História My brother is my hyung - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Taegi
Visualizações 19
Palavras 1.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Shonen-Ai, Shounen, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa gente, turu baum?
eu sei que eu demorei trezentos anos para postar, mas vão ter que se acostumar com isso, sorry ♡

(não me abandonem, por favorzinho)

boa leitura \o/

Capítulo 2 - Confusão...


Podemos dizer que meu novo irmão não era muito proximo a mim. Todos os dias eu o observava, porém muitas vezes parecia que eu não tinha irmão nenhum.

Meus pais sempre faziam de tudo para adpta-lo o mais rápido possivel. Yoongi era um menino muito quieto e tinha um olhar meio gélido e era indiferente. Poucas vezes o vi sorrir.

Em algum dia tomei coragem para chama-lo para brincar comigo, mas não tenho muitas recordações desse dia, com certeza ele tinha me rejeitado. Lembro que uma vez o vi tocar naquele piano em seu quarto com a porta entreaberta.

Me surpreendi um pouco com a cena, já que era a primeira vez que eu o via tocando, aliás era a primeira vez que eu via alguém tocando piano...

Aquele menino frio parecia desaparecer a partir do momento em que tocava...

Ele tomava as teclas com os dedos de uma forma encantadora, dando forma a outro Yoongi que eu queria conhecer ou que pelo menos queria que existisse.

Estava hipnotizado e intrigado com aquele garoto a minha frente e senti minhas bochechas doerem até eu finalmente me tocar de que estava sorrindo. Eu nunca entendi o por que de eu ter sorrido daquela forma, ele só estava tocando... o que isso teria demais?

Em alguns segundos, despertei da cena quando minha mão acabou batendo em algo ali perto, fazendo o mais velho olhar em minha direção, corri até  a porta do meu quarto, esperando ele vir até a mim e reclamar, mas, ao contrário do que pensei, ele não se manifestou.

Dias se passaram e eu continuava sem entender aquele lado de Yoongi, as vezes o observando tocar escondido, pensando quem poderia ter o ensinado a tocar com tanta maestria.

Nunca tinha sido tão observador quando criança, o novo/não tão novo morador me despertou esse lado. As vezes ainda me intrigo com ele. É como se fosse ontem e o outro ainda ingnorava minha presença, mas já não ligo mais tanto para esse fato.

A história dele era com certeza bastante complicada e eu entendia um pouco o porquê dele agir daquela forma, - contarei como descobri sobre isso em outro momento, estarei seguindo a ordem cronológica dos acontecimentos.

Meus pais tinham o colocado na mesma escola que eu, mas é claro, ele estava dois anos a minha frente. E como eu havia mudado de classe, acabei fazendo um novo amigo, Jungkook era seu nome. As vezes ele não acreditava que o adotado era meu irmão, já que o mesmo fingia que eu não existia. Literalmente.

Em um dia comum quando já estavamos em casa, eu estava com dificuldades para fazer a lição e meus pais não estavam em casa, não queria incomodar os empregados, não custaria nada eu perguntar a Yoongi, né? Decidi ir, e quando sai do meu quarto pensei em como minha vida era preciosa demais pra morrer logo naquele momento, um pouco dramático? Não, imagina.

Hesitante fui em direção ao quarto do mais velho, já pensando em todo tipo de resposta que este me daria. Só que não foi bem isso que aconteceu... Quando abri um pouco a porta - já que eu tinha essa mania de abrir portas sem bater antes -, vi o que nunca pensei que aconteceria.

O mais velho estava sentando no banquinho em frente ao piano com as mãos ao lado do corpo, seu olhar estava fixado no instrumento, ele não se mexia, não fazia nada, e pude ver ao forçar um pouco minha visão que havia duas lágrimas solitárias rolando por se rosto.

Talvez por minha ingenuidade, eu quis ir até lá, perguntar o que tinha acontecido, fazer qualquer coisa para ele parar de chorar. Eu nunca achei que veria Yoongi chorando, e quando vi pela primeira vez, percebi o quão horrível era ver o Hyung triste.

Mas mesmo assim, por medo do mesmo me rejeitar, eu não fui. O que eu estava pensando? Fiquei tão animado para ter um irmão e não tinha nem coragem de falar com ele.

Que ironia...

Me afastei devagar realmente muito confuso. Se ao menos ele se manifestasse como eu tentava, talvez as coisas podiam ser diferentes. Essa era a realidade de nossas vidas, afinal.

A partir desse dia, eu começei a prestar mais ainda atenção em Yoongi, embora tudo estivesse andando normal - dentro do possivel -, eu vivia com Jungkook, e o Yoongi vivia dentro do quarto.

A minha rotina era da escola pra casa, então eu fazia os deveres e uma vez ou outra eu ia na casa do meu amigo e vice e versa. E justamente nesses dias comuns eu estava em meu quarto, entediado, deitado na minha cama, então resolvi ir tomar banho. Vesti uma roupa básica, apenas uma bermuda branca e uma blusa preta. Meu plano era pedir para meus pais me levarem a casa de Jungkook - os pais dele nem ligavam mais de eu aparecer do nada, já que eu praticamente vivia na casa do mais novo -, pois estavam a caminho do trabalho.

Lembro que eles insistiram mais uma vez para eu tentar conversar com meu irmão, mas logo viram que não ia adiantar e me deixaram em paz, porém disseram que não eu não poderia ir a casa do mais novo. Dei de ombros e fui para a sala de TV tentando me distrair com meus filmes e um caderno onde eu fazia um desenho, não sei como, de repente o Min se encontrava na minha frente, dando um sorriso que poucas vezes eu vira. Espere... Min Yoongi sorrindo?

-Olá Tae.- ele disse sem o tom de indiferença. Ele me chamou pelo meu apelido, algo de errado não está certo. - O que está desenhando?

- Você está mesmo falando comigo?- pergunto sem acreditar.

-Sim. Então... Você não respondeu minha pergunta.

- Eu... É um carro de corrida...- Eu disse olhando meu desenho pensando em qual milagre teria acontecido para ele estar falando comigo.

- Você gosta de corrida?- ele pergunta com um tom de voz curioso, que eu estranhei.

- Na verdade não, eu apenas estava desenhando para me distrair.- Falei com a voz baixa, meio tímido, eu quase ou nunca falava com Yoongi, eu não sabia muito bem o que fazer, foi quando olhei seus olhos.

Ele parecia diferente, verdadeiro, como se estivesse mesmo interessado no que eu estava fazendo. Ele me olhava de volta, e não consegui sustentar o olhar, desviei os olhos para meu desenho sentindo minhas bochechas ficarem rubras.

Pude sentir o mais velho se sentando ao meu lado no sofá, mas não tive coragem de olhar de volta. - Entendo. - Respondeu ao que eu dissera antes. Sentia o olhar dele sobre mim, e isso me fazia ficar mais envergonhado, era no minímo estranho aquela situação. Fiquei rasbicando o desenho por cima, fingindo ainda estar desenhando... 

- Sabe, nunca ouvi você me chamar de 'Hyung'. - Comentou e olhei para o seu rosto vendo seu olhar na TV, notei que ele não sorria mais.

- B-bom.. - Tentei pensar em reposta que não fosse muito grosseira, mas meu cérebro não estava colaborando muito.

- Esqueça. - Me cortou e percebi ele se levantar, sua voz estava indiferente outra vez, fazendo-me levantar o olhar para ele. Yoongi se afastou, e pude ve-lo subir as escadas.

Eu não sabia o que pensar do que tinha acontecido, eu gostei de ver Yoongi sorrindo, tinha gostado da forma como ele pareceu interessado no que eu estava fazendo, mas a forma como sua expressão se tornou indiferente novamente e a forma como cortou minha fala...

Eu quis me levantar, quis ir até Yoongi, quis falar com ele, quis perguntar o que tinha acontecido, mas novamente eu tive medo, medo de que ele me rejeitasse.

Porque tinha que ser tão difícil?

Eu só queria poder brincar e conversar normalmente como irmãos faziam, mas ao contrário, eu tinha medo de falar com meu irmão, e o meu irmão não me dava chance para que nos tornasemos próximos.

Desisti de ficar na sala e subi as escadas carregando meu caderno e olhando o chão com uma cara de paisagem, assim que cheguei a porta do meu quarto, virei meu rosto para o quarto de Yoongi.

Eu queria tanto entender o mais velho... Entrei no meu quarto, joguei o caderno em cima da mesinha que eu tinha no canto do cômodo e me joguei na cama afundando a cabeça no travesseiro. Minha mente estava totalmente confusa.

A cama ficava na parede ao lado do quarto de Yoongi, por isso sorri pequeno ao ouvir uma melodia baixa vindo do quarto do moreno, pelo menos a música dele me acalmava, e era o que eu precisava...


Notas Finais


entãooo, talvez ainda tenha uns erros por ai nesse capitulo, mas relevem, ta?

pessoinhas que estão lendo minha fanfic, eu queria perguntar uma coisinha...

Vocês iriam preferir quem como ativo e como passivo entre o Tae e o Yoongi?
Eu to meio indecisa quanto a isso :^

Enfim, obrigada por lerem e até o próximo capitulo qie provavelmente vai demorar pra sair mas vai sair, eu juro.
~tchauzin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...