estava puta da vida. – Que belo amigo você é, muito egoísta, narcisista, só pensa em....

Senti meus lábios serem calados com os mesmos lábios que estavam falando pornograficamente antes, Luhan me calou com um beijo suave quer dizer, considerei um selinho já que não durou muito tempo. Pisquei meus olhos tentando entender o que tinha acabado de acontecer e ele nem ao menos fez uma cara de “desculpa Jennie” apenas ficou fazendo a cara de paisagem do nosso amigo Lay.

- Qual é o seu problema?? – Bati nele com certa raiva.

- Você não calava a boca.

- Você é um ridículo mesmo Luhan, seu amigo lá um fodido da vida e você...


“Puta que pariu, de novo?”


Tentei me soltar mais ele passou a mão atrás do meu quadril e me levou mais pra perto de si, que filho da mãe. Gostoso. Porque o beijo dele era tão bom? Cacete! Senti meu ar passando e acabando rapidamente mais antes que eu me soltasse ele me largou e fez a cara de paisagem de novo.

- Você não calava a boca.

- Se você me calar de novo eu....

Será que ele filho da puta não tem medo da morte? Eu já estava querendo dizer mil palavrões, não porque estava ruim, não mesmo mais era porque eu não conseguia me controlar e acabava cedendo aquilo tudo e nossa! Era difícil resistir quando Luhan usava só uma regata e calça moletom. Reuni forças de locais desconhecidos e me separei, não posso beijá-lo, ele é meu amigo.


“Ele não parece se importar se são amigos ou não.“


- L-Luhan eu...

- Você fica uma gracinha envergonhada. – Ele acariciou meu rosto e me obrigou a encara–lo.

- Lu porque você... Nós somos...

- Amigos? Hey bebê, relaxa só foi uns beijinhos. – Ele disse em um tom sedutor e foi ai que eu senti a porra ficar feia.

- Lu e-eu acho melhor você parar.

- Parece que o jogo virou não é mesmo? – Perguntou rindo da minha cara. – Ficou toda nervosinha né? Pra você aprender a não entrar no meu quarto sem bater.

- Aigoo~ Te odeio! – Lhe dei um tapa no braço e bufei de raiva.

Poderiam até achar que eu senti alguma coisa quando ele me beijou, sim eu senti mais agora eu apenas quero quebrar sua cara por tirar com a minha desse jeito. Eu NÃO tive culpa se ele não tranca a droga da porta, agora a culpa é minha.

- Vem vamos lá pra cima.

- Não quero.

- Tudo bem, fique aí. 

- Espera. – Pedi emburrada. 

- Fofa. – Ele apertou minha bochecha e saiu na frente.

Subimos para o mesmo local na qual nos entramos naquela situação no mínimo ridícula e constrangedora a diferença era que Luhan não parecia ligar em ficar envergonhado ou não, pra ele tudo o que aconteceu nunca aconteceu, porém pra mim, mesmo que não demonstrasse era um incômodo, era estranho e vergonhoso. Fiz uma careta internamente.

- Pode sentar. – Ele apontou a cadeira que ficava de frente pro monitor, o mesmo de uns minutos atrás.

- Não, obrigado. – Respondi encostando na porta.

Luhan simplesmente odiava que se sentassem ou deitassem em sua cama, era como se entrasse na sua vida pessoal e bagunçasse tudo. Era limpo e organizado mais as vezes costumava deixar roupas sujas em algum canto, mas algo que não me entrava era aquela cadeira; sim! Eu preferi ficar de pé do que sentar no mesmo local que ele, sabe Deus se tinha algum vestígio do ocorrido.

- Desculpas Jay, eu não fiz por mal.

- Do que está falando?

- Dos beijos. 

- Eu sei Lu, você adora tirar com a minha cara, já até acostumei. – Sorri.

- Senta aqui. – Ele deu algumas batidinhas na cama pra que eu sentasse ao seu lado.

- Ah Lu, você odeia quando chegam perto da sua cama quem dirá sentar nela.

- É por isso que você tem que aproveitar o meu convite e sentar. 

- Ai tá bom! Não precisa ser grosso.

Ficamos calados como se esperasse alguma deixa, confesso que essa é a primeira vez que me sinto desconfortável ao lado dele mais não acho que seja pelo flagra, algo o incomoda e eu sinto isso. Eu e Luhan somos muito compatíveis, se ele está mal eu sinto, se eu estou de TMP ele rapidamente me trata diferente é algo que não sabemos explicar é algo tão louco que geralmente as pessoas pensam que somos namorados ou temos algo, mas tudo não passa de uma profunda e incrível amizade.

- Lu?

Ele me beijou de novo, dessa vez calmo e sereno. O que tá acontecendo com esse garoto? Tá certo que ele está sozinho, faz um tempo que não sai ou arranja uma garota mais porque eu? Sou apenas uma amiga retardada – como ele mesmo diz – sentei mais confortável e uma de suas mãos pousou em meu rosto acariciando de leve com o polegar. 

- Desculpas Jay, eu não resisti.

- Lu? O que tá acontecendo? – Perguntei estranhamente magoada, as vezes, em um passado não muito distante Luhan e Sehun não valiam nem o prato que comiam, sacaneavam com muitas garotas então como ele está sozinho recentemente eu não sei se ele mudou.

- Nada. – Ele parou e ficou me encarando mais sem deixar de acariciar meu rosto. – Você é linda sabia?

- Luhan! Que porra é essa? Porque está agindo assim? – Me levantei e coloquei a mão na cintura, foi inconsciente.

- Jay não me odeie por isso.


E outra vez – pra não perder o costume do dia – ele me beijou, só que com vontade, com desejo eu ainda não estava entendo nada por isso tentei evitar lhe empurrando e batendo mais claramente foi em vão, meu corpo já estava entregue e mesmo que no fundo eu tentasse negar eu já estava gostando. Senti sua mão apertar meu bumbum com uma força moderada e bom, não vou mentir foi gostoso. Passei meus braços pelo seu pescoço com a intenção de trazê-lo mais para mim mais quem fez isso foi ele me puxando com vontade, senti seu pau tocar a minha coxa e porra! Estava tão duro que eu podia sentir a pressão, podia sentir minha vagina palpitar querendo aquilo tudo dentro de mim mais não me dei ao luxo ele só queria tirar o atraso.

- Caralho Jay, eu gosto de você o que eu faço? – Ele terminou o beijo e encostou a testa na minha.

- Me come.


“ISSO ERA PRA FICAR NO PENSAMENTO SUA ANTA!”


Percebi a merda que falei mais eu não poderia voltar atrás, Luhan conheceria um lado meu que nem eu sabia que existia, apenas deixei o meu outro “eu” tomar as rédeas da situação, hoje eu me entregaria. Luhan sorriu de canto com essa pequena frase ridícula porém bastante convidativa, é... Pelo visto ele ia me comer mesmo.

- Corajosa você.

- Não Luhan apenas um pouco ousada.

Avancei seus lábios já introduzindo a língua sem ao menos esperar o meu fôlego voltar totalmente, puxei sua nuca e ele fez o mesmo. Era hora. Ele começou a tirar a própria blusa e em seguida a minha. Blusa já foi. Desceu beijando meu pescoço até meu seio que já estava mais do que excitado os bico estava rijos demais que pareciam desprender. Adeus sutiã. Pronto agora eu estava parcialmente exporta pra ele, Luhan voltou a me beijar e me colocou em sua cama, a mesma que eu queria chegar perto a muito tempo.

Fechei os olhos e mordi o lábio tentando segurar o gemido, eu já sentia a minha vagina deixar escorrer aquele líquido dentro da calcinha um era sinal de que eu não tinha mais controle nenhum sobre o meu corpo. Ele parou e me encarou.

- Você é linda.

- Quer me deixar com vergonha?

- Você está? 

- Começando.

- Então vou te elogiar mais um pouquinho. 

- Não começa. 

- Como eu pude aguentar tanto tempo? – Ele disse com um sorriso doce e bobo. – Por pouco perdi uma garota incrível. 

- Porque nunca me contou?

- Bruta do jeito que é teria me jogado na frente de um carro. – Ele riu como se tivesse sido realmente engraçado.

- Sou tão má assim? – Perguntei emburrada.

- É, minha malvadinha. – Ele voltou a me beijar e em seguida descer até meus seios.

Por mais que eu tentasse mostrar que ainda estava chateada pelo comentário eu não conseguia resistir aos chupões que ele dava em meu seio, lentamente ele mordiscava e lambia e aos poucos meu corpo se entregou de novo. É Jennie...Não há nada que possa fazer. Luhan se deitou sobre mim porém se apoiando ao lado da minha cabeça.


“Porque ele tinha que ser meu amigo?”


- Lu...

- Sim?

- Porque tá demorando? 

- Porque tá desesperada?

Não respondi. Era humilhação demais mendigar pelo pau dele, mas confesso que já estava chegando ao meu limite e eu mesma faria ele me penetrar, ele foi espalhando beijos sobre a minha barriga e finalmente chegou ao cós do meu short analisou rapidamente e desabotoou.

- Você está com pressa?

- Quer me fazer mendigar por você? – Perguntei de olhos fechados e ele riu.

- Princesas não mendigam. – Ele baixou o short e jogou pra qualquer canto.


“Bom Jay, agora você não tem mais pra onde correr. Ele já começou e pelo visto vai até o fim.”


Senti um pouco de medo. Eu já tinha feito antes mais uma duas vezes e bom, ele é meu amigo é difícil não ficar nervosa com tudo isso, senti minhas pernas serem afastadas e seus dedos brincarem comigo por cima da calcinha roxa que deveria estar mais cheia do que o rio Han, ele passou levemente o dedo e eu me contorci.


“Calma, vai ficar tudo bem.”


Tentei me acalmar mais não porque estava com medo dele ir lá e fazer o serviço e sim de não conseguir agradar ele, não era tão experiente quanto ele apesar das duas vezes e bom, Luhan era mais velho e homem era uma responsabilidade pra ambos.

- Fica calma. – Ele avisou e massageou minha coxa e só aí percebi o quão tensas estavam. Relaxei. Ele riu.

- Eu...m-me desculpe. -Respondi envergonhada. 

- Você não precisa se cobrar Jay eu estou satisfeito com tudo até agora é sei que vou ficar mais ainda. – Ele sorriu lindamente e me beijou os lábios.

Luhan percebia meu nervosismo por isso parou de se “esfregar” em mim e ficou apenas falando idiotices pra eu rir e funcionou eu estava relaxada e já queria continuar o processo.

- Pode continuar.

- Você é muito safadinha ein. – Ele riu.

- Falou o que não tava fazendo coisas na frente do computador. – Rebati inconsciente e ele ficou envergonhado. 

- Você disse pra esquecer isso.

- Eu sei mais é que é legal te importunar. – Acabei rindo exageradamente por causa da careta que ele fez.

- Sem graça.  – Ele saiu de cima de mim e deitou ao meu lado emburrado.

- Hey?! – Ele me ignorou igual a uma vadiazinha. – Não fica com raiva, eu tava brincando. 

- Você acha que eu vou ficar com raiva disso? – Ele voltou para cima de mim. – Eu estava batendo uma pra você. – Encarei surpresa, como ele podia ser tão descarado assim?

Eu não falei mais nada, fique foi com vergonha e eu já devia saber que ele falaria algo do tipo. Mais agora quem queria mostrar serviço era eu, troquei de posição ficando por cima e a cara que ele fez foi impagável arregalou os olhos e sua boca fez um “o”.

- Surpreso bebê?

- Olha, confesso que não esperava mais continua. – Ele sorriu safado e eu continuei.

Lhe beijei primeiro o abdômen, Luhan tinha o corpo pequeno mais definido era tipo Sehun não faziam nada e tinha o corpo bonito. Desci devagar sem tirar os olhos dos seus ele não parecia estar em si, bom...nenhum dos dois estavam, encarei sua calça moletom cinza que já continha um bom volume e é claro que eu não sou idiota comecei acariciar por cima mesmo e conclui que aquele nojento testava sem cueca.


“Safado! Fez pra me provocar!”


Toquei no cós e puxei de uma vez revelando seu membro ereto e pulsante, Luhan fechou os olhos e mordeu o lábio igual à mim alguns minutos atrás, lambi a extensão da sua coxa até a virilha encostando um pouco em sua bola, ouvi o gemido abafado vindo dele e outra vez uma cena impagável, Luhan de olhos espremidos tentando totalmente evitar um gemido alto. Era engraçado ver ele tão exposto assim. Tive que ri um pouquinho. 

- Esta se divertindo né? – Ele me encarou e passou a mão no cabelo liso que estava com a cor rosa chá. 

- O que você acha?

- Vai logo.

- Você está com pressa? – Perguntei debochando dele.

- Estou gatinha, pior que estou.

- Calma oppa,  vamos apenas nos divertir. – Eu disse sexy e engatinhando para cima de si.

Luhan engoliu seco rápido e depois voltou a sorrir. Sentei em seu colo mais não enterrando o negócio ali, apenas encostei e fiquei rebolando Luhan pegou minha cintura e tentou me arrumar em cima de seu pau pra que eu fosse logo penetrada mais tirei sua mão com brutalidade e coloquei perto de sua cabeça. 

- Oppa você não pode fazer isso. – Eu disse em tom manhoso.

- E porque não gatinha?

- Porque é contra as regras da brincadeira.

- E quais são as regras? – Ele perguntou pervertido.

- Eu brincar com você do jeito que você brinca comigo. – Sussurrei em seu ouvido e pude sentir ele se arrepiar.

- Você é muito malvadinha com seu oppa.

- Não sou não. – Lhe beijei com vontade e fiz o que queria fazer a muito tempo.

Luhan me segurou outra vez e eu deixei que suas mãos apertassem contra seu quadril e finalmente nós nos conectamos, senti a melhor sensação do mundo, nenhuma transa que tive na vida chegava aos pés dessa e o estranho era que só estava começando. Luhan me deitou e ficou por cima então ele forçou de vez a minha entrada e era óbvio que eu gemi com toda a vontade, não me importei se escutariam do outro lado da rua apenas deixei meus sentimentos fluírem.

- Minhas vez de brincar.

Ele me puxou mais pra perto de si mesmo fazendo sentar em seu colo e rebolar devagar enquanto ele lambia e sugava meu pescoço pedindo por mais. Nos estávamos na mesma sintonia e nossos corpos se encaixavam se forma única, senti o típico choque na espinha passar e eu gemer mais uma vez, ele me mordeu e dizia palavras consideradas sujas pra sociedade e mais uma vez eu não liguei, não ligava pra nada. Eu o tinha. Ele me tinha. E estávamos bem assim.

- Nunca pensei que fosse tão gostosa assim por debaixo dos moletons que sempre usava.

- Tem muita coisa que não imaginava Luhan.

- Sim tem sim, eu imaginava foder você de várias formas e hoje vou poder botar em prática. 

- Hun....Argh...Eu não sei o que eu faço com você. – Eu disse em verdade, porém estava extasiada.

- Comece me amando. 

Ele me deitou outra vez e se afundou na minha vagina, sua língua não brincava só com o meu clitóris mais também minha sanidade, meu espírito; pedi por mais e mais tanto que cheguei a colocar minhas pernas em seus ombros. Senti o calor repentino de sempre e em seguida o jato de gozo vindo, Luhan apenas engoliu todo e me encarou sorrindo safado.

- Delícia. – Comentou limpando o canto da boca de forma sexy.

Ele voltou a acariciar meus seios e eu estava amando, de verdade.


“Não acredito!”


Só pode ser zoação com a minha cara! Vontade de fazer xixi logo agora? Que porcaria. Luhan já estava preparado pra me penetrar de novo mais a minha bexiga começou dar aquela dor incomoda de “se não for agora eu saio mesmo assim”, fechei as pernas e Luhan percebeu a mudança, seu rosto ficou preocupado, era tão bonitinho eu não sabia se ria dele ou de mim.

- O que foi?

- Cara, eu quero mijar.

- Oi? – Ele olhou confuso.

- Quero fazer xixi.

- Então...ta. – Ele me olhou estranho.

- É rapidinho. – Eu disse levantando e correndo em direção ao final do corredor. 


“Essas coisas só acontecem comigo mesmo, onde já se viu querer mijar na hora do sexo?”


De repente eu me desatei a rir de mim mesma, chegava a ser ridícula a cena. Magina, você depois de um sexo louco ter vontade de fazer xixi e ficar sentada no vaso sanitário rindo feito uma idiota. Eu não acredito que o meu corpo me traiu na melhor parte.

- Jennie? Você tá bem? – Luhan bateu na porta.

- Eu tô, pera aí. – Respondi levantando e dando descarga.


Será que ainda teria clima pra sexo depois dessa? Era estranho tudo isso mais as vezes meu corpo é imprevisível e contra isso eu não posso fazer nada, me encarei no espelho enorme daquele banheiro de rico e percebi o quanto eu estava descabelada parecia que eu tinha sido atacada por ratos selvagens mais era só o Luhan mesmo.

- Jay?

- Já vou.

Abri a porta e Luhan estava enrolado a uma toalha por um momento eu fiquei com vergonha tipo, só eu toda peladona ali. Discretamente fui passando a mão pelo meu corpo pra tentar me esconder.

- Nem adianta! – Ele entrou e trancou a porta. – Achou mesmo que por causa do seu xixizinho o sexo maravilhoso acabou?

- Oi? – Não me contive, eu tive que rir pela palavra “xixizinho”. Era tão infantil.

- Vamos continuar. – Ele tirou a toalha e me imprensou na parede do box e outra vez senti seu pau duro roçar na minha coxa.

Eu estava de costas pra ele, ou seja, estava vulnerável na parte de trás mais ele não fez questão disso passou os dedos sem nenhum pudor quase chegando ao útero. Luhan estava mesmo se “guardando” pra mim era estranho mais ao mesmo tempo eu sentia uma sensação de poder sobre ele.

- Você é deliciosa Jay. – Ele penetrou por trás e começou a estocar.


“Esse garoto tem problema só pode.”


Ele foi estocando forte e rápido até eu sentir me contrair por dentro, ele acelerou mais ainda então o líquido escorreu primeiro de mim. Ele saiu e em seguida seu pau foi encharcado pelo próprio líquido branco, seu rosto assumiu um semblante tranquilo e de alívio mais mesmo assim seu membro continuava ereto.

- Vê como você me deixa gata!

- Awn Luhan... – Gemi igual a uma vadiazinha mesmo. Ele me deu um tapa na bunda.

- Ai! – Fiz careta, doeu pra cacete.

- Isso gatinha geme pra mim. – Ele bateu outra vez.

- Não tô gemendo porque tô gostando tá doendo mesmo. – Reclamei olhando minha nádega com as marcas de sua mão.  – Ai meu bumbum!

- Desculpas Jay. – Ele se agachou e depositou vários beijos.


“Idiota.”


- Melhorou? – Confirmei fazendo uma cara manhosa.

Então foi a minha vez de maltratar ele, umedeci minha boca comecei a lamber o pênis da base até a ponta e usando as mãos para espalhar bem a saliva deixando-o bem molhado. Fiz isso duas ou três vezes alternando o lado do pênis para molhar cada milímetro. Então, suguei a cabeça com bastante pressão enquanto acariciava o corpo do pênis harmoniosamente de cima para baixo certificando-me de mantê-lo bem escorregadio.

Passei a língua em sua cabeça e ele gemeu alto parecia gostar e ser agradável, fiz movimentos de baixo para cima e de um lado para o outro, lambendo essa região vigorosamente. Aumentei a velocidade rapidamente, porém em curtos períodos. Fiquei feliz ele parecia apreciar muito.

- Ahh~ Jay mais rápido bebê, por favor. – Ele disse baixinho mais eu pude entender o recado.

Aumentei o mais rápido que eu pode e por fim eu senti seu líquido enchendo minha boca tinha um sabor muito suave e nada intenso, um coisa estilo Luhan. Ouvi outra vez seu gemido de alívio o que chegou a ser engraçado. 

- Cada vez me surpreendo com você. – Ele me ajudou a levantar e me abraçou.


“E agora? Acabou?”


- Estou cansada Luhan. – Comentei baixinho e com o corpo quase totalmente relaxado.

- Eu sei mijona. – Ele riu.

Luhan ligou o chuveiro e deixou a água cair sobre nós ainda abraçados eu juro que eu não queria fazer mais nada, nenhum tipo de safadeza, eu só queria ficar ali e aproveitar seu abraço quente misturado com a água fria. Senti um pouco de preocupação, será que tudo ficaria normal depois de tudo? Será que ele iria se afastar de mim? E se a nossa amizade acabasse? O abracei com mais força, o medo de perdê-lo era grande.

- Luhan? 

- Sim querida?

- Você gosta mesmo de mim?

- Eu te amo garota. – Ele me encarou. 


“Ama? Estou começando a ficar confusa!”


- Luhan e se a nossa amizade apodrecer?

- Você é minha melhor amiga e a única que eu tenho, a garota mais incrível e bem humorada do mundo. Diz coisas sem sentido mais que mesmo assim no final faz algum, a menina mais linda e sincera que eu já vi, que me viu como um homem e acreditou em mim sempre você acha que eu ia deixar isso apodrecer?

- Ahh você sabe me agradar. – Encostei minha cabeça em seu peitoral e me permitir bocejar.

- Quer dormir? – Afirmei de olhos fechados. – Vamos em então. – Ele desligou o chuveiro e eu me preparei pra sair mais ele foi mais rápido e me levou colo.

- Eu não sou aleijada sabia?

- Depois do dia de hoje você não me parece ter condições de andar. – Ele riu.

Depois de me colocar na cama e me embrulhar, Luhan me deu um beijo na testa e foi se vestir. Observei cada movimento seu, ele sentou outra vez em frente ao computador mais dessa vez ele ficou jogando um daqueles joguinhos de RPG.

Ele me parecia tranquilo e de vez em quando dizia uns palavrões por conta do jogo, olhava pra mim e pedia desculpas. Nunca pensei na minha vida inteira que Luhan tinha esse tipo de sentimento por mim mais não sei posso confiar totalmente até porque só foi uma transa maravilhosa ele não deu certeza de nada, senti meu peito doer um pouco e se ele tivesse me usado só pra se satisfazer? Ele teria coragem de brincar com os meus sentimentos desse jeito?

- Não. – Respondi a mim mesma baixinho, não queria me dar a certeza de que era isso mesmo.


*LIGAÇÃO ON*

- Hun? – Luhan atendeu e pôs no viva voz já que não podia usar as mãos.

- Cara, onde você tá? 

- Em casa Sehun, onde mais?!

- Você não vem aqui na casa do Kai? É o aniversário dele, todos estão aqui.

- Aish...esqueci.

- Você falou com a Jay? Ela não atende o celular.

- Hum... – Luhan me encarou e prendeu o riso. – Ela tá aqui, nós já vamos. 

- Hmmmmm safado, pegou de jeito né. – Pude escutar a risada rouca e engraçada de Sehun do outro lado.

- Ela tá escutando tudo o que você tá falando.

- Quer bom, assim ela fica ciente que estou chateado por ele não ter atendido e nem retornado minhas ligações.

- Você chateado? Vou nem comentar o que eu ouvi de você. – Rebati lembrando do que ele fez. – Quando eu chegar a gente conversa.

- Eu não fiz nada.

- Tá bom Oh Sehun. – Ironizei e voltei a deitar na cama.

- Vou me arrumar. – Luhan avisou. – Tchau.

- Se demorarem já sei o porquê então eu mesmo vou busca – los. 

- Tchau Sehun. – Eu mesma fiz questão de desligar na cara dele.

*LIGAÇÃO OFF*


- Se esse bocudo falar alguma coisa eu quebro a cara dele.

- Relaxa, e ele não vai falar nada. E você levante dessa cama e vai se arrumar você sabe que como o pessoal é. – Ele me alertou e levantou para trocar de roupa.

Pra um pós sexo entre melhores amigos até que nós estávamos indo bem mais eu não sabia até quando. Luhan  tirou a bermuda e no lugar colocou uma calça jeans preta, uma camisa larga escrito “bad beach”, jogou o cabelo pro lado e me encarou. 

- Quer foi?

- Até quando a senhorita vai ficar deitada aí? 

- Hmmm não quero levantar. – Eu disse manhosa, eu realmente não queria.

- Anda logo, não consigo te ignorar pelada desse jeito. – Ele sorriu.

- Não precisa. – Falei maliciosa. 

- Nem vem! Anda logo. – Ele pegou pela minha mão e me puxou , levantei na marra.

Vesti a mesma roupa que havia chego, o mesmo moletom preto com o pinguim desenhado e o short que descobri que havia parado em cima do guarda-roupa na qual tive dificuldades de alcançar. Me vesti lentamente com preguiça então percebi que o garoto não parava de me encarar. 

- O quê? – Perguntei. – Tem algo errado?

- Você é linda sabia?

- Quem me comer de novo?

- Quê? Só porque eu te elogio não significa que quero te comer. – Ele disse emburrado e cruzou os braços. 

- Eu sei seu bobo. – Eu sorri e lhe dei um selinho. – Você se irrita tão fácil. 

- Claro, você diz essas coisas como se eu quisesse aproveitar de você. – Ele levantou. 

- Ahh Luhan eu tava brincando, desculpa se magoei seus sentimentos. – Terminei de colocar meu moletom e passei a mão no cabelo pra tentar dar uma ajeitada. 

- Aff, vamos.

- Eu vou pra casa.

- Oi?

- Vou pra casa e depois vou lá no Nini, quero trocar de roupa.

- Não precisa, tá ótima. Aposto que ninguém vai tá vestido socialmente.

- Olha como você tá vestido! Você todo arrumado e eu de moletom, shortinho e chinelas sem contar a cara anêmica.

- Já disse que você está linda. – Ele me abraçou e saiu me puxando.

Chegamos ao andar de baixo e eu já me sentia incomodada com o final de tudo. Será que ele iria fingir que nada aconteceu? Será que continuaremos amigos como antes? O que vai acontecer? Não queria mentir pra mim mesma, eu estava apaixonada por ele muito antes do dia de hoje, mas nunca quis assumir pelo fato dele ser meu melhor amigo e ter o grande medo de estragar tudo isso. Parei.

- Jay? Algum problema? 

- Então Luhan, nós transamos, você gosta de mim, mais e agora? Qual vai ser? – Ele me pareceu impressionado com a pergunta.

Luhan respirou fundo e eu o acompanhei.


“Droga! Ele respirou fundo, significa que a coisa é punk.”


- Olha Jay, eu gosto muito de você mas...

- Já imaginava, tudo bem Lu. – Sorri e o abracei.

Era óbvio que o que ele sentia era apenas atração aliás eu sou sua amiga, mas meu coração estava começando a doer. Ótimo!

- Vamos. – Eu disse tentando parecer normal. 

- Espera.

- Luhan, tá tudo bem! Eu gosto de você também e...

- Você quer ser minha namorada? 

Ele perguntou me encarando decidido. Sério mesmo? Quer dizer, eu não pensei que ele faria isso, deu a entender que ele não queria nada sério. Senti meu coração bater e bater mais rápido era quase como sair do peito, eu queria chorar. Droga.

- Luhan... – Eu nem sabia o que dizer, bem eu queria dizer sim mais estava surpresa demais pra responder.

- Se não quiser tudo bem eu entenderei. – Ele pareceu ficar chateado.

- Não, não, não é isso! É que...Nossa Luhan eu não esperava.

- Isso é um sim? – Ele fez uma carinha confusa.

- Sim. – Lhe beijei com vontade.

Fazia alguns meses que nós estávamos sozinhos, Luhan teve um problema sério com a última namorada e eu? Bom...Só fiquei esperando milagre e pelo visto apareceu, não conseguia nem respirar então tive que parar aquele beijo delicioso. 

- Ainda bem que aceitou se não eu seria obrigado a te obrigar a namorar comigo. 

- Acho que nem precisava.

Luhan me puxou e eu bati contra seu peito, não reclamei porque gostava da aproximação dos nossos corpos e o calor que ambos emanavam quando estavam juntos ele esfregou seu nariz no meu como se fosse um esquimó e eu sorri. Ele olhou profundamente nos meus olhos e ficamos algum tempo assim.

- Não sei se Deus existe mais ele foi bem generoso em deixar você no meu caminho.

- Ele existe e é bom conosco Luhan. – Afirmei olhando de volta.

- Não consigo parar de pensar porque perdemos tanto tempo sendo amigos.

- Não perdemos tempo Lu, apenas aprendemos um com o outro pra chegar até esse momento.

- Você é muito sábia, anciã. – Nós rimos e o celular tocou.

- Você me vem com cada nóia. – Eu ri.

E de novo nós nos beijamos, meus sentimentos por ele não mudariam eu continuaria à admira-lo ele sempre seria meu amigo só que seria bem mais também. Sorri pelo pensamento e enfim, conclui que meu lugar era ao lado dele já que passamos por muitas coisas juntos e mesmo não prestando atenção nós já éramos um do outro e nada mudaria isso.

- Vamos gatinha. – Ele pegou minha mão e saímos.

É estranho quando você descobre sentimentos pelo (a) seu (ua) melhor amigo (a) mais ao mesmo tempo é incrível porque você sente que se apaixonou pela pessoa certa em alguns casos, e você faz de tudo pra negar, ri de si mesma (o), chora por si, fica pensativa (o) mais no final percebe que não tem como evitar e acaba nisso, você se entregando.

O segredo é não ter medo, não ter me de errar ou se arrepender porque é assim que se cresce e conhece pessoas incríveis, foi assim que eu conheci meu namorado Luhan.


Notas Finais


Pra ser sincera fiquei muito indecisa se postaria ou não já que eu estava preparando uma fic do Sehun e bom, era pra eu ter postado faz um tempinho mais como eu fiquei nesse impasse e mais a preguiça e mais o problema de escrever um hot eu pesquisei melhor e fiz o que pude.

Espero que apreciem como eu apreciei escrever, aliás, esse é um desejo profundo meu nesse site, que todos apreciem minhas histórias mesmo que sejam poucas.
Quero agradecer o apoio que sempre tenho na minha pequenas histórias realmente vocês são incríveis.

TIA PARK AMA TODOS 💖😘

APRECIEM ESSA DLÇ QUE FIZ DE CORAÇÃOZÃO 🍷😏
Até a próxima vez...👏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...